História A Tímida - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Boris, Castiel, Charlotte, Dajan, Iris, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Thomas, Violette
Tags A Tímida, Amor Doce, Castiel, Colegial, Docete, Escola, fanfic romantica, Romance, Shoujo Romântico, Tímida, Timidez
Visualizações 85
Palavras 2.292
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii Gente. Fofos e Fofas.
Eu demorei pra postar, sim.
Sorry!
Vou tentar postar mais rápido.
Mas bom, boa leitura para vocês 📖💕

Capítulo 39 - Motivos Para Minha Felicidade


Fanfic / Fanfiction A Tímida - Capítulo 39 - Motivos Para Minha Felicidade


Passamos pelo corredor e paramos no quarto em que ele estava... A cada vez que eu o via eu me sentia tão culpada.
Minha mãe abre a porta.

Jennifer: Beatriz. — Ela se vira para mim.

Beatriz: Sim?

Jennifer: Eu vou chamar seu pai para irmos ta bem?

Fiz sim com a cabeça e ela começa a andar novamente por aquele corredor, ouço de longe ela falar:

Jennifer: Bem deve tá comendo algo na lanchonete, esse guloso! — Murmurava ela.

Eu rir e entramos no quarto.
Assim que coloquei o pé ali senti uma aura angelical. Desde manhã estou sentindo essa aura, só que dessa vez senti ela mais presente.
Lysandre foi o primeiro a chegar perto dele. Eu e Rosa ficamos encostadas na parede, dando um espaço para Lys "conversa" com ele.
Ele falou algumas coisas que não deu para ouvir — queria ter ouvido —, vejo ele sorrindo.

Rosa: Cê tá bem mesmo miga? — Ela falava feito um sussurro de tão baixo.

Beatriz: Sim. Já disse. — Desviei meus olhos para o par de olhos da mesma. — Acha que estou mentindo?

Na verdade eu tava mentindo mesmo, quem eu queria enganar? Se nem eu mesma consigo me convencer que estou bem, como vou convecer os outros? Pensei.

Ela suspirou antes de falar.

Rosa: Você não engana ninguém com esse teatro. Ninguém fica "bem" quando algum querido está mal...

Ela estava certa... Oh se estava!
Antes dela continuar a frase Lys olha para ela, como se a chamasse para falar com Castiel, e ela imediatamente foi.

Rosa: Eae Bad Boy. Como estás hein? — Ela suspirou fundo — Faz um favor pra todos nós? Sai logo desse coma pois ninguém merece. Ninguém merece estar sem você com a gente... E ah, todo mundo da escola tá sentido saudades. Até Nathaniel, vê se pode? — Ela rir fraco e eu também — Só melhoras visse? Te amo...

Eu vejo mesmo ela estando na diagonal, um sorriso deslizar pela sua boca.
Ela se vira para mim e faz o mesmo olhar que Lysandre fez para ela. Agora era minha vez... Era agora que eu iria falar com ele novamente.
Cheguei perto dele com toda a calma possível, tentando não desbar em lágrimas. Não na frente deles.

Beatriz: Oi amor... Tô aqui de novo — Eu peguei sua mão e a entralecei com a minha.

Nada no mundo — somente uma coisa — ia me fazer tirar meu olhar para sua mão. Sua mão estava quente, como em alguns dias atrás.
Sua mão era linda, na verdade toda as partes do corpo dele são lindas (e únicas).

Beatriz: Eu tô sem palavras para descrever o que eu sinto quando vejo você assim agora... Castiel, sai logo desse coma eu não aguento mais. Ninguém tá aguentando na verdade.. — Eu falei um pouco mais baixo.

Eu já sentia meus olhos marejando.. Que droga. Vida, porque tu é tão injusta? Ele não merecia isso, não ele!

Beatriz: Não vejo a hora de você sair desse coma. Eu vou te esperar, mesmo que dure dias, semanas, meses, anos... — Uma lágrima escorre pelo meus olhos.

- Anos? Ninguém merece, huhu.

