História A Ultima Ipswich - Capítulo 22


Escrita por:


Capítulo 22 - Capítulo 22


Fiquei parada encarando aquela mulher tão conhecida mas ao mesmo tempo tão desconhecida por mim

- Miranda?

Me virei vendo meu pai descer as escadas indo de encontro a minha mãe que tinha um sorriso.... frio?

- Olá Willian

- como.... como....

- estou viva? Parece que sua família fracassou na missão de me matar, aonde esta Carter?

- mãe?

Carter passou por mim feito um furacão e a abraçou, desci os últimos degraus da escada e parei ao lado de meu pai que tinha um olhar confuso

- Carter meu filho, isso irá acabar, a lua cheia é amanhã e seu pai irá lhe ajudar

Carter se virou olhando pra mim e para papai, mas mamãe puxou seu rosto sorrindo levemente

-não meu querido, o seu pai de verdade, ele irá lhe explicar tudo

Arregalei meus olhos encarando Brad que continuava com a cabeça baixa, me virei pro meu pai que engoliu a seco mas mantinha o olhar fixo em minha mãe, Carter tirou as mãos de nossa mãe do rosto e deu alguns passos para trás

- fique calmo meu amor eu não queria que as coisas fossem assim

- Que historia é essa de pai de verdade, meu pai esta ali!

Carter apontou para meu pai que colocou as mãos no bolso suspirando

- tem uma coisa que eu não contei para vocês....

- tem muita coisa que você não nos contou!

- Louise, eu tive meus motivos e estou aqui para explicar todos

- nós não....

- deixe-a explicar Lou! Eu quero ver o que ela vai falar

Minha mãe deixou sua mala no chão e entregou o casaco para Brad adentrando a casa indo em direção a sala, Carter se sentou no sofá enquanto eu optei por ficar em pé perto da janela

- Alguns anos depois que Louise nasceu eu conheci um homem e eu acabei me apaixonando por ele, meu casamento não estava mas dando certo, havia muitas brigas e muita pressão por Louise ser a prometida....

Ela deu uma pausa e encarou papai e depois a mim

- nosso romance foi breve pois logo fomos descobertos, seu pai tentou acobertar e fazer com que tudo fosse varrido pra baixo do tapete mas eu não suportava mais aquela situação e então assumi meu ato, fui julgada e condenada por traição, me tornando então uma exilada.

- e o que Carter tem a ver com isso?

- Eu sabia que carregava em meu ventre um fruto desse romance, quando fui atrás de Lucian descobri que ele era um ser muito poderoso, um lobisomem, um filho da lua, seu clã não aceitou nosso romance e tentaram por diversas vezes me matar, então eu fugi, junto de Brad vivemos de cidade em cidade, criando vocês dois.

- e por que você nos abandonou?

- Depois de um tempo não estávamos mais sendo perseguidos, foi quando ficamos todo aquele tempo na Virginia, estranhei, sabia que poderiam estar tramando algo, então para nossa proteção eu parti em busca deles, fizemos com que acreditassem que eu havia sofrido um ataque e morrido e então eu parti para encontrar os Lycans, encontrá-los e pedir uma trégua de uma vez por todas.

Olhei para Brad que mantinha a cabeça baixa e marchei até ele dando um soco em seu peito fazendo o mesmo ser arremessado longe, fui parada por meu pai que me segurou firmemente pelos ombros, Brad se levantou e pude ver lagrimas em seus olhos

- você sabia de tudo! Esse tempo todo, todo esse sofrimento, acreditando que ela estava morta, foi apenas um plano de vocês dois para ela ir atrás do amante?

Trovões podiam ser ouvidos do lado de fora da casa, meu pai sussurrava em meu ouvido para que eu me acalmasse, sentia correntes elétricas passando pelo meu corpo

- precisávamos deixar vocês dois em segurança! Até quando você completasse a idade que assumiria seu destino e Carter até quando a transformação começasse, sinto muito Lou, não podia te envolver nisso

- ELE É MEU IRMÃO! COMO ACHA QUE EU NÃO ME ENVOLVERIA?

- Não importa agora, tudo saiu como foi planejado, Carter meu filho, você não esta passando pela transformação de receber a magia como os homens da família Ipswich, você esta passando pela transformação dos filhos da lua, esta se transformando em um lobisomem.

