História .A Stupid Newbie; - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias It: A Coisa
Personagens Edward "Eddie" Kaspbrak, Richard "Richie" Tozier
Tags Kaspbrak, One-shot, Reddie, Tozier
Visualizações 123
Palavras 606
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, bem-vindos a uma OS de Reddie, nosso Otpzão lindio.
Adeus e boa leitura!

Capítulo 1 - .Single Chapter;


Fanfic / Fanfiction .A Stupid Newbie; - Capítulo 1 - .Single Chapter;

Se eu gostava de me meter em brigas? Eu adorava. A sensação da adrenalina passando por toda a corrente sanguínea, confiar cegamente nos próprios reflexos e, se permitirem, socar alguém até apagar. Como não gostar?

—Ai, Eds! Você era mais cuidadoso antes. –Reclamei, balançando as mãos para aliviar a dor do álcool que meu amigo passava nas mesmas para desenfectá-las e em seguida, colocar uma faixa.

—Antes eu tinha pena, agora eu queria mesmo era te bater. –Ele replicou, puxando minhas mãos de volta e jogando mais álcool nelas. –E eu queria jogar esse álcool fora da sua casa a um tempo, ao menos foi útil.

—Eu não fiz nada demais, estava te defendendo. Devia me agradecer. –Falei, resmungando. Reprimi um suspiro de dor ao sentir mais um pouco de vodca ser derramada nos nós dos meus dedos.

—Me defendendo, Richard? Eu estava conversando com o garoto novo. –Bela merda de novato, o sujeito estava na escola a um ano. E era um babaca. Se eu conversei com ele? Nunca me dirigiu a palavra.

—E o que você estava falando com ele? Você tem a mim, não precisa dele. –Sim, talvez eu estivesse exagerando. Mas ver o Eddie sorrir com aquele cara não me parecia certo, então eu bati nele.

—Por qual motivo está interessado? –Eds perguntou, desviando sua atenção de minhas mãos para os meus olhos. O encarei de volta, levantando uma sombrancelha. –Se eu te contar, vai caçoar de mim até no meu funeral.

—Não prometo nada. Por favor, Eds. –Sorri para ele, que desviou os olhos. Comecei a cutucar seu ombro, e eu sabia que ele odiava esse ato. –Eds, Eds, Eds, Eds, Eds, me conta, me conta, me conta, me conta, me conta.

—Por Deus, como você é chato Richard. –Ri dele e da sua expressão prestes a me matar, vermelho de raiva. –O novato, ele... Me chamou para sair.

—O quê? –Foi quase um grito e eu saltei da cama, ficando em pé e o encarando. A mesma adrenalina de antes subiu e eu queria não apenas apagar o novato, mas matá-lo. Uma pergunta subiu a minha cabeça. –Espera, você é gay e não me contou?

—Fala mais alto que a cidade toda ainda não escutou. –Disse, corando. Como ele era fofo quando estava corado. –E eu não sei o que você tem a ver com isso. A vida é minha, Rich.

Não devia, mas acabei por corar também com meus pensamentos impróprios.

—Por favor, fale que você deu um fora no novato. –Eu sequer lembrava da porra do nome do garoto, só estava preocupado.  Preocupado com o que Eddie diria.

—Eu mal pude dizer qualquer coisa, você chegou e o ameaçou.

—E...teria aceitado? –Eu com certeza iria cair com uma das respostas. Eddie deu de ombros, pensando na resposta.

—Dependeria. –Disse, se levantando e ficando na minha frente. –Eu estava dependendo de você e de como reagiria quando te contasse.

—Se a vida é sua, porque depende de mim? –Perguntei mas não obtive resposta. Bem, não uma resposta verbal.

Apenas o gosto dos lábios de Eddie nos meus. Delicados e doces como eu sempre imaginei que seriam, contrastando com o cheiro forte de vodca que exalava das minhas mãos e de quebra, do quarto todo.

—Porque eu sempre dependo de você, Richie. –Por Deus Eds, fale mais sobre nós entre sussurros.

—Já que eu atrapalhei seus planos de sair com o novato estúpido, quer sair comigo? –Perguntei, numa súbita vontade de beijá-lo novamente pelas bochechas coradas e a boca um pouco entreaberta pela pergunta.

—Eu...claro. –Exibiu um dos seus melhores sorrisos para mim e voltou a se sentar na minha cama, terminando de enfaixar a minha outra mão.


Notas Finais


Se puderem comentar, eu ficarei muito feliz!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...