História A Sombra Da Luz - Capítulo 36


Escrita por:

Postado
Categorias Star Wars
Personagens Finn, Kylo Ren, Luke Skywalker, Rey
Tags Ben Solo, Kylo Ren, O Despertar Da Força, Os Últimos Jedi, Rey, Reylo, Romance, Smut, Star Wars, The Force Awakens, The Last Jedi
Visualizações 373
Palavras 3.602
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, meus amores! Como vocês estão??
Estão aproveitando o domingo?
Bom, eu quero me desculpar pela demora. Eu tive um bloqueio gigantesco para escrever ASDL. (Não, gente, fuck buddies não é mais importante que ASDL haha)
Mas enfim, meus xuxus, venho encarecidamente por meio dessa nota, pedir que sejam boazinhas comigo. Esse é o primeiro capítulo de batalha que eu escrevo na vida e não sei se ficou bom. Eu reli duas vezes e na primeira achei uma bosta, na segunda achei legalzinho hahaha
Pois bem, eu espero que gostem ❤
Obs: o capítulo tem ponto de vista da Rey e Kylo intercalados ;)
Obs2: Eu escrevi esse capítulo ouvindo Revisiting Snoke (trilha sonora de The Last Jedi) e Your Father Woud Be Proud (trilha sonora de Rogue One). Se vocês quiserem ouvir também para aumentar o drama, os links estão nas notas finais!

Capítulo 36 - XXXV - O Confronto. Part II


Fanfic / Fanfiction A Sombra Da Luz - Capítulo 36 - XXXV - O Confronto. Part II

Os guardas Praetorianos se moverem de seus lugares com armas nas mãos, correndo na direção dela, obedecendo a sentença de morte que Snoke deu a ela. Os Cavaleiros de Ren se movimentam atrás dela, se preparando para o que viria a seguir.

Rey viu Snoke tocar o rosto de Ben, e sua cabeça doeu com as memórias.

"Rey, eu preciso que faça uma coisa para mim." A voz de Ben soa tão clara em sua mente que parece que ele está lhe falando agora. "Você vai fazer o que precisa ser feito sem hesitar."

- Não! – Rey deixa escapar. Fique longe dele! Rey grita em sua própria cabeça, esperando que sua voz possa chegar até ele através da Força.

"Vai me matar!"

Não! Ela nunca seria capaz de fazer aquilo.

Ela viu Ben fechando os olhos e escutou um grito doloroso escapando de sua boca. Rey se encolheu quando sentiu a ira de Snoke antes mesmo de vê-la. Foi um sentimento terrível e familiar. Ele estava atacando Ben, fazendo-o sofrer, punindo-o por se libertar de suas manipulações, e Rey consegue sentir tudo isso em seu corpo. Sua dor refletindo nela como um espelho de reações.

- Saia de perto dele! – ela sussurra para si mesma.

“Nós estamos compartilhando dor agora.” Ela se lembra das palavras de Kylo.

Foi difícil ficar de pé com a dor intensa dentro de sua cabeça, mas não havia tempo a perder.

Rey abre a conexão deles, forjando um poço de poder para cortar o peso esmagando seu peito. Um peso que Snoke estava infringindo em Ben. Ela acelera seu ritmo, acalmando o máximo possível a dor de Ben através de sua conexão mental, deixando a Força ligá-los numa bolha praticamente anestesiante. Ela pensa rápido, lembrando das palavras nos livros que eles roubaram da biblioteca de Snoke, então Rey usa a Força e enfia a maior parte da dor dela em uma caixa imaginária em sua mente. E isso funciona! A dor se torna mais suportável.

Um rápido olhar ao redor. Oito Guardas Praetorianos, protegidos pelas armaduras de metal vermelho e armados com armas brancas de alta tecnologia. Rey se esforça para lembrar das informações que Ben passou a ela.

"A armadura da Guarda Pretoriana é como uma casca de alta tecnologia, impregnada de fios condutores que, uma vez alimentados, criam um campo magnético. Uma vez que este campo intensivo de energia é ativado, as placas energizadas podem defletir um tiro de blaster e até mesmo resistir a um sabre de luz, embora um ataque direto penetre sem dificuldades." Essas foram as palavras dele.

