História A verdade entre nós - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Aventura, Drama, Romance
Visualizações 76
Palavras 1.517
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 31 - Acho melhor pararmos


Fanfic / Fanfiction A verdade entre nós - Capítulo 31 - Acho melhor pararmos

   Chegando no andar de baixo Castiel fez questão de ficar andando ao meu lado, porque segundo suas palavras " É difícil achar um smurf no meio de tanta gente".

 Não muito longe vejo Alexy  rindo com o Kentin e me aproximo deles, só pra ter certeza de que tudo estava bem, na medida do possível. 

 -  Ei! - Aceno a eles que me ouviram com facilidade já que a música estava baixa para o povo poder gritar enquanto incentiva os competidores que viravam o barril de chopp inteiro - Oi Kentin, se divertindo com o Alexy?

- Bastante, ele me contou muitas coisas.

- Legal, bem legal. Alexy vem cá um pouco - Puxo ele a alguns metros de onde estávamos, deixando Castiel e Kentin sozinhos por um curto período de tempo, isso pode ser realmente perigoso - Você embebedou ele?!?!

- Não foi minha intensão, e nem fui eu. Não me olhe assim você me dá medo desse jeito!

- Explique-se imediatamente, como foi que em alguns minutos ele já esta rindo até mesmo do chão.

- Você também faz isso, e nem alcoolizada você precisa está.

- Comigo é diferente você sabe muito bem que eu fico pensando em outras coisas enquanto olho pro chão, que saber o assunto não é esse, o assunto é aquele cara ali que ta encarando o Castiel com um sorriso tonto, sabe se lá o que ele está pensando.

- Tudo bem, eu dei só um único copo pra ele, então ele começou a beber mais e muito mais rápido, a cada um minuto ele ia pegar outro copo cheio até a boca, e eu não consigo fazer ele parar.

- Deus, não faz duas horas que isso tudo começou - Eu suspiro forte olhando para cima e colocando minha mão esquerda na testa, mas logo volto a encarar o Alexy - Certifique-se de não deixar ele ir embora desse jeito e não façam nada do qual vão se arrepender, ok?

- Ok mãe!

- Ah seu merdinha! - Ele ria indo em direção aos garotas, e eu faço um gesto chamando o ruivo pra que pudessemos ir comer alguma coisa.

- Você tem certeza que quer ficar andando comigo? O Lysandre deve tá por ai.

- Eu estou bem aqui, vai, anda logo que eu tô com fome.

- O cavalheirismo em pessoa como sempre.

- Obrigado.

  Não posso descrever o quão bom era ver aquele monte de gente sair da casa, pra mim 2:30 da manhã é tarde demais pra ter tanta gente junta em um só lugar, ainda mais poque a grande maioria estava bêbada. A casa estava quase em completo silêncio, claro, se não fosse a desgraça do Castiel me cutucando e falando que ia passar a noite aqui sem ao menos pedir minha permissão.

- Puta que o pariu, ok fica, faz o que quiser, mas por favor para de me cutucar, só poque eu sou baixinha não quer dizer que eu não possa te dar uma bela xulapada.

- Xulapada?

- Xulapada! Um tapa  bem forte na sua nuca.

- Você não conseguiria... Não tem tamanho pra alcançar!!! - Ele não parava de rir da própria piada me fazendo perder ainda mais a paciência.

- Tá, já chega, pra mim já deu, eu estou indo dormir, fique onde quiser - Eu estava preparada para subir pro meu quarto, até ele vir com essa resposta inesperada.

- Vou pro seu quarto de hospedes, sempre quis conhecer lá - Merda. Merda. Merda. Digamos que ele não encontra a melhor das imagens quando abrir a porta e se deparar com o Alexy se " aventurando " com o Kentin, já que os dois foram os primeiros a  sumirem. Se bem que está silencioso demais, mesmo assim é melhor não arriscar.

- Acho melhor você vir comigo hoje - Sorrio amarelo para ele.

- Por que? É lá que você esconde seus brinquedinhos Allicye? Nunca achei que você fosse dessas que curtem uma algema erótica - A pouca paciência que eu ainda tinha se acabou junto com cada segundo que ele utilizou para falar toda essa idiotice. O motivo da minha raiva? Ter que ficar até tarde recebendo desconhecidos dentro de casa que não paravam de gritar e para completar falar cuspindo ( o fato anterior é composto de fatos reais, sim todo mundo que eu conheço acha que eu sou um guarda-chuva, vivem falando cuspindo, e pra ajudar eu retribuo o favor de uma forma maravilhosa, eu cuspo duas vezes mais de proposito )

-  Amanhã de manhã você ainda vai me agradecer! - Entre os dentes cerrados deixo as palavras sair. A garro seu ante-braço direito  com uma das mãos o obrigando a me acompanhar

- Aqui, você dorme deste lado, bem quietinho.

