História A Única - Capítulo 37


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Tinker Bell, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emmaswan, Regina Mills, Swan Queen, Swanmills, Swanqueen
Visualizações 471
Palavras 3.584
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura, espero que gostem.

Capítulo 37 - 37 - Você está ferrada Mills


- Regina? Ma..mas o que você tá fazendo aqui? Por que não me disse nada sobre vir, ou você é o efeito dos meus copinhos de tequila? - expresso um tanto incrédula.

- Não sou efeito de tequila, Swan. - diz rindo - Vim com o intuito de lhe surpreender e pelo jeito consegui. Agora vem me abraçar que eu estou morrendo de saudade. - a cada palavra dita a mesma se aproximava com os braços estendidos.

Me atiro em seus braços lhe apertando fortemente.

- Por Deus, morena, que saudade. - sigo a expremendo e sou retribuído da mesma forma.

- Se Maomé não vai a montanha, montanha vai á Maomé não é mesmo? - diz ao se soltar e me encarar com suas sobrancelhas arqueadas.

- Acho que é isso sim. Me diga, quando chegou? Cadê suas malas? - franzo o cenho ao perceber que não havia sequer uma bagagem no corredor.

Regina suspira e coloca as mãos no bolso da calça de couro.

- Cheguei à dois minutos mais ou menos, ao que me parece não estava em casa né?

- Não estava, inclusive voltei para dar a comida da Addison e dos meus netos, os pobrezinhos devem estar famintos - por um estante desvio meu olhar de Regina e pego o chaveiro em meu bolso - vamos entrar? - aponto a porta do meu apartamento e ela assente.

Ao adentrar em meu lar corro direto a cozinha pegando o pote com a ração, em seguida busco o sachê de carne que se mistura dentro do armário. Sabendo que minha gata e seus filhotes já tem o costume de correr para suas tigelas apenas por ouvir o barulho da ração no pote balanço a vasilha e em segundos meus bebês chegam as suas respectivas tigelinhas.

- Hey, meus bebês, perdoem a voada da vovó - me agaixo acarinhado cada um dos felinos incluindo Mushu que havia se tornado parte fiel da família - agora tenho que ir pois estou com uma visita, aliás meus amores me desejem sorte e alto controle - murmuro a frase final para não correr risco de uma certa mulher escutar.

Quando volto a sala me deparo com a morena de boca carnuda olhando cada parte do lugar com curiosidade.

- Bem vinda. Desculpe te deixar sozinha aqui, mas eles estavam com fome á um bom tempo.

- Não há problemas, inclusive adoraria conhecer os felinos.

- Ah, claro. Vem comigo - segurando em sua mão a levo em direção a cozinha - Regina essa coisa grandona é a Addison, o cara de vagabundo é o Mushu e essas coisinhas lindas são meus netinhos.

Nos abaixamos bem pertinho dos pequeninos.

- Eles são fofinhos demais - sua voz sai infantil - da vontade de apertar. Pelo jeito a ruivona não me curtiu. - fala quando Addi lhe arranha levemente.

- É ciúmes dos filhotes, ela ataca até eu que sou a mãe dela. - sorrimos - Você ainda não me respondeu quanto as suas malas.

Voltamos a ficar de pé.

- Estão no hotel. As deixei lá e vim rapidamente para te ver. Apartamento maneiro.

Meu coração parecia uma escola de samba, a mulher mal chegou a Vancouver e veio correndo ao meu encontro, como assim?

Eu não vou me aguentar.

- Nem pensar que você vai ficar num hotel havendo quarto de hóspedes nessa casa...

- Ems, não quero dá trabalho - me interrompe.

"Ems", isso me da uma balançada, mas me recomponho.

- Não existe trabalho algum em hospedar uma amiga.

Noto sua expressão alegre ser um pouco quebrada com a palavra "amiga".

Meu celular volta a vibrar no bolso. Era Elsa com mais uma de suas mensagens. Por minutos tinha me esquecido completamente que estava em uma balada e teria que voltar.

- É alguma coisa grave, Emma? Sua expressão não parece muito boa - sou questionada.

De maneira alguma poderia deixar a louca da Elsa encarregada de cuidar da Mulan, muito menos largar Regina sozinha em minha casa, isso estava cem por cento fora de cogitação.