A Guarda Praetoriana seria um desafio. Mas ela e os Cavaleiros de Ren tinham a Força a como aliada.

Rey puxa o poder de dentro de si, e levanta a mão esquerda, ainda segurando seu sabre com a direita. Dois dos guardas cambaleiam e outros dois voam para trás, mas eles continuam avançando depois de se recuperarem do ataque inicial. Eles acendem suas armas, a eletricidade avermelhada crepitando quando eles chegam perto o suficiente e assumem as posições de combate.

O som dos Caveleiros de Ren empunhando suas armas soa em volta dela. Informações sobre seus companheiros de luta aparecem em seus pensamentos, repassando o que Kylo a havia ensinado: seus estilos de luta, suas habilidades, toda a história violenta e sangrenta que eles têm com Ben. E depois, quando não há mais tempo para fugir de seus oponentes, Rey fixa seus olhos somente nas armaduras vermelhas.

O mais alto, armado com uma longa lança, está no centro. O que vem à direita de Rey tem suas luvas de metal pesado e armadura cobrindo seus braços até os ombros e ele balança duas lâminas curtas em arcos enquanto se move para flanqueá-los.

Aquele com a lança chega até ela mais rápido, e Rey tem que agir rapidamente para colocar seu sabre de luz para defender seu ataque. Mas ela não foi rápida o suficiente para evitar o golpe de seu cotovelo contra seu nariz. Ray cospe sangue, sentindo uma dor aguda em seu rosto, respigando líquido vermelho no chão entre eles, e rugindo para ele, enquanto ele a deixa de lado para lutar com um dos Cavaleiros atrás dela.

Então, ela volta sua atenção para o guarda mais próximo, aquele que estava no meio do caminho para Kylo e Snoke, o mais baixo com as duas lâminas. Ele se move para atacá-la com pequenos golpes, pequenas fatias daquela luz vermelha em torno de sua lâmina, ela não sabe o que é aquilo, mas está ao redor dela enquanto ele se mexe com agilidade. Ela o odeia. Ela odeia que ele a impeça de ajudar Ben. Ela odeia que ele seja rápido, tão rápido que ela tem que defender ao invés de atacar. Ela odeia que ele a tenha ferido no braço, fazendo sua pele arder. Ela odeia que ele esteja aqui, mais um obstáculo entre ela e Snoke.

O sangue ferve em suas veias enquanto Rey chama a Força ao redor dela e a usa para pegar o pé do cavaleiro com uma armadilha que Ben lhe ensinou, um truque. A Força invisível foi suficiente para arrastar o guarda para baixo e um segundo depois, Rey teve sua lâmina azul perfurando seu peito. Ela podia sentir ele morrer.

Ela ofega surpresa quando o guarda que havia a acertado no rosto ataca um dos Cavaleiros de Ren com uma lâmina afiada, rasgando sua garganta. Ele chega a Rey novamente, o sangue escorrendo pelo metal gelado de sua arma. Rey aperta o sabre de luz nas mãos, o cristal kyber azul vibrando, completamente conectado a ela. Ela se defende quando ele a ataca de cima para baixo, a lâmina ensanguentada parando na luz azul. Ele se agacha, empurrando com a força a lâmina do sabre para baixo, em direção ao rosto de Rey, perto demais, quase queimando sua pele. Suas botas deslizam contra o chão polido e ela cerra os dentes com a força que tinha que fazer para impedir que fosse decaptada por sua própria arma.

Ela cospe sangue nele, respingando em sua máscara enquanto ela chuta com toda a sua força a articulação do joelho em sua armadura. Há o som de ossos sendo quebrados sob seus pés. O guarda se abaixa com um grunhido, rolando para se afastar dela, mas Rey não o deixa sair de seu alcance. Ela pisa de novo no outro joelho dele, e ouve mais uma vez o som de ossos se despedaçando. Ele grita e a sensação de segurá-lo contra o chão enquanto um dos Cavaleiros de Ren perfura sua testa com uma espada é perfeita. Ela sufoca sua vida assim como uma fogueira é sufocada sob uma tempestade, e isso é tão bom. É bom matar esses desgraçados que protegem aquele monstro.

