História A Sobrinha (Incesto) - Yoongi - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Visualizações 109
Palavras 1.739
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente cá estou, eu, de novo. E sim mais uma fanfic de incesto (kk😹)

Espero que vocês gostem.❤

Boa leitura 💙🍃❤

Capítulo 1 - Capítulo único


Yoongi On

Quem diria que eu Min Yoongi estaria apaixonado pela minha própria sobrinha, Min S/n.

Min S/n, linda, perfeita, e claro minha sobrinha, a qual eu tenho uma paixonite .

Bom, talvez vocês não estejam entendendo, nada. Mas, vou explicar tudo.

Tudo começou quando meu querido irmão teve que viajar a negócios mais sua esposa, para Londres. E como eles não tinham com quem deixar minha querida sobrinha, eles me pediram para deixá-la aqui em casa até eles voltarem, só que eles disseram que voltariam um mês depois, beleza eu aceitei afinal seria apenas um mês com minha sobrinha... Eu estava enganado, duas semanas depois meu irmão me liga me avisando que eles só voltariam depois de oito.. OITO meses. Vocês devem está se perguntando: "Mas o que isso tem haver com o fato de você está apaixonado pela sua sobrinha?'' Bom, a S/n é muito bonita, mas eu nunca fui de gosta de meninas mais novas do que eu. Até eu perceber uns seis dias depois, da ligação do meu irmão, que tenho uma paixonite por ela! Afinal não é fácil ter uma sobrinha, linda, gostosa e maravilhosa, como ela, debaixo do mesmo teto que você te provocando usando roupas provocativas.

Eu estava na sala, assistindo um filme qualquer, quando ouço alguém descendo as escadas. Eu já sabia que era S/n afinal só tinha nós dois na casa... Bom foi o que eu pensei. Olhei em direção as escadas e vi S/n descendo as escadas, só de camisola transparente e...com chupões no pescoço?? Grr eu vou matar ela... E quem é aquele garoto agarrado na cintura dela???

Ela o leva até a porta, logo se despedindo do mesmo, com um beijo... BEIJOOO???? AHHHHH, Eu vou matar eles!

O garoto vai embora, e ela se vira em minha direção e acaba tomando um susto.

—— Quem era aquele garoto? - Perguntei. Eu estava com a feição, brava e séria, enquanto a encarava.

S/n– Um amigo, tio.

—— Um amigo, S/n? Você acha que me engana? - Perguntei sério, arqueando a sombrancelha.

S/n– Aish, tio. Ele é apenas um amigo meu. O nome dele é Namjoon. Algum problema???

—— Claro, que tipo de amigo é esse?? Que você dorme, beija e dá chupões?!

S/n– Um amigo colorido! Aish, qual é, vai dizer que ficou com ciúmes? - Perguntou provocativa, chegando mais perto de mim, ficando na minha frente. Fazendo-me balançar, rápido, a cabeça negativamente.

—— Cla-cla-claro qu-que nã-não. - Droga! Por quê eu gaguejei?? Aish, merda.

S/n– Pode falar, a verdade, titio. Eu sei que você me quer! De quatro, de lado, na sua cama toda nua. - Diz maliciosamente mordendo o lóbulo da minha orelha.

Aish garota. Assim você acaba com a minha sanidade. - Pensei.

Puxei-a para um beijo afoito cheio de desejo. Seus lábios macios encostados nos meus, e sua língua encostando na minha, gerava uma sensação prazerosa entre nós. Seus lábios eram como vício eu não queria mais parar, de beija-los! Mas como nem tudo é perfeito, logo a maldita falta de ar se fez presente nos separado.

Encarei-a, e quando eu ia avançar novamente, me surpreendi com a atitude dela! Ela me puxou para um beijo selvagem com direito a mordidas leves/fortes nos lábios. O beijo ia se intensificando cada vez mais!