- Morena, o que tu acha de curtir sua primeira noite em Vancouver num lugarzinho bem bacana por aqui? - proponho mordendo o lábio inferior com nervosismo.

- Eu topo.

...

Durante o trajeto que fazia voltando a danceteria, havia combinado com Regina que na volta passaríamos no hotel que ela tinha feito reserva para buscar suas malas além de lhe ter confessado o motivo pelo qual retornava a boate. A morena parecia empolgada de se encontrar com sua querida Elsa, mal sabia a encrenca que a loira se tornava estando bêbada.

Para mim ainda era inacreditável acreditar que Regina estava bem ali ao meu lado em Vancouver, nem em meus melhores sonhos algo assim se passava em minha mente o que é uma besteira já que é uma coisa fácil e de comum acesso.

Segurando nas mãos macias que a morena tinha abri o caminho entre a multidão até chegar em minhas amigas.

Pelo jeito não é apenas eu que levei um baita susto com a presença da mulher ao meu lado.

- Eu já bebi tanto a ponto de ver coisas? - Elsa dizia alterando o olhar entre a bebida e Regina.

- Se a "coisa" que está vendo sou eu então fique tranquila pois você está ótima apesar de estar visivelmente alcoolizada - falava alto para a loira escutar em meio a música. Pelo que se via o local estava enchendo.

- Regina, querida. - as duas trocam um forte abraço de saudosismo, em pensar que só se viram uma vez e Regina queria comer o fígado de Elsa.

Ambas começam uma conversa paralela ao pé do ouvido. Analiso o bar checando aonde estaria Mulan e Aurora que eu não havia encontrado com os olhos.

- Elsa cadê Mulan e Aurora?

- A Aurora foi dançar um pouco e nossa querida asiática foi vigiar a prometida. - gargalha - Ainda bem que você chegou, da umas dicas pra Mulan disfarçar porquê do jeito que vão as coisas Aurora vai sacar que ela tá super afim, gente eu tô zonzinha. - diz sua última frase meio cambaleando.

Como uma pessoa sensata Regina a pendura em seus braços e a levamos até os bancos altos do bar.

- O que veio fazer aqui Regina? Você e Emma voltaram? - a pergunta da loira me deixa um pouco constrangida.

- Bom, vim fazer uma visita a Emma e também pretendo ver alguns assuntos. Quanto a voltarmos... quem sabe se a Emma pedir com jeitinho... - morde o lábio inferior de modo sexy em minha direção.

Agora eu é quem acho que estou vendo e ouvindo coisas. Essa mulher é o inferno.

...

Será que essa mulher não entende que eu sou completamente apaixonada por ela? Estou dando o máximo de mim para que essa amizade siga pois é maravilhoso ter ela ao meu lado, mas ela está me obrigando há um esforço sobre humano. Qualquer pessoa que nos visse não teria dúvidas que se trataria de um belo casal, suas mãos seguravam em minha cintura por trás me abraçando como um urso panda enquanto seu rosto ficava em meu pescoço e vez ou outra selava um beijinho em meu rosto ou simplesmente acarinhava minha bochecha com a sua.

E eu? Não me fazia de boba aproveitando aquele instante passando meus braços por cima dos seus em minha cintura. Se sua intenção era mexer com os meus sentidos faria o mesmo com os dela.

Elsa já tinha ido e voltado diversas vezes da pista de dança e parecia apenas colaborar com as "sutilezas" de Regina, sempre que voltava de alguma dança instigava algum tipo de chamego por parte da morena para comigo. Espero que minha sensatez se atente com essas duas.

Aurora e Mulan pareciam ter dado um chá de sumiço o que me fazia pensar se de alguma forma minha amiga asiática não teria curado a heterossexualidade da mais nova.

Elsa vinha na nossa direção mais uma vez.

- Achei Mulan e Aurora e o bicho pegou, parece que certas pessoas tava se atracando com alguém e a outra viu.

Pouco ao fundo noto ambas as mulheres chegando. A cara da asiática era péssima.

- Opa, olha quem tá de namoradinha - a sorridente Aurora se aproxima e trocamos um cumprimento - ótimo ver que está superando a tal Regina.

A mulher abraçada a mim me encara com expressão sarcástica.

- Na verdade Aurora, essa é Regina Mills. - falo entre dentes - Regina está é Aurora Bolger minha amiga e uma das maiores responsáveis pela área de exportação em Toronto. Aurora está é minha amiga, Regina - saio dos braços da morena para que ambas possam se abraçar.

