1. Spirit Fanfics >
  2. A Verdade Não Contada - Jungkook >
  3. Carta

História A Verdade Não Contada - Jungkook - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um!✨

Capítulo 4 - Carta


Uma barreira de gelo aparece bem na nossa frente, nos impedindo de continuar. Percebo que isso foi resultado dr algum  poder. Olho vagarosamente para trás e vejo perfeitamente  a criatura.  Um dragão com três cabeças. 

A primeira  cabeça  era dourada como um ponto de luz luxuoso. A segunda tinha uma cor vermelho ardente, extremamente impetuosa, parecia ter controle sobre as outras. A terceira inicialmente parecia ser calma, sua aparência  de cor branca, transparecia sutileza e paz. Sua boca estava molhada com alguns pedaços  de gelo, suponho qur fora ela quem criou a barreira, por isso começo  a duvidar de sua calmaria.

A terceira era a única entre as três a ter dois ataques, em alguns momentos expelia água e em outros gelo, demonstrando sua agressividade. 

- Kalina. -JungKook sussurra- Saia daqui, agora.

- Não, não  vou deixar você  aqui.

- Não  se preocupe, vá!

Estupidamente tentei correr, mas acabo ficando presa numa pedra de gelo criada pela terceira cabeça.  Em seguida, a primeira solts uma espécie de gás que me deixa sonolenta e com falta de ar.

Caio no chão quase  sem forças. Era como se eu fosse morrer ali. Um desespero corroe meu corpo como o venendo de uma cobra peçonhenta.

- Não! -JungKook grita-

No momento em que a segunda estava prestes a lançar  seu golpe, JungKook entra na minha frente e é  atingido pelo fogo ardente.

Enquanto seu corpo queimava  o mesmo não  emitiu nenhum som, nem de dor ou desespero. Apenas olhou para mim preocupado, e ao me ver suspirou aliviado.

- JungKook... -digo já  com lágrimas  nos olhos-

O mesmo sorri e dá  um leve aceno. No mesmo momento em que isso ocorre, uma brisa sopra lentamente e vai levando JungKook em forma de poeira. Lembranças  começam  a passar em minha mente, sinto uma forte dor no peito peito e desmaio na hora.

Quando acordo percebo que estou novamente  na sala de espelhos de antes. Olho para trás procurando a porta que me levou para aquela terra, mas ela não  estava lá. Olho para meus trajes e percebo que os mesmos estão  sujos de areia do momento  em que desmaiei, ou seja, era um sinal de que tudo o que eu havia vivido a poucos minutos atrás foi real.

Novamente  a lembrança  da morte de JungKook vem a tona, lágrimas  começam  a escorrer pelo meu rosto sem permissão. Um choro que começou  calmo, mas que depois de um tempo passou a ser desesperador.

Meus soluços  e gritos eram tão  altos que minha mãe  e senhora Nakada aparecem no cômodo  preocupadas.

- O que aconteceu, criança? -a senhora Nakada pergunta-

-Filha, o que  aconteceu? -minha mãe  passava as mãos  pelo meu cabelo tentando me acalmar, mas não  conseguiu-

Demorou um bom tempo até  que eu conseguisse me acalmar e voltar para casa com  minha mãe. 

Depois desse dia eu não tinha nenhum  motivo para sorrir, era como se eu tivesse perdido um irmão. 


Duas semanas se passaram, eu já estava mais confirmada em relação ao o que aconteceu. Estava sentada mo balanço que havia de baixo de uma árvore  que havia no jardim de minha casa cantarolando uma música  qualquer em minha mente, até  que vejo um mensageiro adentrar os portões  vindo até  mim.

- Senhorita Kalina? -ele pergunta-

- Sou eu.

- Uma carta para você.  -ele me entrega um envelope- É sobre seu pai. -ele sai-

Abro rapidamente o envelopenpara ler o conteúdo  que havia dentro, já  fazia muito tempo que eu nao via meu pai. Ele estava em uma expedição  na floresta  Aokigahara.

Fico extremamente feliz ao ver que ele mesmo escreveu aquilo; sua letra magnificamente linda naquele  papel velho, era quase algo inacreditável. Começo  a ler o que estava escrito  vagarosamente para poder entender o qur havia ali.

"Kalina, minha filha. Talvez você  nem leia esta carta, mas eu tenho algo para lhe contar. É  algo difícil  e doloroso, então espero que você  esteja sentada no momento. 

Há muito tempo atrás havia me casado com uma mulher chamada Karine, uma mulher  linda e inteligente.  Dois anos após  o casamento tivemos  o nosso primeiro filho, seu nome era JungKook, ele era como você. Ao longo dos anos ele foi crescendo e eu e sua mãe tínhamos brigas constantes.  Com isso, fui em busca de diversão  com quem  não devia.

