História A única fissura real de um plano perfeito - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias La Casa de Papel
Personagens Ángel, Denver, Mãe da Raquel, Mônica Gaztambide, Nairobi, Professor, Raquel Murillo, Rio, Tókyo
Tags Assalto, El Professor, La Casa De Papel, Raquel Murillo
Visualizações 136
Palavras 1.317
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E o plano finalmente começa a tomar forma... Boa leitura

Capítulo 4 - Cap 4


Fanfic / Fanfiction A única fissura real de um plano perfeito - Capítulo 4 - Cap 4

Matadi - República Democrática do Congo

 

Um ano após o roubo,  Nairóbi/Agata tinha achado algo pra fazer com seu tempo e dinheiro, já que não pôde proteger o próprio filho iria fazer isso pelo filhos dos outros, usou os documentos falsos que o professor conseguiu fez alguns cursos breves de primeiros socorros e se juntou à um grupo de voluntários em lugares de difícil acesso a tudo, aquelas crianças não tinham comida, água, cuidados médicos, saneamento básico, e Nairóbi ajudava como podia, isso a trazia paz, e ao mesmo tempo angústia porque era injusto que tantos corruptos no mundo todo vivessem esbanjando dinheiro público com coisas supérfluas, e aquelas crianças sem nada, alguém um dia traria alguma mudança, e em seus sonhos as vezes pensava que esse alguém poderia ser o professor.

 

Nassau - Bahamas 

 

Tóquio/Silene e Rio/ Aníbal passavam os dias fazendo sexo e Rio jogava vídeo games, compraram uma ilha, então curtiam a praia e o melhor que a vida de um casal de milionários tinha a oferecer, Tóquio as vezes se sentia entediada, com vontade de sentir a adrenalina, como na época do roubo, mas amava Rio, e ele a amava, então tudo estava bem, mas o êxtase que tiveram depois do fim do roubo estava cada vez mais inexistente, e pensava constantemente em mudar de vida, mas Rio parecia tão feliz, ela não se sentia a vontade de partir o coração do garoto indo embora, mas era fato que precisava de algo para se sentir viva, as vezes se pegava imaginando que o professor os chamava pra um novo grande assalto e isso a faria imensamente feliz e viva.

 

Zurique - Suíça

 

Dever/Ricardo e Mônica se mudaram para a cidade com a melhor qualidade de vida do mundo, era o melhor lugar possível para criar uma criança, era muito pacífico por todo lugar, Denver demorou para aprender italiano e francês mas conseguiu, Mônica o ajudava sempre, não só com o idioma, mas o ensinava várias coisas que ele não sabia, e constantemente ele se auto declarava como um burro que não a merecia, mas ela sempre sorria dizendo que ele apenas não recebeu uma boa instrução, mas que tinha um bom coração e isso era o mais importante, um ano após o assalto sua rotina se resumia a cuidar o bebê que Mônica decidiu chamar de Agustín, deixando Denver ainda mais apaixonado por ela, Mônica constantemente lia tudo sobre a criação dos filhos, e também sobre a qualidade de vida nos países mais pobres, e sentia muita pena das crianças que jamais teriam as mesmas oportunidades que Agustín, que passariam uma vida de privações, queria que alguém fizesse algo por essas crianças, algo pelos mais necessitados.

 

Sérvia

 

Depois que voltou para seu país, Helsinque nunca mais quis se envolver crimes, dedicou a vida apenas a cuidar de sua família.

 

Palawan- Filipinas 

 

Depois da conversa que tiveram cada um virou para um lado da cama, mas nenhum conseguiu dormir, Sérgio pensava que ela tinha razão, com as habilidades deles dois juntos poderiam fazer qualquer coisa, Raquel era muito mais que uma mulher bonita, ela era brilhante, não era a toa que foi designada para o caso do assalto a casa da moeda, pensou em todas as vezes que ela esteve tão perto de pegá-lo e conseguiu, só não o prendeu porque não quis, mas ainda sim, seu pai e Berlim foram fuzilados durantes roubos, se planejassem algo, ela poderia ter o mesmo destino, ela poderia ir presa e nunca mais ver Paula, e ele já se culpava demais por ter envolvido ela, não poderia arriscar de novo. 

