História A tempestade da calmaria. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Sope, Taekook, Vkook, Yoonseok
Visualizações 78
Palavras 2.211
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, é minha primeira fanfic de capítulo único, espero que gostem, apesar de ter sido uma fanfic de ideias as pressas, eu gostei muito do resultado.

Uma pequena observação, Taehyung falará de oito meses atrás, ou seja a maioria das coisas aconteceram antes.

Boa leitura hehehe

Capítulo 1 - Capítulo único.


Fanfic / Fanfiction A tempestade da calmaria. - Capítulo 1 - Capítulo único.

 

•  Kim Taehyung •

Bom, por onde eu poderia começar a explicar tudo o que aconteceu neste ano em que voltei à minha cidade natal, gloriosa seja Seul.

Vejamos, há oito meses atrás literalmente esbarrei com Jeon em um corredor da faculdade, que é onde eu curso atualmente, Direito. E cá entre nós, de longe ele não parecia que era um estudante daquela faculdade, mesmo assim vivia andando por ela como se fosse uma passarela e dono do lugar onde quer que ele pisasse.

E não, não foi amor a primeira vista, muito menos ódio a primeira vista. Por mais estranho que seja, foi as conversa aleatórias e comums que surgiam quando nos encontravamos, uma atrás da outra como essas;

'Oe, você está em qual área nessa faculdade, Hyung?(Ele me chamava de hyung quando não sabia meu nome, mesmo não sabendo que eu era mais velho)

Ou quando aleatoriamente o respondi uma pergunta dele, por que eu parecia evita-lo.

'Porque você está sempre andando por aí como se fosse o dono do pedaço, sacas?'

Até depois de um tempo nos sentarmos juntos nos intervalos, onde nos conhecemos um pouco melhor, e voa lá, a paixão veio.

'Então.. Kim Taehyung.. '

A voz dele ao falar meu nome, conforme o tempo quase desejei gravar para ouvir sempre que pudesse.

'Se eu fosse você, Jeon, eu não gostaria de fingir algo que não sou o tempo inteiro' 

Lembro até hoje, quando eu descobri com ele aos prantos  quase desmaiando em febre, que aquele garoto sofria calado e sozinho sem nenhuma ajuda para não preocupar ninguém, também foi quando eu descobri que Jeon Jeongguk era o 'filho problemático' do Diretor da faculdade que estudo, era dele que tanto falavam sobre nos corredores da faculdade.

Constatemente comparado ao irmão mais velho bem sucedido do menino Jeon, por mais que a relação dos dois fosse próxima como confidentes.

Além da morte da mãe dele ter sido recente naquela época em que tinha acabado de fazer seus dezenove anos, céus! Oito meses atrás para hoje em dia, mudou tantas e tantas coisas, tanto em relação a ele, como também para mim e minha filha de 3 anos naquele tempo, Kim Seungbae.

E não posso esquecer do meu raio de luz, a minha filha adorável que um dia vai me deixar de cabelos brancos de preocupação, e até mesmo enquanto ela está crescendo bem saudável e muito bem mimada pelos meus amados amigos.. eu surto ao ver que o tempo está passando rápido demais ao notar o crescimento dela a cada dia.

Veremos então uma conversa de, cinco meses atrás.

-- Inacreditável.. -- Diz o meu melhor amigo, Park Jimin já estava colocando a mão no peito como se não acreditasse que estivesse acontecendo aquilo consigo, há alguma tempo conheceu a menina na boate, curiosamente ela também estudava em nossa faculdade.

-- Você se apaixonou perdidamente por essa Seulgi, não é mesmo? -- Disse rindo levemente enquanto comia um hambúrguer, era muito adorável ver Jimin abrindo e fechando a boca para fazer algum argumento contra minha afirmação, que para ele, não tinha fundamento nenhum.

-- Mas eu me considerava um gay, eu assumi isso para minha família inteira mesmo que eu pudesse sofrer com isso, está me entendendo? -- Falou como se buscasse ou pudesse dar respostas a si mesmo e aos seus sentimentos novos, seu coração que ainda batia fortemente por simplesmente lembrar de uma situação que ocorreu com Seulgi horas antes dessa conversa com seu amigo, onde nada mais, nada menos quase beijou a garota na festa, ocasião em que ele nem sequer dormiu até agora, evidente com suas olheiras.

-- Olha, é complicado para todo mundo entender oque está sentindo aqui dentro... -- apontou para o coração de Jimin --  Sempre achei que tivesse atração forte pelas meninas, só nunca desejou algo sexual com elas, e é isto. -- Completou, logo em seguida dando uma bocanhada em seu precioso hambúrguer.

-- Vamos parar de falar disso, ou eu vou pirar de vez, sabia? -- Jimin suspirou derrotado, tomando alguns goles nevorso de seu capuccino, mas notou algo -- E aquele menino que está nos encarando à exatos três sem nem piscar, eu acho. -- Jimin tornou a rir contidamente, ao ver Taehyung se atrapalhando, deixando seu hambúrguer cair na bandeja.