Peguei-a no colo, ainda beijando-a, e subi em direção ao meu quarto. Fui até a porta abrindo-a, com certa dificuldade, logo adentrando o quarto. Joguei-a na minha cama com um pouco de força fazendo-a soltar um gemido baixinho. O que me fez abrir um sorriso safado!

Voltei, e tranquei a porta ....

—— Vamos brincar. - Falei com um sorriso malicioso.

S/n– Claro Oppa.

Fui em direção a mesma. Logo deitando-me por cima dela, e voltando a beija-la.

Descir meus beijos até o seu pescoço fazendo novas marcas em cima das que aquele garoto fez. Seus gemidos baixos e manhosos me deixavam louco.

Tirei sua camisola, vi que a mesma já estava sem sutiã, o que facilitou o meu serviço, abocanhei imediatamente seu seio direito enquanto massageava o esquerdo. Chupei, lambi e mordisquei de leve seu seio, fiz o mesmo processo no esquerdo vendo a mesma maltratar seus lábios tentando conter os gemidos.

Voltei a beijar seus lábios, mas dessa vez com um pouco mais de vontade. Descir meus lábios trilhando uma linha de beijos e chupões até a barra de sua calcinha. Antes que eu pudesse tirar sua última peça de roupa, ela me impede mudando as posições ficando por cima de mim. Ela começou a rebolar em meu colo, enquanto distribuía chupões em meu pescoço. S/n aumentou a velocidade, fazendo com que meu amiguinho acordasse.

S/n tirou minha camisa, arranhando meu abdômen fazendo me delirar, ela desceu até a minha bermuda, a tirando em seguida me deixando só de box .

Começou a massagear meu membro por cima da box me fazendo arfar e soltar alguns gemidos baixos.

—— Nã-não m-me tor-ture...as-assim.

Logo, S/n, tirou minha box, pegando na base de meu membro começando uma masturbação lenta e prazerosa.

—— Ma-is... rá-pi-do....S/n. - Digo entre gemidos.

S/n: Como? - Perguntou provocativa. – Você quer assim Daddy? - Perguntou aumentando a velocidade. Assenti, com a cabeça, vendo a mesma trocar as mãos pela boca. Ela chupava, lambia com vontade!

Eu estava, perto de gozar, por isso segurei em seus cabelos formando um rabo de cavalo bagunçado, e comecei a ditar os motivos que ficaram cada vez mais rápido. "Soquei" a sua boca com vontade, vez ou outra eu encostava meu pau em sua garganta fazendo-a engasgar. Mas mesmo assim, ela não deixava desaparecer seu semblante, no rosto, de prazer.

Cheguei em meu ápice, me desfazendo em sua boca. A mesma suga tudo, não deixa nem um rastro se quer no local.

Puxei ela para cima, logo atacando seus lábios. Joguei-a na cama desci em direção ao meio de suas pernas, comecei a distribuir beijos e chupões na parte de dentro de suas coxas, logo em seguida rasguei sua calcinha. Comecei a estimular ela, com o dedão, enquanto eu chupava e lambia toda a extensão de sua intimidade.

S/n–. Oppa... Mas... Rápido... - Disse tentando conter os gemidos.

Penetrei dois dedos nela, de uma vez, e comecei a fazer movimentos rápidos com os dedos. Sinto seu interior apertar meus dedos e ela logo se desmancha nos mesmos. Levo os dedos até a boca, lambo os mesmo, me abaixando em seguida dando uma lambida em sua intimidade e em seguida um beijo.

Me endireitei no meio de suas pernas coloquei a camisinha, e a penetrei, de uma vez, fundo e forte sem avisar.

S/n– Ahh, ma-mais... Rá-pi-do - Disse sôfrego.

—— Como você quiser. - Digo aumentando a velocidade. Eu ia fundo e forte, sem me importar com a csma, parede e vizinhos.

Seus gemidos eram como música, em meus ouvidos, nossos corpos suados se chocando, eram como um sonho.

S/n– Daddy... Eu... Vou.. Ahh - S/n não consegue nem termina de dizer e sinto seu gozo escorrendo pelo meu membro. Continuo a estoca-la, até atingir o meu ápice.