- Eu sempre cometendo mancadas com a chefe. - Aurora comenta nos fazendo sorrir.

- Já estou acostumada. Aonde vocês se meteram que já voltei a horas e não tinha as visto? - questiono olhando para a asiática que permanecia quieta.

- Estávamos dançando, aí apareceu um carinha... e, sabe como é né. Mulan me ajudou a chegar nele, você sabe como sou tímida, ela foi uma verdadeira amiga. - por fim abraça Mulan que lhe devolve um sorriso fechado.

Pobre Mulan.

- Bem, Regina gostaria de lhe apresentar Mulan Chang uma das minhas melhores amigas e fiéis funcionárias, junto à ela e Elsa formamos o melhor trio de Vancouver. - sorrio ao concluir.

Regina que parecia analisar bastante a mulher desde que chegou vai até a mesma e estende uma das mãos.

- Prazer Mulan, devo lhe confidenciar que me simpatizo muito mais com você desde que cheguei.

- Sério? E por quê?

- Digamos que a melhor amiga de Swan me fale muito sobre você, principalmente da sua beleza, inteligência e o fato de ser vizinha da Emma, talvez eu tivesse uma ideia precipitada sobre ti.

Sua confissão me pega desprevenida.

- Olha Emma a mulher tá deixando na cara que te quer na cama dela, se você não for com tudo eu juro que viro lésbica só pra ficar com ela. - Elsa sussurra em meu ouvido.

O que você quer de mim Regina?

...

Regina era uma máquina de fazer amizades em tão pouco tempo ao lado das outras três mulheres já conversavam como se conhecessem a anos e assunto era o que não faltava. Sua surpresa quando soube que Aurora era uma especialista na área de logística fora notável e a mesma engatou numa conversa sobre o assunto com a moça enquanto ao lado da bêbada e filosófica Elsa eu conversava com Mulan.

A asiática explicitava seu entendimento que entre ela e Bolger nada passaria além de uma fiel amizade e que sua tristeza e mal humor eram corriqueiros.

Mais uma hora na danceteria e resolvemos ir embora. Como previsto eu seria a motorista da rodada. Ao meu lado estava Mulan e nos bancos traseiros Elsa dormindo, Regina e Aurora. A mais nova conseguiu roubar toda atenção que a morena me consedia outrora.

Ao chegar no condomínio que Frozen residia as outras mulheres decidiram dormir por lá mesmo e assim levaram a loira em seus ombros restando somente eu e Mills no veículo.

- Vamos ao hotel pegar suas malas, madame? - questiono a olhando, agora a mulher se sentava no banco do carona. Recebo um aceno positivo de cabeça.

- Suas amigas são bem legais Ems, foi uma noite bem divertida.

- Fico feliz em ter lhe proporcionado uma primeira noite boa na minha cidade querida.

Durante todo caminho relembramos de coisas que se sucederam na boate e demos boas gargalhadas com as garfes de Elsa. Pouco tempo depois de estacionar em frente ao hotel aonde Regina ficaria hospedada a morena junto de um dos funcionários volta com algumas malas, depois de as deixar no bagageiro a morena sem graça diz sorrindo:

- Espero que não se sinta incomodada de me abrigar em sua casa até terça-feira.

Arregalo os olhos.

- Nossa tanto tempo assim? Vou acabar dando meia volta e lhe deixar novamente no hotel. - dou risada - Regina mesmo que fosse um ano, jamais me importaria com isso, muito pelo contrário fico inegavelmente feliz ao seu lado. - e como resposta recebo um sorriso que mostra quase todos os seus dentes perfeitos.

Aquele sorriso poderia levar a paz ao mundo com toda certeza.

_________________________________________

- Ems, vamos levantar dorminhoca. - ouço uma voz distante, mas não consigo distinguir.

Só quero permanecer no meu agradável sonho aonde após um dia cheio de reuniões volto para casa e encontro uma bela morena a minha espera na espaçosa cama apenas de lingerie.

- Querida, vai acabar atrasada. Não se esqueça que tem reunião e ainda ficou me devendo um passeio pela cidade.

Aos poucos me recobro e começo me espreguiçar virando para ver quem me acordava.

- Bom dia - franzo o rosto - que horas são? Isso é café da manhã?