-- Ele ainda tá  o-olhando? -- E com todo o seu nervosismo, agora parecia um robô, onde seus movimentos estavam lentos e paravam como se estivesse com defeito. -- Droga, faz só três meses que nos conhecemos por acaso, oque eu vi nesse moleque!? -- Disse reclamando de sua situação, nem sequer sabia se o Jeon também gostava de garotos, afinal naquela época, só eram amigos.

-- Está sim.. -- respondeu a pergunta do Kim -- Tenho quase certeza, que isso é puro ciúmes. -- Disse Jimin normalmente, como se nem estivesse fazendo carinho no cabelo de Taehyung para provocar o tal Jeon ou também para acalmar os nervos a flor da pele de um Taehyung envergonhado, ou um pouco dos dois.

Aaah, nesse tempo aí, eu sequer imaginava como aqueles primeiros sintomas de paixão poderiam ser milhões de vezes mais forte, mais intensos, até chegar ao ponto do amor que eu tinha escondido pelo Jeon doesse em meu peito.

Eramos dois idiotas, e pelos céus novamente! Eu só consigo ficar bobo ao lembrar de quando ele tomou a iniciativa em nossa relação, eu sequer imaginava que quem se apaixonou primeiro de nós dois, foi ele.

Quando eu perguntei desde quando ele começou a gostar de mim, ele respondeu;

' Ah.. Tae, eu simplesmente fui ficando louco por você sem perceber, quando meus olhos bateram em você pela primeira vez, não foi amor ou algo sexual, foi interesse em lher conhecer como um amigo! Porém com o tempo antes de completar dois meses, eu acabei percebendo cedo os meus sentimentos, mudou ao ponto de.. Hmm.. quando dei por mim, eu já ansiava falar com você, mesmo que fosse somente um 'Bom dia'. Apesar de tudo que eu passei naquele tempo, eu também não acreditei que era Gay, eu achava os homens atraentes, mas nunca achei nada demais nisso, sabe? E quanto mais eu negava para mim mesmo os sentimentos que eu tinha, as coisas a minha volta desmoronando aos poucos.. foi bem complicado, huh? '

E eu não imaginava que ter um amor correspondido fosse tão bom! Incrível e fascinante de todas as formas possíveis de se pensar, fico até meio idiota risonho de contar todas essas coisas à voces, Awh.. acho que to com diabetes sempre tenho a chance de ver o meu namorado dormindo.

-- Isso é assédio! -- Acusou Jeon ao abrir os olhos, no exato momento em que eu ia beija-lo mesmo que estivesse dormindo.

-- E você gosta! -- Bati de leve em seu ombro, um pouco envergonhado por ter sido pego no flagra.

-- Corrija isso, eu amo! -- Respondeu ao se posicionar, para ele mesmo se jogar para cima de mim, forçando-me a deitar no colchão, começando com um beijo calmo, cheio de carinho, com nosso silêncio dava pra se ouvir os estalos dos selinhos demorados ou não, tinha virado um vicio constante beijar aqueles lábios, se eu pudesse ficaria mais de 24h ali, somente aos beijos, mas todos sabemos que não iriam ser beijos, não é mesmo? 

Mas todo relacionamente, não é perfeito como parece ser, o Jeon sempre soube de minha filha, e quando finalmente começamos nossa relação, ele ficou meio alarmado, afinal além de 'assumir' relacionamento comigo, ainda tinha assumir com pequena que eu cuidava, e ocupava totalmente meu dia dia, minha faculdade era de manhã, no mesmo horário que a creche de minha filha, mesmo que eu tivesse o Jeon em minha cabeça e as batidas dos meu coração acelerado por causa dele, minha filha ainda era a minha razão de viver e propósito de vida até que ela tenha suas próprias asas. 

As interações de Jeon com minha filha antes da gente namorar, sempre me deixavam feliz pra caramba, eufórico e animado que eles se aproximassem como 'pai e filha' na minha cabeça.

-- Seung, por favor, não pode mastigar de boca aberta, sim? -- Disse Jeon com as mãos na cintura com uma cara braba enquanto fazia o almoço, sabendo que a criança lhe ouviu após atender o pedido, desacostumada com o novo modo de comer.

Ou quando..

-- Tio! Empula vai! Por favor -- Disse eufórica ao sentar no balanço.

-- Lá vaaai! -- Jeongguk empurrou a menina levemente sem força notória, ela ao mesmo tempo dizia 'O papai num vai ver tio, brinca comigo.. ' enquanto usava sua fofura a seu favor. Ela realmente é minha filha rsrs

E você me pergunta se eu trabalho? Não muito, apenas sou um escritor anônimo que nem vende muito, nem pouco. E claro, a pensão que a maldita da mãe de SeungBae deixou, pra mim aquela mulher está enterrada e não faz falta para mim, hmm.. tá faz sim, mas SeungBae é o principal motivo, além dessa mulher, os meus pais também ajudam quando podem.

