1. Spirit Fanfics >
  2. A Thousand Of Roses >
  3. Cidade Das Rosas, Três.

História A Thousand Of Roses - Capítulo 4


Escrita por: e RonPotter


Capítulo 4 - Cidade Das Rosas, Três.


Fanfic / Fanfiction A Thousand Of Roses - Capítulo 4 - Cidade Das Rosas, Três.

______________________________________________

        Mal Presságio Por Rosas Venenosas 


Jung Suk estava sombrio, emburrado enquanto subia a montanha Oeste com os seus companheiros. Era bem capaz de qualquer pessoa que passasse por ele, sentisse o ódio que carregava por trás daquela expressão carrancuda.

Choi YeonJun olhou para Lee MinHo, — Mestre, é um milagre que ele tenha vindo mesmo depois que soube que não haveria recompensa. Como eu o conheço, sei que ele preferiria morrer com alguma doença macabra, do que ajudar esse povo sem ganhar uma moeda.

MinHo sorriu, — Foi de livre e espontânea vontade que ele concordou em vir. Certo, Jung Suk? — Ele perguntou se virando para o outro que parecia querer matar uma cidade inteira.

— Sim. — Disse ele entre dentes, quase soltando uma maldição pelos lábios.

Taehyung deu uma risada, — Ele foi ameaçado, não foi? Não parece ser realmente por livre e espontânea vontade.

MinHo concordou em uma risada baixa.

Após expulsos do templo, eles pensaram e voltar para a capital, porém Taehyung disse que mesmo se eles voltassem que ele continuaria subindo a montanha oeste sozinho tentaria verificar o que estava acontecendo. Ele estava realmente interessado em saber como essas pessoas sumiram.

Claro que todos, menos Jung Suk que não deu a mínima, o alertaram e disseram que ele não deveria ir. Assim, vendo que Taehyung não desistiria, MinHo fez um esforço e todos concordaram em verificar também, mesmo que fosse só checar e não encontrar as vítimas.

Jung Suk deu uma birra feia, mas com MinHo o ameaçando fervorosamente, ele concordou em segui-los, e cá estavam.

O grupo subiu a montanha e em pouco tempo estavam no topo, em um templo de Quon Yin havia uma estátua de ouro média por cima de uma rocha escura. A estátua era bonita, com um rosto jovial e em sua mão direita uma espada de ouro apontando para o chão, um dos pés estava ligeiramente levantado pisoteado um demônio. A mão esquerda tinha a palma para cima, a estátua parecia ter uma expressão de determinação e paz. Alguém que livraria todos do mal.

Taehyung não pôde deixar de se encantar, então ele disse, — Essa é a estátua de Quon Yin? Ele é um Deus realmente bonito.

Jung In concordou, — Ele é o principal Deus da guerra entre os seis reinos, ele deve ter mil anos de idade e normalmente há templos pra ele em todos os lugares por aí. — Disse ele, continuando, — No reinado da época onde a monarquia do nosso país era o líder de todos os seis reinos, ele estava vivo entre nós e dizem que era o maior cultivador celestial que o mundo já conheceu. Ele virou um Deus da guerra após ascender aos céus pouco antes da tragédia acontecer, e ele já era venerado quando tudo aconteceu também. Mas ele começou a ser o principal Deus dos seis reinos, após coroar o clã Jung ao trono.

Choi YeonJun se aproximou, — Dizem que ele desceu a terra pessoalmente pra coroar o clã Jung ao trono.

Taehyung voltou a atenção para a estátua e apertou os olhos.

Ele disse, — Eu já vi essa pessoa.

Jung Suk revirou os olhos, — Óbvio, é impossível que há alguém aqui que nunca tenha visto a estátua dele por aí.

Taehyung negou, — Eu estou dizendo que já vi esse rosto, pessoalmente.

Os quatro ficaram confusos.

— Você deve estar enganado, ele nunca mais desceu a terra após a coroação real. Você sabe, os Deuses não descem por pouca coisa. — MinHo disse rindo. — Você pode ter visto alguém parecido, apesar da beleza, é rosto popular.

Taehyung não disse mais nada, mas deu uma última olhada no rosto da estátua que ainda parecia muito famíliar.

A voz se Choi Soobin encheu o templo, — Vocês sabem como ser lentos.

