História A verdadeira face - Capítulo 62


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bads, Comedia Romantica, Jimin, Kook, Namjin, Suga, Vhope, Zoeiras
Visualizações 92
Palavras 1.858
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sorryyyyyyy a demoraaaaa, me distraii
Me perdoem, se demorar muito, me cobrem ok?

Gentee eu acabei esse cap agora, então não revisei, se tiver erros me perdoem, prometo que vou revisar quando tiver tempo

Bom é só boa leitura ^^

Capítulo 62 - 2T - de volta


Fanfic / Fanfiction A verdadeira face - Capítulo 62 - 2T - de volta

~~~~~~Yoon pov’s~~~~~~

Chego no meu apartamento e me taquei no sofá, eu estava cansado e hoje teve muita informação. Minha cabeça doía de tanto ouvir Yuki reclamar, ela veio desde do ap do Jin até aqui, e ainda não parou.

- porra gi, comigo você sempre recusa um sexo sem preservativo, pois não quer filho -eu resolvo olha-lá- e com um estranha tu não se importa? Agora vai ter um filho com uma…

- ela não é uma estranha -a interrompo, e suspiro antes de continuar- ela foi meu primeiro amor…

- quem se importa, é passado…

- eu me importo -interrompi novamente- você tem noção do tanto que sofri tentando esquecê-la? E eu nem tenho certeza que consegui…

- tá me falando que vai voltar para ela? Isso é por causa do bebê né? -ela gritou irritada

- sim, pretendo voltar com ela, mas não é pelo bebê -digo fechando os olhos tentando fazer a dor parar

- ah! Eu duvido…

- Yuki, chega! Cansei dessa conversa -digo me levantando e indo em direção ao banheiro

- onde pensa que vai? -ela grita irritada

- tomar banho, ou nem isso posso mais? -digo irritado

Essa discussão tirou toda minha paciência, que já não era muita. Eu não estou preparado para ser pai, mas aconteceu… e sinceramente não queria que fosse com outra pessoa.

“um bebê… talvez não seja tão ruim assim”


