História A Última Raéstre - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 7
Palavras 1.609
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Harem, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Primeira Lição - Parte 1


Flashback On

No intervalo, Guiara estava descendo para o pátio, quando alguns colegas passaram por ela, um dos garotos, acabou por empurrá-la para abrir passagem, fazendo-a cair ao chão, derrubando seu material. Não levou muito tempo para que ela se recuperasse do choque, e sentar-se procurando por seus pertences. Poderia ter abordado os garotos, porém, seu pensamento de que não queria problemas, era maior.

Ajima passou por ela, aproximando-se do grupinho de colegas.

__Peça desculpas. __Falou ao garoto que agora estava conversando com seu pequeno grupo de amigos.

__Por quê? __Indagou indignado.

__Você derrubou aquela garota. __Apontou para Guiara que ficou constrangida.

__Você é louco! __O garoto achou graça e virou-se de costas para conversar com os amigos. Entretanto, Ajima o segurou pelo ombro, o encarando.

__Se sente forte por estar junto do seu grupo, mas saiba que nada te dá o direito de desrespeitar os demais alunos. __Sua voz soou claramente zangada, apesar de não ter a elevado. __Devia aprender a se colocar no lugar dos outros. __Soltou-o e caminhou até ela, enquanto o garoto tirava sarro das palavras dele.

Guiara levantou-se apressadamente, segurando desajeitadamente seu caderno, quando ele chegou à sua frente.

__Espero que um dia os introvertidos enfrentem esses babacas. __Mostrou um sorriso depois de seu tom voltar a ter a aparência que ela conhecia, calma e doce. Ele pegou a caneta do chão, dando-a.

__Obrigada. Mas acho que ele não fez por mal. __Tentou fazer com que seu nervosismo não transparecesse em sua voz.

__Ajima. __Um garoto parou ao seu lado. __Já estamos nos reunindo para o trabalho de Física.

__Certo, estou indo. __Acompanhou o colega, deixando-a despedir-se com um aceno de mão, em vão.

Flashback Off

Guiara estava dormindo tranquilamente, a luz do dia a acariciava a face, quando escutou passos se aproximarem.

__Ora, ora. __Escutou uma jovem voz masculina. __Que raéstre gatinha. __Sentiu uma mão tocar seu rosto e ao acordar, deu um tapa nessa. Se levantou rápido, se sentindo ficar sonsa, e sentou-se na beira da cama, podendo visualizar o rapaz que estava de pé ao seu lado. Ele tinha cabelos castanhos em contraste com listras negras, e eram escorridos até sua cintura, seus olhos eram de um castanho mais claro que seu cabelo, trajava um quimono verde, e suas orelhas e calda eram de equídeo.

__Q-quem é você? __O encarou com grande espanto, afinal, pensou que tudo o que tinha acontecido no dia passado, poderia ter sido somente um sonho perturbador.

__Desculpe não ter me apresentado. __Mostrou um leve sorriso. __Meu nome é Lukariom, nayret. __Curvou-se.

__Ei! __Casuki apareceu na porta do quarto, e ela se deu conta de que não havia sido só um sonho. __O que você pensa que está fazendo, Lukariom?!

__Apenas conversando... __Mal abriu a boca e Casuki o pegou pela gola do quimono, colocando as orelhas para trás.

__Conversando uma ova! __O encarou. __Você pensa que eu não conheço você?!

__Nossa, por que está tão bravinho?

__Só não fique de gracinha com a minha mestra! __O soltou.

__Está bem. __Ele sorriu. __Só não sabia que "mestra" era sinônimo de "namorada".

__Calado! __Escou apareceu à porta.

__Itã está chamando para comer o café da manhã. __Avisou.

__Já estamos indo. __Casuki virou-se para ela. __Vamos. __A segurou pelo braço.

__Espere. __Guiara se soltou, incomodada. __Eu posso ir sozinha. __O encarou.

__Ela tem razão. __Lukariom provocou o lobo.

__Que seja. __Casuki cruzou os braços, seguindo caminho.

Guiara os acompanhou, chegando em uma sala de jantar. Ela olhou para Itã, que estava os aguardando, na cadeira a ponta da mesa, e sentou-se na lateral, ao lado de Névuyli. Os garotos se distribuíram nas cadeiras laterais, aproveitando o espaçamento que a mesa retangular oferecia.

__Bom dia. __Itã cumprimentou-os.

__Bom dia. __Todos responderam.

__Como está se sentindo, Radi? __Itã olhou-a, entretanto, Guiara não se deu conta de que falava com ela. Casuki ao perceber isso, a encarou.

__Ele está falando com você. __Ela despertou de seus devaneios e olhou para Itã.

__Desculpe, estou bem, obrigada. __Respondeu pausadamente.

__Seria melhor se tomassem banho antes de partirmos. __Névuyli comentou.

__Partirmos? __Ela ficou confusa.

__Sim. __Itã disse calmo após tomar um gole de chá. __Para começarmos os seus treinamentos, necessitamos estar em contato com a natureza.

Ao término do café da manhã, entraram no salão, algumas criaturas muito semelhantes às crianças, folhas de outono vestiam suas cabeças e costas, na pele tinham desenhos em espirais que se estendiam por todo o corpo levemente azulado, nas mãos tinham apenas quatro dedos, os pés eram cor de terra, as orelhas semelhantes às dos elfos, e olhos variavam entre amarelo e laranja. Elas vieram recolher os utensílios à mesa.

__Leyksi. __Itã chamou a atenção de um deles, que curiosamente era o único de olhos verdes, e que foi até ele de imediato. __Por favor, poderia levar a nayret para o banho?