A primeira pessoa a se virar pra olhar o dono da voz foi YeonJun, ele disse, — Soobin! — Mas começando a ir em direção ao outro, ele recoou por ter soado um pouco desesperado.

Soobin olhou para ele surpreso por ser recebido com um entusiasmo alheio, ainda mais vindo de Choi YeonJun.

— Pensei que estivesse morto, por que demorou tanto? — Jung Suk perguntou.

— Vocês demoraram. Eu cheguei de manhã, e passei direto pelo clã Kim. — Respondeu cruzando os braços. — Ouvi dizer que uma das crianças viu um rosto parecido com o do Deus Quon Yin há dois meses atrás. Um discípulo do clã me disse isso, e também disse que toda a desgraça jogada sobre esse sobrenome foi culpa desse Deus Celestial Quon Yin.

— O quê? — Taehyung perguntou imediatamente

— Pois é. E vocês devem ter ouvido que o Clã Kim não tem mais uma seita de cultivadores, pelo motivo que quando Quon Yin desceu a terra pra nomear os novos herdeiros do trono, ele matou todos os cultivadores celestiais do clã Kim e proibiu o clã de usar o caminho do cultivo novamente. — Ele disse se aproximando da estátua. — Foi um momento de gloria, um milagre. Ninguém nunca havia visto um Deus tão justo descer dos céus antes, e vendo que Quon Yin estava alí pra salva-los ele passou a ser o principal símbolo da Guerra nos seis reinos.

— Mas, não há escrituras sobre ele ser aquele Deus. — Não foi bem assim que eles ouviram a história, de fato aconteceu, mas ninguém sabia qual Deus era responsável por isso no passado, mas não era impossível. Apesar de todos estarem cientes que Quon Yin havia estado na terra uma vez após ascender e que fez milagres o tornando uma figura ainda mais excepcional, ninguém sabia ao certo qual era seu papel naquela época por falta de escrituras detalhadas.

Então Jung In disse, — Como ele pode ter tanta certeza que aquele Deus que fez justiça para o povo naquela época foi Quon Yin? Pelo o que me lembro, as escrituras encontradas nunca diziam o nome do Deus, já que naquela época a guerra foi tão intensa que diversos deuses desceram para lutar ao lado dos cultivadores.

—Sim, apesar de Quon Yin ser o deus mais adorado por anos, parte da história dele é incerta. Alguns dizem que ele ganhou o título de Prncipal Entidade Celestial Dos Seis Reinos depois de matar um exército de Um milhão de inimigos na época, outras que ele sozinho acabou com a guerra e assim várias histórias diferentes foram especuladas para cobrir a lacuna da falta de escrituras. — Choi YeonJun disse, — Mas agora com esse Discípulos do Clã afirmando que na verdade o Deus celestial foi aquele que coroou o rei depois da guerra, olhando por esse lado não é impossível.

Choi Soobin balançou a cabeça, — Quando estava silenciosamente varrendo a região, eu vi um campo de batalha na parte do lado esquerdo da montanha Oeste. — Disse Choi Soobin ao lado de YeonJun, enquanto explicava seu dedo apontava no ar e ele tinha uma não na cintura. — Eu usei o selo de 'alto revelação' no lado esquerdo da montanha, porque percebi que aquele lugar estava estranho. O selo revelou o campo de batalha, protegido com uma matriz. Ou seja, há um campo de cultivação oculto naquele lugar.

— O que? Campo de cultivação? Mas eles não precisam de um se não há cultivadores. — Taehyung comentou.

— Isso é verdade, porém, eu esperei e chequei de perto. — continuou, — Haviam alguns vários jovens, com robes brancos com detalhes em turquesa praticando esgrima no campo. E pasmem, havia um cara vestido com o uniforme padrão da seita Im, os ensinando os princípios do cultivo!

Quando Choi Soobin disse isso, todos ficaram chocados. Então o líder do clã mentiu quando disse que nunca mais houve uma seita de cultivadores Kim?

— Oh não! E se quem realmente a criança tiver visto, for Quon Yin?— Jung In perguntou abismado. — Se for realmente esse Deus da guerra que proibiu o Clã de cultivar, quem diria que ele não pôde ter descoberto que haviam o desobedecido e veio pra puni-los?

