História A Sombra Da Luz - Capítulo 38


Escrita por:

Postado
Categorias Star Wars
Personagens Finn, Kylo Ren, Luke Skywalker, Rey
Tags Ben Solo, Kylo Ren, O Despertar Da Força, Os Últimos Jedi, Rey, Reylo, Romance, Smut, Star Wars, The Force Awakens, The Last Jedi
Visualizações 371
Palavras 2.664
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, meus amores!!! Como vocês estão??
Aproveitando o sábado?
Bom, algumas de vocês ficaram bem chateadas com o Kylo no último capítulo hahaha
Aqui vai o ponto de vista do nosso xuxuzinho emo!
Espero que gostem 😚

Capítulo 38 - XXXVII - A Atração da Luz


Fanfic / Fanfiction A Sombra Da Luz - Capítulo 38 - XXXVII - A Atração da Luz

Kylo ainda mantém a mão estendida na direção dela. Seus dedos estão tremendo, machados de sangue. Cada passo que ela dá para longe dele é como um golpe. Está despedaçando-o. Kylo sente seu corpo como um vaso vazio. Cada rachadura que já foi remendada reabre, e algumas novas aparecem.

Rey para uma vez antes de sair da sala. Ela olha para ele, chorando com força, mas não volta. Ela continua andando para longe.

Há um monstro apertando seus pulmões. O olhar no rosto dela é ainda mais doloroso com o aumento da densidade da Força ao redor deles. E mesmo que seja mais fácil respirar agora que a batalha acabou, é muito mais difícil vê-la abandoná-lo.

Ele gritou o nome dela! Desesperadamente! Ele tentou alcançá-la através da Força. Mas a conexão estava quebrada e frágil. Kylo a observou desaparecer pelo corredor, negando sua oferta, negando seus destinos.

Ele finalmente deixa seu corpo desmoronar. Kylo cai no chão, como uma criança machucada. Os olhos ainda estavam presos na porta, esperando que ela voltasse.

Mas ela estava apenas indo embora. Mais e mais a cada segundo.

Ele ofereceu a ela tudo o que ele tinha. E ainda assim, ela disse não.

Há o som de vozes. Gritos e passos. Uma marcha furiosa se aproximando. Mas Kylo não se importava com isso. A única coisa que ele podia fazer era tentar manter Rey com ele. Mas a Força forma uma parede densa, o afastando dela.

Sua cabeça doí ainda mais quando Hux entra na Sala como um lobo faminto. Desespero e raiva em seu olhar. Quatro stormtroopers com blasters apontados para Kylo.

- O que aconteceu aqui, Ren? – o ruivo ruge de raiva. Olhos azuis presos no cadáver de Snoke.

Com toda a força, ou o pouco que ainda tinha, Kylo rolou para o lado e encarou o general. A imagem de Hux e os stormtroopers apontando armas para ele o deixa irritado. A emoção o aquece.

Ele não estava no clima para besteiras!

O fogo queimando em seu peito lhe deu a energia para se levantar com um único empurrão. Seus lábios se curvaram por conta de seu corpo dolorido.

- A garota matou Snoke. Tentou me matar! – ele sente a voz embargada pelo cansaço e pelo turbilhão de emoções.

Ele ouve os gatilhos dos blasters prontos para disparar.

- Você espera que eu acredite que a garota fez tudo isso sozinha?

- Eu espero que você acredite que a Jedi matou o Líder Supremo, enganou as mentes dos Cavaleiros de Ren e tentou me matar antes de escapar pelo seu hangar desprotegido! – cada palavra sai como fogo por sua garganta. – Um plano da Resistência. Ela escapou na base de Starkiller uma vez sem qualquer treinamento. Ela estava preparada desta vez. – a raiva de Kylo é profunda e crua, transbordando em cada movimento de seu corpo.

- Eu não sei quem você pensa que é Ren, mas o Líder Supremo est ... – toda a raiva e a escuridão que preencheram a mente de Kylo depois de tudo isso são usadas contra Hux. O general para de falar e seu rosto relata a falta de ar enquanto Kylo o sufoca com a Força.

- Vocês, generais, nunca aprendem a canalizar corretamente sua obediência! O líder supremo Snoke está morto! – ele finalmente o deixa ir, observando Hux procurar desesperadamente por ar. – Prepare uma cura inicial com o tratamento Bacta e anuncie que eu farei uma declaração para todos os sistemas controlados pela Primeira Ordem. Eu sou o Líder Supremo, general. A obediência deve ser instantânea e completa!

