História A Última Batalha - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Meninas Super Poderosas (The Powerpuff Girls)
Personagens Ace, Arturo, Big Billy, Docinho, Durão, Ele, Explosão, Florzinha, Fortão, Fuzzy Confusão, Lindinha, Macaco Louco, Mask´Scara, Prefeito de Townsville, Princesa MaisGrana, Professor Utônio, Sedusa, Senhorita Bellow, Senhorita Keane
Tags As Meninas Superpoderosas, Meninas Superpoderosas, The Powerpuff Girls
Visualizações 74
Palavras 3.753
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui está o mais novo capítulo! Por favor, comentem o que estão achando.

Capítulo 5 - Mentiras Pelo Bem


Fanfic / Fanfiction A Última Batalha - Capítulo 5 - Mentiras Pelo Bem

- A Bub foi se encontrar com o Greg hoje? - Perguntou Buttercup, ainda de pijamas, devorando algumas panquecas que o professor havia feito.

- Acho que sim, já tinha saído quando me levantei. - Respondeu Blossom, que já estava vestida e com os cabelos perfeitamente arrumados, mesmo que ainda estivesse um pouco cedo para saírem para as aulas.

- Bubbles voltou com vocês ontem a noite? - Perguntou o Professor sério.

- Sim, claro. - Mentiu a morena, para salvar a pele da irmã, que não deveria sair com um garoto naquele horário. Ela arrepiou quando reparou que nenhuma das irmãs havia visto Bubbles chegar em casa. E, pela pergunta do Professor, ele também não. Sua irmã não havia voltado para casa, e ela tinha certeza. Precisava encontrá-la o mais rápido possível.

- Buttercup, não quero mentiras nessa casa. - Repreendeu o Professor. - Você tem certeza que ela voltou para casa com vocês?

- Na verdade… - Começou Blossom, antes que sua irmã mentisse novamente, e ela ia. - Nós demoramos para acabar com a luta, e a Bubbles tinha marcado um encontro com o Gregory, então...

- Então, vocês deixaram sua irmã sozinha naquele horário? - Repreendeu o Professor.

- Desculpa Professor, não vai se repetir. - Respondeu Bloss, abaixando a cabeça.

- Ela é uma Superpoderosa, sabe se virar sem a gente. - Buttercup se defendeu e logo pediu desculpa ao ver o descontentamento do Professor.

Butter se arrumou rapidamente, enquanto a ruiva ligava para a desaparecida freneticamente, e deixava diversas mensagens preocupadas. Ela estava tranquila no começo, mas após a terceira ligação começou a se desesperar. Aonde estava Bubbles, afinal?!

***

A loira acordou e se espreguiçou. Se sentou, abrindo os olhos, e logo reparou que não estava em casa. Sentiu seu coração disparar e se levantou, assustada. Ela estava em um quarto, mas não o reconhecia. A coberta era azul, e no guarda roupa haviam roupas masculinas. Ainda estava com o vestido da luta, completamente arruinado.

- O que é que eu estou fazendo aqui? - Se perguntou, sussurrando.

Bubbles se aproximou da porta, usando sua super audição para ouvir o que se passava do outro lado. Ela podia ouvir risadas masculinas, bobas, não maliciosas, fato que a acalmou, mesmo que pouco.

- Tem uma gata no seu quarto, mas nenhum milk shake. - Uma voz zombava. Era Butch

- Queria fazer algo mais divertido que roubar milk shakes. - Boomer disse, dando de ombros. A Bubbles lembrava vagamente dessa voz. Quem é que estava do outro lado?

- Imagino o quanto se divertiu. - Butch sorriu malicioso.

- Os mais quietinhos são os mais safados, mas quem diria hein. - Ria uma terceira voz, Brick. - Mas sabe como é, perdeu a quebra-luta, e ainda está devendo um milk shake.

- Tanto faz. - Boomer deu de ombros.

Bubbles se lembrou: Era a voz do garoto que roubou o milk shake. Ela se lembrava de ter ido até um bar não muito aconchegante com o rapaz. Se lembra de pedir uma tequila. Depois disso, nada.