Conheci  uma mulher  chamada Rose, minha atual esposa, sua madrasta. Tivemos  um caso por um longo tempo. Mas, Karine havia engravidado novamente, depois de inúmeras tentativas. Ela pensava  que com a gravidez nossa relação  voltaria ao normal, mas não  foi o que aconteceu. Você  nasceu, mas nada mudou. Continuei a trair sua mãe, mas sempre me arrependia depois.

Quando você  completou 4 meses e seu irmão  17, resolvi parar com as minhas traições e me dedicar a minha família.  Mas, algo aconteceu.

Rose, inconformada foi me visitar, me ofereceu um copo de vinho e aceitei. Sem que eu percebesse, ela colocou algo em meu copo, o qur me fez perder o controle.

Derramo minha bebida perto da lareira lareira, pego um dos gravetos que abasteciam a lareira que não  estava completamente queimado, o coloco novamente para queimar e o jogo no chão.

Rapidamente  o fogo se espalha por toda a sala de estar e imediatamente  os outros cômodos, automaticamente pensei em você.  Corri até  o seu quarto para tirá-la  de lá. 

JungKook estava com você  nos braços.  Ele me olhava assustado e me pergunta:

- O que aconteceu, pai?

- Vamos sair daqui, agora!

- Não  saio sem a mamãe. 

- Vamos logo, JungKook!

- Tire Kalina daqui, eu vou procurar a mamãe. 

Ele me entrega você  e sai correndo para o meio dos chamas. Você  não  podia ficar  inalando aquela  fumaça, rapidamente  corro para o lado de fora da casa. Quando consigo  escapar espero JungKook  e sua mãe  saírem. Ninguém  apareceu. A casa ja estava  completamente em chamas.

Naquele momento perdi seu irmão  e sua mãe. Me culpo por isso desde então. Um tempo depois me caso com Rose. Não  por amor, mas sim porque precisava de alguém que cuidasse de você.  Precisava  de uma mãe. 

Nunca te contei essa história  por vergonha e medo. Medo de você  sentir nojo de mim. 

Na tentativa de pensar  em outra coisa a não  ser isso parto para expedições.  Meu destino dessa vez foi a floresta Aokigahara, não  para estudar, e sim para colocar um ponto final nessa minha vida desprezível. 

Kalina, me desculpe por não  ter sido o pai que você  queria. Saiba que eu sempre irei te amar. 

                              Com  amor, seu pai."

Ao terminar de ler aquilo eu já  estava chorando intensamente. A mulher que me criou não  é  minha  mãe, e sim minha madrasta. JungKook  é  meu irmão. Meu pai foi para aquela floresta para tirar a própria  vida.

Preciso  ir para a floresfa Aokigahara. 

Rapidamente corro para dentro de casa e vou até  meu quarto fazer minhas malas para a pequena viagem.

Não  entendo o porquê, mas sinto que preciso descobrir mais sobre mim e as coisas que eu vi e vivenciei. Saio de meus pensamentos  quando Rose entra em meu quarto.

- Kalina, você  está  bem?

Eu a ignoro.

- Kalina, sua mãe  está falando com você. 

- Mãe? Você  não  é  minha mãe, Rose. Minha mãe  se chamava Karine.

O silêncio  se fez presente. 

- Como  sabe disso? -pergunta ela incrédula-

- Meu pai me contou tudo por uma carta.

- Ele está  bem?

-Por que se importa?

- Onde você  vai? -pergunta ela olhando para a minha mala já  feita-

- Vou fazer uma viagem. -digo saindo do meu quarto e indo para a porta de saída- Não  se preocupe, nem sei se irei voltar. Mas, você  nem iria se importar, não  sou sua filha de verdade.  -digo virando as costas  e correndo em direção  ao portão  que já  estava aberto-

Os gritos  de Rose me pedindo  para voltar não  me causaram  efeito algum. Estava  correndo atrás de descobrir o que é  aquele mundo e se ele está  conectado  com a minha realidade.  Pela primeira vez me senti livre.

Não sei o que irá  acontecer comigo, mas estou disposta a correr o risco, pelo meu pai, minha mãe  e meu irmão, JungKook.

Uma forte ventania começou  a soprar e junto com ela veio vários  grãos  de poeira,que juntos formavam a silhueta  de um rapaz. JungKook. Sorrio ao ver isso. Estava certs de que aquele  era o meu destino. 




Notas Finais


Peço perdão pelos erros!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...