1. Spirit Fanfics >
  2. A última Targaryen - Hiccelsa (PAUSADA) >
  3. Capítulo 32 - Novo

História A última Targaryen - Hiccelsa (PAUSADA) - Capítulo 32


Escrita por:


Capítulo 32 - Capítulo 32 - Novo


Elsa
═════ ࿇ ═════ 

"Arrogante" insulto-o   sem parar em minha mente enquanto, saio do salão quase correndo e fecho a porta atrás de mim, só diminuo o ritmo dos meus passos quando chego no corredor aberto com vista ao pátio.

━ Elsa! ━ escuto uma voz me chamar logo atrás de mim, parceria ser a voz do Hiccup, mas não paro, nem olho para trás, apenas acelero mais meus passos novamente, não quero falar com ninguém, não agora, minha cabeça já está doendo o suficiente, meus poderes a flor da pele. Juro que  se eu tivesse que aturar a arrogância daquele Geraint por mais um minuto que fosse, eu  explodiria em fractais de gelo. Desde que cheguei, sua desconfiança, indiferença, e ódio brilhante em seus olhos.... me incomodam, e não devia me incomodar disso eu sei, não a esse ponto de sentir meus poderes me quebrando por dentro em descontrole e fúria querendo sair, por que não é a primeira vez que me deparo com alguém que me julga por ser quem sou. Mas... ele... sinto como se tivesse uma energia em sua volta que me afeta e me faz voltar aos meus dias mais sombrios. Recordar memórias que já estavam enterradas a muito tempo. É como se todos pudesse me afrontar mas apenas ele conseguia me ferir. E não devia.

"Criada como uma assassina"  sua voz fica presa em minha cabeça, é agonizante, "Ele não estava mentindo.... mas.... não precisava me lembrar" minhas mãos formigam, ao congelarem por falta de controle e evito olhar pra elas pra não recordar das garras de gelo, mas é inevitável relembrar da sensação de sangue escorrendo pelas garras de  gelo, minhas mãos.

Respiro, tento me tranquilizar, "Isso foi no passado" enxugo as lágrimas que rolavam por minhas bochechas.

━ Cristal! ━ Uso todo meu fôlego para  chama-la  quando paro de andar no meio da  passarela do Palácio e a vejo no patio ao lado do dragão do Hiccup, ela de imediato olha para mim, curiosa e esperando um comando "Eu tenho que sair daqui, nem que seja pra descarregar" me apoio no parapeito da passarela, e assobio chamando-a em um comando óbvio quando me lanço da passarela no ar, a altura da passarela até o chão era de maior ou menos quatro andares, e não demora nada até que Cristal chegue até mim ainda no início da queda livre ━ Boa menina! ━ acaricio sua cabeça enquanto ela bate as asas voando mais alto se lançando aos céus e depois pego as rédeas a direcionando para fora da ilha ━ Eu tenho que descarregar esse frio dentro do peito, antes que eu faça algum estrago. ━ murmuro sentindo as lágrimas que novamente começavam a rolar por minha bochecha e eram levadas pelo vento que soprava forte sobre em meu rosto de acordo com a velocidade de Cristal. Deixando um rastro de névoa pra trás. "Só preciso de qualquer ilha vazia, e me livrar desse sentimento de raiva"

"Ele não é um monstro...repito em minha mente várias vezes "Ele é meu pai"

[...]

Anos atrás

"Presa aos sentimentos e em uma fortaleza erguida de solidão"  suspiro e vou caminhando pelos corredores do palacio, eles estão sempre tão vazios, tristes e escuros, e antes era tão diferente, eu ainda tenho fracas memórias de quando minha mãe era viva, ela preenchia esse Palácio com sua alegria, abria todas as janelas deixando a luz entrar para refletir o esplendor dos móveis embanhados ao ouro, e as armaduras de aço Valiriano prateado que enfeitavam os corredores, tudo refletia sempre tanta luz. Lembro ainda da sua voz, uma doçura de voz, ela costumava cantar todas as noites para mim, quando me colocava pra dormir. Meu pai a amava tanto... Eu a amava tanto... perde-la deixou esse lugar vazio. Perde-la.... mudou tudo aqui. Nos deixou nas trevas da solidão.

━ O senhor queria me ver, pai? ━ Pergunto ao entrar no salão principal, onde o encontro sentando pensativo, em seu trono esculpido e decorado de ossos de dragões, sinto um arrepio todas as vezes que olho para esse trono, ele é  carregado de tanta dor.

━ Sim. Sim. ━ Responde parecendo acordar de um pensamento e perceber que estou ali ━ Griselda me disse que você foi bem sucedida em sua primeira batalha contra os rebeldes. Devo lhe parabenizar, mostrou a eles o porque estamos no comando. ━ Diz mostrando um sorriso no rosto enquanto eu vou me aproximando passando ao lado da larga fogueira redonda e  apagada que ficava ao meio do salão.

