História A Terra do nunca não é nossa - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Chen, Xiumin
Tags Homofobia, Jongdae!fem, Minseok!fem, Sadfic, Tóxica
Visualizações 16
Palavras 673
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Yuri (Lésbica)
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tô na ativa again👺💙
Olá bebês<3 a Jongdae foi um pouco baseada em mim, e na minha frustração em não poder usar boné, casacos masculinos e camisas masculinas sem ser apontada, é `·´ pura babaquice isso (mas na parte do Cabelo, namorar garotas e essas coisas só pra encaixar na históriakk o meu estresse é com roupa mesmo)

Isso foi também um pouco baseado no ano passado, era um cu, minha professora vivia me chamando de menino e transexual por conta dos casacos.

Ai falei um monte, espero que gostem, perdoem os erros e não achem tão babaquinha quanto eu achei<3

Capítulo 1 - Único; Eu só queria ser feliz


Minseok tinha um costume estranho de sempre observar a namorada quando esta estava distraída. Achava uma gracinha como ela franzia o cenho enquanto balançava a cabeça e ria das coisas que pensava, sempre bem expressiva. Mas naquele dia em específico a morena não continha expressão alguma no rosto, apenas olhava para o nada e batucava as unhas rosas na mesa onde estavam. Também percebeu que esta não estava tagarelando como sempre fazia, literalmente estranha. Incomodada com a mudança repentina da namorada, colocou o livro de lado e uma das mãos sobre sua.

ー Amor, o que te incomoda? ー A loira perguntou totalmente preocupada.

ー Sabe, Minnie… ー Jongdae ainda estava sem expressão e olhando para a parede. ー Eu vi um boné preto ontem, achei que combinaria com o meu novo batom preto. ー Minseok franziu o cenho, qual o sentido daquela conversa?

ー Sim? ー Perguntou incerta. ー E você comprou? ー A morena balançou a cabeça. ー Não? Por que? Está sem dinheiro? Daeni, falava comigo! Eu vou te comprar, okay? ー Falou carinhosa. ー Agora sorria pra mim, meu bebê. ー Acariciou a mão da mesma, que ainda parecia não reagir.

ー Pra quê? ー O tom frio acompanhou-se de um olhar tediante. ー Pra jogar fora?

ー Anh? Não senhora Kim Jongdae, pra você usar.

ー Pra me chamarem de menino novamente? ー Viu o olhar triste se formar. Ah… Então era àquele papo de novo.

ー Olha meu amor, o importante é você se sentir be-

ー Não Minseok! ー Jongdae puxou a própria mão, aumentando o tom de voz. ー Esse papo de "seja você" ー Fez aspas com a mão. ー É só frase feita que usamos na internet para parecermos felizes, mas não é, não é! Não é verdade, é tudo mentira! ー Se levantou da mesa. ー De 98% que falam essa porcaria de frase, só 2% que realmente vivem como são. E sabe o motivo? Ninguém quer ser o que realmente é e ser apontado na rua. ー E andou furiosa em direção ao corredor que levava as eescada, deixando Minseok totalmente confusa e triste não pelo tom rude usado, mas sim porque sabia o quão machucada Jongdae estava.

Levantou-se e correu atrás da namorada ignorando as pessoas curiosas da universidade que lhe perseguiam com o olhar. Jongdae não havia ido longe, se encontrava sentada nos últimos degraus da escada. Aproximou-se devagar e pousou uma mão em suas costas.

ー Jongdae, olhe pra mim. ー Pediu carinhosa, logo sendo atendida pela namorada, podendo ver o rostinho triste e totalmente coberto por lágrimas. Suspirou. ー Diga o que sente e continue olhando pra mim. ー Depositou um beijo suave na testa da namorada.

ー Eu só… ー Solução. ー Não aguento mais… ー Os lábios voltaram a tremer. ー Eu sou uma garota, Min, e eu gosto de usar saias como também amo calças, eu quero usar blusas masculinas e casacos também, quero ter vários bonés, quero permanecer com meu cabelo acima das orelhas, quero te namorar, quero gostar de garotas… Mas eu não posso! Simplesmente não posso…! ー E começou a chorar novamente, um choro tão quebrado e tristonho que rasgou Minseok ao meio.

ー Se acalme, meu amor… ー Prendeu os cachinhos entre os dedos longos.

ー Eu só queria… Ir pra um lugar aonde ninguém me conhecesse… ー Suspirou. ー Aonde eu pudesse ser feliz sendo o que sou e ninguém me apontasse… ー Apertou a mão da namorada fortemente. ー Aonde você fosse minha esposa e isso não fosse um problema. Mas... ー Limpou as lágrimas logo em seguida pondo um sorriso no rosto. ーQuem sabe um dia vamos acharemos esse lugar, ein? ー Minseok pôde enxergar que Jongdae só estava tentando ser otimista, mas podia ver que no fundo sabia que não era verdade.

ー Claro… ー A mais velha sorriu puxando a morena para um selar demorado.

E ali enquanto se beijavam e seguravam as mãos Minseok permitiu que uma lágrima solitária caísse.

A realidade sempre será cruel.

Jongdae… A terra do nunca não existe e ela não é nossa.


Notas Finais


Pru
Até<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...