" Ir para um bar com um ladrão, Bubbles?! Que ideia…" - Pensou. - " Um bar de criminosos. Você é uma Superpoderosa. Onde estava com a cabeça?"

Abriu a porta levemente, e logo a sua frente tinha um banheiro, no qual ela entrou. Olhou sua aparência no espelho: Estava pessima. Resolveu tomar um banho rápido, na casa do garoto do bar que não conhecia. Ela não poderia ser vista na rua desse jeito, o que é que iam pensar? Lavou os cabelos com o shampoo masculino e retirou a maquiagem com sabonete. Se secou com uma toalha dobrada, que parecia limpa, e se vestiu com a roupa que estava. Não estava lá essas coisas, mas estava bem melhor do que antes, disso tinha certeza. Abriu a porta do banheiro, querendo encontrar com o garoto do bar e perguntar o que havia acontecido. No entanto, se deparou com um moreno musculoso de olhos verdes.

- Então, você que é a loira do bar? - Sorria malicioso, fazendo Bubbles corar. - Boomer deu sorte.

- Deixa ela, imbecil. - Boomer empurrou Butch, puxando a garota pelo braço de volta para o quarto dele. - E ai, loirinha.

- Oi. - Respondeu constrangida, enquanto ele fechava a porta. - Então... Era para eles? O milk shake?

- É. São meus irmãos idiotas, Brick e Butch. - Deu de ombros de jogando na cama.

Boomer não reparou, mas a garota estremeceu.

" Os Desordeiros." - Pensou.- " Eu passei a noite no bar com o Boomer. Eu estou na casa dos Desordeiros." Bubbles estava em desvantagem ali. Portanto, resolveu fingir que não os conhecia. E os garotos por sua vez, não reconheceram a garota.

- Sobre ontem… - A loira começou. - Pode me explicar o que aconteceu?

- Então você não lembra? - Riu. - Poxa, loirinha, achei que tinha gostado… - Sorriu malicioso, fazendo a loira corar. O que é que ela tinha feito? - Só estou te zoando. Nós só fomos para um bar foda aí. Você falou de um tal de Greg, que ia encontrar na sorveteria. E blá blá blá. - Revirou os olhos. - Parece ser um cara bem chato.

- Aí meu deus, o Greg. - Se lembrou de súbito. - Ele nunca vai me perdoar.

- Para de drama, é só um sorvete. - Disse entediado.- E por que se atrasou tanto?

- É que… - Quase revelou seu segredo. - Surgiram uns problemas.

- Você é bem na sua, né loirinha? - Riu. - Acho que deveria pegar uma garrafa de bebida na geladeira, quem sabe eu consiga fazer você falar umas coisas mais interessantes.

- Só não gosto de falar da minha vida pessoal para estranhos. - Se defendeu, se sentando na cama com ele. - O que mais?

- Ah, nada muito interessante. - Deu de ombros. - Você desmaiou por causa da bebida. Não está acostumada né?

- Definitivamente não. - Respondeu. - Ontem foi bem… Incomum. Não vai acontecer de novo.

- Que pena. Achei que podíamos sair depois. Mas já que prefere um sorvete com esse Greg... - Provocou.

- Não foi o que eu quis dizer, não prefiro. - Se defendeu, com medo de ter ofendido o garoto.

- Então prefere sair comigo? - Sorriu malicioso. - Então, que tal semana que vem?

- Não, não é isso… Eu só… - Se enrolou. - É que o Greg...

- Então, convite recusado? - Continuou. - Que pena.

- Não recusei. Acho que tudo bem sair semana que vem. - Respondeu, aceitando o convite de um desordeiro, sem pensar direito. Bubbles tinha medo de acabar ofendendo o rapaz, ou magoando. Quer ela ou não, ele tinha a ajudado.

- Ótimo. - Sorriu malicioso. - E ai, você joga?

A loira negou.

- Acho melhor eu ir para casa. Devem estar preocupados. - Disse finalmente se lembrando das irmãs e do Professor. O que diria a eles? Que passou a noite com um desordeiro, completamente bêbados?

- Você que sabe. - Se levantou e jogou um casaco para ela. - Essa roupa está péssima.

