1. Spirit Fanfics >
  2. A sombra do menino-que-sobreviveu >
  3. Capitulo II - A verdadeira história.

História A sombra do menino-que-sobreviveu - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Lumos...

Olá [email protected], vou postar um capitulo por dia.

Aproveitem a leitura!!

Capítulo 2 - Capitulo II - A verdadeira história.


Fanfic / Fanfiction A sombra do menino-que-sobreviveu - Capítulo 2 - Capitulo II - A verdadeira história.

Anos se passaram e a lenda de Neville Longbotton parecia ter se fortalecido de forma assombrosa, ainda mais com os vários encontros com o monstro que tirou seus pais e que voltava para aterrorizar o mundo mágico.

Muitos contos surgiam de Hogwarts sobre a bravura do garoto que empreendeu uma luta pesada contra o mais poderoso lorde das trevas de todos.

Quando enfim a batalha final aconteceu, todos suspiraram aliviados quando o herói saiu da clareira que tinha entrado para enfrentar o monstro do mundo mágico com um olhar triunfante, todos comemoraram a derrota de Lorde Voldemort e todos proclamavam Neville um herói.

Mas apenas poucos sabiam a verdade.

Que não tinha sido Neville a fazer todas as proezas que ele reivindicava.

Não tinha sido Neville que batalhou inúmeras vezes contra Voldemort.

Mas sim a sua sombra.

O garoto com cabelos negros arrepiados e profundos olhos verdes com uma pequena cicatriz em forma de raio quase invisível na testa.

Harry Potter tinha se tornado a sombra de Neville logo depois de Dumbledore anunciar o garoto como o Menino-que-sobreviveu.

Mas ninguém sabia sobre isso, nem Dumbledore, nem Neville, nem ninguém da escola, apenas os marotos sabiam a verdade.

Sírius tinha criado Harry da melhor forma possível, ele tinha amadurecido em um homem como nunca visto antes, ele era completamente dedicado ao afilhado e tentava preencher em todos os aspectos a falta que os pais do menino tinham deixado.

Com a ajuda de seu amigo Remo Lupin, eles criaram o garoto para ser um dos magos mais poderosos do mundo.

Pois eles sabiam a verdade.

Harry era o menino-que-sobreviveu.

Não Neville.

Tinha sido uma semana depois da fatídica noite, Harry estava queimando de febre e Sírius não sabia o que fazer, ele tinha chamado Remo e procurado em todos os livros o que poderia estar acontecendo com seu afilhado, mas ele não encontrava nada, ele entrou em contato com Andromeda que era uma medi-bruxa, mas assim que ela chegou, ela revelou um segredo para seu primo.

Ela era uma Inominável.

-É um dos requisitos do trabalho... Não posso dizer o que faço, mas sou formada em medi-bruxa também -ela então passou a varinha sobre o corpo de Harry e enrugou a testa -Isso não é possível... Mas... Será que... -De repente os olhos dela voam largos e ela pulou para trás e lançou um feitiço complexo e poderoso no garoto que soltou um berro forte que estremeceu a casa inteira, Sírius avançou na prima para proteger o afilhado, quando de repente tudo voltou ao normal e o garoto dormia tranquilamente.

Sírius agarrou o braço da prima e o levou para o corredor e começou a gritar.

-O QUE NO NOME DE MERLIN VOCÊ FEZ? -Andromeda suspirou fortemente e levou o primo para a cozinha.

-Foi uma boa ideia ter me chamado Sírius... Por que Harry não precisava de um medi-bruxo... Ele precisava de um especialista como eu... -ela então começou a dizer sobre o que sua varredura magica tinha descoberto.

A cicatriz de Harry não era uma simples cicatriz.

Era uma cicatriz de maldição mortal.

E tinha um pedaço de alma de Voldemort nela.

Sírius sentiu o sangue deixar completamente seu rosto ao pensar que um pedaço de alma de um monstro estava em seu afilhado.