— Não é possível, ele não viria a terra só por causa disso. Os Deuses só podem descer e se mostrar aos mortais uma vez à cada dois mil anos, e apenas se forem deuses de baixo escalão. Quon Yin desceu no último milênio, ele é praticamente um general. Ele não pode ficar se mostrando assim, muito menos só por isso. — YeonJun comentou. — Nem sabemos se ele é aquele Deus.

— Não é impossível, se ele mesmo matou e proibiu o cultivo para o Clã Kim. Imagine agora que eles estão praticando novamente, e se ele veio matar o restante do povo? Ele é poderoso o bastante, e tem muitos seguidores, quem sabe ele não voltaria para castigar os pecadores desobedientes? — Soobin perguntou.

— Mas isso seria muito até mesmo pra ele. Não há razão para matar inocentes! — Taehyung disse alto.

— Não podemos descartar, devemos avisar a corte da capital, e se o Deus Quon Yin ficar furioso pela monarquia não ter impedido isso e atingir o reino com a sua fúria? — Jung Suk começou a se alarmar, então ele disse, — Eu não me importo se o Clã Kim inteiro inteiro morre, mas e se novamente esses porcos levarem o resto com eles? São desobedientes!

— Vamos manter a calma, nós não temos certeza se quem veio foi Quon Yin. Além de que, essa história sobre ele ter coroado a família real Jung e banido os cultivadores celestiais do clã Kim é muito estranha, eu li um pouco sobre esse passado e realmente houve um Deus que desceu dos céus sob a desgraça de seu povo, mas essas escrituras nunca citou que Quon Yin era esse Deus.— MinHo disse negando, — Se ele fez isso, por que os Kim continuam devotos aquele que ficou do lado dos Jung? Com um templo tão bonito, e uma estátua de ouro puro, um povo "pobre" poderia mesmo construir uma estátua dessas? E ser fiel ao causador sa desgraça deles? Eu não acredito nisso.

Era verdade, algo estava errado. Diante dos rumores sobre no o Clã Kim serem tão pobres sem nem ter onde caírem mortos, e depois de chegarem até lá verem que não era bem como o rumor que circulava pela capital.

Todos chegaram a uma conclusão, seguiriam até a capital e tentariam impedir que algo assim acontecesse. Eles denunciariam os desaparecimentos oficialmente para os oficiais reais, depois contariam sobre o que Soobin disse sobre o Quon Yin ser aquele Deus das escrituras que o mencionavam como o salvador da captial real e exigiriam a verdade e depois contariam e sobre o campo de cultivo oculto. O rei com certeza tomaria parte, e impediria que o Clã Kim continuasse com esse plano, e deixassem o cultivo evitando a ira do Deus da Guerra. Com sorte, os oficiais achariam as vítimas.

O único problema era que Taehyung se recusou a ir junto.

De volta ao centro do vilarejo, Taehyung disse, — Voltem e chamem ajuda. Eu vou conversar com o líder do clã, e tentar entender melhor tudo isso, mas vocês definitivamente devem avisar ao castelo sobre a seita de cultivação e fazer com que impeçam de continuar para que Quon Yin pare de sequestrar inocentes. — Ele se virou para Lee MinHo. — Essas pessoas, eu não sei que tipo de pecado cometeram...mas provavelmente ficar tanto tempo sem cultivar deve ser horrível, eles provavelmente não sabiam que o Deus celestial iria ficar tão furioso. Mas se não serem impedidas, o pior pode acontecer.

Ali, eles se separaram. Taehyung voltou ao templo do Líder e bateu na porta, pouco tempo depois o líder do clã abriu a porta com apenas um olho pra fora. Ele primeiro tentou fechar a porta, mas Taehyung sorriu amarelo, — Líder do Clã, pode me emprestar um minuto?

O homem olhou pra baixo e perguntou, — O que você quer? — Taehyung sorriu sem jeito.

— Precisamos conversar. — Disse ele sem mover o pé. — É extremamente importante.

O homem percebeu que os outros já não estavam mais ali, e talvez por isso permitiu que Taehyung entrasse. Outro motivo era que o jovem estava com o pé entre a fenda da porta, impedindo que se fechasse completamente.

Taehyung foi direto, — Me diga senhor, foi o Deus da guerra Quon Yin que matou os cultivadores celestiais do clã Kim? — Ao ouvi-lo, o líder Kim arregalou os olhos. — E foi ele quem escolheu o rei e rainha do país após sua queda? Ele quem proibiu que vocês cultivassem e os chutou pra cá? Em outras palavras, ele é o motivo da desgraça deste clã?

