História A verdadeira história de Gabriel Agreste (a.k.a Le Papillon) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), André Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Personagens Originais
Tags Adrien Agreste, André Bourgeois, Emilie Agreste, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Sharon Benson
Visualizações 4
Palavras 1.098
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Lírica, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Gabriel e Emilie, parte II.


Fanfic / Fanfiction A verdadeira história de Gabriel Agreste (a.k.a Le Papillon) - Capítulo 8 - Gabriel e Emilie, parte II.

Poucos dias antes de voltar à Argentina, Sharon travou uma briga na Pont des Arts com Emilie. Enraivecida, Sharon encontrou a futura Senhora Agreste sozinha e aproveitando-se do fato de que Gabriel longe se encontra com ela foi tirar satisfações. “Quem você pensa que é para enfeitiçar o meu Gabriel Agreste, sua megera?”, pergunta Sharon de forma provocativa e com um olhar raivoso para cima de Emilie. “Sharon, quanto atrevimento da tua parte em falar que o Gabriel é teu. Para começo de conversa o Gabriel é meu noivo já faz dois meses. Eu o amo e ele me ama e não vai ser você que irá mudar isso. Nunca que o Gabriel me trocaria por uma mulher suja como você, Sharon. Se eu sou uma megera você é uma víbora”, a futura Senhora Agreste responde. “Atrevimento uma ova Emilie. Isso não muda o fato de que o Gabriel Agreste é meu e de ninguém mais”. Uma briga entre as duas tem início. Sharon parte para a agressão. “Se o Gabriel não pode ser meu, então ele não será de mais ninguém!”, diz uma irada Sharon à futura Senhora Agreste, com um olhar sanguinário em seus olhos. Sharon literalmente perdeu a cabeça e não terá o menor pudor em matar sua rival amorosa, quer seja a afogando no Rio Sena, quer seja a espancando cruelmente até a morte.

Mas, antes que o pior ocorresse e Emilie caísse e se afogasse nas gélidas águas do Rio Sena, eis que uma terceira pessoa aparece e aparta a briga. Ela é Marisa Mint (futura Juliana), a época uma jovem aspirante à patinadora profissional. “Posso saber o que vocês estão discutindo?”, pergunta Marisa Mint às duas. Sharon diz que a futura Senhora Agreste começou com tudo e a chamou de megera e ladra de namorados. “Ora, quando atrevimento da tua parte em me chamar dessas coisas, hein Sharon? Foi você que começou me ofendendo, para começo de conversa”, retrucou a futura Senhora Agreste. Marisa Mint mostrou firmeza, mesmo tendo tomado um soco na região do olho esquerdo que a deixou com um hematoma desferido por Sharon. “Vocês duas, vão resolver suas diferenças em outro lugar. Aqui não é o lugar para isso!”, diz Marisa Mint as duas com uma entonação forte de voz, principalmente à Sharon. Diante do olhar intimidador de Marisa Mint, Sharon recua e a briga chegou ao fim. “Isso não vai ficar assim! Vocês vão ver!”, diz Sharon antes de deixar o local.

Os meses que se seguiram à briga entre Emilie e Sharon na Pont des Arts e a ida da tia de Sol Benson de volta à Argentina se passaram como se fosse um piscar de olhos. A experiência que teve na França com Gabriel Agreste jamais será esquecida pela senhora argentina, que tempos depois se apaixonou por Bernie, o marido de sua irmã Lilli e pai de sua sobrinha Sol Benson. Ou seja, é a segunda vez que Sharon se apaixona por um homem comprometido com outra. E mais vez ela se deu mal, já que isso terminou em uma briga entre irmãs que levou a um incêndio na mansão em que viviam e ao sumiço da jovem Sol Benson. Tudo pelo fato de que Sharon, mais uma vez vendo que seu interesse amoroso do momento não ia lhe corresponder como ela queria, queria mata-los para assim ficar com todo o direito da herança de seu cunhado e sua irmã. Algo que ela conseguiu, no que a tornou uma das mulheres mais ricas de toda a Argentina. Obviamente, Sharon esconde para debaixo do tapete tanto a sua malograda experiência com Gabriel Agreste enquanto estudou em Paris quanto o incidente na mansão que ceifou a vida de sua irmã e seu cunhado. Quando indagada sobre isso, sempre alega que aquilo foi um acidente na tubulação da mansão, que é algo que deve ser esquecido e que ela nada teve haver com aquilo.

Por meio do noticiário internacional, Emilie soube desse incidente e contou tudo a seu marido. “Como pode ela ser tão cínica e dissimulada a ponto de dizer que se encontra preocupada com o paradeiro da sobrinha dela? Tenho certeza que isso foi obra dela. Tenho nojo dessa víbora”. Assim Emilie reagiu vendo as notícias sobre o caso e a cara-de-pau da megera argentina falando que está muito preocupada com o paradeiro de Sol Benson. “Isso são lágrimas de crocodilo!”, disse Emilie vendo Sharon chorando de preocupação por sua sobrinha. “Tenho certeza que as autoridades da Argentina vão tratar esse caso com as devidas providências, minha querida. Não se preocupe”, diz Gabriel. Em seguida os dois se abraçam.

Gabriel e Emilie passaram sua lua-de-mel na Ásia Distante, mais precisamente na China, assim realizando um velho sonho que o senhor Agreste passou a nutrir desde que viu filmes de artes marciais na juventude. Visitaram templos como o Wudang e o Šaolin até por fim chegaram às montanhas do Tibete. Uma coisa é ver tais templos em fotos e filmagens, e outra bem diferente é vê-los de perto e neles estar. Essa foi a conclusão que os dois chegaram ao ver tais cenários com os próprios olhos. Algo simplesmente mágico e incrível, uma sensação indescritível, fantasmagórica, parece algo de outro mundo. “Você pelo visto tem um ótimo gosto, Gabriel. Essa é a melhor lua-de-mel que poderíamos ter”, diz Emilie ao seu marido. “Sim, Emilie. E preparei isso tudo especialmente para você, minha querida”, responde Gabriel.

Logo após a volta da lua-de-mel, Emilie, agora acompanhada de seu marido, voltou a encontrar-se com Marisa Mint, dessa vez em um ringue de patinação nas proximidades do Stade de France. “Que bom reencontrar-te aqui, Marisa”, diz Emilie à Marisa. “Muito obrigado por ter apartado a briga na ponte daquela vez, Marisa. É o mínimo que posso fazer por você”, replica Emilie, que em seguida apresenta seu marido à aspirante a patinadora profissional. “É um prazer muito grande conhecer o imperador e a imperatriz da moda de Paris”, diz Marisa ao senhor Agreste, que diz estar muito alegre de saber que os dois se casaram. Gabriel igualmente parabeniza Marisa por sua intervenção na briga entre sua esposa e Sharon. “Era o mínimo que eu poderia fazer”, Marisa responde. A aspirante à patinadora profissional em seguida nota a barriga de Emilie um pouco maior que antes. “Emilie, será que você não está grávida? Ou será que é apenas impressão minha?”, pergunta Marisa. Emilie responde que acha que não e que mesmo que sua barriga esteja um pouco maior ainda é cedo para dizer isso. Só o tempo dirá se ela está ou não grávida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...