História A viagem- isulio - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bia
Visualizações 57
Palavras 1.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente me perdoem por não postar nos últimos dias estava tendo provas aí não dava pra postar, mas agora tô de volta.

Capítulo 18 - Capítulo 18 - O amigo da Agus


Eu acordei e o Júlio não estava lá, fui e fiz minhas rotinas que sempre faço ao acordar, escovei, tomei um banho, o banheiro era no quarto do Júlio, então eu já sabia que ele não estava lá.

Isa: — JÚLIO!!

Júlio: — Na cozinha, fica aí no quarto não vem pra cá.

Isa: — Tá bem — eu estranhei o que ele disse mas fiquei no quarto, fiquei mexendo no celular.

O Júlio apareceu com uma bandeja de café, com um monte de coisas, suco, torradas, panquecas e várias coisas, o famoso café na cama dos sonhos.

Isa: — Era isso que fez você acordar mais cedo? — eu disse me encostando perto dele.

Júlio: — Claro, você merece isso e muito mais. — ele disse colocando a bandeja em cima da mesinha que tinha no quarto.

Isa: — Já disse que você é perfeito?

Júlio: — Já mas amo ouvir de novo.

Isa: — Você é perfeito, eu te amo!

Júlio: — Eu também te amo! — disse me puxando pela cintura pra um beijo, as nossas línguas exploravam cada canto das nossas bocas, o beijo era perfeito.

Depois do beijo eu recebi uma mensagem da Giulia, ela estava me chamando para ir ao shopping, eu, ela e a Agus, ela disse que chamasse os meninos também, esses meninos são o Júlio e o Guido.

Falei com o Júlio, logo depois indo tomar o meu café da manhã perfeito.

Júlio: — Me da um pedaço da torrada?

Isa: — Não, está muito boa.

Júlio: — Esfomeada e é óbvio que vai estar boa, eu que fiz.

Isa: — Nem se acha né?

Júlio: — Claro.

Almoçamos na casa da Agus, e depois fomos ao shopping, fomos tomar um sorvete.

Isa: — Acho que vou tomar um sorvete de... Menta.

Júlio: — Caramba Isabela, menta?

Isa: — Ué o que foi? 

Agus: — Isa, menta é o pior sabor de sorvete do universo.

Isa: — Respeitem meu gosto ouviram? Eu gosto e ponto.

Giulia: — Gosto ruim esse seu hein.

Júlio: — Ei, não é tão ruim assim.

Agus: — Pera aí que ofendemos a princesa.

Júlio: — Vai pra merda Agustina.

Guido: — Júlio relaxa meu filho.

Isa: — Ei gente para.

Giulia: — Que fofo ela defendendo o amor da vida dela.

Isa: — Defendo mesmo.

Um garoto chegou perto da mesa, pensamos que ele seria garçom ou algo do tipo, mas na verdade era um amigo da Agustina.

Xxx: — Oii Agus, como Vai?

Agus: — Oii Renato, Tudo bem e com você? 

Renato: — Bem.

Agus: — Bom, esses são meus amigos, a Isabela.

Isa: — Oi prazer. — eu cumprimentei ele com um aperto de mão.

Agus: — A Giulia.

Giulia: — Prazer em te conhecer.

Agus: — O Júlio.

Júlio: — Olá, prazer.

Agus: — E o guido.

Guido: —  E Ai cara? 

Agus: — Então Renato o que faz aqui na Argentina?

Renato: — Estou de passagem, vou passar uma semana aqui e depois vou embora para o México.

Guido: — Vai ter uma festa lá em casa amanhã, festa a fantasia, você tá convidado.

Renato: — Muito orbigada pelo convite, conte com minha presença, então gente tenho que ir. — ele disse indo embora.

Isa: — Bem legal ele Agus. — o Júlio fechou a cara na hora.

Giulia: — Verdade, gostei dele.

Guido: — Também gostei dele, achei super legal.