Ouvindo isso, o mais velho abaixou a cabeça. Ele parecia ansioso, por isso resmungou baixo.

— Aquele pequeno imbecil abriu a maldita boca...— O velho Kim estava falando sobre um de seus discípulos, o que esbarrou em Soobin.

— Quem te disse isso? — Ele perguntou. — Foi realmente aquele boca de sogra?

— Não importa, mas se for verdade...por que vocês seguem seus ensinamentos fervorosamente? — Taehyung estava confuso, e não conseguia entender. — Como sabem que Quon Yin é o Deus que causou a desgraça do seu clã, se nas escrituras reais nunca ficou esclarecido quem foi o tal Deus.

Após um silêncio, o homem finalmente cedeu, — Somos obrigados a segu-lo!

Os olhos de Taehyung se arregalaram, — Como? Como obrigados?

O líder do clã suspirou fundo dizendo, — Quando o Clã Kim foi expulso para cá, e teve seus cultivadores mortos pelo Deus da guerra Quon Yin, muitos adoradores dele aqui passaram a odia-lo. Ainda mais porque ele proibiu que cultivassemos. — Explicou, — Foi assim que o reino percebeu nosso ódio e revolta contra todos e ainda mais com o Deus que era adorado por todos os seis reinos fervorosamente, eles deram um jeito de apagar o nome do Deus das suas escrituras reais, e o povo continuou adorando Quon Yin sem nem mesmo saber porque deveriam, e assim eles não sabiam que ele era o Deus que fez tudo aquilo naquela época.

Taehyung finalmente entendeu. Após o Deus celestial fazer justiça, pra não ficar "mal falado", eles deram um jeito de apagar o nome do deus das escrituras. Quem liga se os porcos Kim sabem a verdade ou não? Ninguém acreditaria neles.

O homem continuou, — Vendo que isso visívelmente traria uma mensagem negativa, eles disseram que se não adorassemos Quon Yin, que ele voltaria e mataria todos os remanescentes. Ninguém podia contar a verdade, ninguém podia odia-lo por causa desse motivo, se esse motivo não existisse mais. Claro que...fomos contra mesmo assim, porém tivemos muitos de nós mortos pelo rei e rainha Jung durante aqueles tempos difíceis, e não pudemos desobedece-los com medo de que eles matassem mais de nós, e foi quando fomos forçados a segui-lo e adora-lo. — Ele pensou e disse, — Há três meses atrás, alguém do clã Im, do país vizinho apareceu e nos ofereceu ajuda.

— Ele se ofereceu pra treinar cultivadores, mesmo sendo contra as regras? – Taehyung perguntou.

— Sim, ele disse que se descobrissem ele poderia dar um jeito já que tem influência com a monarquia do seu país, e claro que aceitamos... — Ele disse baixo. — Mas aí, meu sobrinho desapareceu em seguida, e ele era discípulo desse tal cultivador, e o seu amigo MinSeok também era. — Ele parecia angustiado. — Ficamos com medo de por acaso ser alguma entidade, ou talvez Quon Yin estivesse bravo por termos desobedecido criando uma seita escondida.

Aquilo ficava mais estranho.

— Mas aí três crianças sumiram também, então uma delas diz que viu a pessoa que a levou. — Taehyung franziu o cenho. — Ela disse que era um homem, parecido com o Deus da estátua celestial e que usava roupas pretas com detalhes vermelhos. Eu tenho certeza que isso tem haver com o reino, e que Quon Yin esteja envolvido. Nós não estamos falando coisas sem sentido, apesar do rei ter apagado o passado real das escrituras, nós ainda temos as escrituras sagradas originais. Mesmo que ele "Não tenha" mais motivos pra ter pessoas que o odeie, nós guardamos esse ranco em nossos corações por séculos.

Ótimo, então o assunto era mais embaixo. O Deus da guerra, Quon Yin estava sequestrando pessoas do clã Kim vestido com roupas da realeza? Ele escolheu até sequestrar três crianças aleatórias? O que era isso? Um Deus de mais de mil anos tem realmente tanto tempo livre? Ainda mais um que não aguentou tanto ódio pelo povo que excluiu e os obrigou a segu-lo depois de tudo?

A informação fez Taehyung perceber que mandar o grupo de volta pra capital avisar a realeza sobre o que estava acontecendo, foi má idéia.

