História A verdade é que...- (Yeorim) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Loona
Personagens Choerry, Personagens Originais, Yeojin
Tags Choerry, Yeojin, Yeorim
Visualizações 51
Palavras 2.598
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Lá estava eu vagando nos meus pensamentos sobre minha vida quando essa ideia de fic surgiu. E achei que Yeorim seria o melhor shipp pra usar aaa.
Nas notas finais explico melhor, é importante.
Desculpa qualquer erro aí kkk

Capítulo 1 - Capítulo único.


Im Yeojin havia acabado de fazer vinte e um, estava sentado no degrau da escada vendo um monte de gente estranha em sua casa se divertindo mais do que ele que era o aniversariante. Até que avistou uma pessoa conhecida sentar do seu lado, era Jo Haseul, a sua meia-irmã.

— De quem foi essa ideia besta? — ele questionou levemente irritado.

— Da sua melhor amiguinha, eu disse pra ela que isso não ia agradar você mas sabemos como ela é. — a Jo deu um gole na sua bebida. — Pelo menos o bolo tá delicioso.

— É, nisso tenho que concordar. — deu de ombros enquanto encarava o seu copo.

— Como foi lá em Londres? Você nem chegou a comentar sobre. — a mais velha parecia curiosa.

Yeojin tinha viajado para Londres por uns dez meses pra participar de um projeto, havia chegado na Coréia uma semana atrás. Desde a sua chegada, resolveu ficar em silêncio e não mencionar os dias constrangedores que passou por lá.

— Conversamos sobre isso outra hora. — desviou do assunto.

— Não vai me dizer que te desrespeitaram por ser transexual? Ah não acredito nisso, vou reclamar com...

— Não foi isso, Seulie. — o garoto suspirou.

Sim, Yeojin era transexual. No começo a sua mãe não acreditou nisso, mas Haseul sempre notou como o garoto se sentia incomodado com o seu corpo e conversou com a mulher que com o tempo aceitou. Haseul era filha do primeiro casamento e Yeojin filho do segundo casamento de sua mãe, a mulher sempre pedia divórcio pois se "cansava fácil". O rapaz nunca optou mudar seu nome, achava bonito demais para mudar assim e também não ia sentir dor de cabeça com a troca de documentos.

— Eu vou passar na casa da Vivi, mas depois quero que você me explique essa história. — deu um beijo na testa do irmão mais novo. — Feliz aniversário. — disse e foi embora.

— Finalmente te achei. — Yerim apareceu alegremente. — Te procurei por toda a parte.

— Não minta, eu vi que você tava agarrado naquele irrelevante o tempo todo. — o Im revirou os olhos.

— Ciúmes, Im Yeojin? — a Choi sentou no lado do rapaz. — Fica tranquilo, não vou te trocar. — se agarrou no amigo e beijou sua bochecha.

Yerim era a melhor amiga do garoto, desde o tempo que Yeojin era "ela", fez questão de acompanhar o garoto em todas as sessões, acompanhar de perto a transição, a sua evolução. Não podia negar que sempre teve uma quedinha por ele antes mesmo disso tudo porém nunca teve coragem de dizer isso. Com o tempo essa sua quedinha boba foi virando uma paixão e agradecia aos deuses que o garoto nunca ficou com alguma garota — era o que preferia acreditar, já que o amigo nunca mencionou algo a respeito — mas isso as vezes intrigava a Choi. Cogitou a possibilidade do amigo ser gay mas também notou que Yeojin não demonstrava interesse em rapazes, acreditava que o Im gostava de garotas mas nenhuma delas fazia seu tipo.

— Você chamou um monte de gente estranha na minha casa, o combinado era eu e você e não eu, você e eles. — se refiria a multidão, estava causando um certo desconforto.

— Desculpa por isso, achei que você ia gostar...— a Yerim abaixou a cabeça, se xingava mentalmente por fazer aquilo, conhecia muito bem o amigo que tinha e fazer uma festança foi um grande erro.

— Vou pro meu quarto. — ele se levantou ainda segurando o copo de plástico. — Boa festa. — subiu cada degrau vendo aquela festa com certo desgosto, por ver as pessoas quase se comendo pelos cantos da casa.

