1. Spirit Fanfics >
  2. A tal babá (IMAGINE CHANYEOL EXO) >
  3. Capítulo 7

História A tal babá (IMAGINE CHANYEOL EXO) - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Capítulo 7


Fanfic / Fanfiction A tal babá (IMAGINE CHANYEOL EXO) - Capítulo 7 - Capítulo 7


Dia seguinte

Lá estava eu mais uma vez, levantando da cama e indo ate o banheiro fazer minhas higienes matinais. Após alguns minuto lá dentro, saio da pronta para ir ao quarto de Chanyeol. Passo pela cozinha onde vejo Mina já acordada, lhe dou um bom dia e subo as escadas. Eu sou um ser tão sedentário que já estava com faltar de ar após subir as escadas. Respiro fundo e vou até o quarto de Chanyeol, bato na porta e logo entro, o vejo dormindo como uma rocha. Me aproximei sentando sobre a cama e o olhando.

- Chanyeol... Chanyeol acorde. - O chamava.

- Só mais cinco minutos. - Resmungou.

- Já está atrasado. - Disse.

- Porra... - Ele levantou sentando sobre a cama.

- Vamos rápido.

Chanyeol levanta e vai até o banheiro. Fico o esperando, e pensando por que ainda estou aqui. Deveria procurar qualquer tipo de emprego, e conseguiria, mas por que ainda insisto em ficar sendo babá de um homem criança ? Talvez por que minha missão seja fazer Chanyeol amadurecer ou certamente eu gosto de estar com ele.

Depois de alguns longos minutos Chanyeol saí do banho de toalha. Assim que o vejo vou até a porta a abrindo e logo saindo.

Após levar Chanyeol na faculdade e ver a melação de sua namorada Loira Oxigenada, decido passar para ver Lay. Sinto algumas dores não muito fortes no peito, mas não dou muita importância, pois sempre senti essas dores. Paro de frente a pensão, e vejo Lay saindo da mesma, saiu do carro e vou em sua direção.

- Lay! - O chamo e ele logo da sorriso que revela suas covinhas

- Ana! - Me abraça - Que saudades, hein. - Aperta o abraço dando um suspiro de alegria.

- Eu também. - Logo soltamos o abraço e sorrimos um para o outro.

- Vamos até a cafeteria de sempre ? - Perguntou.

- Claro. - Sorri e logo saímos.

Chegando lá, sentamos em mesas com vista para a rua. Conversamos sobre tudo. Lay sempre foi como um irmão mais velho para mim, o único que confio de olhos fechados.

- E você... Já encontrou o amor ? - Perguntei e logo vi o sorriso de Lay sumir.

Eu e Lay realmente nunca comentamos sobre nova vida amorosa. Eu já tive experiência horríveis que me deixaram mal, entre esses e outros motivos que eu tenho medo de me apaixonar e evito.

- Me desculpe eu não quis... - Fui interrompida.

- Tudo bem Ana, eu sei que não foi por mal - Sorriu olhando para o lado.

*PV PCY*

Voltando da faculdade com Ana que não trocou nenhuma palavra, chegamos em minha residência. Ainda dentro do carro, olhei para ela fixamente por alguns segundos. Ana me atraía de uma forma inexplicável. Talvez por ser tão marreta e madura.

- Perdeu alguma coisa ? - Perguntou.

- Meu coração. - Falei e em seguida recebi um soco no ombro - PORRA! - Passei a mão pelo local. - Por que fez isso ?

- Por que meu coração pediu - Sorriu forçadamente.

- Você é o serzinho mais marrento que eu conheço.

- Sabe que eu não te perguntei. - abriu a porta do carro.

Mas logo puxei seu pulso a lhe trazendo para meu aperto.

- Me solte! - Ela pediu me olhando daquela maneira.

- Só quando me der um beijo.

- Você é um ser sem juízo.

- Vai me dar um beijo ?

Ela parou por alguns segundos e estava aproximando sua boca da minha, quando estava sentido seus lábios tocando os meus, ela os mordeu com força.

- Aaarhg !!!! - Gritei e ela soltou me dando um alívio imediato.

- Isso é para você entender que comigo ninguém brinca, bêbado escroto - Sorriu saindo do carro.

Ainda sentido uma pequena dor em meus lábios, entrei em casa, e logo vi minha Mãe.

- Estava te esperando Yeol, siga-me. - Disse subindo as escadas, logo entrando no seu escritório.

Entrei em seguida, e fechei a porta sentando sobre a cadeira de frente a minha mãe.

- Por que me chamou aqui ? - Perguntei curioso.

- Filhinho, espero que me entenda, pois serei clara e bem rápida. Quero  que peça Yugito em casamento.

- COMO ? - Dei um salto da cadeira ficando de pé.

- Quer que eu repita ? - Perguntou irônica.

- Sabe que nem ao menos amo Yugito, estou com ela por que me pediu.

Ela se levantou, caminhando até minha frente.