Não... Não podia ser ne?
" Nada no mundo — somente uma coisa — ia me fazer tirar meu olhar para sua mão."
Esse "somente uma coisa" é se ele sai-se do coma... E eu não podia acreditar em que tinha ouvido, a voz era... Dele.

No mesmo instante e olho para seu rosto, e lá estava ele com os olhos brilhando. Finalmente pude ver o brilho dos seus olhos novamente. Aquilo para mim estava parecendo um sonho que se tornou realidade... A ficha não tinha caído.

Castiel: Oi meu amor.. — Ele falava com uma certa dificuldade, como eu quando sai do coma.

Lysandre: CASTIEL!

De canto vejo Lys sorrindo com um sorriso tão lindo, mas tão grande, tão aliviado. Tão tudo.
Vejo Rosa colocar as mãos sobre a boca supresa.

Rosa: Bad Boy! Cê saiu do coma! Não creio!

Castiel rir abafado e tosse seco.

Ouçamos a porta se abrir, mas nem fizemos questões de se virar. Mas dava para ouvir a voz da pessoa em que entrou.

Dr. Roberto: Beatriz! Eu vim me despidi-

Eu me viro bruscamente.
Vejo meus pais e o Doutor perto da porta.

Beatriz: Ele Acordou! — eu quase dei um grito. — Gente! Ele acordou!

Não só meus pais, como o Doutor me olharam supresos.
Minha mãe correu até onde eu estava — perto do Castiel para ser mais específica.

Jennifer: Cas-Castiel..! Você acordou! Ah que felicidade! Seus pais vão pirar ao saber disso!

E minha mãe correu de novo, só que para fora do quarto.

# Horas Depois #

 Todos nós estamos na sala de espera, todos estavam tensos porém felizes. Castiel acordou! Tem noção do que é isso? É mágico! Desde que eu entrei hoje naquele quarto, que eu senti aquela aura sabia que algo bom ia acontecer mais tarde ou mais cedo.

Valérie: Oorr! Que demora desse povo para fazer exames no meu filho!! Bando de incompetentes!

Valérie andava em círculos com nervosimo, minha mãe estava na mesma situação, porém calma pouca coisa. Bem pouca coisa mesmo.

Jennifer: Calma Valérie... Reclama não vai melhorar em nada. Tenta relaxar..

Louis: Meu Deus... Tira meu filho logo dessa sala.

Vejo Louis apoiando sua cabeça entre as pernas, e suas pernas não paravam de tremer.

Rosa: Gente calma! Vai ficar tudo bem!

Lysandre: Sim. Ele já se acordou, o que importa é isso. Agora é só fazer alguns exames e acho que ou hoje ou amanhã ele vai ter alta. Meu irmão sofreu um acidente de carro e depois de alguns dias de coma ele se acordou e teve alta dois dias seguintes.

E um silêncio tomou conta daquela sala...
Eu estava encarando o chão, pedindo a Deus em pensamento que tudo ficasse bem com ele — acho que não só eu, todos.

Valéria: Então Doutor?!

Ouço a voz de Valérie em que me fez olhar rapidamente ela, e em seguida para o Doutor.
Todos em que estavam no sofá se levantaram.

Louis: É Doutor.. Como ele está?

Dr. Roberto: Calma.. — Ele faz uma pausa antes de continuar — Ele está bem-

Valérie: Ah que bom!

Ouço suspiros aliviados. Eu soltei o ar que prendi automaticamente desde que o Doutor falou "calma..".

Dr. Roberto: O Paciente Castiel está ótimo, seus exames estavam mais que bons, estavam excelentes. E para relaxar vocês, ele não tem nenhuma seqüela... O único problema é que ele vai ter que usar gesso, tanto no braço quando na perna. O gesso da perna ele tira daqui à 20 dias; duas semanas e seis dias. E o da mão só 10 dias, pois a lesão foi mais leve. É bom vocês conversem com o enfermeiro chefe, ele vai lhe informar tudo.

Louis: Ainda bem que não teve nenhuma seqüela. — Suspirou aliviado.

Valérie: Podemos ir ve-ló?

Beatriz: É Doutor... Po-Podemos? Todos nós queremos a horas vê-lo.

Doutor: Só em duas em duas pessoas.