-Mas eu inverti o estrago... Eu retirei aquela coisa... O tremor foi o núcleo mágico do Harry soltando tudo do que ele é capaz... Merlin que ele vai ser um bruxo poderoso -então ela encarou o primo fixamente e fala -Você deve treinar ele, Sírius... Eu não posso dizer nada... Mas tem uma profecia no departamento do mistério... Tem o nome de Voldemort, Neville Longbotton e uma interrogação... Eu acho que envolve Harry... -Sírius acena ao que ele sabia do que se tratava.

Tiago previu o que aconteceria caso ele morresse e tinha deixado um globo de neve inofensivo onde ele deixou gravado não apenas o desejo de que o amigo criasse seu filho, mas também a profecia por completo.

Sírius planejava mostrar para Harry quando ele tivesse onze anos.

E ele o fez.

No começo Harry não sabia por que estava sendo treinado, muitas vezes ele perguntava para seu padrinho que simplesmente dizia, você precisa estar preparado.

Mas então no seu decimo primeiro aniversário, ele descobriu a verdade.

Toda a verdade que o mundo mágico não conhecia.

-Agora você entende... -Sírius fala com um olhar cansado ao que o menino e Remo tinham acabado de ver a lembrança, no começo ele pensou que seu afilhado ficaria furioso com o que descobriu.

Mas seus olhos mostravam determinação poderosa e firme.

Os anos se passaram com mais treinamentos e encontros com Voldemort sem ninguém saber, todas as vezes que Neville encontrava com o ser das trevas, Harry estaria ali, sem o garoto saber, sem os amigos dele, Ronald e Hermione, saberem.

Na pedra filosofal, Neville bateu com a cabeça e desmaiou quando Quirill o amarrou e Harry atacou um Voldemort surpreso.

 

No seu segundo ano, ele seguiu Neville, Rony e aquele professor falso para a câmara secreta e depois que a cobra atingiu Neville na cabeça, o garoto pegou a espada que o menino largou e matou a cobra.

Foi com um pouco de alivio que ele também notou que Gina estava viva.

 

Ele conhecia Gina a pouco tempo, ele sabia que ela era irmã de Rony e tinha uma queda pelo menino-que-sobreviveu, mas ele muitas vezes notou que ela parecia o perceber no salão comunal.

Onde a maioria das pessoas pensaria que ele simplesmente não existia, um aluno que você passasse sem notar, ela era a única que acenava para ele e dizia bom dia.

Depois daquele dia, ele passou a dar mais atenção para Gina, no ano seguinte muitos pareciam dar uma certa distância para a garota, mas Harry estava sempre ali, eles não se falavam, não era preciso, tudo o que a garota precisava era de alguém pra lhe consolar.

Mas a medida que o tempo passou, Gina se tornou mais decidida e não precisou mais do menino silencioso.

No começo isso machucou Harry, mas quando Neville voltou do labirinto no seu quarto ano dizendo que Voldemort tinha voltado, foi que ele percebeu que estava negligenciando seu trabalho.

Ele era aquele que ia derrotar Voldemort.

Ele era o único que poderia.

No ano seguinte todos pareciam ficar em terror, embora o ministério tentou se fazer de cego, eles não duraram um ano.

Voldemort tinha voltado e todos sabiam.

Harry permaneceu como a sombra de Neville, enquanto ele era a luz e a esperança do mundo mágico, ele era a sombra, aquele que combatia o mau sem ninguém saber.

Outra mudança naquele ano foi que Harry recebeu uma ajuda um tanto inusitada.

-Enfim saiu pra brincar garoto -ele se vira rapidamente com a varinha pronta ao que dois homens velhos o encaram com sorrisos.

-Moody? Dumbledore? -um dos homens torcer o nariz e fala.

-Pode chamar ele de Moody, mas comigo é Abe fui claro? -Harry cabeceia ao que o homem sorri -Muito bom... -e com uma velocidade surpreendente ele atordoa o garoto -precisa melhorar o reflexo garoto... -Mais tarde Sírius explicou que ele precisava de ajuda em sua formação e ele pediu ajuda a uns velhos amigos, quando Harry questionou sobre os ensinamentos dele em segredo, seu padrinho lhe garantiu que todos só sabiam que ele era um padrinho super protetor que queria deixar o afilhado preparado para qualquer perigo.