━ Foi... uma fatalidade, um descontrole dos meus poderes, eu não queira ter feito aquilo. Só os capturar, mas... não consegui me controlar em meio a tanta desordem. ━ Confesso, escondendo as mãos enluvadas atrás de mim, me dói a lembrança da  batalha... Eu tentei o possível, ser pacífica, conversar, mas quando o primeiro tentou me atacar, meus poderes sairam do meu controle e me defenderam, mas... ver as   pessoas sendo consumidas pelo gelo, ficando presas nos espinhos, quebrando como vidro ao cair no chão... sinto terror em lembrar ━ Eu também não quero... não quero mais lutar de novo. Griselda e os outros senhores da guerra podem lidar com os rebeldes.

━ Essa é uma escolha que você não pode fazer minha, filha! Você tem que se familiarizar a batalha,  o quanto antes, foi treinada para isso.  ━ Fala se erguendo do trono e descendo os quatro degraus para chegar até mim ━ Devemos manter o que sua mãe nos deixou. Esse é o seu legado. ━ Diz em um tom rouco e triste, olhando ao redor do salão com a saudade estampada em seu rosto

━ Mas... não com as pessoas me vendo como monstro! ━ consigo voz para o contrariar, não dar mais... ━ Não quero ser alguém  que no  completo descontrole provoca o terror das pessoas.

[...]

"Eu controlo quem sou"  sinto meus poderes novamente me quebrando por dentro, ao recordar dessa memória... meu pai queria que fosse sua sucessora, para liderar  intangível e fria como, ele, que liderasse usando o medo, mas... depois  de tantas vezes me mostrar relutante a isso, ele resolveu  me fazer noiva de quem acha que é digno para garantir o futuro do império. Então fugi. Abandonei. Deixei pra trás o legado que devia carregar. Me libertei, me conheci em meio a essa nevasca e consegui explorar meu potencial mais criador e bom dos meus poderes. Aprisionando a fera que sinto dentro de mim, acalmando minha alma. Eu não prego a guerra. Mas... ela parece que me persegue

"Sou dona dos meus passos" repito meu mantra, na minha mente quando desço da Cristal assim que ela aterrissa em uma pequena ilha rochosa e sem sinal de habitantes  "Controlo o que faço" respiro fundo tentando me controlar, mas... sinto minha pele se endurecendo em gelo, e minha respiração sair gélida, e meus olhos começam a enxergar tudo azul brilhante...

━ "Sou dona dos meus passos... controlo o que faço" ━  repito meu mantra novamente, porém em voz alta que soou meio agonizante, não vai dar pra conter eles dentro de mim,  dou o sinal com a mão pra Cristal deixar a ilha, para não se machucar.  E ela levanta vôo saindo. ━ Sou... quem sou? ahhh. ━ grito ao libertar a energia gélida de fractais de gelo em profusão, que se espalham pela ilha congelando tudo, deformando e formando estacas e espinhos de gelo.

"Bruxa"
"Monstro"
"Feiticeira"
"Demônio"  
"Ameaça"

As memórias começam a rodopiar com a nevasca que me cerca, as lembranças começam a ganhar forma, momentos dolorosos novamente passando diante dos meus olhos que começam a se inundar em lágrimas. Aperto as mãos em minha cabeça que dói como se tivesse levado um golpe forte, até minha respiração começava a falhar.

"Filha, você não é um monstro, é minha filha, minha herdeira" a voz do meu pai, me puxa daquelas lembranças ruins que me cercavam, e em meio a neve rodopiando vejo o momento mas confortável, seu abraço acolhedor, sua voz esperançosa em me ver bem. Eu me sentia segura. Esse era meu pai... "Ele também não é um monstro" 

━ Mãe... daí-me força. ━ suspiro tranquilizando-me e sentindo meu coração mais leve, meus poderes se acalmam, e a nevasca que me rodopiava para. Dou alguns passos a beira da margem do mar e me ajoelho no chão ao sentir minhas pernas fraquejagem "Ele não é um monstro" fecho meus olhos "Só precisa encontrar seu motivo de continuar, como eu encontrei o meu... em ser livre... mesmo com o destino me dizendo que..." abro meus olhos ━ Meu destino é ficar sozinha. ━ sussurro ao olhar para minhas mãos, sempre vai ser poder demais pra controlar.... ━ É... assumindo ou não o império eu vou ficar igual a você pai... sozinha. ━ me encolhe abraçando minhas pernas ao dobrar os joelhos. E suspiro.

━ Não precisa ser assim! ━ "O que?" uma voz me faz sobressaltar de susto e pronta para atacar mas... ━ Calma! Calma! Sou eu, Hiccup! ━ exclama erguendo as mãos e dando um passo pra trás ficando ao lado do seu dragão e da Cristal que acaba de aterrissar.

━ O que faz aqui?  ━ pergunto séria e em um tom irritada, mas por um lado estou aliviada por ser ele.

