História A Sra. Mohamed Salah - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Eden Hazard
Personagens Personagens Originais
Tags Alice Campelo, Álvaro Morata, Amandla Stenberg, Mohamed Salah, The Jenner, The Kardashians, Zendaya
Visualizações 57
Palavras 1.422
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - A Sra. Mohamed Salah 6


Fanfic / Fanfiction A Sra. Mohamed Salah - Capítulo 6 - A Sra. Mohamed Salah 6


A Sra. Mohamed Salah On:


-Hei campeão? -Balancei seu corpo. -Acorda, que hoje temos um prêmio para ir buscar. -Fiz carinho em seus cachos.

-Ta cedo ainda Khrys. -Resmungou. -A premiação é a noite, volta para cama amor.

-Pois a premiação é a noite, mas eu não vou começar a me arrumar a noite né. -Falei óbvia.

-São seis da manhã. -Me olhou. -Vamos aproveitar que hoje eu posso dormir até tarde.

-Aproveitar para? -Eu ri de suas segundas intenções. 

-P-para nada. -Negou envergonhado. -Para agente descansar juntos. -Ele é muito tímido e eu adorava o deixar envergonhado.

-Para agente descansar juntos. -Eu ri e fiz sua vontade voltando para cama.

-Custou? -Me olhou de lado e eu gargalhei.

-Não. -Neguei. -Vamos descansar? -Rolei para cima dele e constatei sua ereção matinal.

-Vamos. -Disse abaixando as alças do meu babydoll.

E como em todas as vezes ele me amou, nós nos amamos, como se fosse a última vez, nunca fizemos sexo, agente faz amor e como faz...

A cada movimento meu em seu colo, ele suspirava e me trazia para mais perto dele afim de juntar mais ainda nossos corpos.

Sua boca em conjunto com a sua barba rala, passeavam pelo meu pescoço e colo me fazendo arrepeiar, enquanto eu apoiada em seus ombros me esforçava para o dar todo prazer.

Porquê se a coisa que mais me dava prazer, era dar-lhe prazer. Ver suas expressões, ouvir seus gemidos e suspiros, mesmo que abafados, e saber que eu proporcionava a ele tamanho prazer.

Que ele não precisaria de uma segunda, terceira, quarta ou um arem, porque eu sou suficiente, não só na cama, mas como mãe e mulher, por isso que mesmo com o mundo contra, a senhora Mohamed Salah sou eu!

-Humm! -Mordeu os lábios tentando abafar o gemido resultante de seu ápice que acabou de me inundar.

-Você não precisa omitir os sons do prazer que sente. -Toquei em seus lábios vermelhos por causa de sua propria mordida. -Eu gosto. -Confessei voltando a me movimentar em seu colo.

-Khrystal. -Gemeu apertando minha cintura, eu amo esse homem, tanto, que chego a pensar como é possível amar tanto um ser humano falho como eu.

Tombei minha cabeça para trás, quando senti sua boca macia cubrindo meu peito esquerdo, ele me conhecia tão bem.

Com cuidado inverteu nossas posições, ficando por cima de mim, beijando meu pescoço e acariciando meus cabelos, com ele no comando era assim. Tudo devagar, tudo calmo e carinhoso, suas estocadas dentro de mim eram de amor, ele não tinha pressa nenhuma, mesmo que as vezes eu tivesse.

-Mais rápido... -Pedi já sabendo a sua resposta.

-Não. -Negou continuado seus movimentos lentos que me torturavam de prazer. -Agora é minha vez.

Isso mesmo, somos diferentes, e temos gostos diferentes, até na cama, por isso havia a necessidade de termos dois rounds ou até quatro.

Na minha vez, era preferência minha estar por cima dele, vendo suas feições e ouvido seus gemidos.

Na vez dele ele preferia estar por cima claro, me fazendo sentir todo o seu amor, da forma mas lenta e torturante possível, nós nos entendíamos tão bem, até na cama.

E nos outros dois rounds, tanto eu, quanto ele procurávamos fazer um a vontade do outro, e eu tinha preferência que ele fosse um bocadinho mais selvagem comigo e ele consegue ser, mas só quando eu peço. Porque esse não é o ser dele, o ser dele e carinhoso, amável e cuidadoso, me tratando acima de rainha.

Mas nada que duas semanas de viagem com clube não resolvessem.


Flashback On:


-Tudo bem? -Perguntei vendo sua inquietação.

-Não. -Negou dando a volta para o lado do balcão em que eu estava.

-Quer um café ou um chá para relaxar? -Imaginei que ele estivesse exausto.

-Na verdade eu quero você. -Me colocou por cima do balcão em um gesto rápido. -Tanto.

-Eu também. -Consenti. -Tanto.

Em fração de segundos me vi semi nua por cima daquele balcão enquanto ele no meio das minhas pernas marcava meus seios com sua boca.

-Vamos para o quarto. -Pedi em um gemido. -Ta frio aqui.

-Eu quero aqui. -Sussurrou.

-Humm... -Gemi ao sentir minhas costas nuas em contacto com mármore frio do balcão. -Mohn...