O casaco ficava muito grande nela, como um vestido. De qualquer forma, ela aceitou. Sua roupa estava realmente péssima.

- Obrigada, eu acho. - Agradeceu relutante.

Ele a acompanhou até a porta, ignorando as provocações que os irmãos faziam pelo caminho.

- A gente se vê por aí. - Disse Boomer, fechando a porta.

A garota, que estava tensa, finalmente pôde relaxar. Nenhum desordeiro perguntou seu nome. Fingir que não sabia quem eles eram também pareceu funcionar, felizmente. Porém, ela tinha um encontro marcado com Boomer. Se repreendeu por isso, mas não queria ser rude com o garoto. Ela pegou o celular, com pouca bateria e viu que tinham várias mensagens e ligações das irmãs. Ela estava muita ferrada.

***

Blossom e Buttercup voavam pela cidade, com os olhos atentos procurando por Bubbles. Seguindo a ideia da irmã, a líder ligou para Gregory.

- Oi, Greg, é a Blossom. - Dizia, sem perder o foco. - Como foi o encontro com a Bubbles ontem?

- É melhor não ter magoado ela, ou eu vou te bater até você virar do avesso. - Gritou a morena, que foi ignorada pelo rapaz e recebeu um olhar furioso da ruiva.

- Como assim vocês não se encontraram? - Blossom arregalou os olhos rosas chamando a atenção da outra poderosa. - Ah, não é nada, ela só está meio quieta hoje, não precisa se preocupar. - Mentiu. - Nos vemos na escola.

- Você mentindo, é? - Sorriu Butter.

- Ela saiu e não voltou, não queria preocupar o garoto. Além do mais, isso não importa agora, porque eles não se encontraram. Com quem e onde ela ficou a noite toda?! - Blossom tentava conectar os pontos. - Ela estava indo para a sorveteria, certo? Então é para lá que nós vamos. Precisamos saber se ela pelo menos chegou até lá.

As duas voaram até a sorveteria, e o atendente contou o ocorrido. Ela tinha ido encontrar o garoto, mas quando chegara ele não estava mais ali. Ela pagou por um milk shake roubado e saiu caminhando. Ambas voaram na direção indicada pelo homem, mas nada encontraram.

- Temos mais chance se nos separarmos. Você vai para a direita e eu para a esquerda. - E voou deixando um rastro rosa, antes que a outra pudesse responder.

Não demorou muito e avistou a loira andando pela calçada, pensativa. A ruiva voou na direção da azul, a abraçando com força.

- Que bom que está bem. - Segurou as lágrimas. - Nunca mais me preocupe desse jeito.

- Oi Bloss. - Sorriu. - Me desculpa.

- Onde é que você estava? - O olhar passou de preocupado para autoritário.

- Fiquei meio triste quando cheguei na sorveteria. Ele não estava mais lá. Ele tinha uma aliança, Bloss. E eu nem avisei ele… - Lágrimas surgiram. - Então eu fui para um bar. Idiotisse, eu já sei. Eu não estava pensando direito.

- Certamente você não estava. O Professor está preocupado com você! - Repreendeu. - Você é uma Superpoderosa. Isso é algo que se faz, Bubbles? - Não houve resposta. - Com quem você estava?

A azul deveria contar com quem estava. Afinal, os desordeiros estavam de volta. Elas precisavam saber, já que eles eram uma ameaça. Um dos maiores inimigos dela. Por outro lado, como explicaria que passou a noite com Boomer? E ainda que marcou um encontro? Ela não poderia. Suas irmãs não poderiam saber. No entanto, apesar de serem criminosos, não fizeram nada de errado. Não causar problemas. Então...

- Sozinha. - Mentiu. - Não sai com ninguém.

- É mesmo? E de quem é essa blusa? - A irmã insistiu.

- Um cara no bar me deu. - Essa parte era verdadeira.

- Sei. E onde foi que passou a noite? - Pressionou.

- Parte no bar e depois andando sem rumo. - Revirou os olhos. - Estou liberada, policial?

- Só me preocupo com você. Sabe que pode contar tudo para mim, não sabe? - A ruiva apoiou a mão no ombro da irmã.