Todos nós entreolhamos para tentar saber qual iriam primeiro.

Jorge: Vá Beatriz e Valérie. Depois vai o resto...

Hesitei no começo mas logo concordamos e lá fui eu e minha sogra ver nosso querido Castiel.
Assim que abrimos a porta, ouçamos tossidos vindo dele. Ele estava sentado, olhando em volta do quarto.

Valérie: Cassy? — Ela deu um lindo sorriso chegando mais perto dele.

Castiel: Oi mãe — Seus olhos pousaram na sua mãe com felicidade, mas não demorou muito para se encontrem com os meus — Oi vida.

Eu dei um "oi" com mímica, ele obviamente entendeu.
Eu fiquei um pouco afastada deles, para eles poderem conversem melhor.

Valérie: Tudo certo com seus exames..! Que menino forte eu tenho! Esse é meu garoto!

Sua voz transbordava felicidade e orgulho dele. Ele era incrível mesmo, eu sei.

Castiel: Que bom... — Ele ria fraco — Sabe que dia eu vou sair de alta?

Valérie: Não sei... Mas irei falar com o enfermeiro chefe.

Castiel: Ata... Obrigada mamãe — ele rir e faz um pausa — Vem cá Beatriz. Tenho dentes mais não mordo — Sua última frase tinha uma certa malícia, disso tinha certeza.

Meu Castiel voltou, voltou sim! 

Beatriz: Safadinho... Não perde uma. — Corada eu  estava, mas porém feliz.

Castiel: É Claro... Eu amo ver você corada, eu amo você.

Não sei como Castiel não tem um pingo de vergonha à falar essas coisas para sua namorada na frente da sua mãe.

Valérie: Vou deixar vocês à sóis — Ela caminha até a porta e em seguida sai.

Observamos ela sair, e assim que ela saiu não sei o que me deu, mas literalmente pulei nos pescoços de Castiel e lhe dei um selinho demorado.

Beatriz: Que saudade de você — Cada pausa que eu dava entre as palavras era um selinho.

Castiel me puxa e me faz sentar na cama. E vem até mim e me beija. Era um beijo desesperado, era esse beijo que eu mais amava quando se beijavamos. Eu não me importaria de ficar pelo resto da vida beijando ele, abraçando ele, estando com ele. Eu não me importaria!!  O que eu quero é só sentir seu corpo quente colado ao meu. O que eu quero é só sentir seu lábios de tocarem ao meu. O nosso amor é uma coisa louca, é inexplicável. É mais do que uma simples palavra de "Eu Te Amo"...  E eu descobri isso desde à primeira vez que o vi. Dessa primeira corada quando me falavam dele. Desde o primeiro ciúme. Desde sempre eu acho.

Nos afastamos por falta de ar. Maldito ar! Tem que atrapalhar justo agora?

Castiel: Como eu senti saudade do seu beijo... — Ele falava ofegante.

Beatriz: Eu s-senti saudade de tudo que envolve você. — Dei mais um selinho nele.

Castiel: Me desculpa por ter te deixado naquela situação... Você também ficou em coma por minha causa. A culpa é minha, a responsabilidade é minha, e eu não poderia deixar te acontecer isso..- — Tudo o que ele falava expressa a mais pura culpa.

Eu coloquei meu dedo indicador na sua boca em vertical, fazendo ele fechar um pouquinho a matraca.

Beatriz: *Shiii* Ei.. esquece. Você não tem culpa de nada meu a-amor. — Devido meus olhos, mas logo eles voltaram para se encontra com os dele —  Era pra acontecer. A culpa foi do daquele caminhoneiro. Se não fosse ele que tivesse saído da pista que é para ele ficar nada disso teria acontecido. Mas sabe... Isso fortaleceu mais ainda nosso amor, mostrou que nem mesmo o coma consegue nos separar. — Eu rir e ele também.

Castiel: Como você consegue ser tão incrível? Me diz...

Beatriz: Você é quem é incrível. Descobriu até que eu fiquei em coma sem nenhum dá gente te falar, espertinho.

Castiel: Somos então. — Ele me puxa pela cintura ele abraça.