Retirou minha calcinha, a única peça que ainda me cubria, me deixando totalmente nua, enquanto de seu corpo não faltava nenhuma peça, o que fez minhas bochechas corarem.

-Vem. -Me deu suas mãos me ajudando a descer balcão. -Vira. -Pediu que eu vira-se de costas para ele.

E sem aviso senti-o me penetrar, me fazendo segurar o balcão a minha frente com força, pois suas estocadas eram fortes e deixavam gostinho de quero mais, ele estava queimando de desejo e vontade.


                             ...


-Desculpa! -Escondeu seu rosto entre meu pescoço e ombro e abraçou minha cintura.

-Porquê? -Afaguei seus cabelos não entendendo.

-Eu não me controlei e fui bruto. -Falou. -Podia ter te machucado...

-Hei, para com isso. -Segurei seu rosto entre minhas mãos. -Eu estou bem, e você não foi bruto em momento algum Mohn, na verdade você é príncipe, sempre.


Flashback Off:


-Ta lindo. -Apertei o nó de sua gravata. -Meu marido. -Falei orgulhosa.

-Grato. -Sorriu tímido. -Você está a rainha de todos os dias.

-Muito obrigada senhor. -Fiz uma vênia e rimos de nosso comportamento o tanto quanto infantil.

-Porque eu não posso ir? -Meca apareceu na sala já de pijamas e com a mesma pergunta de 14 minutos atrás.

-Não era para você estar dormindo já minha menina? -Questionei.

-Mas eu não consigo. -Cruzou os braços. -E eu também quero ir.

-Não são horas de meninas como você estarem fora de casa. -Mohn a pegou no colo.

-Agente não vai demorar meu amor. -Beijei sua testa. -A Fada vai contar aquela história para você tá bom?

-Tá bom. -Fez bico.

-Mama ama você. -Me declarei.

-Papa ama você. -Ele disse a apertando ainda mais em seus braços.

-A Meca ama vocês. -Nossa menina disse nos enchendo de orgulho.

Fada veio até agente buscá-la. -Obrigada Fada. -Agradeci. -Agente não vai mesmo demorar.

-Podem ir a vontade. -Sorriu. -Eu cuido dessa princesa aqui. 

-Obrigada Fadinha. -Nos despedimos.


                            ...


Tive que me preparar para fazer uma coisa que eu não gostava, nem eu e nem o Mohn. Aparecer nos holofotes.

Nós preferimos ter a nossa vida longe disso, dos flashes, dos sites de fofoca e das capas de revista, ainda mais porque temos uma filha pequena e depois do que aconteceu, quando por duas vezes sofremos ameaças anônimas, temos o cuidado redobrado, evitando aparecer tanto.

Mas havia momentos em que era necessário, em jogos importantes e premiações. Eu sei que ele se sentia bem em me ter lá, o apoiando de perto.

O ambiente estava normal ou agradável se posso assim dizer, muita gente conhecida, algumas nem tanto.

Mas se resumia a um ambiente preenchido por jogadores e suas esposas ou acompanhantes, não é para menos sendo que se trata de uma premiação da premier league.

-Amor, eu vou falar Klopp e já volto você fica bem? -Me olhou.

-Claro vai lá. -Sorri e ele beijou minha testa indo até seu treinador.

-Vocês são sempre assim? -A mulher do Firmino, da qual não me lembro o nome perguntou. 

-Assim como? -Perguntei.

-Tão casalzam. -Disse.

-Acho que agente tenta sempre ser. -Confessei. -Damos o nosso melhor para isso. 

-Que bom. -Assentiu. -Vocês fazem um casal muito bonito e a filha de vocês então...linda.

-Obrigada. -Sorri sincera. -Você...

-Khrystal... -Ouvi alguém chamar por mim, aliás senti, porque esse alguém me tocou. 

E essa voz, é me muito familiar e é uma das ultimas que eu queria ou pretendia ouvir naquele momento.

Mas eu sabia exactamente onde estava me metendo quando saí de casa para acompanhar o meu marido.


Flashback On:


Precisa sim. -Me pronunciei. -Precisa porque eu preciso cair na real, que acabou, que ele acabou comigo, que ele mentiu e me enganou mas isso nem é o pior. -Suspirei. -A mulher dele está grávida, vocês conseguem acreditar nisso?

Não obtive resposta, e nem olhares de surpresa, muito pelo contrário, eles se entreolharam e nenhum teve coragem de olhar para mim. Eles sabiam.

-Vocês sabiam? -Me levantei. -Vocês sabiam!

-Khrystal agente... -Alice tentou dizer mais eu a interrompi.

-Não precisa se explicar. -Arrumei minha bolsa no corpo. -Eu já devia estar habituada mesmo, sou sempre a última a saber das coisas.

-Khrystal... -Desta vez foi Álvaro.

-Eu só esperava um bocadinho de sinceridade da vossa parte. -Limpei as lágrimas que insistiam em cair. -Eu pensei que vocês fossem meus amigos, mas já vi que me enganei.


Flashback Off:






















.Continua...


 












 











Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...