1. Spirit Fanfics >
  2. A Verdade Não Dita >
  3. Vinte quatro

História A Verdade Não Dita - Capítulo 24


Escrita por:


Capítulo 24 - Vinte quatro


Yoongi geralmente era um péssimo motorista. Do tipo perigoso mesmo que dirige em alta velocidade provocando os outros motoristas no trânsito, principalmente quando estava de mal humor. O que sempre o resultava em várias multas, mas ele nunca se importou muito com isso ou com as buzinas e xingamentos no seu ouvido. Na verdade ele nunca se importou com nada, desde que o Jungkook havia ido embora. Entretanto numa noite em especial, Yoongi estava calmo. Bom, talvez essa não fosse a melhor palavra para o definir, afinal ele estava pensando demais, por ter falado demais e agora sua cabeça doía demais. Esse era seu problema, pensou. Ele falava demais.

Ele também nunca fui bom em conter seus pensamentos apenas para ele mesmo, segurar suas palavras ou pensar antes de agir. Era por conta disso que ele era sempre tão explosivo, por isso era considerado um péssimo presidente e por isso as pessoas odiavam pedir opinião à ele. Por falar demais ele acabava sendo um pouco sincero demais. Na verdade, Yoongi sempre foi sincero até demais.

Yoongi estava saindo do trabalho, chegando em casa. Fazia dois dias que ele havia falado com o Jungkook e de certa forma ele se arrependia, pois achava que tinha pressionado demais. Jungkook pediu um tempo e ele simplesmente foi lá, se declarou e ainda devolveu o anel de compromisso. Eles não se viram depois disso por muitos motivos. Aparentemente Jackson foi embora, então eles passaram o dia juntos e depois Yoongi ficou ocupado com a auditoria da empresa. Querendo ou não Yoongi estava com medo de encarar o Jungkook depois de tudo o que disse, então passou a evitá-lo e conhecendo o Jungkook do jeito conhecia, ele também estava fazendo a mesma coisa. Yoongi queria bater na cabeça dele, mas não o fez. Mordeu a própria língua algumas vezes, o canto da bochecha e os lábios. Um ato de claro nervosismo, porque ele estava nervoso. Eles mal trocaram mensagens depois disso. E se ele pressionou demais? E se o Jungkook quiser distância definitiva dele agora? Será que Yoongi estragou tudo de vez?

Quando finalmente chegou ao prédio, ele estacionou na garagem e entrou no elevador. Encostou-se numa das laterais e esfregou seu rosto com as mãos, suspirando alto e tentando ao máximo se controlar. Ele ainda não havia passado nem mesmo uma hora inteira com o Jungkook e ainda assim havia acontecido muito mais coisas das quais ele não se esqueceria tão cedo. Como ter presenciado o Jungkook com a filha adormecida nos braços ou nos dias que esteve na casa dele e viu os dois interagindo, brincando, conversando. Ver como ele cuidadoso e carinhoso com ela. Yoongi não queria interferir naquilo, parecia precioso demais. Delicado demais. Ele sentia que era um intruso, principalmente quando o Jackson estava presente. Mas ao mesmo tempo ele queria fazer parte daquilo, estar com o Jungkook o tempo todo e também com as pessoas que agora eram a família dele. Ele conhecia a Jade e a Nina há poucas semanas, mas de certa forma ele já gostava de tudo aquilo que envolvia o Jungkook.

Talvez o Jungkook esteja certo, Yoongi pensou de repente. Talvez ele esteja mesmo indo rápido demais. Ele precisava entender tudo o que se passava na cabeça dele. Depois de anos longe um do outro, nutrindo sentimentos negativos um pelo outro, era isso mesmo que ele queria? Estar com o Jungkook e a filha dele e tudo o que vinha junto? Quando eles ficaram juntos pela primeira vez, há anos atrás, eles eram só crianças, garotos sonhando alto demais e dando passos maiores que suas pernas. Eles sonhavam em se casar, em ter filhos, família. Jungkook já tinha isso tudo (ou quase tudo). Mas será que o Yoongi queria o mesmo?