O abracei tão forte, que acho que até que quebrei ele mais ainda.

Castiel: Te amo. — Ele sussurrou.

Beatriz: Também. — Sussurrei de volta.

# Horas Se Passaram - Noite #

Castiel já recebeu alta, mas coitado tinha que usar gesso?Amanhã ele vai junto com os pais no colégio para informa que ele vai ficar sem ir por algum tempo, uns 20 dias pois ele vai ficar descansando com gesso. Ele realmente não pode ficar movendo muito a perna fraturada, mas veja o lado bom: Ele saiu do coma.
Não à motivos para eu ficar mais feliz!!

Jennifer: BEATRIZ! VEM JANTAR!

Minha mãe grita lá dá cozinha. É tão bom volta para esta casa. Finalmente! Senti o cheiro de comida dela, dormir tranquila, não tomar medicamentos (Melhor parte).
Fui até a cozinha devagar, a pressa é inimiga da perfeição. Assim que chego na cozinha meu pai de levanta da mesa.

Jorge: Já vou viu Jennifer. Obrigado pela hospedam.

Jennifer: De nada. — Falava ela seco.

Na maioria das vezes em que meu pai fala com minha mãe cada palavra que sai da sua boca tem um toque de flerte. Era lindo ver que ele ainda amava minha mãe... Mas ela nunca perdoô ele ter a traído ela com a prima dele e por nunca ter tempo para nós...
É uma história bem longa, deixa para outro dia eu contar.

Ele vem até mim e me dá um sorriso. Sorrir de volta para ele.
Ele veio até mim e beija minha testa.

Jorge: Fica bem tá? Qualquer coisa me ligue.

Beatriz: C-Claro pai.

Antes de termina a frase eu o abracei e fechei meus olhos para pensar. Meu pai estava ficando mais presente da minha vida. É claro que não da para ele recuperar minha infância, mas da para ele ver eu crescer à partir de agora, a partir de hoje.
Quando abro meus olhos vejo minha mãe sorrir como nunca vi sorrindo antes. Era um sorriso de gratidão... Um sorriso tipo " Isso finalmente tá acontecendo". Eu não sabia o que se passava pela cabeça dela, mas sei que é algo relacionado a esse abraço.

Jorge: Me desculpa por tudo? — Ele sussurra para mim.

Beatriz: Só s-se prometer estar presente na minha vida mais do que já está... — Falei sincera.

Ele solta um suspiro e faz sim com a cabeça.

Jorge: É claro...! Já pensei a fazer isso à muito tempo. — Ele sai sem nenhuma pressa do abraço. — Te amo filha.

Beatriz: T-Te amo pai.

Vejo minha mão pousar sua mão no ombro dele, que o mesmo vira o rosto supreso.

Jennifer: Te levo até a porta.

Ele cedeu e eles foram até a porta, se despediram logo em seguida e vejo da janela ele dar partida.
Assim que minha mãe fechou a porta, se entreolhamos e só pelo olhar eu sabia que o que eu queira fazer ela também queria.
Corremos uma até a outra e quando deu uma proximidade boa para darmos para se abraços fizemos isso. Enquanto se abraçando damos pulinhos.

Beatriz: Finamente está acontecendo mãe! Aconteceu!

Jennifer: Simm! Seu pai está mais próximo de você!!

[...]
 


Notas Finais


Finamente NOSSO VAGABUNDO SAIU DO COMAAA
UUUHUI *Jogar prato de vidro no chão por felicidade*! 😂😏
Já tava na hora! Mais que na hora na verdade né?
Para alegria de todos ele está BEEEMM! 💕💕
Então Beatriz, algo que você deseja falar para nó-

- MEU CASTIEL SAIUU POHA! Me VAGABUNDO saiu do coma! Que Felicidade! Meu lindinho. Meu moozin! Mozão- — Fala Beatriz bem animada.

- Fogarel da poxa. — Fala sincera Rosalya.

- Vai te lascar Rosa! Tô é feliz! — Rebate Beatriz.

Chegaaa! Já falaram de mais né? Haha.
Então foi isso meus fofos. Espero de coracion que vocês tenham gostado.
Beijooocas e até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...