E ela do outro lado da cama só conseguia pensar que teve uma ideia pra gerar talvez uma onda de protestos gigantes, talvez a maior no mundo todo,  mas jamais poderia colocar em prática sem a ajuda dele, enfim pegou no sono, e acordou com os raios de sol passando pelas frestas da janela, batendo em seu rosto, e sorriu, era um sonho estar naquele paraíso, olhou pro lado e não viu Sérgio, e então o chamou 

- Sérgio?! 

E ele entrou no quarto trazendo uma bela bandeja de café da manhã, ela se sentou, ele colocou a bandeja em cima do colo dela e se inclinou para beijá-la, e ela virou o rosto e tapou a boca com a mão.  

- Não, eu estou com mau hálito, não escovei os dentes ainda, e riu. 

- Eu não me importo, disse ele, agora coma porque vou te apresentar esse paraíso todo, e depois vamos até o hotel fazer check-out e pegar suas coisas, isso se você quiser, porque nós podemos comprar tudo novo e deixar aqui pra quando voltar, o que acha?

- Eu acho um exageiro um guarda roupas novo, mas eu acho que seria bom fazer umas compras, não só pra mim, pra você também, cansei de ternos, vamos comprar umas roupas mais esportivas, você está na praia afinal.

Ele conseguiu roubar um beijo e disse que tudo bem, ela colocou um biquíni, com uma regata branca, e um shorts jeans mais curto do que Sérgio gostaria, mas ela estava na praia e seu corpo era belíssimo, cada vez que ele olhava se sentia um adolescentes pelas reações que seu corpo tinha somente em olhar aquela mulher, e assim foram até a praia, caminharam, até que ela decidiu entrar na água, ele apenas a observou no mar, sorria como um bobo, pensando no quão sortudo ele era, quando ela saiu, ele a ajudou a se enxugar e ela colocou a roupa novamente e voltaram a caminhar falando sobre os mais variados assuntos

Quando de repente ele a perguntou

- Aquele dia, quando chegou a casa de Toledo, como percebeu tão rápido que não tinha pistas aproveitáveis ali e resolveu chamar a polícia científica?

- Foi bem óbvio na verdade, alguém tão meticuloso não deixaria os planos expostos daquela forma e digitais em toda a parte, era como se você quisesse que a polícia encontrasse aquilo pra morder o próprio rabo. 

- Você tem razão, mas eu achei que perderia no mínimo 3 dias investigando tudo aquilo. 

- Você subestima demais a polícia, Sérgio, quando Angel te seguiu e pegou aquela colherzinha, não foi por descuido, foi por subestimar a polícia, você calculou tudo muito bem, menos a hipótese de que os policiais fosse atrás de pistas por fora da investigação, principalmente Angel, você nem o levou a sério até saber que ele descobriu sua identidade.

- A minha decisão sobre um novo assalto ainda é não, mas só por curiosidade, me conta qual a sua ideia?

- Então quer dizer que ficou curioso, pois saiba que pra descobrir vai ter que me pegar, e saiu correndo em disparada deixando Sérgio pra trás, ao final do dia voltaram pra casa com algumas sacolas de compras, e a mala que ela tinha deixado no hotel, tomaram banho e foram preparar algo pra comer, quando Raquel começou a falar

- A maioria das pessoas mais ricas do mundo envolvida em algum escândalo de corrupção tem algo em comum, o que é?

- Poderia ser pagamento de propina, mas o mais comum é sonegação de impostos.

-E quando alguém quer sonegar impostos pra onde manda o dinheiro normalmente? 

- Ilhas Cayman ou... Suíça... É claro o maior banco central do mundo, o BIS (Bank International Settlements, ou Banco Internacional de compensações)  fica em Basileia na Suíça... 

- Exatamente, se alguém entrasse lá com um hacker experiente, poderia zerar a conta de alguns figurões e o mais importante, expor esses nomes para o mundo todo, gerando assim a maior onde de protestos do mundo, fazendo com que todos os corruptos em breve caíssem um por um. 

- Mas todo o dinheiro seria facilmente rastreado independente de pra onde mandassemos.  

- Tem um jeito, mas porquê o interesse se não vai me ajudar?! 

- Tem razão, vamos esquecer esse assunto, sim?! 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...