Ele entrou no apartamento indo atrás de alguma coisa para beber, algo que o ajudasse a descer esse nó enorme na garganta e ele não estava nem um pouco afim de ficar bêbado de novo, o que era um belo avanço de caracterização para ele. Foi água mesmo que ele acabou bebendo e por alguns breves segundos, ele queria poder dizer que havia se livrado daquela sensação aflita.

Subiu até o quarto que encontrava-se de cabeça pra baixo por causa da reviravolta que a Sun havia feito dias atrás e ele ainda não havia conseguido criar forças para arrumar. Yoongi a obrigou a levar absolutamente tudo, até o próprio cheiro, para não haver desculpas depois e aparecer ali de novo. E mesmo que ela tenha deixado algumas coisas pra trás, estava tudo dentro de uma caixa na cozinha, embaixo do armário. Se ela aparecesse, nem iria precisar entrar. Entretanto ali estava seu quarto completamente bagunçado. Yoongi não conseguia nem mesmo se lembrar quando havia arrumado a própria cama pela última vez e por alguma razão engraçada, naquele momento, foi exatamente o que ele fez. Puxou os lençóis e até mesmo os cobertores para fora da cama e os amontoou tudo em cima do cesto de roupa sujas. Abriu as janelas do quarto e deixou a porta escancarada. Era como se aquela aura, aquele cheiro e até mesmo o ar o remetesse a coisas ruins. Ele se lembrava da Sun, da sua mãe e dos muitos pensamentos ruins que eu já teve nesse quarto. Ele só queria mudar tudo isso.

Yoongi mudou a cama de lugar. A arrastou para o outro lado do quarto onde ficava a cômoda. Arrastou a cômoda também, para ficar perto da janela. Ficou tudo meio torto, mas ele não ligou. Depois de estender outro lençol, pegar novos cobertores e trocar as fronhas dos travesseiros, ele se deitou na cama sentindo a cabeça pesada.

Será que o Jungkook estava pensando em todas essas coisas também? Será que ele estava pensando, cogitando trazer o Yoongi para a vida dele? Ele pareceu tão surpreso com o que havia escutado e mais ainda quando lhe foi entregue o anel. Yoongi só não sabia se era num sentido bom ou ruim, toda aquela surpresa. Esse era o problema de ser um boca grande, como dizia Namjoon desde a época da escola. A questão é que ele não havia mentido. Ele ainda amava o Jungkook, como nunca foi capaz de amar outra pessoa. Ele ainda via nele o mesmo garoto sonhador de antes. Ele ainda era o homem da sua vida.

Era só pensar nisso que aquele sorriso besta voltava pro rosto do Yoongi. Apesar do constante nervosismo, não dava pra negar. Yoongi tinha o Jungkook de volta, mesmo que fosse um pouco à distância. Ele simplesmente não conseguia parar de sorrir só de pensar nisso. Ele se sentia altamente extasiado sempre que pensava na possibilidade de viver com ele de novo e com a filha dele também, é claro. Ele tinha certeza disso, é claro que tinha. Esse sempre foi o seu sonho: ter uma família com o Jungkook. 

Mas será que o Jungkook queria a mesma coisa?

Yoongi checou rapidamente às mensagens no celular. Algumas poucas mensagens eram do Jungkook, que eles trocavam durante o dia. Era coisas bobas, simples, sobre o dia a dia. Yoongi constantemente perguntando sobre a Jade, querendo saber se ela estava bem, como estava sendo a adaptação num país diferente. Jungkook sempre o respondeu, até mandou algumas fotos da menina, mas nunca era nada demais. Eles nem mesmo tocavam no assunto da conversa que tiveram, dias atrás ou do beijo que trocaram. Jungkook pediu tempo, não disse quanto tempo precisava, mas Yoongi estava disposto a fazer o necessário para conquistá-lo de volta. Que levasse o tempo que precisasse. A maioria das mensagens eram do seu pai, do seu irmão que estava sabendo da confusão toda com a mãe e o tio, os rapazes mandando mensagens costumeiras pra saber se ele estava em casa, se ele estava bem, se queria companhia. E ele queria sim, claro que queria. Mas não era a companhia de nenhum deles.

