História A Sombra do Batman - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Batman
Personagens Bruce Wayne (Batman)
Tags A Sombra Do Batman, Alfred Pennyworth, Batman, Bruce Wayne, Carmine Falcone, Cavaleiro Das Trevas, Dc Comics, Gotham, Ra's Al Ghul, Talia Al Ghul, Wayne
Visualizações 2
Palavras 2.897
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bruce Wayne começa a treinar com Ra's Al Ghul e aos poucos se liberta de seu demônio interior.

Capítulo 2 - Aprendiz das Sombras


Fanfic / Fanfiction A Sombra do Batman - Capítulo 2 - Aprendiz das Sombras

Sede da Liga dos Assassinos, ano de 2010:

A Liga dos Assassinos era uma organização secreta formada por um verdadeiro exército de homens e mulheres treinados para matar todo e qualquer que se opunha à ela. A Liga foi fundada por Ra’s Al Ghul há cerca de 200 anos no Nepal e desde então segue os princípios e valores de seu líder. Para viver tanto tempo, Ra’s usava um local chamado Fossa de Lazarus, uma fonte de água verde que concedia imortalidade para quem nele mergulhasse; Ra’s o fazia todos os dias.

Bruce chegou até a Liga pois desejava ser treinado por Ra’s para conseguir o que pretendia; vingança. Após ser recepcionado por Al Ghul, este o levou para conhecer suas instalações:

- Espero que goste de minha casa, senhor Wayne - disse Ra’s - Será uma grande oportunidade para nós dois.

- Existem lendas a seu respeito, Ra’s - respondeu Bruce - Estou aqui porque anseio pela aprendizagem.

- Aqui na sede da Liga dos Assassinos, nós ensinamos homens e mulheres a lidar com seus demônios interiores - disse Ra’s - Aqui, nós preparamos um mundo para guiá-los.

- Interessante - disse Bruce.

- Sim, muito interessante - respondeu Ra’s

Os dois caminham pelos corredores acompanhados de alguns guardas e de Talia. Ao chegarem em um dos cômodos, Ra’s abre a porta e Bruce entra nele.

- Espero que goste das minhas instalações - desejou Ra’s - Sei que deve estar cansado por causa da viagem, por isso, descanse, senhor Wayne, amanhã começaremos o seu treino.

Ra’s deixa o corredor e desaparece. Bruce caminha pelo quarto e toca em algumas estátuas de vampiros enquanto é observado por Talia. O problema é que morcegos saem da boca dele e passam por Bruce, o deixando meio atordoado.

- Dizem que os medos tornam-se reais aqui, e devemos enfrentá-los - fala Talia - As trevas podem assustar.

- Eu convivo com as trevas há pelo menos 20 anos - respondeu Bruce se virando para falar com ela - Este lugar, é um confronto e conforto para mim.

- Eu nasci nas trevas! - afirmou Talia - Meu pai é o mestre das sombras.

- Você me parece ser uma mulher sábia e interessante - disse Bruce se aproximando de Talia - Além de ser muito linda.

- Todos os playboys de Gotham são como o senhor? - perguntou Talia - Tão atraente desse jeito...

- Gotham é uma cidade perdida e dominada pela máfia - respondeu Bruce - Mas, se você quiser saber mais sobre o mundo de um playboy sexy - disse aproximando seu rosto do de Talia e colocando sua mão na face dela.

- Não é uma boa hora para isso - avisou Talia.

- E isso tem hora? - questionou Bruce.

Mas quando o jovem bilionário está prestes a beijá-la, Talia lhe desfere um tapa na face esquerda.

- Isso doeu, sabia? Poderia ter me matado com isso - brincou Bruce.

- Não exagere, senhor Wayne, tenho apenas alguns golpes na manga - disse Talia - Agora, aproveite a sua noite, meu pai o aguarda ao alvorecer no pátio.

- Por favor, me chame apenas de Bruce - pede ele - Temos algumas coisas em comum.

Talia o observa com os braços cruzados.

- Passe bem, se resistir até o amanhecer - deseja Talia saindo do quarto.

- Eu vi meus pais morrerem quando tinha 10 anos pelas mãos de um puto - disse Bruce - Sei lidar com o medo e as trevas.

- Não foi o que pareceu quando viu os morcegos - respondeu Talia retornando para a porta do quarto.

- Poderei demonstrar isso se quiser - avisou Bruce colocando sua mão na cintura de Talia.

- Outro dia, talvez... - respondeu Talia saindo e fechando a porta.

Bruce acabou ficando encantado com Talia e buscava uma forma de conquistar o coração da jovem. Enquanto estava sozinho no quarto e enquanto uma forte tempestade caía naquele instante, Bruce teve algumas lembranças de anos atrás e lembrou-se de Alfred e de Gotham, ele começou a se lembrar da primeira vez que caiu num poço cheio de morcegos e escorpiões.