No dia seguinte, Yeojin acordou com cara de poucos amigos, foi no banheiro e ficou lá por um bom tempo, vestiu qualquer roupa e saiu do quarto, quando estava no topo da escada viu que sua casa estava limpa. Desceu degrau por degrau procurando algo mas não achou nenhuma sujeira ou bagunça, foi pra cozinha todo desconfiado e viu uma cena surpreendente.

Choi Yerim estava preparando o café da manhã.

— Bom dia, docinho. — a Choi deu um grande sorriso e abraçou o amigo por trás.

— Você que fez tudo isso? — questionou surpreso.

— Tenho vinte e dois anos nas costas, já tava na hora de eu aprender a cozinhar. — a garota falou. — Vivi que me ensinou, durante esses meses que você ficou em Londres tive que me ocupar perturbando outra pessoa.

— Isso tá muito bom. — falou enquanto mordia uma pedaço da fatia do bolo de laranja. — Parabéns.

— Yeo, eu queria pedir desculpas por ontem. — a garota evitava olhar nos olhos do Im. — Eu me empolguei tanto com a chegada do seu aniversário que achei que fazendo uma super festa ia ser legal.

— Você sabe que odeio essas coisas, Choerry. — a Choi deu um sorrisinho ao ser chamada por esse apelido.

— É, eu sei. — a Choi suspirou. — Me perdoa?  — Yeojin não conseguia sentir raiva da sua melhor amiga e ela parecia mesmo arrependida.

— Tudo bem. — deu de ombros e bebericou um pouco do seu café.

— Hoje vai ser apenas eu e você, assim como você queria no começo de tudo, que tal?

— Me parece justo. — ele disse por fim.

Durante o dia todo os dois ficaram conversando, jogando e assistindo um filme aleatório que passava na tv.

Como foi em Londres? Não vi você comentar. — Choerry estava sentada no sofá enquanto Yeojin estava com a cabeça apoiada em suas coxas e com o olhar fixado na tv.

— Normal. — respondeu de maneira simples. Foi o suficiente para a outra desconfiar.

— Você está mentindo, foi todo empolgado e voltou todo calado. — dessa vez ela fez o rapaz virar seu rosto para poder encarar. — Conta pra mim.

— Outra hora eu conto, vamos voltar ao filme.

Londres (10 meses atrás)

— Yeojin, Yeojin!

— O que foi agora, Katy? — perguntou sem ânimo, estava cansado demais por conta dos estudos do projeto.

— Vamos se reunir com o pessoal, em comemoração a nossa evolução. — Katy sorria de maneira aleatória.

— Vai muita gente?

— Não. Vai ser legal, vamos?

— Pode ser. — o Im deu de ombros.

Lá estava Yeojin reunido com os seus colegas, entre eles alguns coreanos, britânicos e brasileiros. No total eles eram quinze, todos conversavam bastante até chegar num assunto que o Im evitava falar.

— Eu sabia que você era sapatão! — Rafael gritou em português.

— O que ele disse? — Yeojin perguntou para Heejin já que a garota havia morado no Brasil por um ano, queria uma tradutora.

— Ele sabia que a Luíza é lésbica. — ela traduziu para a língua coreana.

— Por favor grite numa língua que todos nós entendemos. — Sophie pediu e todos concordaram.

— Ah foi mal. — Rafael falou em inglês.

Todos começavam a falar as suas sexualidades enquanto Yeojin apenas escutava e as vezes ficava rindo baixinho.

— Pelo visto já sabemos que a Luíza, a Elizabeth, a Heejin são lésbicas, a Sophie, o Rafael, Will e Jihyo são bi, Daniel, Krystal, Alex e Eduarda são héteros, Erick, Alfred são gays, Joanne é pan. — Yeojin fez uma breve análise e todos concordar.

— E você Yeojin? — Joanne me olhou. — Qual a sua sexualidade?

— Ele é trans ué. — Eduarda respondeu como se isso fosse uma coisa óbvia.

— Pera lá. — Jihyo entrou na conversa. — Trans não é sexualidade, isso entra na parte de gênero. — todos concordaram e até eu concordei.