~~~♡ depois de três meses ♡~~~


~~~~~~nanah pov’s~~~~~~

Esses meses foram cansativos, quase todos os dias tinham reuniões e decisões que tive que tomar com cuidado, mas ao mesmo tempo com rapidez. Estava exausta, e ia tirar essa semana para descansar. Ou era isso que eu pretendia.

Assim que adentrei no saguão do aeroporto, vi uma figura masculina que me lembrava que nunca esqueceria. Ele me procurava no meio da multidão, e mesmo que estivesse com muitas saudades, minha disposição para ir ao seu encontro era pouca, pois sabia o que estava por vir.

- nanah… -ele disse assim que me viu

- priminho lindo do meu coração, que saudades -digo disfarçando minha frustração e indo abraçá-lo

- não adianta, você vai sim responder a todas as minhas perguntas -ele disse retribuindo meu abraço

Soltei um breve suspiro.

- você me conhece mesmo em… -eu ri, logo sendo acompanhada pelo mesmo

- até mais que você mesma -ele disse nos separando- mas o que eu quero saber é… sobre esse bebê lindo, como ele está?

- acho que bem… -ele me olhou bravo, não pude conter uma risada- relaxa omma, eu estou me alimentando bem, só estou um pouco sobrecarregada

- isso já é muito, você não pode ficar sob estresse -ele disse com um certo tom de preocupação, eu sorri

- eu vou ficar bem, vou tirar essa semana de folga…

- fica na minha casa, eu quero cuidar de você, pelo menos um pouco -ele diz manhoso fazendo beicinho

- vou pensar no caso -sorri- agora vamos que eu to com fome, não tomei café ainda….

- o que? É assim que você tá cuidando do meu amorzinho? -ele estava um tanto alterado

- mas…

- nada de mas… -ele me interrompeu, e suspirou- vamos lá pra casa, vou preparar um belo café pra esse lindinho -ele diz se abaixando e fazendo carinho na minha barriga

- Jin… isso é constrangedor -digo olhando ao redor, ele ri

- ok, parei… vamos?

Peguei minhas malas e o segui até seu carro, lembro bem de como ele gostava de ter o seu, e ser independente das pessoas. Ele sempre foi assim, não liga para opinião de quem ele não tenha respeito, principalmente quando se trata de sua sexualidade. Sempre admirei isso nele, e graça a ele e o hobi eu sou quem sou hoje em dia.

Seguimos o trajeto conversando sobre minha viagem, e tudo o que aconteceu lá. Tirando que às vezes nos deixamos levar pela música, cantando como doidos como sempre fazíamos. Sinto falta de antigamente, sem responsabilidades, sem estresse, sem tudo de chato do mundo adulto.

Após um tempo nós entramos na garagem de seu prédio, e fui seguindo ele, enquanto ele não parava de falar do quanto ele adoraria ter uma família.

- fique a vontade, senta lá no… -ele parou e encarou a garota sentada no sofá

- sente aqui comigo -ela disse com um sorriso simpático

- está bem -digo indo em sua direção

- nanah estarei na cozinha, te chamo quando tiver pronto seu café -pude notar um olhar de preocupação, e eu fiquei sem entender o porque

- relaxa amor, to bem -digo me sentando ao lado da garota

Ele sai nos deixando sozinhas, e mesmo ela me encarando, começo a ver o que passava na tv. Até ela quebrar o silêncio.

- então você é a nanah?! -ela diz mais como uma afirmação, do que uma interrogação

- sim… como sabe? -perguntei curiosa

- ah! Então você não lembra em quem fez meu namorado trair? -pude notar um leve tom de raiva

- era você? Me desculpe, estava um pouco alterada e acabei me deixando levar -digo levemente surpresa

- você não me engana, eu sei que foi de propósito -ela fala um pouco mais alto- afinal você foi o primeiro amor dele

- que? Quem é ele?...

- não finge que não sabe -ela gritou- eu sei que foi de propósito, e saiba que você não vai conseguir tirá-lo de mim -ela continuava a gritar, até que me encarou furiosa- nem você e nem esse bebê

- o que tá rolando aqui? -ah! Eu reconheço essa voz

- nam? -digo tentando conter minha animação

- esse rostinho de bebê… é tu mesmo nanah? -me levantei e corri para um abraço

Senti tanta falta dele, e de seus conselhos, era quase como um pai. Muitas brigas passadas que tive com Yoongi, ele que me acalmava e me aconselhava. Ele fazia muita falta na época da facul, e fico feliz em poder ter ele como pai novamente.

- que saudades pequena -ele diz retribuindo meu abraço

- nanah… -ouço uma voz rouca me chamar, e nam me soltar

Seus cabelos platinados e seus olhos me chamavam a atenção, e estranhamente sentia uma inquietação interna. Estava nervosa, meu coração pulsava rapidamente, e eu nem sabia o porque.

- sou eu nanah, Yoongi -ele diz e sorri

- yoon… -eu estava surpresa

- e meu namorado -a garota gritou, fazendo todos olharem para ela

- ah! É ele?... pera… -eu estava ainda mais surpresa