No meio disso tudo, Yoongi não ficou nenhum pouco surpreso em encontrar notícias e reportagens anunciando a prisão dos seus familiares, o seu aparente sumiço da BH já que ele não estava comparecendo todos os dias e era seu pai tomando conta de tudo em seu lugar, já que seu vice estava preso. Yoongi já esperava por tudo isso.

O que ele não esperava era a campainha tocando no meio da noite.

Não era tão tarde assim. Passava alguns minutos da meia noite, mas mesmo assim, não tinha ideia nenhuma de quem poderia ser a essa hora batendo na sua porta. Mas Yoongi suspirou fundo, certo que era seu pai ou os rapazes, que mandaram mil mensagens perguntando se ele queria que algum deles passasse a noite com ele. Ele disse que não para todos, disse não mais de uma vez, mas ele sabia que não adiantaria em nada.

A campainha tocou de novo e de novo de uma maneira que começou a deixá-lo nervoso quando já estava descendo as escadas, de modo que ele não gritou dizendo que estava indo e tão pouco olhou pelo olho mágico da porta. Ele abriu a porta com pressa, pronto para mandar quem quer que fosse embora, mas foi forçado a engolir suas palavras antes que pudesse dizer qualquer coisa. Nada poderia tê-lo preparado para a surpresa de encontrar Jungkook parado bem ali na sua porta.

- Jung-

- Por favor, não fala nada! – Ele disse rapidamente enquanto agitava as mãos. – Eu ainda estou tentando entender o que me levou a simplesmente pegar um uber e vir até aqui, provavelmente foi a Nina dizendo que ia me jogar pela janela se eu não fizesse alguma coisa a respeito sobre a gente!

- Eu fu-

- Não fala! – Gritou erguendo as mãos e sinalizando para que se calasse. – Se você começar a falar eu vou esquecer o que eu tenho pra falar! – Ele apertou os lábios e Yoongi continuou ali meio bobo, meio incrédulo enquanto olhava para ele, ainda segurando a porta. – Eu estou confuso, então não tente piorar minha situação! Na verdade, eu estou decepcionado comigo mesmo por eu ainda ser tão... Tão... Tão fraco! Ingênuo! Eu passei anos sendo forte, sendo independente, sendo pai e cuidando da minha filha, mantendo o meu passado no passado e como consequência eu comecei a esquecer de viver o presente! Eu fiquei tão preocupado com o que poderia acontecer que eu me esqueço de me preocupar com o que está acontecendo nesse momento. - Jungkook ofegou depois de falar tão rápido, ficando um pouco sem ar. Sua expressão não podia ser relacionada à outra coisa que não fosse dor e ele olhava para o Yoongi com um brilho nos olhos que não era fácil de identificar. - Eu passei anos longe de você. Eu sabia que cedo ou tarde eu acabaria te encontrando de novo e eu havia ensaiado um discurso enorme durante dias com tudo o que eu iria dizer pra você! Mas quando eu te vi pela primeira vez, na gravadora, eu esqueci tudo. Por que... Por que era você ali! Bem ali na minha frente e eu vi... Eu senti que mesmo depois de anos, mesmo depois da distância e toda a amargura que eu fui obrigado a sentir e guardar, você consegue fazer tudo... Isso! Você aparece, bagunça a minha cabeça e me deixa arrepiado, assustado e encantado por tudo o que você faz e tudo ao mesmo tempo! Eu... Eu não sou mais um garotinho inocente que tem borboletas no estômago, mas você faz com que eu me sinta exatamente assim de novo! – Jungkook cobriu a boca com a mão e o encarou. Yoongi estava surpreso demais, ainda embasbacado, mas ao mesmo tempo encantado, maravilhado com o fato dele estar ali. – E eu ainda não sei o que eu estou fazendo aqui! Não tem sentido nenhum aparecer aqui só pra jogar tudo isso em cima de você, mas eu ainda estou sendo movido pela adrenalina! Eu fiquei esses últimos dias pensando no que você me disse e eu não quero perder você de novo. E eu sei que eu disse pra você que queria um tempo, não disse? Pois é! Eu adoraria dizer que estou bêbado, mas não bebo desde que a Jade nasceu, então... – Ele suspirou evidentemente nervoso e incapaz de se controlar. – O que eu quero dizer é que... Aish! Eu nem sei o que eu quero dizer!