E agora, não há ninguém em seu caminho para Ben.

*

Kylo está lá, sentindo sua carne doer como se uma faca o estivesse rasgando, seus ossos tremem como se uma força invisível estivesse tentando quebrá-los, sua cabeça e seus pensamentos estão sendo invadidos, violados. Mas ele não conseguia tirar os olhos dela. Ele só podia temer por ela quando um guarda praetoriano acertou seu rosto com um golpe violento e outro deles abriu a pele de seu braço com a lâmina afiada. Ele assistiu ela tentar se libertar dele.

- Olhe para mim, Kylo Ren. – ele agora olha para aqueles terríveis olhos azuis. – Para derrotar um inimigo, você deve conhecê-los. E eu...eu te conheço, meu aprendiz, embora nunca houvesse lhe considerado meu inimigo. Desde o momento em que você estava no ventre de sua mãe, eu usei você. Eu usei você para que você pudesse se tornar mais forte do que eu, mais forte do que Vader. Eu usei você para impedir que a República condenasse a galáxia a morte com seu poder corrupto e descontrolado. – sua voz era fria. Snoke observa Kylo com atenção. – É uma perda! Quando te encontrei, vi poder bruto e indomável. O herdeiro legítimo de Darth Vader, o filho da Escuridão. Você está cometendo um erro terrível. – seus longos dedos cercam o crânio de Kylo e parece que ele está esmagando a sua cabeça. Kylo tenta pegar seu sabre de luz, mas uma força invisível o segura e retorce sua mão até que ele sinta os ossos se quebrando. Ele não pode nem mesmo gritar de dor. – Às vezes, manter a ordem exige um sacrifício. Mas este é o funcionamento da nossa Ordem. Um indivíduo pode morrer, mas os Sith são eternos.

É destrutivo. Snoke se espalha. Domina sua mente como uma doença, como um vírus. Kylo está morrendo nas mãos de seu demônio pessoal. Snoke está tentando tomar o controle.

Entre o som de lâminas e rugidos e a voz fria de Snoke, Kylo pode ouvir passos urgentes se aproximando, e Snoke afrouxa o aperto de sua cabeça ao mesmo tempo em que ouve a voz de Rey.

- Se afaste dele! – Rey grita a plenos pulmões.

- Ah, entendo ... vejo as palavras que você jurou um ao outro. Então, vigarista, eu tenho ele. Eu estou dentro da mente dele. Você não vai cumprir a promessa que você fez? Você não vai matá-lo?

- Eu mandei você se afastar dele!

Rey aproveita a oportunidade, sempre procurando aberturas. Um clamor silencioso para a batalha, uma ânsia inescapável de lutar surge através Rey para Kylo. Rey é muito mais forte agora do que em suas seções secretas de treinamento. Kylo a sente lutando contra Snoke dentro de sua mente, afastando-o, ajudando.

Ela está acelerando seus próprios movimentos. Rey parece sussurrar algo para si mesma. Kylo sabe o que é isso. Ele sente as intenções dela. Ela está tentando se alimentar da Força de Snoke, atraindo o poder dele para melhorar o seu próprio. O sabre de luz acendendo enquanto ela balança a lâmina brilhante na mão estendida. Correndo para Snoke, pretendendo atacá-lo.

Os olhos de Snoke estão com raiva. Ele sente ódio da ousadia dela. Há algo perigoso queimando dentro daquele azul e Kylo pode vê-lo respirando fundo antes de gritar com ela.