Olho-tonto Moody tinha caido na conversa.

Mas Aberforth não.

Em uma das longas sessões de treinamento que o velho tinha atordoado o garoto, ele tinha parado de lançar feitiços e fala simplesmente.

-Então você é o um que vai derrotar Voldemort? -Harry ficou surpreso e quase deixou a varinha cair -Seu padrinho pode ser um bom ator, mas eu estou no ramo a mais tempo... Então meu irmão cometeu um erro... Novamente... E você esteve este tempo todo protegendo o menino Longbotton de todos os encontros com o Lord Voldeco não é? -Harry permaneceu em silencio ao que o homem solta uma gargalhada -Realmente não importa... Vamos continuar com a sua 'formação"? -depois disso Aberforth começou a ensinar feitiços que Harry nunca tinha visto na vida.

Os dois anos que se seguiram foram de treinamentos constantes, ele tinha ampliado de alguma forma sua aura de inalcançável que ninguém parecia notar que ele estava na escola, até mesmo os professores esqueciam frequentemente que ele estava lá, apenas Snape parecia ver o garoto nas salas de aula, mas depois de uma primeira tentativa de fisgar qualquer atitude rebelde do garoto, ele também o deixou em paz.

Harry era um fantasma vivo em Hogwarts, ninguém dava atenção, alguns sabiam que ele estava lá, mas ninguém se importava.

Mas uma pessoa interessava a Harry.

Mesmo depois das inúmeras brigas onde Sírius tentava dizer para Harry ser mais social com as pessoas, ele dizia não se importar com as pessoas.

Mas era mentira.

Ele ainda era interessado em Gina Weasley.

Depois de superar o trauma do seu primeiro ano, ela se tornou uma menina decidida e feliz, ela inspirava as pessoas a serem melhores e quando seu irmão, Hermione Granger e Neville começaram o AD, ela parecia mostrar a sua verdadeira natureza na frente do "menino-que-sobreviveu".

Embora Harry evitasse qualquer conversa com todos, ele ainda mantinha os olhos em Gina, tanto que quando ela começou a namorar Conner e logo depois Dino Tomás, ele teve que se segurar para não amaldiçoar os garotos, mas ele não poderia fazer isso, ele tinha uma missão a cumprir.

Embora o seu interesse pela ruiva, ele lacrou todos os sentimentos em um lugar bem profundo em seu coração e se concentrou em sua missão.

Derrotar Voldemort.

Ele tinha aprendido com sua Tia Andy sobre o possível motivo do monstro não ter morrido, depois do seu segundo ano quando ele contou para ela sobre o diário de Tom Riddle, ela explicou sobre a fabricação de um Horcruxes e a finalidade do objeto.

Com algumas conexões no mundo mágico e algumas investigações, ele rapidamente descobriu sobre todos os objetos e os destruiu com a ajuda de Sírius, Remo e Tonks.

Tonks tinha unido ao segredo do garoto quando uma das noites estava visitando Remo para um flerte e ela caiu dentro da memória que Tiago tinha deixado para Sírius, no começo eles tinham cogitado apagar a mente da mulher, mas vendo a conexão dela com seu tio Remo, Harry simplesmente explicou tudo e ela entrou no segredo.

Depois disso a relação dela com Remo se tornou mais intensa e logo os dois se casaram e Tonks tinha dito para Harry estar esperando um filho e esperava que Remo aceitasse a notícia.

No começo o lobisomen tinha sido meio arredio com a notícia, mas depois de duas horas na sala de duelo pra colocar algum juízo na cabeça do homem Remo, Sírius e Harry saiam rindo e o antigo maroto correu para a esposa e a beijou completamente feliz com a sua nova família.

Harry estava desfrutando um bom café da manhã em seu sétimo ano na escola quando Neville, Rony e Hermione entraram e declararam que Voldemort estava atacando.