Júlio: — Eu não achei ele isso tudo não, normal como qualquer outro cara.

Agus: — Vi que tem alguém com ciúmes aqui.

Júlio: — Ciúmes pelo que?

Guido: — Talvez porque a Isabela disse que ele era legal.

Isa: — Oxe e o que isso tem a ver?

Júlio: — Vamos esquecer isso, bora tomar nossos sorvetes. — ele estava emburrado, de cara fechada.

Isa: — Júlio, tá tudo bem? — disse perguntando bem baixinho.

Júlio: — Tá! — ele disse friamente.

Isa: — Quando eu for pra casa você vai comigo, precisamos conversar.

Júlio: — Tá

Terminamos nossos sorvetes, depois demos uma volta no shopping, fomos em um lugar onde você brincava lá como se fosse um fliperama, mas com brinquedos sem ser eletrônicos.

Isa: — Eu quero ir naquele. — disse empolgada apontando o dedo pra ir em um brinquedo que subia, depois rodava e descia na maior agressividade, tava com medo mas queria ir.

Giulia: — Amiga cê tá bem? Aquele brinquedo é super assustador.

Isa: — Que nada.

Fui no brinquedo, morri de medo, sai com os cabelos parecendo que tinha acabado de acordar, até que consegui arrumar.

Isa: — Não vou naquilo mais nunca.

Giulia: — Nós avisamos.

Fomos pra casa, quem nos levou foi o Júlio, então eu já lembrei que falei que tinha que conversar com ele, ele deixou todos em suas casas e ele me levou pra minha.

Isa: — Preciso que desça, quero conversar com você.

Júlio: — Não pode ser aqui no carro não?

Isa: — Não, venha logo.

Descemos do carro e abri a porta de casa e dei passagem para o Júlio passar.

Isa: — O que tá acontecendo, você está frio, seco, tem algo errado.

Júlio: — Ué véi, pode ficar assim mais não?

Isa: — Sem explicação não.

Júlio: — Tá, você ficou elogiando aquele garoto lá, o amigo da Agustina, o nome dele era como mesmo? Augusto?

Isa: — Não acredito que ficou com ciúmes? Julinho, você sabe que eu só amo você, ninguém vai tomar seu lugar.

Júlio: — Tá falando sério? — disse dando um sorrisinho, como eu sou rendida por esse garoto

Isa: — Nunca falei tão sério. — disse beijando ele, que me puxou pela cintura juntando mais os nossos corpos.

Júlio: — Tenho que ir.

Isa: — Dorme aqui essa noite por favor, não quero dormir sozinha.

Júlio: — Tá ficando mal acostumada.

Isa: — Culpa sua!

Júlio: — Só hoje, não vou acostumar você dormindo comigo toda noite.

Isa: — Queria acordar ao seu lado todo dia.

Júlio: — Um dia, estamos novos pra casar, mas isso vai acontecer.

Isa: — Eu te amo!

Júlio: — Eu te amo infinitamente!

Começando a nos beijar, mas não aconteceu nada demais, só dormimos mesmo, Tudo que queria no momento era ficar com ele, mas se ele quisesse outra coisa eu também não iria negar. Eita que os pensamentos impuros apareceram.

Fomos dormir, o Júlio deu sorte porque eu tinha trago o moletom dele pra casa, já que ele tinha me dado.

Júlio: — Dei sorte em te dar esse moletom.

Isa: — É pra devolver viu.

Júlio: — Não se preocupa, eu vou devolver, quero que fique com um pedaço de mim no dia.

Fomos dormir, eu encostei a minha cabeça no peito do Júlio, ele abraçou minha cintura e fazia carinho no meu rosto com a outra mão, eu já fazia carinho em sua nuca, até que pegamos no sono.







Notas Finais


Posteeeeiii, finalmente, será que esse Renato vai interferir no relacionamento de isulio? O que acontecerá com esses dois? Beijos e até o próximo capítulo ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...