━ Eu fiquei preocupado! ━ Diz mostrando isso em sua expressão ━ Ahhh... e eu estava vendo o jeito que decorou a ilha, adorei, como você chama? Ataque de  fúria? ━ Diz em um tom divertido descontraindo um pouco, e me fazendo sorrir

━ Quase isso. Tem algo mexendo com o controle dos meus poderes, estão mais impulsivos. ━ respondo me concentrando a descongelar tudo, e logo a ilha rochosa volta a ser apenas rocha ━ Eret te mandou não foi? ━ questiono cruzando meus braços, só podia ser, com certeza ele teve medo de que eu sumisse de novo. O que não seria uma má ideia sumir.

━ Sim... Mas, te ver pulando da passarela e sumindo nos céus, me deixou realmente  preocupado! ━ conta se aproximando, e nos sentamos de frente para o mar, e nossos dragões ao nosso lado.

━ Eu só precisava ficar só! E... descarregar um pouco! ━ Respondo fazendo uma pedrinha de gelo e a arremessando na água, ela segue saltando até afundar. ━ Tá sendo muita coisa pra lidar de uma só vez.

━ Te entendo... deve está sendo difícil, o término com o seu namorado, uma guerra pra orquestrar... o conflitos com o seu pai. ━ ele comenta pegando uma pedrinha solta e também a arremessando na água.

━ Não... por mais que Nod sempre tenha sido um bom companheiro, não estou triste por deixa-lo...  sei que ele vai ficar muito bem acompanhado, vi como, aquela amiga dele o olhava. ━ Respondo com um sorriso ao lembrar de Catarina ━ Ela é menos complicada que eu! Já sobre o resto.... você está certo. ━ Suspiro ━ A pior parte vai ser lidar com meu pai. Ele  não é o monstro que dizem que é... só está, tomado pela dor... nunca superou a morte da minha mãe. Parte de mim, quer acreditar que ele pode superar e mudar. Mas aquele Geraint....

━ O princípe Jack disse que os motivos de ódio dele são... mais pessoais. Acho que seu pai matou alguém que ele amava. ━ ele me interrompe " Isso explica o ódio mas..."

━ E não superar o torna igualzinho ao meu pai... ━ bufo, e chacoalho minha cabeça tentando parar de pensar no que Geraint havia dito, não quero mais razões para perder o controle. ━ Eu não queria que fosse preciso uma guerra...

━ Mas parece uma saída que não temos! ━ ele diz pensativo com o olhar vidrado no horizonte onde o sol começava a se pôr

━ Você ainda tem! ━ Falo chamando sua atenção e seu olhar verde  parece me perguntar o que eu queria dizer, por que ele não voltaria atrás  ━ Não consigo te entender! ━ confesso com uma risada fraca ━ Qualquer um no seu lugar fugiria do perigo que carrego comigo. Mas você... insisti em ficar por perto.

━ Eu já disse e repito, eu quero ajudar e... Não me arrependo em nada por ter te acompanhado! Olha só... ━ ele ergue os braços ━ Você ampliou o meu mundo da melhor forma possível! Tudo de novo que conheci graças a você eu jamais sonharia que podia  existir. E... esse novo lugar é o paraíso da engenharia! Eles têm navios alados, "a-la-dos". Quero aprender o máximo possível daqui.

━ Entendi.... Você é atraído pela curiosidade. ━ falo, vendo o brilho de alegria em seus olhos quando ele ia falando  ━ E eu pensando que era pelo Eret. ━ dou um  sorriso malicioso e brinco ━ Sempre está acompanhando ele.

━ Por Thor! Não. Ah... Não ━ ele se levanta  e me olha meio sem graça ━ Ele só quer  me empurrar pra... ━ Eu arqueio uma sobrancelha quando ele se cala e parece engolir o resto das palavras que ia dizer

━ Pra? ━ Gesticulei com a mão para que ele continuase, mas ele começa a ficar sem jeito e a corar, e... começo a entender ━ Se apaixonou por alguém não foi? E ele queria te empurrar pra ela. ━ abro um sorriso ao perceber que ele fica mais sem jeito ━ Ela é do Vale da Lua? ━ pergunto curiosa "Será que é a Dawn? Ou a Marianne? Ele passou um bom tempo com elas"

━ O que? Não.... ━ Diz passando a mão na nuca, e desviando o olhar para o mar

━ Seja quem for a sortuda, é melhor não contar muito com a ajuda do Eret. ━ aviso, e  também me levanto ━ Ele só entende de como conquistar nós caçadoras. ━ dou uma piscadela, e uma risada discreta ao lembrar dos cortejos que o Eret fazia as caçadoras alunas de Griselda.

━ É? Que bom saber. ━ ele olha pra mim com um  sorriso e... não entendo "Bom saber por que?"

━ É melhor voltarmos! ━ desvio o olhar para o pôr do sol que já estava  se escondendo quase que por completo ━ Amanhã cedo já começamos a avaliar os planos e possibilidades de invasão a Westeros. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...