 Tudo pareceu paralisar a minha volta, podia ver Carter com os olhos distantes tentando assimilar tudo que havia sido vomitado pra ele, Brad ainda se recuperava do meu empurrão, papai mantinha uma posição firme mas era nítido seu olhar triste com todas as revelações, minha mãe caminhou apressadamente até a porta de entrada e abriu revelando um homem com roupas e chapéu de couro, seu cabelo escuro ia até a altura dos ombros e sua barba era rala, ele adentrou a casa e olhou para Carter dando um leve sorriso

- Olá meu filho, acho que temos muito o que conversar.

Me virei para meu pai que encarava o homem a nossa frente com sangue nos olhos

- Willian.

- Lucian .

- eu preciso de ar....

Sai da casa buscando o ar que me faltava nos pulmões, ouvi um barulho de isqueiro e me virei vendo meu pai, acendendo um cigarro, fui até ele o abraçando logo sendo retribuída

- deveria estar acostumada com as surpresas e segredos que essa família carrega.

- é cada novidade que é impossível não se surpreender, só me preocupo com Carter, se ele é um lobisomem, isso pode nos trazer muito perigo, quer dizer,  eu achei que eles estavam extintos, existe um milhão de seres que fariam de tudo pra por as mãos em um e agora meu irmão é um deles!

- vai ficar tudo bem, eu preciso ir agora, quer vir comigo?

- não papai, esta tudo bem

- Bom, eu sei que aconteceu tudo de uma vez, mas depois disso tudo acho que minha presença aqui não será mais necessária.... quando quer marcar o jantar para que eu conheça o seu namorado? Parece que descobrimos da onde vem esse fetiche por cachorros

Papai apontou com a cabeça pra casa me fazendo rir

 - que tal hoje a noite?

- hoje? Tão depressa assim?

- sim, dessa forma ele não terá tempo de arrumar uma desculpa para não ir

- ótimo, acredito que nessa cidadezinha não tenha nenhum restaurante bom, Port Angeles?

- Port Angeles.

- então até mais tarde

- até papai

Nos despedimos com um abraço e logo meu pai havia partido, senti meu celular vibrar em meu bolso e me surpreendi ao ver uma mensagem de Alice pedindo para que eu fosse até a mansão, suspirei e corri pro carro dando partida rumo a casa dos Cullen’s.

 

Em pouco tempo eu havia chego, fui recebida por Jasper que sorriu me dando um leve abraço

- O que houve?

Jasper apenas apontou com a cabeça pro andar de cima e eu sem delongas subi

- Olha eu resolvi o problema, vocês estavam indo embora o que esperavam que eu fizesse?

- não faz ideia do que perigo em que colocou ele, os Volturis vão matar qualquer um que souber sobre a gente

- não, eu não contei pra ele sobre vocês, contei de mim só disse que você estava diferente

- e que temos uma sobrinha! Que adotamos!

- fala sério Jake, ele não vai acreditar!

- você pensou na dor física que ele vai causar na Bella? Vai ser como colocar uma lamina em brasa na garganta dela, isso assumindo que ela vá controlar a sede!

- Olha o Charlie esta vivendo um inferno e sei que vai ficar mais feliz se tiver ele em sua vida

- Jacob não tenta fingir que esta fazendo isso além de você!

- é uma pena que ache isso, por que ele vai chegar aqui em 10 minutos

- como é que é?

Edward saiu puxando Bella consigo passando por mim feito um foguete, Jacob se virou me dando um leve sorriso mas quando viu minha cara seu sorriso sumiu

- você também ?

- qual é o seu problema? Não vê o quanto colocou todos nós em risco?

- você ouviu quando eu disse que contei sobre mim?

- Dane-se Black! Humanos não devem saber sobre a existência do sobrenatural, é a lei mais absoluta e não é só valida para vampiros!

- eles estavam pretendendo ir embora...

- e por isso decidiu ser levado pela emoção e fazer toda essa merda? Caramba você não pensou na matilha? Esse segredo não envolve somente você sabia seu egoísta?

Jacob manteve o olhar no chão enquanto suspirava, descruzei os braços e me virei para ir embora

- isso vai dar merda ainda e vai ser tudo culpa sua e do seu egoísmo!

Desci as escadas rapidamente encontrando Alice colocando lentes de contato em Bella, parei ao lado de Edward que tinha um olhar distante

- me desculpe por ter presenciado a discussão, não foi pra isso que pedimos para que viesse

- então foi pelo o que?

- Pode ficar até Charlie ir embora? Depois conversaremos, é a respeito de Reneesme.

- claro.