O general responde com a voz arrastada.

- Sim, Senhor! – ele diz através dos dentes. – Vida longa ao Líder Supremo.

***

Kylo está destruído. Todo o caminho para o centro médico é doloroso. Ele está engasgando com sua própria dor. A cada segundo que passa, piorando. Rey está desaparecendo de sua mente. Por que ela está se afastando dele?

O bacta sobre sua pele traz algum alívio. O remédio funcionou rápido o suficiente para que ele conseguisse se levantar caminhar sem fraquejar em seus próprios joelhos. A cabeça de Kylo estava enorme bagunça. Havia muita coisa acontecendo.

Kylo disse a verdade quando disse que o passado deveria morrer. Nenhum código Jedi, nem Sith. Sem duelo de emoção e paz. Kylo foi sincero quando ele disse que eles deveriam esquecer Snoke e Skywalker. Mas ela ainda estava negando isso.

Seu destino era governar a galáxia, direcionando-a para uma nova ordem. E Rey deveria ficar ao seu lado. Havia algo terrivelmente doloroso em suas tentativas fracassadas de alcançá-la. Uma última lágrima desce por sua bochecha quando ele se lembra dos últimos dias. Eles eram perfeitos juntos. E de repente, eles eram estranhos novamente.

A Força estava tão frágil entre eles. O coração de Kylo pulou uma batida com o pensamento de que Rey poderia estar morrendo.

Ele medita no vínculo criado. Nadando no oceano profundo da Força, alcançando estrelas e silêncio. Kylo espera, quer que a Força lhe traga algo mais que uma presença desvanecida. Ele quer qualquer coisa, mesmo que seja apenas o som suave de seu batimento cardíaco, o ritmo lento de sua respiração. Ele só precisa ter certeza de que ela está bem, que ela não está morrendo. Mas nada vem, a Força lhe dá nada além de angústia.

A frustração, impotente e furiosa, bate em sua mente. Ela tão próxima e tão distante ao mesmo tempo. Kylo enterra suas emoções sob a superfície daquela falsa calma. Ele sabia que isso aconteceria mais cedo mais tarde. Ele sempre soube que a raiva iria transbordar de seu corpo.

A escuridão caminha ao longo de seus nervos. O esforço de manter o poder sob sua própria pele, contido e controlado, é sobre-humano. Kylo entra em erupção com um grito, o poder queimando sua pele. Os droids medicinais quebram-se em cacos conforme sua estrutura é esmagada pela Força de Kylo e sua ira arranca pedaços da parede e destroem tudo a sua volta. Os escombros se espatifam quando se agitam em um frenesi ao redor dele, enchendo a sala, uma tempestade de estilhaços com um homem destruído no centro.

***

O esforço que ele faz para tornar sua voz firme é enorme. Ele ainda não está totalmente recuperado, mas não há tempo a perder. Sua nova túnica é majestosa. Uma tentativa de fazê-lo parecer estável e forte, como um líder precisa ser.

O tratamento inicial com Bacta fez com que ele fosse capaz de ficar de pé para pronunciar as palavras que selariam seu destino.

- O impensável aconteceu. Nosso querido Líder Supremo, Snoke, está morto, assassinado por uma Jedi que tentou sacudir as fundações de nossa grande sociedade em conjunto com a Resistência. – ele mal reconhece a própria voz. – A assassina receberá punição justa assim que for encontrada. E esse ato de agressão não provocada será respondido. Como seu novo líder, posso lhes prometer isso: os inimigos da Primeira Ordem enfrentarão todo o poder de nossa frota. Eles responderão por seus atos belicistas e terroristas. E cada um dos mundos que ainda resistem, irão se curvar! – pronunciar aquelas palavras é mais difícil do que Kylo jamais pensou que seria. – É dever da Primeira Ordem remover a desordem de nossa existência, para que a civilidade retorne e a estabilidade possa promover o progresso. – o ponto de Luz ressurge com força no fundo obscuro de sua consciência e Kylo fraqueja por um segundo. É ela! Rey está viva. – Uma estabilidade que existia no domínio do Império, e que foi reduzida à anarquia pela Rebelião, foi dizimada por essa "República", e será restaurada por nós!

Um conflito sempre começa com um problema. Uma diferença de opinião ou uma maneira diferente de entender como a galáxia funciona. Mas no momento em que se transforma em uma guerra, a questão não importa mais, porque quando chega a este ponto, a única coisa que importa é o quanto cada lado odeia o outro.