Taehyung se levantou as pressas, ele disse, — Ah não, meus amigos estão a caminho do castelo e estão prestes a dizer sobre o que acontece aqui!

O líder do clã não pareceu tão abalado, — Eles já estão encolvidos, não se preocupe, eles tem interesse e já estão agindo. Essses sequestros são culpa deles de qualquer forma! Eu apenas irei expulsar aquele cultivador, ele prometeu que nada daria errado, mas e agora?!

Taehyung derrepente disse, — Deixe ele comigo! Eu posso leva-lo para fora, eu só preciso que me de um tempo.

O velho parecia um pouco desconfiado, então ele concordou devagar, — Você pode fazer isso?

— Claro.

E foi assim que ele saiu do templo acenando para o líder, e desapareceu na noite.

Taehyung voltava para a capital, sozinho ele caminhava para encontrar seus companheiros. Apenas a luz da lua, e abrisa gentil lhe fazia companhia, então ele ouviu um barulho estranho.

Um som de crack soou, e Taehyung se virou sem muita pressa para checar. O caminho na estrada que vinha, parecia inteiro calmo e escuro até que ele ouviu novamente outro barulho dessa vez do lado esquerdo.

Um pouco desconfiado, ele disse, — Há alguém aqui?

Ele checou as moitas, olhou em todos os lugares e piscou confuso voltando a caminhar.

Diante dos seus olhos, uma silhueta azul escuro passou, cortando caminho e desaparecendo. Taehyung parou de andar e ficou perplexo.

Ele apertou os olhos e sussurrou, — O que foi isso?

Então novamente, a silhueta azul escuro, difícil de saber dizer se realmente não era preta, passou meio transparente como um fantasma. Dessa vez, Taehyung soube dizer o que era aquilo realmente.

Um jovem, vestido com roupas escuras e o cabelo leve e negro passou, ele nunca olhou para Taehyung pra inicio de conversa mas mesmo assim Taehyung pôde vê-lo de perfil.

Taehyung começou a ir, para tentar se aproximar mas seus pés tocaram algo fofo, como se estivesse pisando em folhas e olhando para baixo ele se surpreendeu.

Todo o caminho que ele fez estava coberto por rosas vermelhas.

Seus olhos ficaram maiores, e ele se agachou para tocar e assim que fez seu dedo foi espetado por um espinho, então ele observou o sangue fluir e piscou algumas vezes.

Seu campo de visão foi preenchido por uma bota negra e a barra de um robe azul escuro, quase preto, então ele lentamente subiu o olhar e a parte branca da roupa nos ombros foi vista. As mangas eram apertadas e um pouco mais escuras que o restante da roupa e por baixo havia um pouco de suas roupa de baixo aparecendo no decote do colarinho, com um tom de cinza. O rosto era calmo e havia um sorriso em seus lábios.

Ele peguntou, — Você está perdido?

Taehyung não soube bem como responder, mas observou o jovem curvar um pouco a cabeça para o lado com os cabelos seguindo seu ritimo, havia uma bela marca perto dos lábios inferior fino, e pessoalmente falando seu tom era duvidoso.

Apesar de ser um sorriso, ele parecia um sorriso com intenções ocultas. Então, ele derrepente estendeu a mão e curvou os lábios com os olhos ainda mais frios, como citado antes apesar de um sorriso nos lábios os olhos eram desfocados e frios.

— Tudo bem, estou bem. — Taehyung disse mas o jovem agarrou seu pulso e o puxou para ficar de pé. Surpreso, ele puxou o braço de volta e se afastou.

O desconhecido soltou uma risada curta e com um tom sombrio, e perguntou, — Hyung, você precisa de ajuda para estar ao outro lado?

Foi então que Taehyung abaixou a mão e perguntou, — Quem é você?

Outra risadinha, e o jovem colocou as mãos atrás do corpo respondendo, — Jungkook!

Ouvindo isso, ele sentiu algo estranho em seu coração e disse, — Tenho uma sensação de familiaridade olhando para você.

O jovem dessa pareceu um pouco mais sério, e seus olhos se tornaram um pouco menores, mas a frieza nunca deixou seu tom, ele respondeu, Talvez não seja apenas uma sensação, eu posso ter visto você antes. Quem sabe eu não te matei há um tempo atrás. Ou não te salvei do perigo?

