História A viajante da lua sangrenta - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Kuroshitsuji
Personagens Agni (Arshad), Alan Humphries, Aleister Chamber (Visconde de Druitt), Alois Trancy, Bardroy "Bard", Beast, Charles Phipps, Ciel Phantomhive, Claude Faustus, Condessa Rachel Durless-Phantomhive, Diedrich, Doll, Earl Charles Grey, Edward Midford, Elizabeth Midford, Eric Slingby, Finnian "Finny", Grell Sutcliff, Hannah Annafellows, Joker, Lau, Madame Red (Angelina Dalles), Mey-Rin, Personagens Originais, Pluto, Príncipe Soma Asman Kadar, Ran-Mao, Ronald Knox, Sebastian Michaelis, Sieglinde Sullivan, Snake, Sr. Tanaka, Undertaker, Vincent Phantomhive, William T. Spears, Wolfram Gelzer
Visualizações 40
Palavras 1.354
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 19 - O tão esperado sonho de um demônio


Fanfic / Fanfiction A viajante da lua sangrenta - Capítulo 19 - O tão esperado sonho de um demônio

- Agora que percebo o transbordante de dias livres que tenho. Minha rotina continua a mesma. Acordar, ver Ciel, ir ao jardim e ao anoitecer ir a ceia logo em seguida me dirigindo ao quarto. Antigamente a tv e os livros me saciavam mas os tipos que essa casa possui não são nada interessantes. Talvez eu devesse pedir para ir em alguma peça de opera? Eu sempre quiz assistir mas em minha cidade não possuia. Mas ta ai o problema. Eu não tenho a ideia de quando isso começou a existir. Então a minha base do que tem nesse universo é minima. Já faz um tempo desde que percebir que este mundo não é o mesmo passado do meu universo. Então de acordo com os livros esto poderia ser um outro multiverso. Cheguei a tal conclusão apos saber da existência de tais condes ao qual tinha certeza de que não havia informações no meu mundo.

- Mas esso faria mais sentido. Ainda que algumas pessoas nunca tivera existido em meu mundo bastante pessoas ainda era reconhecidas. Como por exemplo a principal. A rainha Victorica. Esso me fez chegar a conclusão de que aquela garota poderia ser uma versão de mim deste mundo. Mas o problema era saber como eu consegui suas memorias. Por mais que estejam borradas ainda estão lá.

- Me pergunto se no meu mundo haveria um Ciel e se talvez nos encontraria. A situação seria muito melhor que a atual. Pelo menos eu não estaria mais sozinha na maior parte do tempo. Talvez eu devesse arranjar uma amiga?

- Não, isso com certeza é a ultima coisa que preciso. Não tive amigos nenhuma vez. O máximo que poderia considerar eram "Colegas de classe/quarto". Simplesmente as pessoas daquele mundo é tão imundo e falso que me enoja.

- Olhando atentamente a paisagem a minha frente sinto algo nostalgico, algo faltava. Eu não sabia certamente se era uma pessoa ou objeto mas eu não era nenhuma trouxa para saber que a culpa é da minha ligação com este universo.

- Tudo o que eu olhava me trazia memorias boas e ruins. Mas infelizmente os rostos das pessoas que almejo ver estão sempre borradas mas eu tenho certeza de que se um deles passar ao meu lado o reconhecerei na hora.

- Ouço passos se aproximarem e em seguida alguém adentrar a mesma.

Sebastian - Infelizmente o jovem mestre não podera lhe ver por hoje minha lady. O trabalho está desesperador esta semana.

- Eu sabia. Ciel nunca se atrasou tanto para vim até o meu quarto.

Yuki - Hmm... - Desviei seu olhar do meu e continuei a olhar para o vasto céu azul celeste. Ao longe se podia ouvir o canto dos passarinhos.

Sebastian - Está entediada? - Meu corpo extremese. Sinto a respiração quente de Sebastian na minha nuca. Seu corpo quase colado ao meu me fazia ficar intacta.

- Quando diabos ele se aproximou tanto?

Yuki - É tão visivel assim?

Sebastian - Para alguém que vivia nos salões e entre a biblioteca você mudou muito. Agora é raro de lhe ver fazendo algo que não seja olhar para o céu. As vezes me pergunto o que tanto lhe atrai para ele.

Yuki - Esso me impressiona. Um "mordomo" e tanto como você não saber uma resposta simples.

Sebastian - Eu realmente não vejo a graça em apreciar algo cotidiano. Como um demônio tenho uma facilidade de enjoar das coisas rapidamente.

Yuki - Ah,sim. Demônios vivem eternamente. Armas humanas não são capazes de feri-los. Esso é chato não é? Viver eternamente sem alguêm para estar ao lado. Viver e enjoar de tudo. Ter de sobreviver de almas de imundos humanos. Acho que agora tudo faz sentido.