- Será que eu posso-

- Não pode! Espera! Deixa eu pensar! – Ele apertou os olhos e mordeu a boca. Yoongi respirou fundo contendo uma risada e cruzou os braços.

- Você quer ao menos entrar ou vai continuar gritando aí fora? – Jungkook não abriu os olhos para responder.

- Se eu entrar, eu não vou conseguir falar mais nada e vou botar tudo à perder. Aí eu estarei mais uma vez sobre os seus... Encantos, - disse num suspiro. - e dessa vez eu não tenho a Jade pra me proteger de você. – Dessa vez Yoongi foi obrigado a rir e Jungkook o encarou.

- Foi você quem veio até aqui, Kook.

- Eu sei, mas eu... Ainda estou assustado.

- Então por que está aqui?

Yoongi pode ver a incerteza brilhar em seus olhos mesmo quando não recuou seu olhar. Pode ver quando seu lábio tremeu, já que não conseguia tirar os olhos da boca dele e viu também quando ele se aproximou, dessa vez tentando deixar o medo ou receio de lado, mas ainda trêmulo.

- Por que eu ainda amo você. – Disse sério, o desarmando completamente. – Por que manter essa distância entre a gente, desde que eu te vi pela primeira vez, me sufoca. Por que estar longe de você é uma das coisas mais difíceis e dolorosas que eu já fiz na vida. Por mais louco e por mais... Irritante que possa ser, eu não passei um dia sequer sem pensar em você e agora… Agora, até quando eu olho pra Jade, eu penso em você. - Ele riu. - Ou quando ela me pergunta se você vai aparecer hoje ou se você vai mesmo cantar com ela, como prometeu. Toda vez que eu olho pra você, - Jungkook sussurrou, perto o suficiente para ser escutado. Seus olhos traçando todos os cantos do rosto do Yoongi. - eu sinto como quando éramos jovens e você dizia que podia ler meus pensamentos só de olhar pra mim. – Ele deu uma risada nervosa e desviou o olhar por um segundo, mas retornou para mim logo em seguida. – Eu não... Deixei de pensar em como minha vida teria sido se você estivesse comigo esse tempo todo e isso sempre me assustou. Me assusta até hoje, mas mesmo assim... Ainda assim... É você quem eu amo. E é você quem eu vou amar... Pra sempre.

Sem pensar duas vezes, Yoongi segurou a cintura do Jungkook com as duas mãos e o puxou para perto devagar e com calma, dando a liberdade para ele caso quisesse manter-se longe e trazendo-o para perto e sentindo as mãos do Jungkook tocarem seu pescoço com aquela delicadeza que só ele parecia ter e Yoongi o olhou bem de perto. Podendo ver refletido nos olhos dele tudo o que havia acabado de escutar. As respostas para todas as suas perguntas. Pode ver que ele ainda o amava, pode ver o medo se esvaindo de seus olhos e se sentindo realizado por isso. Ali estava o Jungkook, com toda a sua insegurança e o seu medo, mais uma vez se entregando nas mãos do Yoongi, certo que seria seguro. Certo de que Yoongi saberia o que fazer com ele, mesmo quando ainda viu em seu rosto a antecipação e ansiedade que ele sentia. Sem o soltar totalmente, com a mão esquerda ele tocou seu rosto e se aproximou lentamente. Não havia mais motivo nenhum para correr com as coisas. Ele estava ali para ele.