- é nanah -ele riu- a gente transou

- sempre tão direto -ri e pensei um pouco- pera, então você…

- sou o pai do seu bebê? Sim -ele riu

- ele não quer, porque não aborta? -ela disse friamente

- tá louca? Eu nunca faria isso -digo indignada

- tá vendo, quer roubar ele de mim -ela voltou a gritar

- e quando eu pedi pra ele voltar comigo? Eu posso muito bem criar esse bebê sozinha -digo já ficando um tanto estressada

Ultimamente perco a paciência rápido, o que é estranho, já que eu sou uma das mais pacientes da família.

- ei! Esse bebê é meu também, mereço cuidar dele também -yoon intervém certamente para diminuir a tensão no ambiente

- se você me mostrar que merece, quem sabe eu deixo -digi entrando na brincadeira

- isso me dá nojo -ela diz se levantando e saindo da sala

- liga pra ela não -nam diz bagunçando meu cabelo

- nanah… vem -Jin aparece do nada, com uma expressão séria

Caminho até ele e logo ele me leva até a cozinha, a qual estava com a mesa com comidas variadas. Era bem decorada, bem arrumada, bem a cara do Jin.

- trate de comer bem viu -ele diz se sentando

- sim omma -digo e ele ri

- ei nanah, de quanto meses você tá? -nam perguntou sentando ao lado de Jin

- completou quatro a três dias -digo me sentando

- já sabe o sexo do bebê? -yoon pergunta sem esconder a curiosidade

- não, vou daqui a uma semana ver, tô tão ansiosa -digo animada

- quem não está? -Jin diz na mesma animação que eu- imagina se for uma menininha, prevejo yoon babando nela

- eu não vou ser assim -ele diz cruzando os braços- até porque eu acho que vai um garoto

Enquantos os homens da casa discutiam sobre qual ia ser o sexo do meu bebê, eu aproveitava e comia já que estava com fome. Após um tempo a garota voltou, e para minha surpresa ela conversava tranquilamente com todos, como se seu ataque de raiva nunca tivesse acontecido.

- vamos deixar pra descobrir no dia do nascimento? -digo empolgada

- não -os três disseram juntos

Eles só concordavam em algo que eu dizia, e quase sempre era um “não”. Apesar do assunto nunca encerrar, eu já estava cansada, tanto que mandei um “help” para a lari, e não demorou muito para ela ligar para o Jin.

- oi amor… tá aqui sim, tava alimentando ela… -eu ri- eu sei, mas… tá bom, promete que virão amanhã?... beijos -todos olhavam ele- era lari, quer a nanah lá pra ficar com ela

- ela me ama -digo rindo

- então você já vai né? Quer que eu te leve? -não sei se impressão, mas me passou como uma ameaça

- vou chamar um táxi, não quero incomodar -digo ligando para um que sempre chamava

Ficamos conversando de como foi quando eu estava longe, e mesmo desconfiando que escondiam algo de mim, aceitei aquelas histórias como verdadeiras. Descobri o nome da garota, era Yuki e também como ela e yoon começaram esse “romance”, é mais ela que vê um namoro, dá pra notar que yoon não liga tanto assim para ela. Porque eu fiquei feliz com essa notícia?

Assim que o táxi chegou fomos avisados, e logo todos descemos até a entrada do prédio. E assim que vimos o táxi encostado do outro lado da rua, eu comecei a me despedir deles.

- você vai voltar né? -Jin diz me abraçando

- lógico omma, quem vai me fazer andar na linha se não você? -digo e ele ri

- verdade -ele diz nos separando do nosso abraço

- appa -abracei nam

- sério isso? -todos riam

- lógico, omma… -apontei Jin- appa, perfeito

- concordo -yoon diz rindo

- afe -ele diz se soltando do abraço

Nos encaramos por um momento, e mesmo que ele já foi meu um dia, e agora tem outra, nós permanecemos amigos. Caminhei até ele e o abracei, logo seu perfume invadiu minhas narinas, uma sensação de meu coração se preencher me tomou, e por pouco não chorei. Senti tanta falta dele.

- até mais futuro papai -digo me mantendo na realidade

- até, futura mamãe -ele diz ao pé de meu ouvido, e meu corpo se arrepia

- tá chega! -yuki diz irritada

Nos separamos e logo ouvimos barulhos de explosões, enquanto todos procuravam de onde vinham. Algumas palavras foram ditas em meu ouvido.

- ninguém vai tirá-lo de mim

A voz de Yuki soou em minha cabeça de uma maneira doentia, e logo em seguida senti meu corpo ser empurrado para o meio da rua. Apesar que tudo consegui manter o equilíbrio, e assim que a olhei vi seu olhar perturbado em mim, sorrindo como quem acabara de tirar a sorte grande.

Antes que pudesse sair correndo de volta para a calçada, senti um forte impacto na lateral de meu corpo. E em seguida gritarem meu nome, antes de eu cair e tudo ficar escuro, e silencioso.


Notas Finais


Como ficou? Tá ruim? Me digam, por favor ♡
Tentarei ser mais breve ok?
Me perdoem ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...