- Claro. - Sorriu. Era verdade: Suas irmãs eram suas melhores amigas e a Bloss era a mais compreensiva. Mas isso seria demais até mesmo para ela. - Onde está a Butter?

- Nós nos separarmos para te procurar. Vou mandar uma mensagem para nos encontrarmos na escola. Mas antes, nós duas vamos para casa. Precisa se arrumar. - A rosa concluiu, segurando na mão da outra. As cores rosa e azul coloriram o céu até a casa dos Utonium.

***

Buttercup voava entre os prédios em busca da azul. Ela estava preocupada, porém menos que a Blossom. Bubbles poderia ser sentimental, mas ainda assim, sabia se cuidar. Talvez só precisasse de um tempo para sí mesma, talvez o relacionamento com Gregory não estivesse bem. Seus pensamentos foram brutalmente interrompidos ao ver uma grupo verde de bobeira na calçada, bebendo cerveja. Ela os conhecia muito bem: Gangue Gangrena. Parou subitamente no céu, não acreditando no que seus olhos estavam vendo. Desconfiada, voou até o chão, esperando na esquina, desejando ouvir a conversa da gangue.

Claro que isso era apenas o que ela dizia a si mesma. Na verdade, queria falar com eles. Apesar de tudo o que ocorreu no passado, ela ainda nutria um certo sentimento, no sentido amistoso. Não podia negar que se divertiu com a gangue.

- Oi, Butter. - Disse Ace com um sorriso zombareiro no rosto.

- Oi, Ace. - A morena cumprimentou saindo do seu esconderijo falho. - O que é que está fazendo aqui?

- De bobeira. Bebendo umas cervejas. Gostaria de se juntar a nós? - Perguntou Ace, olhando a garota nos olhos. O convite pareceu confuso para a poderosa, que não conseguia ler os olhos do líder, sempre indecifráveis com os óculos escuros.

- É, BC, vem beber com a gente. - O cobra apoiou o convite.

- Cala a boca, líder falando. - Ace bateu no rosto do colega.

- Nem pensar. - Revirou os olhos. - Se arrumarem confusão na minha cidade…

- Sua cidade? - Riu Ace. - Não sei não, não me lembro de ver nada sobre isso. Grubber, por acaso viu o nome da Buttercup em alguma placa da cidade? - Grubber apenas fez um barulho com a lingua. - É, foi o que eu pensei. Artur? Você viu?

- Com certeza não, chefe. - O baixinho respondeu.

- Billy? - Continuou.

- Acho que não, chefinho. - Billy respondeu.

- Cobra? - Perguntou ao último membro.

- Não, chefe.

- Como imaginei. Que pena, Buttercup, mas parece que a cidade não é sua. O que significa que nós podemos e vamos ficar até quando nós bem entendermos. - Retrucou Ace.

- Seu filho da puta, se fizer merda aqui eu juro que te mando para a prisão. - Gritou.

Antes que Ace pudesse responder, o celular da poderosa tocou. Era uma mensagem de Blossom, que dizia que ela encontrara Bubbles e que estariam indo para casa.

- Salvo pelo gongo. - Butter disse. - Nos vemos por ai. Estou de olho em vocês.

- Tchau, querida. - Ace provocou acenando e jogando a lata que acabara de esvaziar no chão e pisando em seguida.

Ela voou em direção a sua casa, deixando um rastro verde no céu.

***

Quando Bubbles chegou em casa acompanhada de Blossom, o Professor a abraçou. Em seguida, a repreendeu por ter sumido. A loira, claro, se desculpou e prometeu não fazer novamente. Logo as duas subiram para o quarto, e a ruiva aguardou a outra se arrumar.

- Que dia é hoje? - Blossom arregalou os olhos perguntando para Buttercup, que acabara de chegar.

- Sei lá, acho que é cartoze. Por que? - Respondeu indiferente. Seus pensamentos ainda estavam na Gangue Gangrena. Ela deveria contar para as irmãs, mas o que mudaria? Preferiu guardar para si e vigiá-los de perto por si mesma.

- Droga! - Disse batendo na testa. - Não acredito que esqueci.