Aquele beijo foi calmo e lento, como uma dança entre dois apaixonados apenas conhecendo um ao outro. Seus lábios se tocaram e se encaixaram com aquela perfeição e o calor do Jungkook o atingiu como um choque térmico. Ele dizia estar sob os encantos do Yoongi, quando na verdade ele quem sentia que estava estava enfeitiçado, maravilhado, se perdendo em cada ato, cada toque vindo dele.

Eles deram passos cegos, Yoongi andando de costas o puxando para dentro do apartamento, Jungkook fechando a porta com o pé para, em seguida, ser pressionado ali mesmo. O baque surpreendeu aos dois a ponto de que o beijo fosse rapidamente interrompido por causa do gemido contido. Yoongi colou seu corpo no dele, apenas recebendo seu olhar ainda mais surpreso pelo seu ato inesperado. Pode sentir o calor do seu corpo atravessando o tecido da camisa e abraçando seu peito. Jungkook então tomou a iniciativa e chocou sua boca contra Yoongi mais uma vez num ato quase violento, enlaçando seus braços no pescoço do outro e se atrevendo a tanto quanto morder o lábio inferior do Yoongi, o puxando lentamente. Em resposta Yoongi o apertou novamente contra o seu corpo. 

Os beijos do Yoongi fizeram um caminho até o pescoço dele, onde prendeu seus dentes suavemente, ouvindo-o gemer em seu ouvido e arranhar o seu pescoço. Ele estava tentando sim manter a calma e fazer as coisas devagar para não estragar tudo, mas era difícil demais. Yoongi estava anestesiado, quase transcendendo pelo simples fato de ter Jungkook ali, de sentí-lo tão perto novamente, entregue em seus braços. Mas era aquele calor... O calor que vinha do Jungkook e que o entorpece, começando a enlouquecê-lo de vez.

- Você faz alguma ideia, - Yoongi disse com a boca ainda na dele. – da falta que você me fez? Tem noção do quão louco eu fiquei sem você por perto? – Eles se separaram minimamente, apenas o suficiente para que pudessem se olhar nos olhos. – Você está aqui, mas eu estou começando a achar que estou sonhando.

Jungkook segurou o seu rosto com as duas mãos, o forçando a olhá-lo diretamente com mais firmeza. Ele lambeu os próprios lábios antes de falar.

- Não fale. – Ele disse o arranhando levemente a nuca, causando arrepios. – Yoongi, eu não quero me lembrar do passado. Eu quero novas lembranças com você. – Yoongi deixou outros beijos em seu pescoço e ombro enquanto o ouvia suspirar. – Eu amo você, Yoongi. Eu amo demais.

Aquilo serviu como uma âncora para Yoongi. Da mesma maneira que Jungkook queria novas lembranças, ele também queria. Com Jungkook pressionado contra ele, Yoongi desceu suas mãos pelas laterais do seu corpo, o sentindo contra ele. Sentindo sua forma, sua presença, seu calor. Com calma, Yoongi o olhou. Decorando cada pequeno detalhe do rosto dele e Jungkook pareceu entender e compartilhar desse sentimento já que tocou seu rosto mais uma vez, com ainda mais delicadeza. Yoongi pode ver seus olhos brilharem com lágrimas despontando nos cantos de seus olhos. – Eu estou aqui agora, - Jungkook disse. – eu não vou mais te deixar.

- Eu também não. – Yoongi respondeu. – Nunca mais.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...