— Nesse caso qual é a sua sexualidade então? — Eduarda questionou e todos me olharam.

O rapaz se sentiu pressionado com aqueles olhares para si.

— Nenhum. — respondeu como se não fosse nada.

— Que? — todos falaram ao mesmo tempo.

— Você tá brincando né? — Alfred soltou uma risada.

— Não estou. — o Im disse firme.

— Para de brincadeira. — Krystal entrou na conversa. — Todo mundo tem uma sexualidade. 

— Já sei, ele deve ser assexual. — Elizabeth disse por fim.

— Não sou assexual, por mais que eu realmente não sinta vontade de transar com alguém. — Yeojin retrucou.

— Você só pode tá zoando com a nossa cara né? — Rafael estava com uma cara de puro deboche.

— Qual o problema? — o Im queria entender o motivo de quererem problematizar uma coisa normal para ele.

— Você é um trans sem sexualidade? É isso? Conta outra, Yeojin. — Joanne parecia não acreditar naquilo assim como os outros também não pareciam acreditar.

Depois daquele dia, todos começaram a zoar com o jovem Yeojin, as únicas pessoas que pareciam apoiar ele era Heejin e Jihyo. Ficaram mais próximos do que já eram, mesmo achando aquilo confuso a Jeon e Park em nenhum momento ofenderam o rapaz. Yeojin até explicou seu lado para elas para não ficarem tão confusas assim e até que ajudou por um lado. Os constrangimentos seguiam e isso abalava cada vez mais o rapaz porém ele foi forte em suportar tudo isso até chegar em casa.

Coréia do Sul (momento atual)

— Vamos lá, Yerim...você consegue. — a Choi se olhava no espelho, estava no quarto do amigo esperando o mesmo terminar seu banho. Assim que saiu viu o rapaz com uma bermuda larga e sem camisa expondo seu abdômen e peitoral que tinha as cicatrizes da sua cirurgia da retirada dos seios, até lembrou quando ele chorou de emoção por essa conquista.

— Vai querer dormir aqui comigo? — ele apontou para a sua cama. 

— Eu posso? — perguntou meio envergonhada.

— Pode. — o Im respondeu como se não fosse nada demais, pegou uma camisa aleatória e vestiu. — Eu falei pra você que filme de terror numa hora dessas não era bom pra você. — disse quando se jogou na sua cama.

— Eu sei, fui boba em achar que eu ia superar fácil. — Choerry deitou timidamente no lado do rapaz, não sabia muito como iria ficar.

— Pode me abraçar, tá na cara que você quer isso. — e foi isso que a garota fez, agora estava com a cabeça apoiada no peito do rapaz.

— Eu gosto de você. — a Choi admitiu do nada, mantinha seu rosto vermelho.

— Também gosto de você, Cerejinha. — o garoto falou tranquilamente.

— Acho que você não entendeu. — a mais velha dessa vez ficou sentada na cama atraindo o olhar do amigo. — Eu sou apaixonada por você, sempre fui antes mesmo de você ser o Yeojin de fato. — confessou sentindo a vergonha consumir.

— Yerim...— o rapaz também ficou sentado ficando de frente para ela. — Eu preciso te contar uma coisa, a verdade é que...

— Eu sabia, você é gay. — Yerim tentava segurar o choro.

— Hã? Não! Talvez, não sei...— coçou a nuca sem jeito.

— Como assim talvez ou não sei?

— Eu não sei, Choerry. — Yeojin estava com vergonha de contar, achava que a sua amiga zombaria dele. Gostava muito de Yerim, há muito tempo, mas naquele tempo eram duas garotas mas Yeojin não se sentia lésbica o que achou confuso naquela época por isso resolveu ignorar seus sentimentos e seguir a vida. — É confuso, não quero ser motivo de piada de novo...

— De novo? Você foi motivo de piada em Londres? Por isso voltou tão desanimado? — dessa vez a garota queria explicações. — Pode contar tudo, agora.

— A verdade é que eu não tenho uma sexualidade definida. — a Choi por um momento pensou em falar "Que brincadeira é essa?". Mas optou por continuar calada e escutar amigo. — Eu tenho interesse em gays, bissexuais, héteros, homem e mulher trans ou cis.