Nossa primeira briga séria, foi por ciúmes, que sentimento mesquinho, pelo menos para mim. Graças ao retardado do Hoseok, eu não sou alguém de levar brincadeiras a sério,  nessa briga a gente, eu e jeon, estavamos na fase de 'namoro escondido' dos amigos e familiares. Mas Hoseok me deixava puto com seus duplo sentidos em cima de mim, e claro, Jeon ficava com ódio, a culpa não era minha, mas a raiva de Jeon por "não poder descontar" em Hoseok vinha pra mim, e nós brigamos um pouco feio.

-- Você podia dizer pra ele parar! -- Exclamou Jeongguk com os braços cruzados e bufando de ódio contra o amigo de Taehyung, conhecido como J-Hope.

-- Eu já falei milhões de vezes pra ele, e você não devia levar a sério essas brincadeiras idiotas, aliás,  nem levar a sério o Hoseok inteiro. -- Disse para Jeon calmamente, eu não queria me estressar com algo assim, estava tudo tão bom o nosso relacionamente, mesmo as escondidas por decisão dele, por causa do pai desgraçado.

-- Ah! Agora você ta defendendo ele!? -- Disse Jeon quase gritando, e respirando fundo, ele estava com uma raiva, que Taehyung jurava que iria rolar tapas se continuasse assim.

-- Filho da puta! Seung está dormindo no quarto logo ali, se você acordar ela, eu juro que não vou olhar na sua cara por um bom tempo! -- Exclamei exaltando-me, e em seguida levatando-me do sofá em que eu estava, plenissimo sentado no meio daquela discussão.

-- E é isso.. SeungBae é a unica pessoa que te importa, não é? -- Disse Jeon com uma voz cínica e arrastada, Taehyung já sentia seus olhos querendo descer umas lágrimas. Mas não ia dar esse gostinho ao mais novo.

-- Olha.. Eu vou dizer só uma coisa.. -- Respirei profundamente -- Se você assumisse nosso relaciomento de 1 mês, sei que ninguém mais ousaria dar em cima do Homem de Jeon Jeongguk. --  E por fim, não resisti o suficiente pois as lágrimas foram descendo enquanto eu ia em direção ao quarto de Jeon para buscar SeungBae e ir pra minha casa.

Aaah, depois disso, foi dias sem a gente se falar, era os dois sofrendo sem o calor do outro por perto, quase uma maldita abstinência pelos beijos, SeungBae era bastante apegada ao 'Tio Guk' que lhe trazia sorvete e danone, então ela perguntava do rapaz as vezes.

Para 'voltar para o Jeon', até hoje eu fico rindo do momento em que Jeongguk entrou na cantina da Faculdade, com um cartaz enorme com uma foto minha visivelmente grande, com a frase 'Kim Taehyung é meu, Kim Taehyung é meu namorado' e mesmo com alguns olhares incomodados e estranhos, aquele momento foi muito memorável, me deixou muito feliz apesar de tudo. E nossos amigos, apoiaram totalmente, hoseok mesmo dizia que queria ser padrinho do nosso futuro casamento. Foi quando Jeon descobriu que Hoseok só era pervetido comigo e as vezes também com o Jeon, porque notou o clima que tinhamos e queria que alguém ficasse com ciúmes, mas eu e jeon somos bons atores, Hoseok nem imaginava que já eramos namorados, e se desculpou muitas vezes por isso.

Enfim.. atualmente as coisas são diferentes, Seung já tem 4 anos e trata o Jeon como seu pai legítimo, a família do Jeon ainda não aceita nosso relacionamento, por família me refiro ao pai eos demais parentes, enquanto a minha família já esperava, pois mesmo quando eu era perdidamente apaixonado pela mãe da Seung, eu não perdia, segundo minha mãe o "meu lado gay''.

Nossa relação vem se fortalecendo desde então, e finalmente, Jeon decidiu fazer uma faculdade, afinal ele ainda era bem novo, enquanto agora eu já tinha 23 anos, ele iria fazer 20 em setembro ainda e atualmente estamos em abril onde dias atrás Seung fez quatro anos e em dezembro farei 24. 

Afinal eu conheci o Jeon em setembro do ano passado, 1 semana após seu aniversário e 3 meses depois da morte de sua mãe.

Era triste quando eu ajudei um Jeon transtornado, psicologicamente abalado, e eu só cheguei a ver esse lado do garoto naquela época, porque nós chegamos a ser quase melhores amigos, se eu já não tivesse Jimin e Jeon não tivesse seu irmão, Jin.

Precisamos então terminar essa história por aqui..

Deixemos que vocês imaginem oque acontecerá ou até mesmo como as coisas desenvolveram a partir daqui, pois pode não estar bem explicativo..

Até talvez, uma próxima vez.








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...