A batalha foi intensa, Harry tinha unido aos alunos que queriam lutar e protegeu a vida de alguns alunos com feitiços rápidos e certeiros, ele nunca deixaria ninguém se machucar na sua presença, embora Collin perdeu sua perna, Flitwick quase morrerá e o pior, uma maldição mortal quase atingiu Remo e Tonks fez ele abandonar a sua "presença zero" e ele atacou os comensais com violência sem limites.

Ele protegeria sua família.

Quando todos estavam reagrupando e ele viu os Weasleys amontoados murmurando com Neville sobre o possível plano de ataque contra Voldemort, foi que ele percebeu que não poderia mais ser a sombra do garoto.

Ele tinha que fazer isso sozinho.

Sem escutar mais nada a sua volta, ele saiu para os jardins e passou por todos os comensais da morte e chegou até a clareira onde Voldemort estava sentado em um trono parecendo entediado.

-Enfim resolveu mostrar a cara... Sombra do menino-que-sobreviveu? -Os olhos vermelhos se fixam nos verdes e o monstro ri -O que pensa em fazer Potter? Longbotton é o escolhido... Não você... -mas então para a surpresa de Voldemort, o garoto jogou todas as suas relíquias no chão e sorri friamente.

-Você realmente não se lembra daquela noite não? Achou que marcou um garoto e não se importou de saber do outro... Pois bem Tom Riddle, vou mostrar porque você cometeu um erro em negligenciar um garotinho na escuridão... -e a batalha que se seguiu foi intensa, os comensais da morte ficaram surpresos com o ataque vindo do seu milorde e tentaram se aproximar, mas todos era atingidos pelos feitiços dois bruxos e então do nada Harry surge em frente de Voldemort, e crava a espada de Gryffindor que tinha surgido em sua mão no peito do monstro -Adeus Tom... -Os comensais começaram a gritar de dor no mesmo momento que Neville surgiu na clareira, ele estava apontando a varinha para os dois bruxos e ficou surpreso em ver a espada gravada no peito de Voldemort.

-Quem... Quem é você? -ele perguntou tremulo para Harry que deu de ombros e falou.

-Ninguém importante... -ele jogou a espada na mão do garoto surpreso e com uma facilidade que Hermione diria ser impossível se conhecesse o garoto, ele aparata da floresta proibida para a casa.

Os próximos dias foram de alegrias e festividades, todos comemoravam a derrota de Voldemort nas mãos de Neville Longbotton ao que o garoto aparecia em todas as manchetes com a varinha em uma mão e uma espada na outra, todos louvariam o menino sem saber que outro bruxo tinha estado naquela clareira e tinha cumprido seu dever, ele sabia que logo ele cairia no esquecimento na mente de Neville e o mundo nunca mais ouviria o nome de Harry Potter.

Sua missão tinha terminado.

Foi então que um sentimento de terror o envolveu.

Ele não tinha mais um dever, ele não tinha mais que caçar um monstro.

Ele não tinha nada.

Sua família veio comemorar a sua vitória e o encontrou completamente bêbado no sofá da sala, eles não sabiam o que aconteceu com o garoto, mas eles dariam tempo para ele vir falar.

Depois de duas semanas ele simplesmente voltou para Hogwarts onde nem os professores notaram sua ausência.

O resto do ano foi complicado para Harry, ainda tinha um ar de festividade no ar e todos ainda estavam com os espíritos altos depois da vitória e Harry pode voltar a seu único interesse na escola.

Gina.

Mas ao que parecia o fato dele ter fechado seus sentimentos por ela teve uma consequência.

Uma semana depois da derrota de Voldemort, ela e Neville entraram de mãos unidas no salão principal.

Ele sentiu o coração quebrar quando viu aqueles olhos brilhantes dela encarando Neville amorosamente.

Harry não conseguia aguentar, ele tentou ficar na escola por mais uma semana, mas vendo os dois era doloroso demais.

Ele simplesmente saiu da escola sem ninguém percebeu, depois ele faria seus NIEMS no ministério e assim a imagem de um garoto moreno de cabelos negros, olhos verdes e uma pequena cicatriz em forma de raio, parecia sumir na escola de magias e bruxarias de Hogwarts.


Notas Finais


Nox!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...