__Sim, senhor. __A voz dela era suave e fina, mas soava como se fossem duas vozes. Itã estendeu algumas roupas para ela.

__Radi, a acompanhe.

__Si-sim. __Guiara se levantou e seguiu Leyksi até um cômodo, onde se encontrava uma escadaria na entrada, e logo à frente, havia uma grande banheira redonda, feita de madeira. Nas paredes haviam desenhos de paisagens. Guiara banhou-se, e a pequenina a trajou com calças, e uma espécie de sobretudo carmim claro sem aberturam, e ambas se dirigiram para o quarto em que Guiara passou a noite.

__Você ficou linda. __Leyksi sorriu.

__Obrigada. __Guiara se olhou no antigo espelho de corpo inteiro, mas, pensava que ficava estranha naquelas vestes, e voltou seu olhar para a pequenina. __Leyksi... __Tentou lembrar o nome dela.

__Sim? __Sorriu.

__Onde estão seus pais? __Mostrou-se curiosa.

__Estavam na sala de jantar também, por quê?

__Pensei que você fosse uma criança. __Comentou e sentiu-se constrangida quando Leyksi começou a gargalhar.

__Desculpe, vossa alteza. __Ela recompôs-se. __Sou uma satneip muito bem crescida.

Casuki bateu à porta e sem aviso a abriu.

__Está pronta? __Leyksi abaixou as orelhas de elfo, o olhando brava.

__Como você entra no quarto de uma garota desse jeito?! __Leyksi colocou as mãos na cintura.

__Ela já está vestida de toda forma. __Ele deu de ombros.

__Seu tarado! __Casuki abaixou as orelhas encarando-a.

__Quem aqui é tarado?! __Mostrou as presas.

__Você! __Os dois ficaram se encarando, e Guiara sentiu-se deslocada.

__Temos de ir. __Falou com Guiara.

__Está bem. __Olhou Leyksi. __Obrigada.

__Faça uma boa viagem. __Respondeu com um sorriso.

Eles caminharam até o lado de fora do castelo onde haviam alguns guardas, que apenas tinham em comum, os seus uniformes um pouco medievais.

Eles se encontraram com Itã, Névuyli, Escou e Lukariom, e seguiram caminho pela floresta, guiados pelo mais velho. Guiara observou a natureza ao seu redor. O gramado era arroxeado e cercava plantas e árvores das mais variadas, e misturadas, cores. Os belos, pequenos e grandes animais a olhavam com tanta curiosidade quanto ela em relação a eles.

Esrawgody acompanhou três Ons até que encontraram o seu alvo. O grupo percebeu a aproximação dos monstros por conta da agitação das criaturas da floresta, que apavoradas, rugiam e se escondias em suas tocas.

Os monstros avançaram em direção a Guiara que congelou pela surpresa. Itã controlou o vento ao seu redor, formando correntes que deixaram os ons presos no ar. Casuki formou em suas mãos, uma espada de gelo, e avançando, deferiu um golpe profundo no peito de um deles, jorrando seu sangue vermelho ao chão. Escou formou duas espadas de chamas e acertou os outros dois na garganta, enquanto Névuyli abraçava Guiara, de tal modo que ela não viu o que aconteceu.

Os três monstros se desfizeram em pó, caindo sobre a terra e esvaindo com a brisa.

__Você está bem, nayret? __Lukariom perguntou se aproximando dela.

__É claro que ela está bem! __Casuki o puxou pela roupa, fazendo-o se afastar dela. __Eles nem a tocaram, seu imbecil! __O encarou.

Esrawgody que estava os observando à distância, franziu a testa.

__O raéstre é uma garota? __Riu indignado. __Como conseguiu sobreviver até agora? __Observou os rapazes. __Quando eles não estiverem ao seu lado, poderei a matar pessoalmente.

Mal o quinteto voltou a caminhar, Escou estava quase cedendo no chão.

__Você está bem? __Ela perguntou um pouco receosa.

__Estou com cansaço. __Fez biquinho e olhou para Casuki. __Irmãozinho. __Chamou manhosamente e o lobo revirou os olhos.

__O quê?

__Poderia me carregar nas costas? __Pediu mostrando um sorriso radiante.

__Só pode estar de brincadeira. __Escou abaixou as orelhas decepcionado, e ao olhar para Itã, as levantou.

__E você, Itã-*sensei? __Pediu com o mesmo jeitinho.

*Professor.

__Por que não pede ao Lukariom? __Escou olhou para Lukariom que estava sorrindo enquanto acenava.

__Esquece. __Desistiu ao sentir um calafrio.

__Escou. __Casuki o encarou. __Você poderia chamar o seu irechi.

__É verdade! __Alegrou-se. Guiara estranhou a palavra, mas pensou que fosse o que fosse, não poderia ser algo ruim.

__Iaro! __Escou falou enquanto estendia verticalmente sua mão direita em frente ao rosto. Ao seu redor se acendeu um laço de fogo laranja, desenhando um círculo que flutuava na altura de seu coração. Dos céus soou um rugido semelhante a um trovão, e a garota sorriu.

__Venha, Iaro.

Guiara sentiu o temor crescer à medida que o som do bater de grandes asas se aproximava.

Das nuvens surgiu um grande animal, de pelos dourados, com a ponta da calda e asas em chamas, olhos laranjas, um par de finos chifres, e com afiados dentes e garras. Ele mergulhou de cabeça no ar, e após pousar, aproximou-se de Escou, que o acariciou o focinho.

__Isso... __Guiara quase perdeu a voz. __ ...é um dragão?

__É meu irechi, o nome dele é Iaro. __Disse depois de montá-lo. Contudo, não demorou para que Itã parasse a caminhada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...