- Esqueceu do que? - Bubbles perguntou calçando uma da sandália.

- Do teste. Hoje temos prova de física. - Concluiu Blossom. - Rápido, Bub, além de termos menos tempo pelo atraso, não estudamos nada. Eu estou ferrada! - Disse segurando suas mãos com nervosismo.

- Não exagera Bloss, é só uma prova. Além do mais, você vai ir bem. Sempre vai. - A morena a acalmou.

Logo as três voaram em direção a escola, a ruiva voava mais rápido que as outras. Quando chegaram, pediram permissão para entrar e fazer a prova, que foi negada. A rosa apertou os livros mais forte e mordeu os lábios.

- É que ontem tivemos uma luta. Chegamos tarde e cansadas em casa. O despertador tocou, mas estávamos não cansadas que nem percebemos. Não vai acontecer mais. - Butter mentiu, e dessa vez não foi reprimida pela irmã.

Blossom sabia que mentir não era certo, mas gostaria de garantir uma boa nota na prova e para isso o mínimo é conseguir fazê-la. Ela se sentiu culpada, como se estivesse usando o fato de ser uma poderosa para ganhar vantagens que os outros alunos não tinham. Buttercup havia mentido, mas ela precisava disso. Quando entraram na sala, ao invés de repreender, agradeceu com um sussurro.

O teste correu bem. Pelo menos para a ruiva. Bubbles ainda pensava no dia anterior. Havia saído com um desordeiro e isso era impensável. Pior: Queria sair outra vez. Eles não pareceram tão ruins assim quanto como ela se lembrava. Principalmente o Boomer. Quem sabe, com o passar do tempo, tenham se transformado em pessoas diferentes?! Blossom conseguiu fazer algumas questões, mas ainda assim, não acreditava que havia ido bem. Buttercup por sua vez tinha certeza que sua nota estaria bem abaixo na média. Geralmente, quem a lembrava e insistia para que estudasse era a líder.

- Que droga. - Blossom se apoiou na parede após saírem da prova. - Isso vai manchar meu currículo.

- Não precisa ter um currículo impecável, Bloss. Você já mantém suas notas altas desde que éramos crianças. - Consolou Bubbles. - E além do mais, eu tenho certeza que você foi bem. Você é realmente dedicada. - Ela entristeceu o olhar. - E me desculpa por fazer vocês preferem o horário da prova.

- Não pensa nisso. - Bloss sorriu.

- Que tal um sorvete após a aula? - Buttercup propôs. - Nós temos muito o que comemorar, Meninas Superpoderosas de volta a ativa!

- Não deveríamos comemorar ataques a cidade. - Bloss repreendeu.

- Nesse caso serve para consolo então. - A loira sugeriu. - Ah, vamos Bloss, precisamos sair mais juntas.

O rosto entristecido da ruiva se desmanchou em um sorriso, e todas começaram a rir juntas. Elas se abraçaram, mostrando para a líder que estavam juntas.

- Bubbles, será que podemos conversar a sós? - Gregory se aproximou das irmãs, com uma expressão suave. - Desculpa interromper.

- Não se preocupe, está tudo bem. - A azul o seguiu até um canto mais isolado, deixando as irmãs preocupadas, formando teorias sobre o relacionamento. - Olha, me desculpa. Eu sei que deveria ter avisado que não poderia, mas eu fiquei tão nervosa com a situação…

- Eu entendo. - Disse por fim, retirando um peso dos ombros da garota. - Eu deveria ter sido mais compreensível com você. Estou saindo com uma heroína, então...

- Tem certeza? - Sorriu empolgada. - Não ficou chateado comigo?

- Na verdade, fiquei sim. Esperei por muito tempo, até concluir que você não viria. - Desabafou. - Mas, quando acordei, vi no noticiário que estava em uma luta. E então pensei comigo, seria egoísmo demais querer você só para mim quando a cidade precisa de você. Sua irmã me disse que você estava muito cansada de manhã, irmaginaram que estivesse triste, então me ligaram. Não se preocupe. Estou com você para tudo.