—— Eu... Vou go-zar... - Digo, e logo gozo preenchendo a camisinha.

Tiro a camisinha, jogando-a no lixo, e coloco outra.

—— De quatro! - Digo firme. – Empina bem essa bunda, para mim. - Assim ela fez. Desferir dois tapas nas suas nádegas, ouvindo ela soltar um gemido de dor e prazer. Logo a penetrei com movimentos rápidos e cada vez mais fundo......

{•••}

Depois de mais uns dois rounds S/n e eu não aguentavamos mais. Eu estava todo suado e com a respiração descontrolada e ela não estava diferente.

—— Vou tomar um banho. - Digo me levantando da cama.

S/n– Posso ir com você?? - Perguntou

—— Claro.

Fomos para o banheiro, liguei o chuveiro e tomamos nosso banho, ela tomou banho com um pouco de dificuldade, mas conseguiu. No meio do banho, rolou algumas carícias, beijos, e mãos bobas, mas nada além disso.

Terminamos nosso banho, e voltamos para o quarto. Entreguei uma box vermelha e um blusão branco, para ela vestir, e vestir uma box preta. Ela deitou na cama, e eu logo deitei ao seu lado puxando-a para deitar em cima de meu peito.

—— Você está bem? - Perguntei preocupado.

S/n– Sim. Só estou com um pouco de dor nas pernas. - Disse acariciando meu abdômen.

—— Me desculpa...

S/n– Tudo bem.. - Disse me encarando, por cima dos ombros, com um sorriso.

—— Te amo!

S/n - Também te amo.

—— É sério eu te amo, mas não como amor de tio e sobrinha, e sim como namorados! Eu te amo S/n. Cada parte do seu corpo me fascina! Eu te amo demais para deixar que isso que acabou de acontecer acabe. Por favor seja minha não por uma noite e sim pro resto da vida. - Digo a encarando.

S/n– Eu também te amo tio, mas não podemos ficar juntos. E se meus pais descobrirem o que vamos fazer??

—— Claro que podemos ficar juntos. Se você me ama de verdade, assim como eu te amo, nada poderá nos separar nem mesmo os seus pais!

S/n– Tio, por favor. Não complique as coisas. - Disse se sentando na beirada da cama.

—— Eu não estou complicando as coisas! - Digo chegando perto dela. – Eu te amo muito, e não quero deixar você ir! Por favor fique ao meu lado. Seja minha.

Ela não me respondeu, eu comecei a ficar triste por isso. Eu realmente amo ela mas se ela não me ama ao ponto de enfrentar seus pais, quem sou eu para forçar ela.

Me levantei da cama, para vestir uma roupa e dá uma saída para esfriar a cabeça, mas antes que eu chegasse no closet, sou parado por uma mão puxando meu braço. Me virei e...

S/n– Eu aceito.... - Disse se levantando, ficando na minha frente

S/n– Eu aceito ser sua para sempre. - Disse com um sorriso largo. O que me fez sorrir também.

Eu não acredito ela vai ser minha só minha... Ahhhhh.

Puxei ela para um beijo, sem malícia, só paixão e felicidade. Terminamos o beijo com pequenos selinhos, e eu ganhei uma mordida de leve no lábio inferior.

Em uma noite eu descobrir que aquela o que eu sinto pela minha sobrinha não é desejo carnal, e sim amor de verdade! Eu a amo demais para solta-la e deixa-la vagar por esse mundo com outros homens.

Voltamos a nos deitar na cama, só que dessa vez de conchinha. Fiquei fazendo carícias entre seus cabelos, até ela pegar no sono,e eu logo em seguida.



Porque tudo de mim

Ama tudo de você

Amo as suas curvas e seus contornos

Todas as suas imperfeições perfeitas....💙🍃



Fim❤🍃


Notas Finais


Desculpem-me pelos erros.💙❤🍃

Sei que não ficou lá essas coisas, mas espero que tenham gostado. 😊💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...