Ouvindo aquela resposta extremamente estranha, ele sentiu uma onda fria em seu estômago.

— Você...nós já nos conhecemos antes? — Apesar disso, o jovem apenas o olhou caldo antes de curvar os lábios em um sorriso estreito.

— Hm...eu realmente não posso dizer!

O estranho parecia ter informações relevantes, mas parecia saber que Taehyung não se aproximaria por isso os dois não estavam tão próximos assim. Porém, com passos largos Taehyung andou por cima das flores e agarrou os ombros alheios.

O jovem ficou surpreso, mesmo que seu rosto fosse indiferente ele sorriu mais largo, mas nunca mostrou os dentes.

Taehyung gritou, — Quem é você?! Você me conhece ou não? Responda! — O jovem Jungkook era sacudido, mas mesmo assim ele não disse nada.

—...— Apesar de seus olhos afiados em Taehyung, ele derrepente se aproximou mais.

Taehyung soltou Jungkook ao senti-lo ficar próximo.

— Tudo bem, tudo bem. Eu não conheço você, eu só estava brincando. Não sabia que você ficaria tão abalado. — Jungkook disse uma vez que Taehyung começou a seguir em frente.

Taehyung olhou para trás, e viu que Jungkook ainda estava parado lá olhando pra ele com os lábios curvados em um sorriso.

— Um instante. — Jungkook pegou uma rosa, e caminhou por cima das demais. Ele estendeu a flor para Taehyung e disse, — Espero que ache seu caminho. — Após uma breve pausa ele disse, — Há perigo adiante, se não for cuidadoso algo pode acontecer.

Taehyung olhou para a flor estendida em sua direção antes de pega-lá confuso, Jungkook pareceu satisfeito e voltou desaparecendo da vista de Taehyung.

Voltando ao seu caminho normal, após andar por cerca de uma hora e meia ele ainda estava com a aparição daquele jovem na cabeça ele estava um pouco mais alerta também. Taehyung continuou andando, até a manhã seguinte.

Ele pensava 'O que era aquele aviso? Um presságio?'

Bom, a certeza era que aquele jovem parecia muito estranho.

Derrepente, um grito alto soou da frente, — Taehyung!!!

— Jovem Mestre Taehyung!!!

Ele parou de caminhar com várias silhuetas conhecidas correndo em sua direção, após isso ele sentiu Choi YeonJun pular em si.

— Graças a Deus! Jovem Mestre Taehyung! — Atrás dele, Jung In parou de correr cansado, Lee MinHo e Jung Suk também estavam ali.

Ele perguntou, — O que foi? O que houve? — Taehyung estava confuso, só então lá na frente o céu parecia avermelhado.

— É a capital! A capital está em chamas! — Jung Suk gritou.

O centro estava a meio dia de distância, e o fogo era visível mesmo assim.

— Como? O que exatamente aconteceu? — Taehyung perguntou e MinHo se aproximou, ele parecia chocado também.

Mas o mais tocado, parecia YeonJun.

— N-nós estavamos perto do centro da capital, então Soobin parou de caminhar. — MinHo disse, — Então YeonJun voltou para perguntar o que estava acontecendo e....

— Soobin me atacou... — Choi YeonJun disse olhando para o chão. — E do nada, algumas pessoas começaram a gritar e correr e o fogo começou a subir os céus.

— Vocês sabem exatamente onde o fogo se iniciou? — Todos negaram.

Eles estavam no meio do caminho, e mesmo assim Choi Soobin não os deixou ver o que estava acontecendo.

— Ele atacou, mas no começo não foi tão sério. — Jung In disse, — Então YeonJun pediu pra ele parar, mas ele começou a usar 'Dayu', nos mandando correr. Felizmente sua espada não acertou ninguém e ele não nos permitiu seguir em frente. [NT: Dayu é o nome da espada de Choi Soobin].

YeonJun não conseguia entender, — Ele nunca usaria Dayu contra nós...

Taehyung pensou um pouco, e não sabia se deveria dizer o que aconteceu antes com aquele pessoa.

Mas então ele suspirou e disse, — Vamos até lá, precisamos verificar onde é o incêndio.

Por que Soobin tentou os atacar? O que significava aquele presságio de antes? O que deveria ser feito agora? Quem era aquele tal JungKook, será que ele tinha algo haver com o fogo todo na capital?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...