E Kylo não odeia Rey.

Eles lutam por ideais fundados por lados opostos, relacionamentos que não os odiosos nunca são levados em consideração em meio à guerra.

Mas a Força estava na expectativa dos próximos dias. Kylo sabe que nada estava terminado entre ele e Rey. A Força não terminou com eles ainda. Apesar de enfraquecida, a conexão ainda estava lá.

Há um silêncio frio depois que a transmissão acabou. Kylo se senta no Trono gelado e suspira.

Hux o observa com um olhar desconfiado.

- Líder Supremo, devemos interrogar os Cavaleiros de Ren. Precisamos esclarecer o que...

- Minha única preocupação agora é perder o controle, general! – Hux cerra os punhos com a interrupção. – Snoke me deixou com o peso desta guerra em meus ombros. Você deveria se preocupar com a guerra que temos que vencer. Para o seu próprio bem, eu sugiro que você comece a trabalhar nisso. – Hux abre a boca, se prepara para falar, mas Kylo não quer ouvir. - Eu acho que deixei minha intenção clara em minhas palavras. Agora, saia!

- Senhor, você deve completar seu tratamento com Bacta o mais ...

- Estou ciente disso, general! Você pode sair agora! Isso é uma ordem!

O general corre os dedos com raiva pelo cabelo laranja. Há ódio queimando em seus olhos quando ele olha para Kylo antes de sair da Sala e deixá-lo sozinho.

Kylo não sabe quanto tempo fica ali, encarando a porta, como se ainda pudesse ver Rey indo embora.

Seus olhos se fecham como uma forma de interromper esses pensamentos. Essas são memórias que o enfraquecem, e por isso, devem ser apagadas de sua memória.

Ele procura a Força, se concentra e medita.

***

Ele está tão cansado. Dolorosamente cansado.

Sua situação é delicada e perigosa, ele sabe disso. Mas Kylo só precisa descansar, recuperar as noites inquietas que ele e Rey passaram trabalhando no plano.

Trabalhando no plano que matou Snoke.

Há partes de seu corpo que ainda sangram e doem, mas ele não quer terminar o tratamento com Bacta agora. Ele não vai morrer hoje, e ele precisa dormir.

Quando ele entra em seu quarto, ele ainda pode sentir o cheiro dela, sentir a presença dela lá dentro. E não saber onde ela está agora o sufoca.

Seus olhos se fecham quando ele sente sua cama tomando seu corpo, lágrimas quentes rolam por seu rosto enquanto ele se afoga em sua própria escuridão.

- Rey ... – ele clama mais uma vez antes de dormir.

Algo rouco soa baixo dentro de sua cabeça, uma risada de pesadelos há muito esquecidos. Snoke, seu antigo mestre. Ele está morto, mas ainda vive dentro de sua cabeça como quando ele era uma criança. Ele sente o velho diabo escavando as bordas de sua consciência, uma ferida não cicatrizada em seu destino. Mas Kylo vai queimar essa infecção permanentemente. Ele vai apagar a sombra de Snoke de uma vez por todas.

A escuridão o abraça agora, o poder reconhecendo finalmente aquele com o merecimento para seguir os caminhos da Força.

O trono que Snoke costumava dominar agora era dele. O caminho até o trono negro brilha sob uma luz branca e pálida, reluzindo o exato lugar onde ele havia se ajoelhado perante seu mestre, sendo um escravo por tantos anos.

Ele se aproxima do trono e, por um momento, ele se sente confuso, desorientado. Sua cabeça gira. Por que ele está aqui? A certeza some, desaparece completamente de seu corpo e Kylo se sente sufocado. Ele não sabe por que está hesitando.

Mas a Escuridão logo retorna, mais forte, extinguindo o foco fraco de luz. A certeza retorna, forte, feroz e pura para ele. Kylo se senta no trono e é como se fosse esculpido apenas para ele. As mãos sentem o metal frio embaixo de si enquanto ele sente seu corpo encaixar perfeitamente.

Tudo está como deveria estar. Mas há outra coisa. Algo que deixa a Força inquieta.

A Força se contorce ao redor dele quando ele escuta a voz dela. Rey... Ela está chamando por ele, gritando. Kylo pode sentir que algo está errado agora e ele se levanta. Ele luta, esforça-se para procurá-la ao redor. Ele sente algo sufocante abraçando seu corpo e está ficando dormente. Seus olhos, cheios de horror, ainda estão procurando por ela, mas ela não está em lugar nenhum! Ela grita. Os pulmões de Kylo queimam enquanto ele luta para respirar, a escuridão dançando na borda de sua visão. Ele responde seu chamado, se levanta e tenta desesperadamente encontrá-la.