Sebastian - ... - Olho para sebastian e encontro um olhar sério de sua parte.

Yuki - Wow, eu não disse nada e você já comessa o dia com essa cara de tacho?

Sebastian - Vamos logo para o assunto final. O que faz sentido? Esteve assim tão obvio?

Yuki - Por simplesmente você estar a correr atras de mim como se estivesse dessesperado por ganhar algo e obviamente sendo um demônio faminto com um contrato intacto não esperaria menos do que você esta atrás de minha alma. Agora sei exatamente o porque de Ciel não o deixar perto de mim.

Yuki - Um animal sempre um animal. Me desculpe sebas mas eu adoro a minha alma. - Dou lhe um sorriso sinico.

Sebastian - ....Pffft...

Yuki - ...??? Eh--

- Ao ouvri uns barulhos estranhos vindo de Sebastian viro um pouco meu rosto para ele mas no processo sinto suas mãos agarrarem minha cintura me aproximando de vez ao seu rosto. Dava para sentir sua respiração em minha cara.

Yuki - Oye, o que pensa que está fazendo? Ande se afaste eu odeio sentir as respirações das pessoas. Esso é um encomodo. - Mas o demônio não me ouviu. Ele continuava a olhar para os meus olhos com uma expressão assustadoramente alegre.

Yuki - O quê? Então...pretende me poupar ou ira devorar me aqui?

Sebastian - Você é interessante. Sempre foi. Mesmo sendo totalmente outra pessoa você ainda continua sendo. Você é tão cheia de beleza e misterios que me excito só de pensar em ter sua alma ao meu dispor. Quão saboro ela sera? O quão encantador sera os seus gritos de desespero? Quanto mais tempo passa mais meu desejo de lhe consumir aumenta.
Que gosto ela tera? Sera doce ou amargo?

Yuki - ....Tch. O quão assustador e tedioso um demônio como você consegue ser? - Cansada de ouvir tais palavras dirigo minhas duas mãos ao seu rosto. Fazendo o mesmo me olhar atentamente com um olhar perdido. Seus olhos vermelhos podiam se ver ao longe pela grande quantidade de luz que emanava do mesmo.

Yuki - Se você tem tempo de profanar tais palavras então porque não faz o ato?

Sebastian - ...? He? Você deseja ser comida por mim?

Yuki - Acho eu que ninguém deseja ser comida no literal por um demônio.

Sebastian - "Literal?" Esso me surpreende. Você mal me deixara terminar minhas palavras. Você quer saber porque eu não lhe consumo aqui e agora?

Yuki - .... - A cada momento sentia o ar a nossa volta pesado.

Sebastian - Me diga, Yuki. Porque diabos eu perderia o meu meio de diversão?

Yuki - ...Você....

Sebastian - Eu não lhe disse? Você é interessante. O misterio ao seu redor me interessa de mais para simplesmente mata-la. O seu jeito a sua aparência tudo me intriga. Eu não poderia devorar-lhe. A vida de um demônio é tão intediante mas você ao meu lado tudo muda.

Sebastian - Então eu pensei. Em vez de lhe devorar, então porque não me aproximar mais de você e fazer lhe minha pelo modo carnal? Sentir seu gosto, ouvir-lhe implorar por mais,ouvir os seus gemidos. Fazer-lhe me desejar. Mas porque diabos isso é tão dificil com você? Quanto mais eu pensava mais eu desejava lhe ter na minha cama sob a minha posse,sob o meu comando. Lhe ver totalmente submissa a mim era tão impossivel de se tornar realidade que esso me enlouquecia. Um demônio acostumado a ganhar tudo de mãos beijadas como eu ao me deparar com algo insano é quase assustadoramente excitante.

Sebastian - Atraves desses pensamentos eu fiquei obcecado por saber o seu gosto. De lhe sentir contra o meu corpo. Mas tudo é impossivel? Sendo prometida a um pirralho insolente obistroi a minha jogada então eu pensei...E se eu os afastar? Se eu puder tirar o meu inimigo da jogada por um tempo a prazo? Não importa se fosse por pouco tempo. Eu só prnsava no quão prazeroso seria você em minhas mãos. E com o meu plano quase completo tudo resuta... - Sinto uma preção nas minhas costas. Quando menos vejo já estou jogada na cama de bruços vendo sebastian se aproximando rapidamente tirando sua roupa.

- Sebastian se apróxima da jovem garota se dirigindo para perto de seus ouvidos dizendo quase que inaudivel ao sussurrar tais palavras.

Sebastian - Que o desesperado sonho acabou de comessar.



Notas Finais


Eai? Rola ou não rola Hot? Ou preferem uma historia fiel ao Ciel?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...