1. Spirit Fanfics >
  2. A sombra do Vampiro: laços sanguíneos >
  3. Transformação extrema pt.2

História A sombra do Vampiro: laços sanguíneos - Capítulo 6


Escrita por: CRIS75950

Capítulo 6 - Transformação extrema pt.2


Fanfic / Fanfiction A sombra do Vampiro: laços sanguíneos - Capítulo 6 - Transformação extrema pt.2

O desespero de Armand foi tão grande que decidiu procurar a filha sozinho. Enquanto dirigia até a favela, os olhos de Armand ardiam feito brasas... Nesse momento, Dagoberto entrou em contato com seus colaboradores que conheciam os bandidos que haviam sequestrado Marcilla. Depois de quase uma hora, Dagoberto consegue descobrir a localização exata da cobertura de luxo do líder do comando vermelho.

-Já sei aonde aqueles vermes estão...-disse Dagoberto desligando o telefone.-Em uma cobertura que fica no Leblon. É lá onde o comando vermelho se reúne.

-Então Marcilla deve estar lá...-disse Giancarlo.

-É bem provável...

-Tio Armand pegou o carro e saiu daqui enfurecido...-disse Laila.

-Tentamos impedir, mas ele estava com aquele olhar que eu não me atrevo a desafiar.-disse Martino.

-Era só o que faltava...-resmungou Dagoberto.-Vá atrás dele, Martino...vá antes que ele resolva drenar a favela inteira!

-Está bem.

-Giancarlo e eu iremos até o Leblon trazer Marcilla de volta.

-Eu posso ir, tio Dagoberto?

-Vá com seu tio Martino encontrar aquele desajuizado do seu tio Armand...

Dito isso, Dagoberto e Giancarlo entraram no carro e partiram para o Leblon. O dia já estava nascendo quando Armand invadiu a casa de Clara, com um violento pontapé na porta. Clara levou um grande susto assim que o viu.

-Quem é você?!

-Aonde a minha filha está?!!!!

Clara ficou paralisada pelo medo após notar que os olhos dele estavam ardendo feito brasas em chamas e seus caninos aguçados.

-Para onde levaram a minha filha?!!!

Num movimento rápido, Armand pegou Isadora pelo pescoço e a prensou contra si.

-Se não me disser para onde levaram a minha filha, vou quebrar o pescoço dela!!!!

-Não, por favor!!-suplicou Clara com desespero.-Eu juro que não sei para onde a levaram!... Marcilla foi levada pelo comando vermelho. Mas ninguém sabe onde fica o lugar exato.

Armand jogou Isadora no chão e andou até Clara.

-Marcilla me contou sobre o motivo pelo qual você a abandonou... Sinceramente não me importam os seus motivos.-Armand se aproximou cada vez mais perto dela, arrancado-lhe arrepios intensos.-Se eu a tivesse visto naquela noite em que abandonou Marcilla, hoje você não estaria viva.

Dito isso, Armand deixou a casa de Clara rapidamente sem dizer mais nenhuma palavra. Enquanto isso, o chefe do grupo comando vermelho retornou para sua cobertura e encontrou Marcilla literalmente drogada e violentada.

-Que porra vocês fizeram com ela?!

-Calma, chefe...

-Calma o cacete! Vocês detonaram a menina...e agora? De que forma iremos devolvê-la nesse estado deplorável?!

-Ela ainda tá viva, patrão...

-Vocês são uns merdas mesmo! Filhos da puta sem noção!

-Fica tranquilo, chefe...

-Tranquilo como? Vocês acabaram com ela, porra! O que o dr. Dagoberto vai dizer quando ver a sobrinha dele nesse estado?!

-Que você acabou de assinar a sua sentença de morte...-disse Dagoberto surgindo na sala principal da cobertura juntamente com Giancarlo.

Todos ali levaram um enorme susto.

-Como ele entrou aqui?!

Dagoberto se aproximou do líder deles e o encarou face a face e disse:

-Acabou de cometer um erro muito grave...

Para o terror de todos os cinco bandidos ali presentes, Dagoberto enfiou a mão no peito do chefe deles e arrancou-lhe o coração para fora. Antes que um deles pudesse atirar, Giancarlo avançou sobre ele como se fosse um lobo e rasgou-lhe a garganta com os caninos afiados. Os outros quatro tentaram fugir, mas foram mortos por Giancarlo e Dagoberto. Em seguida, os dois entraram no quarto e encontraram Marcilla desacordada devido às várias drogas que foram injetadas em seu corpo. Giancarlo a pegou em seus braços e a tirou dali, levando-a para dentro do carro.

-Temos que levá-la ao hospital...-disse Dagoberto que entrou no carro rapidamente.

            DIFÍCIL DECISÃO....

Momentos mais tarde, Armand, Laila e Martino entraram no hospital aonde Marcilla estava internada. Encontraram Dagoberto e Giancarlo que estavam em uma pequena sala de espera.

-Aonde ela está???-perguntou Armand assim que entrou na sala.