- Esqueceu do que você fez? - Me olhou profundamente. Me fazendo ficar calado. - Parece que sim. Então me deixe lembrar... - Caminhou até a porta. - Por que seu pai não está entre nós? Ah! Lembrei... Foi porque você o matou.

- FOI UM ACIDENTE....- Fechei o punho.

- Acidente ? Por sua culpa seu pai perdeu o controle do volante e fez o carro capotar... Ou eu estou enganada?

- NÃO, NÃO NÃO! - Coloquei as mãos no ouvidos evitando ouvir aquelas palavras que me atormentavam a anos.

- Não adianta fugir de um passado que está agarrado em você para sempre - Ela foi até mim gritando as palavras em meus ouvidos, enquanto lágrimas banharam meu rosto - Você é um assassino PARK CHANYEOL, e escuta bem! Se ousar a me desobedecer eu vou ter que noticiar isso a polícia, não acha ?

- Como pode ser uma mulher tão perversa, mãe ? - Me virei para ela.

- Tem até hoje a noite para pedir Yugito em casamento e unir as duas empresas... Caso ao contrário... Agora sim receberá o castigo em todas sua costas.

Sai do escritório batendo a porta com força. Fui até meu quarto, me deitando sobre a cama ainda chorando. Eu não matei meu pai! Eu não matei meu pai, foi tudo um acidente!

*Pv Ana*

Ouço soluços e choro vindo do quarto de Chanyeol, meu coração acelerou no mesmo instante e então corri para o quarto do mesmo o encontrando chorando. Senti meu coração acelerar cada vez mais, me aproximei dele e sentei ao seu lado passando a mão por seu rosto, sem ao menos me importar deitei ao lado de Chanyeol o abraçando por trás.

- Vai ficar tudo bem Chanyeol. - Eu realmente não sabia qual era o motivo de suas lágrimas, mas eu estava ali para ajudá-lo.

- Me abraça Ana, me abraça muito forte - Pediu.

- Eu estou aqui. - Falava abraçada a ele.

Chanyeol se virou ficando cara a cara comigo, meus olhos se dirigiram para sua boca, e por impulsividade ou emoção o beijei suavemente. Senti uma energia elétrica percorrer meu corpo me fazendo o abraçar mais ainda e aprofundar aquele beijo tão doce e cheio de intensidade.

Suas mãos rodearam minha cintura e as trouxeram mais para perto, chocando contra seu corpo. Passei minhas mãos por seus cabelos sedosos. Logo Chanyeol me colocou sobre cima do seu corpo, e eu ainda continuava a beija-ló.

Suas mãos passeavam por meu corpo, enquanto as minhas apertavam seus ombros largos. Senti Chanyeol levantando minha blusa de manga longa, e logo desabotoou minha calça. Tirei seu moletom preto e passei minhas unhas por seu peitoral.

Paramos o beijo por falta de ar, e com a ajuda de Chanyeol tirei minha calça. Estava apenas de roupas íntimas em sua frente. Trocamos de posições e Chanyeol estava agora por cima de mim. Ele tirou sua calça moletom e ficou apenas de cueca box azul escura, sorri tímida e ele logo tomou meus lábios para si.

- Tem certeza ? - Perguntou sussurrando.

- Sim - Respondi baixo.

Chanyeol tirou lentamente minha peça íntima de baixo, e logo sua cueca revelando seu membro.Lentamente Chanyeol me penetrou. Senti dores agudas, e senti algo rasgando dentro de mim, a dor era suportável, pois logo aquilo se passou, e já estava pedindo que Chanyeol se movesse dentro de mim cada vez mais rápido. O prazer era inexplicável, nunca me senti tão satisfeita em minha vida, e ao menos nunca pensei que iria me entregar para uma pessoa como ele. Bloqueiei todos os pensamentos, queria apenas sentir aquela sensação única e maravilhosa.

Acordei, e logo me sentei sobre a cama de Chanyeol, assim que estava totalmente acordada, em minha mente vieram as lembranças de algumas horas atrás. Sorri abraçando o travesseiro.

Percebi que Chanyeol não estava no quarto. Vesti minhas roupas que estavam espalhadas pelo chão, sai do quarto e caminhei pelo corredor de cima. Quando estava prestes a descer as escadas, parei incrédula e vi Chanyeol colocando um anel no dedo de Yugito. Vi todos brindarem e pude ver a felicidade em seu sorriso.

Coloquei a mão em minha boca e pude sentir uma lágrima solitária escorrendo por meu rosto. Eu não conseguia acreditar no que meus olhos viam.

Tento descer as escadas sem que alguém me perceba e vou até meu quarto, lá desabo, choro como nunca havia chorado. Mas não de tristeza e sim de raiva, por ter me deixado levar por um momento.

E pensar que Chanyeol realmente gostasse de mim. Claro sua idiota, você acha mesmo que ele deixaria Yugito, uma garota com tudo aos seus pés, por uma "tal babá" que não tem ao menos onde cair morta? Como pôde se iludir tão alto assim Ana? Como ?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...