- Bom dia - sorri - pode ficar tranquila ainda é cedo, coloquei meu celular para despertar antes do seu para fazer um café da manhã digno já que soube que você está sobrevivendo de macarrão instantâneo de manhã até ao anoitecer.

"Minhas amigas são umas bocas abertas"
- penso.

- Acabamos dormindo no sofá não é mesmo? - prossigo nosso diálogo pegando a bandeja que continha uma xícara de café preto e misto quente.

- Sim, não imagina como estávamos quando acordei, sua mão estava em minha cintura e minhas pernas por cima de você, além do meu rosto estar nos seus seios confesso que fiquei tentada a colocar um deles na boca - inacreditável como sua fala é natural enquanto tenho certeza que estou vermelha.

Agradeço aos céus por não ter acordado primeiro e nos encontrar dessa forma. Em algum momento da noite enquanto conversávamos vendo um filme qualquer depois da volta para casa devemos ter pego no sono ali mesmo. Suas malas ainda estavam num canto qualquer da sala.

- Antes de voltar a Storybrook você terá que me ensinar a cozinha, isso aqui tá muito bom. - coloco o último pedaço do misto na boca e bebo o restante do café - Vou alimentar meus bebês e me banhar, gostaria de conhecer a sede da Única?

- Já contava com isso para falar a verdade - confessa - e fique tranquila que sua filha e seus netos estão ótimos já os alimentei direitinho, agora poderia me mostrar onde ficará meu quarto e o banheiro? Também quero me banhar.

- Claro.

Depois de deixá-la devidamente acomodada me retiro para começar mais uma rotina diária.

...

Uma hora e meia mais tarde chegávamos a recepção de entrada da minha empresa, minha acompanhante olhava tudo atentamente parecendo um pouco deslumbrada ou talvez inacreditada.

Como sempre muitas pessoas se dirigindo a mim com saudações de bom dia e recebendo meu cumprimento de volta. Outra coisa que não se passou imperceptível por mim era os olhares que alguns funcionários miravam na direção das minhas mãos enlaçadas as de Regina, coisa que eu mesma não havia me dado conta até o momento.

Acionando o botão para o andar que teria reunião finalmente a morena resolve falar alguma coisa.

- É inacreditável pensar que tudo isso é seu, pior ainda é saber que tem mais. - termina com um assobio de quem está impressionada me fazendo gargalhar.

- Deixa de ser boba. Está aqui é a sede, normal que fosse a maior e eu tenho muitos sócios além do senhor Leopold que ainda é um dos maiores investidores. Sozinha nada disso aconteceria. - deixo claro que aquilo vai além de mim.

Saindo do quadrado de metal, passo meus braços pelos ombros de minha amiga a conduzindo.

- Meu bem, agora tenho uma reunião como você sabe. Que tal você ficar na minha sala e quando eu terminar lhe mostro tudo por aqui? - paramos no meio do salão com as divisórias que definiam as salas.

- Aceito que me apresente tudo, mas eu meio que já combinei com Aurora que ficaria na sala dela para conversamos algo ontem a noite, tudo bem?

- Tudo ótimo, deixa eu ir antes que me atrase.

Nos aproximamos para uma breve despedida e surpreendentemente como imãs nos atrapalhamos e selamos os lábios.

- Que desastradas meu Deus! - falo rindo dessa brincadeira do destino.

- Pois é, vá logo para a sua reunião. - também sorri e com um gesto me "expulsa" para a reunião.

_________________________________________

O dia de trabalho nunca havia sido tão agradável para não dizer maravilhoso. Finalizada a reunião que abordava aperfeiçoamento a próxima demanda de roupas para gestantes me voltei a sala de Aurora acompanhada de Mulan e Elsa. Juntas as cinco almoçamos no restaurante próximo a empresa.

Ao voltar cancelei todas as atividades daquela tarde me dedicando a mostrar cada cantinho daquele prédio para minha acompanhante. Regina se mostrava orgulhosa de tudo aquilo o que me deixava extremamente feliz e fazia com que tudo trouxesse emoções em dobro dentro de mim.

Passava das quatro da tarde quando saímos em definitivo da empresa. Como prometido levei Regina aos pontos turísticos mais famosos da cidade que continham o dobro da beleza durante o outono.