- Para um rata solitária e abandonada que cresceu sozinha naquele deserto, achei que você seria mais esperta do que isso, sucateira! – ela para de correr no meio do caminho. Contusões escuras aparecem na pele da garganta dela e Kylo sente seu ódio queimar através do pânico sufocante de Rey, alimentado pelo veneno saindo da língua de Snoke. – Você pensa que meu aprendiz terá qualquer misericórdia por você? Você acha que ele vai hesitar em te derrubar depois que ele conseguir o que quer? Ele vai se voltar contra você no final, sua pequena idiota. – o aperto do pescoço de Rey cessa, mas uma rajada de raios azuis flui de seus longos dedos e Snoke a ataca. Por puro instinto, Rey sai do caminho rápido o suficiente para escapar, ainda buscando desesperadamente por ar.

- Você subestima Ben Solo. E a mim. Essa será a sua ruína! – Snoke riu como se Rey tivesse dito algo engraçado.

Snoke tirou as mãos de Kylo para olhar Rey nos olhos, dando rapidamente uma olhada para a batalha atrás deles, verificando se sua Guarda estava se segurando contra os Cavaleiros.

Derrotar Snoke é como tentar enfrentar um Star Destroyer com um speeder. A Força vibra e Kylo sente seu calor vindo através dela. Algo novo e forte, indo de Rey para Kylo e depois voltando para ela.

A voz de Rey ruge em sua cabeça e a escuridão rasga suas almas enquanto ele se abre para o poder sombrio natural desta sala. Ele aproveita agora que a atenção de Snoke está concentrada em Rey e ele procura a Força, pela Escuridão que o guiou por todo o caminho até aqui. E lembrando-se do feitiço que ele aprendeu com o livro dos Sith, ele fecha os olhos, respirando profundamente e se concentrando.

Usando uma das mãos, sussurrando a antiga e extinta língua dos Sith. Era difícil para ele controlar aquele poder com a falta de prática, mas Kylo podia sentir a Força reunindo energia escura ao redor dele. Ele rosna para seu antigo mestre, deixa a raiva fluir quente e brilhante em sua mente. E quando Snoke volta sua atenção para ele, Kylo projeta essa energia para ele, observando a explosão da Força queimar o rosto já destruído de Snoke.

O seu mestre grunge em voz alta, uma sensação de satisfação se espalhando pelo corpo de Kylo quando ele viu Snoke sentindo dor. Uma dor que Kylo estava causando a ele. Kylo engole em seco, tentando tirar seu coração da boca. Apesar de seus medos, é bom estar aqui, estar agindo. Mesmo se ele for morrer aqui, ele morrerá como um desafiador, não mais como um fantoche.

Rey se afasta de Snoke enquanto Kylo gira sua espada pelo ar, sentindo seu pulso ferido latejar com a dor, realizando movimentos chamativos destinados a manter a atenção de Snoke sobre ele. Snoke desvia de seu primeiro golpe e Kylo se esforça para lutar contra o calor de seu próprio sabre, já que Snoke usa a Força para controlar seus movimentos, a luz vermelha está muito perto de seu rosto. Snoke se aproxima para agarrá-lo e Kylo o bloqueia com um esforço que parece sobre-humano. Ele finca as botas na pedra, lutando contra a mão invisível que o puxa para perto do seu Mestre.

De repente, o chão treme sob eles com a fúria de Snoke e Rey tropeça, um dedo frio como um cadáver roçando a bochecha dela quando ele a alcançou. O poder de Snoke grita em sua cabeça por um momento que gelou o sangue. O poder dele se contorce dentro de Kylo assim como dentro dela e eles quase perdem o contato com a mente um do outro. Algo terrível, monstruoso cresce entre eles. Então, essa sensação se vai tão rápido como veio e a conexão volta forte como antes. Kylo observa Rey tropeçar e cair com força. E como se estivesse brincando com uma marionete, Snoke a jogou para longe, sua cabeça batendo na parede de pedra e sangue jorrando pelo rosto, pelo olho, pelo queixo.

Snoke voltou sua atenção para Kylo e logo, ele está convulsionando, contorcendo-se, tentando arduamente manter a dor dos raios para si, tentando contê-la dentro de sua própria cabeça.