- Achei que com o presente de mais cedo você estaria mais relaxada, e um pouco mais calma.

- Que tal você tentar de novo, desta vez vez com a língua - Meu olhar malicioso já dizia tudo.

   * Alliy Pov/ Of *

   * Alexy Pov/On*

  Os raios de sol que passavam pelo fino pano das cortinas e refletiam em meu rosto me impediam de voltar a dormir, assim me obrigando a " levantar ", ficar sentado na beira da cama para ser mais exato. Meu olhar percorria pelo cômodo fazendo-me lembrar de onde estava e o que estava fazendo ali. É claro, aquele cara, o mesmo que dormia ao meu lado com suas correntinhas quase o sufocando por conta de estarem uma enroladas nas outras, como é possível ficar com tanto ódio e ao mesmo tempo tão aliviado de ele estar só dormindo?

 Está na hora de desabafar, será que a Alliy está acordada? A resposta é  sim, ela e seu amiguinho mal me deixaram dormir já estão até mesmo tomando café juntos, parecendo até um casal de verdade.

- Eaiiiii, como foi?

- Antes de falar dessa tragedia me da uma xícara de café vai.

- Como assim tragedia?

- Ele dormiu Alliy!!! Como ele faz uma coisa dessas em um momento como aqueles?!?!

- Ele quem? - Castiel tenta saber o que estava acontecendo, mas eu simplesmente o ignoro e começo a contar o que tinha se passado nessa madrugada.

    * Flashback On *

- Kentin acho melhor você parar, Alliy já disse que você ta passando dos limite, e que você já bebeu demais, vai me da esse copo - Eu estendia o braço ao máximo tentando pegar aquele maldito copo plástico que ele bebia rapidamente não deixando se quer uma gota dentro.

- Aqui pode pegar - O sorriso sínico em seu rosto enquanto me entregava o copo vazio me enfurecia.

- Olha eu não vou ficar aqui vendo você beber até não aguentar mais, não foi pra isso que eu vim aqui - Bem eu parecia uma bomba que acabava de explodir, explodir em raiva.

- Alexy...

- Não vem com essa de Alexy, eu cansei de bancar a sua babá a noite toda, você não vai parar de beber? Por mim tudo bem já estou indo embora

- Alexy... eu acho que não tô bem... - Não foram nem dez segundos depois ele caiu literalmente de joelhos no chão, e a preocupação tomou conta de mim.

- Meu Deus, Kentin!

  Após uma longa caminhada  eu o levei enquanto se apoiava em mim pelos ombros e pela cintura,o levei para o quarto que Alliy disse que eu poderia ficar e deixei deitado na cama. Essa não era bem a maneira que eu pretendia entrar aqui.

- Eu vou buscar água pra você, não saia daqui ok? - Como se ele fosse conseguir.

  Voltando com duas garrafinhas de água gelada me deparei com uma cena que posso dizer que gostei bastante. Aquele homão da porra sem camisa com a calça desabotoada olhos entre abertos enquanto agarrava o travesseiro na tentativa de dormir.

- Ei, você não pode dormir ainda, bebe isso aqui antes - Falava gentilmente enquanto passava uma das garrafas na sua bochecha. Mas em vez de pegar a garrafa ele me puxou para si, me fazendo na cama, dando tempo o suficiente para que ele ficasse por cima e no controle da situação e se apoiar com as mãos contra o colchão, as colocando ao lado do meu rosto. Deus, é tão difícil ouvir a razão nessa posição.

 A proximidade aumentava cada vez mais, e o que começou com um simples selinho tinha se tornado um beijo de língua quente fazendo nos dois murmurarmos e desejarmos mais, mas eu não queria aquilo, não desse jeito, não com ele bêbado e sem saber o que estava fazendo, ou sequer saber se ele iria se lembrar de tudo quando amanhecer.

- Kentin para... já chega.

- O que foi? Fiz alguma coisa errada? - Mesmo desse jeito ele continua sendo atencioso. POR QUE VOCÊ TINHA QUE ESTAR BÊBADO?!?!?!

- Não, você não fez nada de errado, é melhor a gente parar, vamos só ficar deitados por agora, tá bom?

- Ok - Em questão de minutos ele adormeceu sem nem dizer uma palavra, ou um boa noite.


Notas Finais


Provavelmente a Gif n tá funcionando, mas bom aí tá mais um capítulo suculento pra vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...