Quando Greg terminou de falar, Bubbles o abraçou, e o abraço foi retribuído. Ambos sorriram, olhando nos olhos um do outro, sabendo que estava tudo bem entre eles agora.

Blossom e Buttercup olhavam do outro lado do corredor. Buttercup suspirou de alívio e Blossom comemorou.

- É, isso merece um sorvete de comemoração. - A rosa sussurrou para a verde.

- Garota, você tem que parar de ler esses romance. - Riu a morena.

- Nada me impede de ter esperança de achar um homem como os dos livros nos dias de hoje. - Se defendeu. - Nada é impossível.

O sinal tocou e o casal se despediu com um beijo, e as três irmãs foram enfim para a aula. Blossom estava focada, como sempre, porém mais feliz. O dia tinha tudo para dar errado, mas estava ótimo. Suas irmãs sabiam como animá-la.

Buttercup, por mais que quisesse, não conseguia se concentrar. A Gangue Gangrena estava na cidade e isso a preocupava.

Bubbles desenhou, com canetas azul e preta. Como sempre, ela não pensava no desenho: Apenas desenhava o que sentia. No final da aula, sentiu seu corpo gelar ao ver que quem estava no papel não era Greg, era Boomer.

" Que pensamentos, Bubbles." - Se repreendeu.

A loira arrancou a página do caderno, a amassando e guardando na mochila. Não jogaria fora em nenhum lugar onde Gregory pudesse ver.

No intervalo, as poderosas sentaram juntas, como não costumavam fazer a algum tempo. A ruiva preferia passar o tempo lendo, a Butter se sentava com Mitch e outros garotos e a Bubbles frequentemente mudava de lugar, pois conhecia muita gente.

- E aí Bub, como foi com o Gregory? - A morena questionou curiosa, atraindo um olhar curioso da rosa.

- Ele é tão compreensivo! - Suspirou. - Ele entendeu que estava em uma luta, e por isso não fui. Ele é incrível.

- Não contou a ele sobre o bar? - A rosa questionou curiosa.

- Não. A Butter Se encarregou disso. Ela disse que eu estava em casa. Eu preferi deixar assim. - Deu de ombros.

- Na verdade… Inesperadamente, foi a Blossom. Essa garota está aprendendo. - Butter Provocou.

- O que? Eu não sou uma mentirosa, você sabe que eu valorizo a verdade acima de tudo. - A vermelha contestou. - Não espere que eu saia mentindo por ai. Eu só achei que isso poderia prejudicar o relacionamento dela, e eu quis protegê-la. Tudo pelo amor.

- Isso é verdade Bloss? - Bubbles arregalou os olhos, sorrindo.

- Não me faça fazer isso outra vez. - A rosa riu. - Foi por um bem maior. Falando em mentira...Butter, obrigada pela prova. Achei que fosse terminar com um zero por ausência.

- Não há de que. E também, eu não menti. Apenas não contei a história toda. Realmente estávamos cansadas por uma luta, e isso ocasionou todo o resto. - Concluiu.

- Manipular a verdade também não é certo. - Blossom revirou os olhos.

- No entanto, funciona. E é isso que importa. Eu usei por uma causa justa, então não pode me culpar por isso. - Cruzou os braços.

Todas riram do comentário. Se não fosse por ela, nenhuma delas teriam feito a prova. Pior que tirar nota baixa é não conseguir ao menos fazer a prova. Logo o intervalo acabou e as meninas retornaram para a sala, rindo juntas.

Quando a aula chegou ao fim, as garotas caminharam até a saída.

- Eu estou morrendo de fome. - Reclamou a morena. - Antes do sorvete, que tal um hambúrguer?

- Com fritas! - Bubbles apoiou.

No entanto, com sua super audição, Blossom ouviu o telefone de emergência tocar.

- Acho que vai ficar para depois. - Bloss sorriu.

- Meninas Superpoderosas de volta a ativa! - Butter comemorou voando em direção a casa, fazendo as irmãs rirem, até mesmo Blossom.


Notas Finais


E então? Esse não teve treta, mas acho ele bem importante.
1- Olha os blues ♥️
2- Eu amo a Gangue Gangrena
3- O foco nos próximos capítulos vão sair da Bubbles.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...