O bilionário deitou-se na cama e fechou os olhos. Quando abriu, viu alguns morcegos saindo debaixo da cama e tentando atacá-lo; Bruce se defendia como podia até eles quebrarem o vidro da janela e irem embora.

- Voltem pro Inferno! - dizia Bruce.

- Aqui é o Inferno! - disse uma voz grave.

Quando Bruce olhou, viu uma figura humanoide semelhante à um morcego em sua frente.

- Quem é Você? – perguntou Bruce – Se afaste de mim, agora!

A figura não deu ouvidos e continuou se aproximando de Wayne; ele pegou uma garrafa que estava ali e ameaçou bater na criatura:

- Não se aproxime mais! – avisou Wayne aos gritos – Fique longe!

A criatura então sacou uma adaga do bolso e se aproximou mais, quando ele fez isso, Bruce pôde ver que era uma pessoa em trajes semelhantes aos de um morcego. Este então tirou uma faca do bolso e cravou ela no estômago de Bruce.

- Eu, sou você, Bruce – disse o indivíduo retirando sua máscara e se revelando ser o próprio Bruce Wayne.

- Não! Não! – gritava Bruce até que enfim acordou.

Quando despertou, assustado, percebeu que já estava amanhecendo e logo se lembrou do aviso de Talia. Ele olhou para o lado e viu a garrafa de cerveja quase vazia com dois copos quebrados no chão.

- Bebi demais – disse Bruce.

Ele ainda tentava entender o que aquele pesadelo queria dizer, um outro dele vestido com trajes de morcego e que tentava matá-lo. Para Bruce, não estava com cara de ser um simples sonho em decorrência da bebida. Bruce olhou para o quarto e viu algumas imagens de vampiros e morcegos ao fundo na parede, ele se levantou da cama e foi até aquelas imagens.

- Você é o meu demônio interior! – disse Bruce para a imagem aterrorizante de um morcego – Maldito!

Enquanto ele culpava aquela coisa, a porta se abriu devagar; quem entrava era Talia.

- Está conversando com ele? – perguntou ela – Você definitivamente é muito estranho; Está atrasado para o treinamento, meu pai o aguarda.

- Tem cerveja no treino? – perguntou Bruce.
- Está bêbado? – perguntou Talia ao observar a garrafa vazia e os copos quebrados no chão contendo a bebida.

- Estou ótimo, é hora de treinar – disse Bruce indo na direção de Talia.

Mas quando ele ia passar por ela, esta o barrou e o encarou:

- Você devia parar de beber, pedirei isto ao meu pai – falou Talia.

- Não fui eu quem comprou a garrafa – respondeu Bruce – Quando você me deixou aqui ontem a noite, ela já estava aí.

- Cortesia para os visitantes! – argumentou Talia – Mas você não é mais visitante.

- Você tinha razão, as trevas assustam – afirmou Bruce – Mas não irão mais me assustar.

- Por quê não? – quis saber Talia.

- Eu não sei, mas não irão me assustar – disse Bruce – Toda vez que me sentir assustado, me lembrarei de seu rosto, seu corpo e logo me sentirei seguro.

- Meu corpo não é um parque de diversões como vocês de Gotham pensam que é – disse Talia.

- Você quem está afirmando isso, Talia – respondeu Bruce aproximando seu rosto do dela.

Talia então fechou os olhos enquanto Bruce acariciava sua face direita e se aproximava mais; até um beijo. Talia colou seu corpo ao de Bruce e envolveu seus braços sobre o pescoço dele; já Wayne a agarrou pela cintura e sua mão foi descendo até tocar e apalpar as nádegas de Talia. Os dois se beijaram de uma forma silenciosa e depois de quase um minuto, terminaram. Bruce e Talia ficaram se olhando nos olhos até que Talia interrompeu o momento com sua fala:

- Não é bom que meu pai nos veja nessa situação – advertiu Talia – É bom que não se repita.

- Vou interpretar isso como um sinal de que você gostou de sentir sua boca na minha e adorou que eu tenha tocado na sua bunda – disse Bruce.

- Não posso negar que gostei – respondeu Talia – Você sabe seduzir uma mulher filha de um mestre ninja.

- E você sabe como enfeitiçar um homem com seus dotes, filha de Al Ghul – disse Bruce – Poderíamos ir mais longe, claro, se você quiser.

- Ainda está cedo para uma noite de sexo, mas irei pensar no seu caso, Bruce - disse Talia.

- Eu não toquei em sexo, mas se você quiser, eu quero - respondeu Bruce.

- Creio que não será a sua primeira vez - imagina Talia - Alguém como você deve ter conhecido e transado com várias mulheres.

