1. Spirit Fanfics >
  2. A última música. >
  3. Ressaca.

História A última música. - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Ressaca.


Fanfic / Fanfiction A última música. - Capítulo 7 - Ressaca.

A última música.


Abriu devagar os olhos ficando cega alguns minutos pela claridade. Condenou-se ao levantar-se rápido demais, sentindo a tontura lhe invadir. 

Com cuidado foi até o banheiro, vendo tudo girar. Fitou-se no espelho, os cabelos bagunçados, a cara amassada de sono, estava horrível, em um estado degradante. 

Desceu às escadas com dificuldade tendo a visão de Hanabi e seu pai juntos a mesa, enquanto Kurenai servia o almoço. Assim que sentiu o cheiro de toda aquela comida o estômago embrulhou, e rapidamente afastou o prato de sua frente. Piscava as pálpebras tentando acostumar-se com a luz natural que para ela estava exageradamente forte aquele dia.

– Hinata, o que você tem? Já é uma hora, geralmente acorda cedo. – a analisava, nada escapava dos olhos atentos de Hiashi.

– O que ela tem é ressaca, papai. Levou um porre ontem. – a caçula a entregou, divertindo-se do desespero da mais velha.

– Hanabi! – a repreendeu aceitando a xícara de café que Kurenai lhe ofertou. Tomou o líquido quente, fazendo careta com o gosto amargo.

– Não tem açúcar, mas é o melhor para curar uma noite de bebedeiras. Depois nos falamos. – piscou para ela, indo até a cozinha.

– Minha filha, uma moça bonita como você dando vexame. Já disse que não fica bem. – bronqueou. A morena encolheu-se na cadeira querendo sumir, sabia que começariam os sermões. 

– E aí, família! – Naruto berrou, passando pela porta. Atrás de si vinha Neji e...Tenten?

– Eu mereço. – o patriarca revirou os olhos.

– Tio, vim para o almoço de domingo, e trouxe uma amiga, tem problema? – perguntou, receoso.

– De maneira alguma. Sentem-se. – afirmou. Naruto era de casa, não precisava de convite e já estava sentado ao lado de Hanabi, enchendo o prato de comida.

– Tenten! – Hinata correu até a amiga, abraçaram-se como se não se vissem há longos anos. Começaram a conversar e subiram às escadas, indo até o quarto da Hyuuga.

– O que elas têm? – Neji indagou, confuso.

– Vai saber, ninguém entende às mulheres. – Naruto respondeu de boca cheia. 

Hinata passou a chave na porta, trancando-a. Correu para fechar às persianas, sentia-se um vampiro prestes a virar cinzas.

– Nossa amiga, o que aconteceu com você? – a morena a observou, sentando-se.

– Estou um caco! Bebi demais ontem. Nem ao menos sei como cheguei em casa, lembro-me até um certo ponto, após isso  me recordo de apenas flashes. – grunhiu, incomodada com a tremenda dor de cabeça que a torturava.

– Esse era o papel da Ino! – gargalhou. – Mas tudo foi muito louco. Minha pressão caiu aparentemente do nada e Neji me levou no hospital às pressas, chegamos em casa às três da manhã, eu dormi na cama e ele no sofá. Óbvio que minha mãe nem suspeita disso, ela acha que fiquei aqui com você. – suspirou imaginando o circo de horrores que seria caso a dona Mitsashi descobrisse. 

– Meu Deus. Você está bem? – estava preocupada. Onde ela estava quando isso tudo aconteceu? 

– Agora estou sim. O pior você não sabe. Sasuke trancou a Sakura no banheiro, bateram maior boca e a coitada só saiu de lá porque o Itachi a destrancou. – não pode evitar outra risada, dessa vez acompanhada da Hyuuga.

– Para Sakura bater boca, ela realmente deveria estar no limite. Eu daria tudo para ouvi-la dizer boas verdades. – recordou-se do momento da briga, mesmo vendo de longe. 

– Eu ainda não acredito que o Sasuke  simplesmente quebrou uma garrafa na cabeça daquele garoto. Ele está possesso de ciúmes. – sua feição era de incredulidade. 

– Foi o ápice. Esses dois ainda irão dar o que falar. Espero que fiquem juntos. E as outras meninas? – perguntou.

– Eu não faço ideia de onde a Ino esteja e nem a Temari. Sei que os dois estavam em pé de guerra, até o Sai chegar e socar o Gaara. Vi quando conversaram depois, mas o quê rolou só saberemos amanhã. – contou.

– Então o Sai voltou? Caralho. – estava eufórica e nervosa pela amiga. – Pelo visto a segunda virá cheia de novidades.

(...)

Ouviu batidas e levantou o pescoço, sonolenta. Tenten foi embora pouco tempo depois, e ela havia caído no sono. Odiava ter acordado, pois lá estava ela, a ressaca de volta.