*

Rey cai de joelhos antes que ela possa se levantar completamente pela dor que atinge seu corpo. Ela luta para respirar, procurando por Ben em meio à sua visão parcialmente turva. Ela odeia Snoke mais do que nunca agora, e não quer nada além de fincar seu sabre no peito dele e queimar seu coração até que ele seja um cadáver. Suas pernas tremem enquanto ela bebe nas sombras daquele ódio, usando a escuridão como Ben a havia instruído a fazer nos últimos dias.

Rey alcança a escuridão. A mesma escuridão que ela sentiu no primeiro dia em que pisou nesta sala. E a força que ela ganha é quase aterrorizante e ela se deleita, usa-a para energizar e alimentar seu corpo.. E quando outro guarda vem atacá-la, ela range os dentes enquanto corta o peito daquele homem, usando o sabre com tanta facilidade, como se cortasse um papel.

Essa força está queimando dentro dela e Rey salta, usando dessa energia escura para impulsionar seu corpo, e ela voa sobre o chão rachado, movimenta seu sabre em um arco azul brilhante. O chiado de carne cauterizada e o cheiro de pele queimada surgem quando a marca do sabre de luz acende em um corte profundo no rosto de Snoke, exatamente onde Ben explodiu e queimou sua pele. Ele parou de machucar Ben mais uma vez para olhar para ela. A voz sombria afetada pela dor.

- Você vai pagar por isso, sua rata! – Um raio azul mais uma vez indo para ela. Rey desviou de mais dois de seus ataques, mas o chão debaixo dela de repente se abriu, fazendo-a perder o equilíbrio de seus próprios pés e os poderes de Snoke a cercaram mais uma vez.

Ele chegou até ela. Mãos frias em torno de seus braços e um olhar mortal.

- Você gosta do cheiro de carne queimada? Eu vou te fritar com o meu raio.

*

Kylo se levantou, assistindo Rey tentar se libertar do aperto de seu Mestre, o poder de Snoke se apoderou dele e o jogou contra o chão. Kylo tentou se livrar de seu aperto apenas para ser erguido do chão e depois jogado contra ele novamente. Sua cabeça bateu no piso rachado, e Kylo sentiu gosto de sangue enquanto a escuridão tomava conta de sua visão. Ele lutava arduamente para manter a conexão com Rey. Ele tentou se levantar de novo, mas havia uma força invisível empurrando-o para baixo, esmagando-o contra o chão. O ar não podia mais chegar em seus pulmões e ele sentiu como se estivesse morrendo.

Os olhos de Kylo estavam desesperados. Assistindo Snoke apertá-la entre seus dedos.

Sangue escorria de dentro das mangas de Kylo e pingava das pontas dos dedos quando ele foi levantado de seus pés e ficou suspenso no ar.

- Eu te disse, garoto idiota! Um passo em falso e a morte viria para você. E eu não terei piedade! – apertando os dedos ao redor de Rey, mas olhando para Kylo. Snoke range os dente com um grunhido animal, prende o corpo de Kylo com a Força. – Em todos esses anos, você nunca tentou levantar uma mão contra mim. Isto não é coragem sua, rapaz. Bastou um toque suave e as carícias de uma sucateira e você foi seduzido, Kylo Ren. Você acha que ela ficará impressionada com essa pequena rebelião?

Ele foi golpeado contra a pedra fria da parede quando Snoke nem precisou levantar a mão para sufocá-lo com a Força, seu sabre voa para longe e Kylo sente o pânico se espalhar por seu corpo. Sua visão começou a escurecer e ele não teve força para tentar bloquea-lo. Ele não podia ver nada além de preto quando sentiu Snoke deixá-lo para se concentrar em Rey novamente.

*

Quando Snoke começa de novo, agora com suas mãos tocando-a diretamente sobre o tecido fino da camisa preta que ela usava, o relâmpago rasga dentro dela e não há espaço em sua cabeça para nada além da agonia. Ela escuta seus próprios gritos entre as palavras de Snoke.

- Eu te manteria viva apenas para assisti-la sofrer por cada um dos seus amigos mortos... Para vê-la chorar a morte da General Organa, de Skywalker... Para assisti-la sofrer quando a Resistência se tornar cinzas.