- Garanto que nenhuma delas me agradou tanto com um beijo como você - disse Wayne alisando os belos cabelos de Talia - Sabe, Talia, você parece ser uma bruxa.

- Você parece ser um idiota - respondeu Talia.

- Se tivesse uma noite comigo, mudaria de ideia - rebateu Bruce - Mas não estamos em Gotham, e eu não estou aqui para fazer sexo com você.

Talia não disse nada e em seguida deixou o quarto; Bruce foi logo em seguida. Depois de alguns minutos, Bruce chegou até a área determinada por Ra’s Al Ghul e observou o líder da Liga dos Assassinos pensativo.

- Achei que não viria mais – disse Ra’s – Mas fico feliz que tenha vindo.

- Eu digo o mesmo, Ra’s – respondeu Bruce – Estou pronto para o que quiser.

Como um raio, Ra’s atingiu Bruce com um forte chute que derrubou o bilionário e em seguida o chutou várias vezes no chão; ele agarrou Bruce e o lançou sobre o chão, o ergueu e o socou várias vezes até Bruce travar sua reação e atingi-lo com um soco que fez sua boca sangrar.

- Uma ótima reação, senhor Wayne – elogiou Ra’s – Só espero que saiba manter o ritmo.

Ra’s atacou Bruce com facas mas ele conseguia desviar delas e em seguida desferiu socos contra Ra’s; este reagiu e aplicou uma joelhada no peito de Bruce que o fez desabar no chão. Mas Bruce não desistiu e quando Ra’s iria cravar uma das facas no peito de Bruce, este conteve a faca e deu um chute que derrubou Ra’s no chão. Bruce desarmou Ra’s em seguida e o rendeu sobre as vistas de todos que estavam no pátio; aplausos foram ouvidos e Talia também chegou para observar Bruce.

- Meus parabéns, senhor Wayne – disse Ra’s – Mas isso ainda não acabou.

Ra’s tirou uma faca do bolso e, rapidamente, rasgou uma parte da camisa de Bruce e o deixou levemente ferido no peito.

- Pegue! – disse Ra’s jogando uma espada na direção de Bruce - Eu subestimei você.

Os dois então reiniciam a luta, mas agora de maneira organizada, após Ra’s pedir para todos se afastarem. Ra’s atacava Bruce e este apenas se defendia e  buscava uma brecha no líder da Liga dos Assassinos. Ra’s então travou uma reação de Bruce e o chutou, Wayne reagiu e conseguiu fazer um bom ataque contra Al Ghul; a luta estava muito boa de se assistir.

- Você luta bem para um riquinho de Gotham – disse Ra’s  - Confesso que não esperava que fosse resistir tanto.

- Desde que vi meus pais morrerem eu não sou como os demais – respondeu Bruce.

Os dois começam a caminhar em círculos e um encarando o outro.

- O que houve com seus pais? – perguntou Ra’s.

- Um vagabundo, um filho de um vadia os matou quando eu tinha 10 anos – respondeu Bruce – Eu fui criado por meu mordomo, Ra’s, e cuidar da empresa dos meus pais desde a juventude.

- Ainda sente raiva daquele dia? – pergunta novamente Ra’s.

- Minha vontade é de ir atrás daqueles filhos da desgraça e acabar com cada um deles – respondeu Bruce – Eu só quero antes vencer meus medos interiores.

- Você é movido por vingança, senhor Wayne – afirmou Ra’s – Suponho que tenha me procurado para que eu o ajude com isso, e o ajude a vencer seu medo interior – ele completa observando alguns morcegos.

Quando ele distrai, Ra’s ataca Bruce com fúria mas este consegue lhe conter e lhe dá uma cotovelada na barriga; Ra’s reage e consegue ferir Bruce no braço com a lâmina da espada mas este lhe dá um chute que o faz cair para trás. Bruce parte pra cima dele e faz Ra’s passar sufoco por um momento. Os dois lutam de maneira magistral e Bruce surpreende Ra’s com tamanho potencial para a guerra.

Em um descuido de Bruce, Ra’s o desarma e coloca sua espada no pescoço dele, mas Bruce lhe dá um chute e ele é empurrado para trás. Ra’s começa a jogar sujo e lança uma espécie de faca que se abre em uma corrente e prende os braços de Wayne; Ra’s o derruba no chão e levanta sua espada na direção dele.
Talia fica observando apreensiva e sabia que seu pai poderia matar Bruce ali mesmo.

- Você é valente, Wayne, não desiste nunca! – afirmou Ra’s – Nunca enfrentei alguém parecido.

Bruce o observa sem dizer nada e Ra’s ergue sua espada na direção do rosto de Wayne, mas quando ele ia cravar, desvia de sua rota e finca a espada perto de Bruce; para poupá-lo. Ra’s então retira uma chave e liberta Bruce das algemas.