- Não sei se é por causa da guia ou pela estação, mas tenho que admitir que estou cada segundo mais apaixonada por esta cidade. - pelo seu tom com certeza o que dizia era verdade.

- Não tem como não se apaixonar por isso aqui, vai ver que até terça não vai mais querer voltar para casa.

- Quem sabe eu não fique de vez em? - da uma piscadela.

Esse sem sombra de dúvidas seria o meu maior presente. Em resposta lhe dirijo um sorriso.

...

As noites de outono costumam ser geladas e por esse motivo voltamos ao meu lar para tomarmos um banho e partimos para mais uma saída que dessa vez seria um filme no cinema, deixaria para apresenta-la mais belos lugares de Vancouver amanhã durante o dia e já tinha até um lugar que ela iria amar em mente.

Aproveitei o tempo de seu banho para deixar meus gatinhos com a outra vovó no apartamento ao lado.

Ao voltar a casa encontro minha "ex" me esperando. Ela estava divinamente bela em uma blusa decotada preta e calça de mesma cor, botas e uma jaqueta militar longa, no rosto uma incrível maquiagem com direito a batom vermelho e brincos de argola; Perfeição descreveria a mulher.

- Tô me sentindo um urubu perto de você.

Sua gargalhada enche a sala.

- Meu Deus, Emma. Você está linda assim até parece uma noiva. - diz meio abobada.

Isso se devia pelo vestido longo e branco que eu vestia sem dúvidas, porém era bem simples colado ao busto e folgado ao longo.

- Vamos senão perderemos a sessão.

- Me daria a honra? - estende seus braços como uma cavalheira e após nos entrelaçarmos seguimos rumo ao cinema.

_________________________________________

Assistimos a animação "Os Incríveis 2" e me arriscaria a dizer que o filme teria superado seu antecessor.

- Sei que és a melhor cozinheira do mundo, mas quero lhe convidar para comermos uma pizza.

- Só se for metade pepperoni. - aceito sua condição.

Pedimos uma pizza metade quatro queijos, metade pepperoni para levarmos.

Mais uma vez em casa vou a cozinha buscar os pratos, talheres e copos enquanto a morena colocava o alimento na mesinha de centro.

- Foi um dia incrível Emma, você daria uma ótima guia turística.

- Seria um hobbie bacana - mordo um pedaço da fatia - gostando da cidade?

- Adorando cada lugar, até mesmo o filme parece que foi melhor nesse cinema do que em qualquer outro.

Sorrio.

- Me encontro apaixonada pelo Zezé - prossegue falando do bebê do filme - é a coisinha mais linda.

- Concordo contigo.

- Sabia que se tivéssemos um filho seria bem arriscado ser idêntico ao Zezé? Não ri de mim. - pede quando começo a rir de boca cheia - Tô falando sério Emma, loirinho assim como você e adorável, aliás você parece uma noiva assim, que tal nos casarmos agora e começarmos a praticar os nossos Zezés? - sugere piscando um olho sugestivamente.

Fico vermelha como tomate maduro.

- Regina, se controla. - bebo um gole de refrigerante.

Ela suspira.

- Emma, olhe para mim. - a obedeço - Sabe o que eu vim fazer aqui? Ver uma amiga da qual estou morrendo de saudade e adivinha só, desde que coloquei meus pés nessa cidade á última coisa que vejo é uma amiga pois só consigo me apaixonar a cada segundo mais pela mulher que eu amo, então por favor me beija. - sua voz sai com sofreguidão.

A observo com expressão aflita de olhos cerrados. Eu tô raciocinando direito?

- Rê - começo cautelosa - acontece que se eu fizer isso eu vou acabar te amarrando ao pé da mesa e não vou deixá-la ir embora de modo algum.

- Então me prenda, Emma. Me mantenha para sempre contigo, meu amor.

Largando totalmente o controle que me forcei a usar durante as últimas vinte e quatro horas tomo seu belo rosto em minhas mãos e com os lábios deixo um beijo em cada cantinho dele.

- Você está ferrada Mills porque a partir de agora você é inteiramente minha, para sempre.

- Eu sou sua a muito tempo, amor, mas pare de falar e me beij... - a interrompo da melhor maneira existente.

Beijando-a da forma mais lenta e apaixonada possível.


Notas Finais


E aí gostaram?

Olha que vem mais surpresinhas por aí.

Volto o mais rápido possível, até.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...