Sua pele dói e a dor parece infiltrar em seus ossos também.

O estalo agudo e constante dos relâmpagos são insuportáveis. Tão insupotáveis que Rey preferiria estar com os ossos quebrados, músculos rompidos... preferiria estar completamente destruída a sofrer mais um segundo com aquilo.

O sorriso repugnante nos lábios de Snoke é tudo o que ela pode ver. E Rey não sabe quanto tempo levará até que sua pele comece a derreter em suas mãos.

Ela esquece a dor na cabeça, nas pernas, no braço. Os raios estão concentrados em seu peito e parece que ela está pegando fogo.

Mas algo acontece antes que ela morra nas mãos desse demônio.

Ela sente Ben crescendo forte na conexão. A presença dele em sua mente se alastrando por ela novamente.

*

Ele pode finalmente abrir os olhos depois de alguns minutos, sentindo todo o seu corpo queimando em resposta ao de Rey. Ele nunca viu o rosto de Snoke tão raivoso nesses vinte anos, mas ele também nunca odiou Snoke como o estava odiando agora. Então, ele fica de pé com dificuldade, estendendo a mão direita e chamando por seu cristal kyber, que veio até ele. Seu sabre sendo apertado entre os dedos. Kylo não se importou com a dor em seu pulso ou em sua perna direita, andando devagar e silenciosamente para perto de Snoke.

E quando ele chega perto o suficiente para Snoke perceber sua aproximação, ele age rápido, acendendo sua lâmina de luz vermelha violenta.

Ele gira seu sabre em um arco vermelho brilhante, de baixo para cima. Não há quase nenhuma resistência quando sua lâmina corta pele, carne e osso. Snoke solta um uivo, sem palavras e agonizando, enquanto os raios morrem. Sua mão esquerda, cortada no pulso, rola para o chão, onde cai, morta.

Seus olhos ficam aterrorizados enquanto ele assiste a um dos cavaleiros de Ren que ainda estava de pé matar o último guarda praetoriano.

Os olhos de Snoke se movem rapidamente para Rey, caída do chão. Kylo canaliza cada pedaço de poder que ele tem para desacelerar seu mestre, enfraquecer os seus membros, usando de magia Sith mais uma vez. E com essa distração, Snoke nem vê quando Rey usa a raiva e o ódio para empurrar seu corpo para cima. E Snoke nem faz um som quando o sabre de luz azul o atinge de novo, a lâmina chia onde encontra carne e ela o atravessa na altura no estômago.

Suas íris azuis procuram por Kylo de novo. Um filete de sangue rola pela bochecha de Snoke onde ele foi atingido por uma rocha, e o lado direito de seu rosto não passa de um amontoado de pele carbonizada.

Kylo estava pronto para encarar aqueles olhos azuis gelados pela última vez. Kylo cuspiu o sangue em sua língua, saboreando o sabor metálico.

- Vai se foder, seu pedaço de merda. – ele rosna para Snoke.

E então, Kylo observa a trilha de sua lâmina vermelha no ar e assiste com pura satisfação quando a cabeça de Snoke rola pelos degraus e seu corpo cai aos seus pés.

Snoke estava morto.


Notas Finais


Aaaaaaaaah
Meus amores, eu preciso MUITO mesmo que vocês me digam as opiniões de vocês.
Algumas de vocês me fizeram alguns pedidos ao longo da fic. Me desculpem pela falta de fanservice. Mas eu tentarei atender alguns pedidos nos próximos capítulos.
O que vocês acham que vai acontecer agora que Snoke morreu?
Bom, gente, as informações sobre a Guarda Praetoriana e algumas informações sobre feitiçaria sith eu peguei no wookiepedia.
Se alguém quiser o link, é só falar hehe ;)
Aqui estão os links das músicas:
https://www.youtube.com/watch?v=xrLBaE5QWUQ
https://www.youtube.com/watch?v=Qemb3iBlp1o

Eu espero que tenham gostado! Estou ansiosa para saber o que acharam haha
Beijooooooooos!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...