História A viagem de Alice Coulin. - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 13
Palavras 2.257
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá queridos leitores!
Desculpa ter demorado um pouco, eu estava sem internet. 😒

Espero gostem desse capítulo!
Bjs😘😘

Capítulo 3 - Quem é o tal Erik?


  Amanheceu, eu acordei pensando que tudo aquilo tinha sido um sonho, um sonho bem estranho, mas não, eu de fato tinha passado por tudo aquilo, e eu estava na casa do aprendiz. Na parede tinha pendurado uma roupa nova para mim, uma calça marrom acompanhada com um tecido amarrado na cintura, uma camisa de mangas longas branca, com um espartilho simples de couro preto e uma capa com capuz.
Eu vesti, e reparei que escondido de baixo do tecido amarrado na minha cintura havia um punhal. Depois de está toda pronta, eu fui até o aprendiz e ele me ofereceu biscoitos, eu perguntei.

__O que pretende que eu faça com esse punhal? --eu perguntei dando a ele o punhal.
__Em uma floresta com vilões a solta para te pegar, achei que fosse apropriado você ter algo para se defender caso eu não estiver por perto. --ele disse me devolvendo o punhal.
__Ta, isso quer dizer que eu não estou completamente segura aqui com você? --eu disse.
__Ninguém nunca está completamente seguro com ninguém. --ele disse seriamente. __Agora, venha aqui fora comigo, você não pode ter um punhal sem saber usar não é mesmo? --ele disse me levando para fora.
__Mas mesmo assim, não seria mais eficiente uma espada? --eu disse ao aprendiz.
__Como quiser, de fato é mais eficiente. --uma voz lá do fundo exclamou.
__Mas quem, quem é você? --eu digo olhando para aquela figura com um manto e um capuz.
__Receio que você sabe quem eu sou, mas deixa eu me apresentar, eu sou Merlin. --ele exclama curvando sua costa diante a mim. __E afinal, olhe para sua mão.

Eu olho, e aquele punhal havia se transformado em uma espada grande e bonita.

__Mestre, eu senti sua falta, a jovem Alice tem muitas perguntas a serem esclarecidas. --O aprendiz fala.
__É claro que sim, mas antes, ela deve aprender a manipular essa espada. -- Merlin fala se virando a mim.
__É claro. --eu falo tentando erguer a espada.

Porém era muito pesada e era difícil, quando a erguia não conseguia move-la para um lado e para o outro sem deixar ela cair no chão.

__Você quer desistir? --Merlin fala.
__Não! Deixa comigo eu consigo! Eu não vou desistir! --eu disse dando o máximo de mim.

Após eu falar isso a Merlin, foi como mágica, a espada parou de ficar pesada, e a sentia como uma pena, eu conseguia manipula-la facilmente, eu girava e girava a espada com facilidade. Eu olhei para Merlin e ele estava sorrindo e deu um olhar estranho de confirmação.

__É, de fato, você tem um belo potencial em acreditar. --o aprendiz fala contente.
__É como erguer uma Excalibur. --eu falo me virando a Merlin.
__Agora, lute comigo. --Merlin se vira a mim erguendo a espada que magicamente apareceu na sua mão.
__Com prazer. --eu disse erguendo a minha com confiança.

Merlin tenta me atacar, eu desvio e continuo na posição de defesa, ele tenta novamente e dessa vez eu ataco ao mesmo tempo, ele se defende e me faz cair, mas rapidamente eu levanto tentando acerta-lo; pela primeira vez naquela terra eu tive a sensação de que nada era impossível e que eu, manipulando uma espada pela primeira vez na vida podia sim derrotar um Mago poderoso, mesmo ele não usando magia.
Eu continuava, como posso dizer, acreditando que eu eu podia vencer Merlin e isso cada vez mais me dava mais força, até que saindo de mim um raio forte de luz atinge Merlin e o faz cair. Eu largo a espada e peço desculpas.

__Não, não precisa se desculpar, você é muito boa nisso. --Merlin disse bem alegre.
__Foi um belo começo. --O aprendiz fala concordando com Merlin.
__Eu não compreendo o que aconteceu, o que era aquele raio de luz que lhe derrubou Merlin? --eu falo.
__Foi você. --Merlin fala orgulhoso.
__Mas como eu fiz isso? --eu falo confusa.
__Está muito confusa querida, e essa espada está desamolada, tome fique aqui fora afiando ela enquanto eu e o Sr. Merlin entraremos e teremos uma breve conversa, está bem? --O aprendiz fala me entregando uma pedra.
__Está... está bem. --eu falo pegando a pedra para mim.