Seus pés o guiam por toda a base, a voz de Rey cada vez mais distante dele. Ele caminha com rapidez, um corredor escuro e gelado à sua frente, mas um ponto de luz forte brilha no final. E ele segue essa luz, ele a segue na esperança de ser Rey.

E quando ele se aproxima o suficiente, um sabre de luz brilha azul, perfurando a escuridão antes de perfurar o seu peito. O rosto de Skywalker finalmente é iluminado, e ele está sombrio e triste enquanto queima o coração de Kylo Ren.

Não dói. Deveria doer, não deveria? Ele respira e sufoca com a falta de ar. Kylo entra em pânico, agarra a lâmina como se pudesse tirá-la de seu peito. Sua mão queima e sua carne chia em contato com lâmina brilhante, mas ele não sente nada. Ele ergue os olhos das sombras ásperas, vendo seu sofrimento refletido nos olhos de seu tio. Rey ainda está chamando.

"Ben! Volte para casa!"

Uma mão, quente e macia, alisa o cabelo de Kylo enquanto ele morre.

"Você foi um bom garoto, Ben! A mamãe está orgulhosa de você!" A voz quente de sua mãe contra sua orelha, abafa o chamado de Rey.

Ele morre deitado no chão gelado.

Kylo acorda estrangulando um grito na garganta. Ele tenta se arrastar para trás, como se o movimento pudesse afastá-lo do sonho. Ele fecha os olhos novamente, aperta-os com tanta força que vê tudo branco, e inclina a cabeça contra a parede, tentando recuperar o controle sobre seu coração acelerado e respiração irregular. Uma dor fantasma o faz levar sua mão ao peito, onde Skywalker tinha fincado seu sabre de luz.

Um sonho ... foi um sonho.

Ele se levanta da cama. As pernas tremendo um pouco. Kylo caminha lentamente, passo a passo, aproximando-se do canto escuro de seu quarto.

O pequeno altar tem algumas cinzas espalhadas por ele, mas a máscara de Vader é gloriosa mesmo com os vestígios do que o fogo fez.

E Kylo se ajoelha diante dele. Ele se ajoelha sentindo seu coração pesar em seu peito. Sentindo ódio, raiva e medo... A luz. Ainda está lá. Ainda chama por ele.

- Me perdoe. Eu sinto de novo. A atração da luz. Mostre-me novamente, o poder das trevas, e não deixarei nada ficar em nosso caminho. Mostre-me, meu avô, e terminarei o que você começou. – ele implora. Ele precisa de força para lidar com isso, para manter seu foco. – Eu tive um sonho esta noite, meu avô! Sobre a Jedi, sobre Rey. Ela estava chamando, mas eu não consegui encontrá-la... – ele senta no chão em frente à máscara destruída. – Eu ainda sinto a luz dela, ainda sinto a presença dela ... Eu medito e tento alcançar a Força, mas ainda dói! O meu treinamento não deveria melhorar isso? Meu conflito não deveria acabar agora que eu estou cumprindo meu destino? – seus dedos enluvados sentem o capacete frio e destruído de Vader. – Por que ela teve que ir?

Ele não recebe resposta. A Força permanece pesada, fria. Rey está em algum lugar distante e ele pode sentir a Luz que exala dela, leve e quente.

- Eu não tenho mais nada para sacrificar, meu avô. Eu dei tudo que eu tinha para o lado sombrio.

O silêncio parece uma piscina onde Kylo está se afogando. E parece a morte, como um punho de ferro esmagando seu coração enquanto ele ainda ouve a voz de Rey ecoando em sua mente.

"Volte para casa, Ben"

- Por que a Luz ainda me chama? – Kylo sussurra para si mesmo.


Notas Finais


Ufa! Ambos os nossos pombinhos estão a vivíssimos da silva e com uma sofrendo de partir o coração, né?! O Kylo tá com uma duvida cruel que eu acho que todas nós já sabemos a resposta, não é mesmo?
Então, amores, não se preocupem, no próximo capítulo já teremos contato entre eles e Reylo retornará. O Force Bond não morreu nem foi embora hahaha
Nosso Kylo está se agarrando a qualquer coisa que fortifique seu lado sombrio!
O que vocês acharam e o que esperam que aconteça em seguida?
Espero que tenham gostado!
Beijooooos 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...