Foi até a porta enrolada no cobertor abrindo-a e jogou-se na cama. Ainda usava a camisola da noite anterior. O loiro passou com uma bandeja em mãos, às safiras azuis atentas a figura menor na sua frente, conferindo se ela estava inteira. 

– Que horas são? – coçou o rosto, tentando afastar toda preguiça emaranhada no seu corpo. 

– Seis e meia, você dormiu o dia todo. Coma ou já já ficará para defunta. – brincou, empurrando a bandeja com suco, biscoitos e torradas para ela. 

– Onde está meu pai? – mordeu um pedaço, conferindo se seu estômago já estava disposto a não colocá-lo para fora. Aliviou-se quando o enjôo não veio. 

– Saiu com Hanabi. Neji levou Tenten em casa e Kurenai saiu mais cedo, já que é domingo. – encarou-a há tempo de vê-la torcer o nariz para as torradas. 

– Sabia que era você quem fez. Estão queimadas. – riu. – Mas obrigada, já não me sinto mais um cadáver. Pelo menos não totalmente. 

– Vá tomar um banho. Você está péssima. – distraiu-se com o celular e a morena bufou.

– Agradeço pela parte que me toca. Onde está tia Kushia? Sua hora aqui já passou. – respondeu ácida.

– Ela saiu com a tia Miko. Ande logo, vamos ver um filme. – a empurrou até o banheiro.

Depois de um banho quente e demorado, voltou, com um conjunto de moletom e meias de pares diferentes. Os cabelos presos em um coque desajeitado. 

– Parece que um trator passou por cima de você. Que roupas são essas? – gargalhou entregando-a um comprimido para dor de cabeça. 

– Ridículo! Me deixe, isso é estilo. Não é porque você está com a maior cara lavada do mundo que tem zombar do porre dos outros. – pegou o controle da tv emburrada.

– Desculpe, senhora. – retrucou.

– Por falar nisso, sabe como eu vim embora? – as pérolas brilhavam em expectativa. Daria um rim para descobrir. Bebidas tropicais eram traiçoeiras, isso ela não iria esquecer.

– Como você acha? O paizão aqui trouxe. – gabou-se. 

– Seu sorriso convencido é a coisa mais irritante do mundo, sabia? – queria esgana-lo.

– Sabia. – deu de ombros, tomando o controle da mão dela. 

– Diga logo o que aconteceu! – suplicou. 

– Além de você quase ter colocado todos os seus órgãos para fora? Nada demais. – omitiu. Era uma meia verdade. Na realidade aconteceu muita coisa demais, mas jamais contaria, não saberia explicar às sensações que sentia ao lembrar-se do momento. Encarou o rosto fino, restos de uma tarde bem dormida a denunciavam, as bochechas rosadas, os lábios ressecados e inchados, mas ainda sim convidativos. 

– O que foi? – uniu as sobrancelhas. 

– Nada. – rapidamente voltou a atenção a tv, procurando por um gênero de ação.

– Então quer dizer que Uzumaki Naruto aturou meu vômito? Bem feito. – provocou. Seu celular, que até então ela tinha esquecido da existência, vibrou com uma mensagem. Acendeu o visor, e não pode disfarçar a surpresa ao ler a barra de notificação. 

– É o pessoal? – perguntou enquanto travava uma batalha séria entre Operação Fronteira ou Homem de Aço, recomendados pela Netflix.

– Não. É o Kiba. – um sorriso involuntário veio. Não lembrava-se do final da noite e nem de quando trocaram os telefones, mas a companhia de Kiba tinha sido totalmente agradável e ela gostou do rapaz. Recordava-se de suas conversas até a garagem, ele era muito simpático. 

Hey! Como está? Espero que a ressaca não esteja te engolindo. - K.

Na verdade, ela está me destroçando. Mas sou uma sobrevivente. - H.

– Hinata, presta atenção, não pode se aproximar desse cara. – puxou o celular das mãos finas.

– Ei o que está fazendo? Por quê não? – pegou o aparelho de volta. O amigo era extremamente gentil com todo mundo, não gostar do Inuzuka era uma raridade. 

– Ele é um babaca. – bagunçou os cabelos, estressado.

– O que? Ele é incrível. Veio para cá recomeçar, se recuperar do namoro e...– ia continuar mas foi interrompida. 

– Hinata, Karin é a minha prima. – despejou, impaciente.





Notas Finais


Esse capítulo foi mais curtinho. Mas e aí, o que acharam? Karin é a prima do Naruto! O que será que tem por trás dessa história? Já tô escrevendo um capítulo extra p compensar vocês por esse capítulo pequeno. Boa leitura seus lindos💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...