Merlin e seu aprendiz entraram na casinha e eu fico do lado de fora passando a pedra na espada para ela fica bem afiada. Eu escuto um barulho vindo das folhas, como se fosse uma pessoa, eu parei o que estava fazendo e fiquei mais atenta para ver se aparecia o barulho de novo, e foi o que aconteceu. Eu pensei em chamar o aprendiz e Merlin, mas achei melhor eu ver eu mesma, fui até mais próximo de onde estava vindo o barulho, que ficava cada vez mais longe. Quando parei em um determinado lugar, reparei que tinha me afastado da casa do aprendiz.

__Longe de casa Alice. --uma voz grossa fala de traz de mim.

Eu levanto a espada e me viro para na posição de defesa.

__Calma! Calma! Sou só eu, seu amigo. --o homem fala tirando o capuz do rosto.

Eu ia perguntar quem era mas quando o rosto se revelou, eu sentia, eu podia ver que eu o conhecia de algum lugar, tentei buscar na minha mente. Um homem alto com um máscara branca cobrindo praticamente metade do seu rosto, eu sabia quem era! "Não pode ser!" a minha mente exclamou, eu baixinho sem fôlego soltei um "Você?..."

__Se acalme Alice, sou só eu. --ele fala tranquilamente.
__Não pode ser, você aqui? O.. O Fanta.. Fantasma da Ópera? É você? --eu falo pálida.
__Sim, sim sou eu, e você sabe que pode me chamar pelo o meu nome. --ele fala.
__Erik! Então você é o Erik do qual O aprendiz, Robin Hood e Will Scarlet falaram? --eu disse muito supresa.
__Sim, eu acho que sim, eu estou tão famoso assim? --Erik disse irônico.
__Bom, eles citaram você quando eu chegei aqui, ontem. --eu disse.
__A propósito, eu sei que você não se importa, mas eu lembrei e trouxe isso a você, está meio amassado mas é para você, feliz aniversário atrasado Alice --Erik disse me entregando um Cup Cake.
__Ah! Sim.. é... obrigado? Me desculpa mas, como você sabia? --eu disse pegando o Cup Cake muito confusa e desconcertada.
__Bem, vamos dizer, eu venho acompanhando seu desenvolvimento tem um bom tempo. -Erik disse.
__Mas como assim? Eu vivia no mundo real.--eu disse.
__Certo, e eu também, desde que soube de sua existência. --Erik disse. __Escute, desde que eu soube que você nasceu, eu fui para londres acompanhar seu crescimento, eu já sabia desde lá que você era escolhida, mas ninguém acreditou em mim, então eu fui para junto a você para poder garantir o seu futuro.
__Mas, eu nunca vi você-- eu disse.
__É claro, eu fui bem cuidadoso durante esses 14 anos. --Erik disse.
__Então quer dizer que o Fantasma da Ópera, um dos meus personagens favoritos, esteve comigo esse tempo todo!? --eu disse logo após de botar um pedaço do Cup Cake na boca.
__Sim... --Erik disse como se estivesse com pressa.
__O que foi? Parece diferente. --eu disse.
__Nada, só estou esperando. --Erik disse.
__Esperando o qu... --eu disse tonta logo desmaiando.

Depois de ter desmaiado, me vejo deitada nas raizes de uma árvore e logo vejo Erik sentado em uma pedra a minha frente me olhando.