-Está na UTI..-respondeu Dagoberto.-O estado dela é grave devido às drogas que foram injetadas nas veias.

Laila começou a chorar de desespero.

-Está tudo bem, querida...-disse Giancarlo abraçando sua filha.

-Marcilla vai morrer, tio Dagoberto????

Dagoberto restou silencioso. Armand foi até o quarto e viu Marcilla deitada em uma cama com vários tubos no nariz e boca. Armand sentiu como se o chão tivesse se abrido debaixo de seus pés. Dagoberto entrou no quarto e se aproximou de seu irmão.

-Ela não vai resistir por muito tempo, Armand...

Armand começou a chorar de uma forma dolorosa e desesperada.

-Não quero continuar existindo sem a minha filha....

Dagoberto suspirou fundo e disse:

-Tem uma esperança...

Armand encarou Dagoberto e murmurou:

-Não...eu não vou conseguir fazer isso...

-Vai deixar que ela morra então?

-Eu não tenho coragem...

-Eu faço.

Armand olhou novamente para Dagoberto e murmurou com o coração em pedaços:

-Ela se tornará....

-Eu sei. Mas é a única salvação.

Armand concordou com um gesto de cabeça.

-Vá lá para fora e avise os outros...-disse Dagoberto tirando o casaco e colocando sobre uma poltrona que havia ali ao lado.-Não deixe ninguém entrar aqui.

Assim que Armand saiu, Dagoberto inclinou-se sobre Marcilla e disse após vê-la com os olhos entreabertos:

-Querida... você consegue me ouvir?

Marcilla respondeu com a cabeça. Dagoberto acariciou o rosto dela e continuou:

-Você terá que confiar em mim...vou tirá-la desse sofrimento.

Após dizer isso, Dagoberto começou a arrancar todos os tubos do nariz e da boca dela. Depois disso, arregaçou a manga de sua camisa e puxou o corpo de Marcilla, colocando-a sentada diante de si.  

-Eu espero que você me perdoe um dia...

Um lágrima escorreu pelo seu rosto no momento em que cravou seus caninos aguçados no pescoço de Marcilla....

Depois de meia hora, Dagoberto retornou para dentro da sala aonde seus irmãos estavam reunidos. Ele retornou com a manga da camisa arregaçada e o pulso perfurado pelos dentes de Marcilla que havia bebido um pouco de seu sangue para completar a transformação. Dagoberto sentou em uma das poltronas e disse seriamente:

-Pela primeira vez me sinto um assassino....

Todos olharam para Dagoberto. Laila correu até ele e o abraçou.

-Obrigada, tio... obrigada.

-Agora nos resta esperar...-disse Dagoberto.

Nesse momento, os batimentos cardíacos de Marcilla haviam cessado de vez... Segundos depois, ela abriu os olhos normalmente... inclinou-se para a frente e olhou para suas mãos. Parecia tudo normal, exceto por seu reflexo que não estava refletindo em um espelho que havia ali no quarto em frente a cama. Marcilla levantou sentindo seu corpo leve e relaxado. Ela parou diante do espelho e não viu mais seu reflexo. Em seguida, começou a ouvir todos os ruídos e sussurros que eram falados dentro do hospital. Nesse momento, Laila entrou no quarto e se aproximou de Marcilla.

-Bem vinda ao nosso mundo, prima.-disse Laila com um sorriso.

         NOVA EXISTÊNCIA...

Após duas semanas, Marcilla resolve ir novamente até a casa de sua mãe Clara. Vestida com um blazer de seda preto e óculos escuros, Marcilla bateu na porta. Assim que Clara abriu a porta, ficou contente em rever a filha. 

-Marcilla...que bom ver você, minha filha!

Marcilla sorriu levemente e abraçou sua mãe. Nesse momento, Isadora entrou na sala carregando uma mala e uma mochila.

-Isadora está indo morar com o pai dela em Niterói...Eu não a quero mais aqui depois do que ela fez com você.

Marcilla encarou Isadora e se aproximou dela. 

-Você vai me perdoar algum dia?-perguntou Isadora com um certo constrangimento.

Marcilla tirou o óculos dos olhos, revelando um novo olhar completamente diferente de antes...um olhar que fez Isadora estremecer fortemente.

-Não me peça perdão, Isadora...Me peça misericórdia da próxima vez que cruzar o meu caminho.

Dito isso, Marcilla recolocou os óculos escuros e voltou para junto de Clara e disse:

-Eu devo ir agora, mãe. Prometo vir visitá-la assim que puder.

Marcilla deixou a casa de sua mãe após cumprimentá-la... Marcilla não era mais aquela menina de dezoito anos inocente de antes... Tudo nela havia mudado literalmente, inclusive seu corpo que tomou formas voluptuosas e atraentes. Estava mais linda do que antes... chamava a atenção dos homens quando caminhava pela rua.

Em todos os aspectos, Marcilla tornou-se ainda mais poderosa do que todos os membros de sua família....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...