- prenda a respiração vai te ajudar com a sede

Me virei vendo Bella me encarar como se eu fosse um frango assado

- eu vou lá pra fora, sei que meu sangue é um tanto quanto apetitoso

Bella abaixou a cabeça visivelmente sem graça enquanto todos davam risada, sai da casa indo para os fundos e me sentando em uma mesa de piquenique que ali havia, fiquei ali por um tempo até ser cutucada por Emmett informando que haveria uma disputa entre ele e Bella , levantei o acompanhando até um ponto dentro da floresta aonde todos estavam sorrindo e fazendo piadas, Emmett colocou uma enorme pedra entre ele e Bella e ambos se posicionaram

- não vai se machucar Emmett!

- Ta legal no 3, 1...2...3!

E como se fosse brincadeira vi diante dos meus olhos Bella derrotar Emmett sem muito esforço, nem uma careta, depois de comemorações e protestos  o assunto Reneesme se instalou

- Louise estamos preocupados, pouco se sabe sobre híbridos, o crescimento dela é muito rápido, temos medo do que pode vir a acontecer

- como esta a alimentação dela?

- sobrevive com os dois, mas prefere sangue a comida humana

- lado vampiro mais aflorado.... eu farei umas pesquisas, deve ter algo em meus grimórios, mas não deixem de acompanhar a evolução, cada ser é um ser, se conseguirmos entender como ela esta evoluindo podemos tirar nossas próprias conclusões, mas de toda forma, me deem alguns dias, voltarei com respostas

Senti meu celular vibrar e sorri ao ver uma mensagem de Paul um tanto quanto... brava

- agora eu preciso ir, parabéns Isabella, a imortalidade te caiu perfeitamente bem

- obrigado por tudo que fez e ainda esta fazendo por nós

Sorri e acenei voltando pro carro e dando partida, assim que cheguei em casa Paul estava parado de braços de cruzados na frente da porta com cara de poucos amigos, sai do carro e caminhei até ele lhe envolvendo em um abraço, senti seus músculos antes tensos, relaxarem e ele retribuir o abraço, puxei seu rosto lhe dando um beijo caloroso que prontamente foi correspondido

- esta cheirando a sanguessuga

- eu também senti sua falta, vem, tenho coisas pra te contar

Entramos e logo constatei que a casa estava vazia, suspirei aliviada e nos guiei para a cozinha, decidi preparar um chocolate quente enquanto atualizava Paul de tudo que havia acontecido desde manhã, lhe contei tudo até sobre a disputa de Bella e Emmett, lhe entreguei a xícara de chocolate quente e me sentei em uma das suas pernas, Paul tinha o olhar distante, estalei os dedos em sua frente e o mesmo pareceu voltar para a realidade.

- muita informação ? desculpe...

- um jantar com seu pai hoje ? Tecnicamente daqui poucas horas?

Sorri  lhe dando um selinho

- ele vai embora, então decidi marcar para hoje logo, eu conheci seu pai agora é sua vez

- meu pai não é um bruxo de não sei quantos anos, poderoso que pode me matar a qualquer momento.

Soltei uma gargalhada lhe abracei encostando minha cabeça em seu ombro, Paul ficou ali fazendo carinho em meu cabelo até ouvirmos um pigarrear, me virei e vi mamãe e Brad nos encarando, mamãe tinha um sorriso que eu considerei sinistro em seu rosto enquanto Brad apenas mantinha o sorriso torto

- Cherrie! Então esse é meu genro ao qual Brad estava falando?

Me levantei e Paul se levantou junto, podia ver o tom avermelhado que suas bochechas ganharam, assim como suas mãos nervosas sendo esfregadas na bermuda jeans

- Esse é o Paul, Paul essa é minha....mãe

- é um prazer conhecê-la Sra Ips....

- somente Miranda meu caro, deixei de ser uma Ipswich a muito tempo, então quer dizer que teremos um jantar em família?

- como?

- Vai levar seu companheiro para conhecer seu pai e não chamou sua mãe? Quanta falta de educação Cherrie!

-Será ótimo ter sua presença lá

Olhei para Paul com um olhar reprovador e ele apenas deu de ombros

- Port Angeles, ás 20:00

- Estarei lá

Minha mãe sorriu e saiu com Brad ao seu alcance,suspirei e me virei para Paul que tinha um sorriso torto no rosto

- sejamos espertos e façamos tudo de uma vez só

- você não sabe na encrenca em que se meteu, vou buscar minhas coisas, tudo bem se eu me arrumar na sua casa?

Paul tombou a cabeça sorrindo

- é claro que não, minha casa é sua casa

- te amo,  me espere aqui!

Subi correndo e comecei a ajuntar algumas possíveis combinações de roupas e colocando dentro da minha mochila, respirei fundo tentando manter a calma

- vai dar tudo certo, tem que dar! 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...