__O que... o que tinha no Cup Cake? --eu disse me levantando.
__Uma coisa que te fizesse dormir até chegarmos aqui. --Erik disse.
__Mas, porquê? --eu disse olhando para os lados.
__Se eu te dissesse para fugir, você não viria, viria? --Erik disse sério.
__Não sem antes ir pegar as minhas coisas no aprendiz. --eu disse.
__É claro que não viria, por isso eu te dopei, precisamos estar longe deles para isso. --Erik disse olhando seriamente pra mim. __A propósito, suas coisas estão do seu lado, eu peguei quando você saiu da cabana do aprendiz.
__Ta mas, o que exatamente vamos fazer? --eu disse.
__Escute com muita atenção Alice, eu vou te contar toda a verdade agora. --Erik disse muito sério. __Quando você chegou aqui e viu Regina má, você com certeza estranhou, por quê no seu livro ela tinha se tornado boa, certo? Então, era tudo verdade, tudo que estava no seu livro, era tudo verdade, antes de uma maldição ser lançada em todos os reinos, agora, nada é mais como antes. Foi dada um profecia de um salvador, alguém jovem com um poder inimaginável poderia reescrever a história e salvar todos dessa maldição e a dica era que ele teria uma mancha marrom no braço igual a essa sua, então se formou uma aliança na caçada desse salvador, eu não perdi minhas memórias e nem Merlin e outras pessoas, mas nem todos tiveram a mesma sorte. A aliança era composta por mim, Merlin, O aprendiz dele, Robin Hood, Will Scarlet, Killian Jones, Jefferson e Pinóquio ou August, como queira; durante anos, nós unidos procuramos por reinos o tal salvador até que encontramos um, para todos ele era perfeito, mas para mim não, todos o levaram conosco para quebrar a maldição, o escolhido deveria ter um poder sublime de fé, quando chegou a hora, ele teve a chance de quebrar a maldição, era só pegar a caneta mágica e pronto, reescrever a história, mas eu disse a todos "ele não é o escolhido", porém ninguém me ouviu e quando o garoto pegou a caneta, ele evaporou completamente, tinha morrido, e assim foi com os outros 5 jovens que veio logo após. Eu sempre dizia que não, mas ninguém me ouvia, exceto Killian e Jefferson, eles no fundo concordavam comigo, mas Merlin comandava o grupo e então eu me rebelei, eu disse que não aguentava mais trazer jovens a morte e então eu segui o meu próprio rumo em busca ao salvador, até que eu sonhei com você e pude sentir o seu poder, não pensei duas vezes, dessa vez eu tinha certeza, fui até você quando nasceu, as últimas notícias que tive foi que a aliança tinha se desfeito e alguns começaram a procurar por conta própria. É por isso que não contaram nada a você, não contaram que os 6 salvadores anteriores morreram, mas Alice acredite em mim, você não vai, você tem o verdadeiro poder, se não estivesse, os vilões não estariam correndo atrás de você e outra coisa, essa espada que você está carregando, não sei se percebeu mas é a própria Excalibur, você ergueu, ninguém tinha conseguido antes. Alice você deve vim comigo, e eu vou te ajudar, olha que loucura estamos conectados! Eu posso te ajudar, mas pra isso você precisa confiar 100% em mim, temos que sair daqui e você ainda não está pronta, ainda terá muitas aventuras, e eu quero estar junto quando tudo isso acontecer. --Erik disse tudo olhando fixamente nos meus olhos.
__Então é isso, o meu personagem favorito é tipo o meu... padrinho encantado? --eu disse meio irônica mas também assustada com toda a história que eu tinha acabado de ouvir.
__É... eu prefiro ser seu Guia. --Erik disse entendendo a irônia.
__Então, que coisa! O que vamos fazer agora? --eu disse.
__Vamos andando, tenho uma supresa, no caminho eu posso esclarecer mais dúvidas suas. --Erik disse se levantado.
__Claro! --eu disse empolgada.

Eu e ele nos levantamos e fomos caminhando pela floresta, conversando.

__Só me tira uma curiosidade Erik, você não está no livro, o que estava fazendo aqui? --eu disse curiosa.
__O livro termina mas a história aqui e em todos os reinos continua, eu cheguei aqui depois do último capítulo, e antes que me pergunte, a minha história que você conhece no seu mundo é totalmente diferente da original. --Erik disse.
__E o que tem de diferente na sua história? --eu disse mais curiosa.
__Bem quase tudo. --Erik disse imparcial.
__Eu sinto que tem algo que você não quer me contar, mas relaxa, você não é obrigado a contar. --eu disse tentando passar uma tranquilidade.
__Então esse assunto corta aqui. --Erik disse seguindo em frente.
__Para onde estamos indo? --eu disse.
__Não vamos fazer isso sozinhos, estamos indo até um amigo que está tão determinado a quebrar essa maldição quanto eu. --Erik disse.
__Quem? Quero dizer, eu conheço? É um personagem do meu mundo? --eu disse.
__Eu tenho certeza que você conhece o Killian. --Erik disse empolgado.
__Killian? O que fazia parte da Aliança? --eu disse.
__Sim, ele também é conhecido como o Capitão Gancho, ele vai nos da uma carona. --Erik disse.
__Meu Deus! O Jolly Roger? Nós vamos de Jolly Roger? --eu disse supresa.
__Sim, é o método mais rápido, temos que encontar outra pessoa que não está nesse reino, Killian tem feijões mágicos que vão nos ajudar. --Erik disse.
__Sério isso! --eu disse animada.
__Sim. --Erik disse normal.
__É aliás, é todo dia que um livro te teletransporta para um mundo encantado e seus personagens favoritos vem te ajudar a quebrar uma maldição suicida e que logo logo terá um passeio no Jolly Roger, sim, isso acontece todo dia comigo e com você? --eu disse irônica.
__Você é impossível Alice. --Erik disse rindo. __As pessoas não foram feitas para você Alice, você diferente e isso é bom.
__O mais irônico de tudo é que alguém me falou exatamente isso anos atrás... --eu disse sem nem ao menos perceber o que ele tinha acabado de revelar.
__Sério? --Erik disse.
__S..sério. --eu disse travando porquê eu finalmente tinha entendido que o homem misterioso que tinha me aconselhado isso no passado, era ninguém mais ninguém menos que o próprio Erik! __Espera! Erik era você!?





Notas Finais


Eai? Gostaram?
Talvez eu demore menos agora para publicar outro capítulo.
Brevemente, algumas dúvidas deixadas no ar vão ser reveladas.

Beijos até mais😗😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...