— Então você é pansexual? — a mais velha questionou curiosa.

— Não.

— Eu não consigo te compreender assim, Yeojin.

— Eu tenho interesse em homens mas não me sinto gay, eu tenho interesses em mulheres mas não me sinto hétero, tenho interesse em ambos mas não me sinto bi, tenho interesse nas pessoas independente da sexualidade ou gênero, mas não me sinto pansexual, por mais que eu vá pra cama com alguém eu não tenho desejo ou prazer em tá transando com alguém mas também não me sinto assexual. — Yeojin explicou.

— Você é tipo um pouco de todos mas não é de nenhum? — tal questionamento da amiga fez Yeojin rir.

— Possivelmente. — mantinha um sorriso.

— Espera, você já levou alguma garota ou garoto pra cama?  — Choerry estava supresa com isso.

— Garotos não, garotas sim. — respondeu. — Já beijei alguns caras mas sei lá, achei nada demais por mais que eu sinta algum interesse passageiro.

— Ah sim...

— Eu também gosto de você, Cerejinha. — reforçou. — Mas tenho medo de você namorar um nada, um cara que tem interesse em qualquer pessoa mas não se sente encaixado em alguma sexualidade, foi horrível ser motivo de piadas e ser tão pressionado a escolher uma sexualidade para se sentir encaixado na comunidade lgbtq ...

— Ei, eu não ligo pra isso...okay que isso foi um choque pra mim e realmente não esperava por essa revelação. — Yerim admitiu ainda querendo assimilar tudo aquilo. — Eu não vou te julgar, sou apaixonada demais pra te ignorar e desprezar.

— Obrigado. — os dois se abraçaram.

— Yeojin...

— Sim? — o abraçado foi cortado e eles voltaram a se olhar.

— O seu interesse por mim vai ser passageiro? — Yerim sentia seu coração pesar, não queria ser uma paixão passageira e esquecida no ar mesmo sabendo sobre essa novidade do rapaz.

— Não, eu espero que não. — sem muita enrolação, Yeojin beijou Yerim e no mesmo instante foi retribuído, era um beijo sem pressa como se quisessem aproveitar muito bem aquele momento. Assim que o beijo foi cessando, um sorriso surgiu nos lábios da Choi. — Apenas vamos ver no que isso vai dar, aproveitar o momento.

— Se for pra ser assim, pelo menos seja fiel comigo e não saia beijando outras bocas. Okay?

— Okay. — Yeojin deu um selinho na garota. — Vamos dormir?

— Vamos. — os dois estavam abraçadinhos na cama naquela noite, o rapaz se sentia aliviado. 

— Mudei de ideia. — ele falou. — Quer namorar comigo? Eu sei que não vou me sentir hétero namorando você mas quer namorar comigo?

— Assim do nada? — Yerim acabou soltando uma risada. — Yeo, não fique se preocupando com a sexualidade, não se pressione assim, se você não se sente encaixado em alguma sexualidade isso é uma coisa sua, foda-se a opinião dos outros. 

— Você tem razão, está certa...eu sou o que sou e ninguém pode me obrigar a escolher algo. 

— Esse é o meu garoto. — a Choi disse orgulhosa.

— Mas você ainda não respondeu, quer namorar comigo?

— É claro que quero. — os dois se beijaram mas não durou muito. — Eu te amo do jeitinho que é e sempre vou te apoiar.

— Eu também te amo, Yerim e obrigado por me entender e não rir de mim...

— Shhh, vamos dormir pois amanhã será um novo dia, vou acordar namorando que emoção, as minhas amigas vão surtar por eu não ser mais a solterona da rodinha. — dois acabaram rindo.


Notas Finais


Então gente, confesso pra vocês que esse tópico que resolvi abordar está meio que retratado a mim. Durante esses tempos fui alvo de piadinhas horríveis por ser um "trans sem sexualidade" (como eles falavam), então usei essa "ofensa" e transformei em tema pra fic do dia como forma de desabafo e crítica e até como uma breve superação.
Espero que tenham gostado! ♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...