- Por quê não me matou? – perguntou Bruce.

- Porque não, você provou que é digno de estar aqui, Wayne – respondeu Ra’s ajudando Bruce a se levantar – Posso ver que tem um futuro glorioso pela frente.

Al Ghul então devolve a espada para Wayne e os dois se olham mais uma vez, para o alívio de Talia, que, aos poucos, parecia se sentir atraída pelo bilionário de Gotham. O sol finalmente raiara naquele instante e alguns morcegos saíam das sombras.

- Os morcegos são os reis das sombras, temores de muita gente – disse Ra’s – Medos interiores devem ser enfrentados.

- Eu vi um homem vestido de morcego que me atacava durante a noite – disse Bruce caminhando alguns passos – Quando ele tirava a máscara, eu me via nele.

- Há algo reservado para você – afirma Ra’s – Juntos, Wayne, podemos ser os melhores do mundo, eu e você.

Ra’s então coloca sua mão no ombro de Bruce e os dois saem do pátio devido à nevasca. No fundo, Ra’s realmente tinha grandes objetivos para Wayne, queria torná-lo como um aprendiz seu e um dos melhores guerreiros da Liga dos Assassinos.

- Pai! – Chamou Talia ao ver Ra’s no corredor – Obrigada por poupá-lo.

- Wayne está destinado a grandes coisas, minha filha – disse Ra’s acariciando a face da linda Talia – E você, pode ajudá-lo nisso.

Durante a noite, Bruce colocava algumas ataduras nos ferimentos, em seu cômodo, enquanto bebia alguns copos de vinho que estavam ali perto; ele estava sem camisa e com o peito e o braço enfaixados. Wayne encostou na parede e olhou para as imagens de morcegos enquanto se aquecia em uma lareira

Enquanto estava distraído, Wayne não notou a entrada de Ra’s no quarto. Al Ghul se aproximou devagar de Bruce e apenas o olhou até ser notado.

- Você tem um físico de uma guerreiro, um mestre das sombras – disse Ra’s – Estando comigo pode ficar ainda mais forte.

- Eu tive que aprender a me defender desde cedo – respondeu Bruce – Eu pratiquei academia durante anos mas nunca soube lutar corretamente.

- Você não está aqui apenas para aprender a lutar, me disse que quer se vingar dos filhos da puta que mataram seus pais – disse Ra’s – Conheci muita gente de Gotham que pensa como você.

- O que aconteceu com essa gente, Ra's? – Quis saber Bruce.

- O Fogo  - disse Ra’s apontando para a lareira – Mandei todos pro Inferno para que paguem por seus pecados.

- E você não foi fazer companhia pra eles? – perguntou Bruce – Seu nome é demônio em árabe.

- Eu sou um demônio, senhor Wayne – respondeu Ra’s – Este lugar é o meu reino de terror, reino que, você foi aprovado.

Em seguida, Ra’s se senta no chão, ao lado de Bruce.

- Gotham é conhecida mundialmente como a cidade da putaria e da corrupção – afirmou Ra’s – Me espanta que queira voltar para lá.

- Apesar de tudo, Ra’s, Gotham é minha casa – respondeu Bruce.

- Sua casa é a Liga dos Assassinos, senhor Wayne – disse Ra’s – As trevas o irão encobrir.

- É o que eu mais quero! – afirma Bruce ao observar que um morcego pousou em seu ombro enfaixado.

- Aos poucos, o terror interior começa a ser derrotado e nós os controlamos – disse Ra’s – O morcego gostou de você, depois de sonhar que se vestia como um.

- Um demônio morcego que me atormenta desde a infância – disse Bruce – Não consigo me imaginar dessa forma.

Mais dois morcegos apareceram e pousaram sobre o Bruce, ele ficou assustado no início, mas logo começou a acariciar as ferozes criaturas de seu inferno interior.

- Você se tornou no deus deles – observou Ra’s – Ninguém nunca conseguiu domá-los corretamente.

- Que estranho, ontem durante a noite eles me atacaram – falou Bruce – Agora, parecem ser dóceis.

- Eles acham que você é um deles, Bruce – disse Ra’s – Eles acham que, você, é um Homem-Morcego.

Um morcego pousou sobre a cabeça de Bruce e, na sombra, dava a impressão que Wayne possuía orelhas semelhantes à eles; como um verdadeiro Homem-Morcego.


Notas Finais


Espero que estejam gostando do início da história, que é focada na preparação e ascensão de Bruce Wayne como o Batman. O caminho que percorreu ao lado de Ra's antes de regressar à Gotham e vencer seus medos; em breve ele abraçará seu maior medo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...