História A Viciada. - Capítulo 37


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Jiraiya, Tsunade Senju
Tags Jiratsu, Kakashi Tsu, Mei Tsu, Shizunitsu
Visualizações 16
Palavras 1.116
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Festa, Hentai, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi Minna este capítulo é falando um pouco sobre a gravidez de Tsunade... inspirado na minha própria gravidez.

Beij9cas.

Capítulo 37 - Desejos.


Tsunade Senju 


Como era confuso está  grávida, amava e ao mesmo tempo detestava. Amava a sensação  que agora meu corpo era a casinha de alguém,  que eu não  estava mais só, que agora em mim bati dois corações. Mais os enjoos eram cada vez mais terríveis, as mudanças  no corpo cada vez mais visíveis o que me deixou hiper sensível, meu pai Hashirama me dava dicas importantes já que ele mesmo  havia passado por tudo isso é agora estava bem próximo dos meus irmãos nascerem.

Fui na minha primeira consulta do pré  natal, como não  me alimentava direito precisava de vitaminas, e não  deu outra o médico obstetra me passou não  uma, mais várias  que eu deveria tomar até o final da gravidez, depois disso já marcou exames de sangue e outros junto com uma ultrassom para sabermos com quantas semanas exatas eu estava, Jiraya estava com o sorriso de orelha a orelha, fazia questão de me acompanhar em tudo, e eu podia sentir o carinho e aconchego vindo dele, ele ficaria mais babão quando o bebê  nascesse. Ainda tínhamos que ver como gostaríamos as crianças e tinha o casamento, Madara queria pra ontem este evento e  eu ficando cada vez mais ansiosa.

.......

Fomos fazer a ultrassom intra vacinal e pense em algo desconfortável, mais aquele momento marcou em minhas lembranças para o resto da minha vida, assim que a doutora introduzio pudemos ver o feto dentro de mim, e naquela hora a ficha caiu. Eu estava realmente grávida. 

-Parabéns mamãe  e papai, 17 centímetros 11 semanas 3 meses exatos.

Jiraya e eu nos encaramos e eu fiquei assustada pela surpresa se serem 3 meses, mais logo ela colocou para ouvirmos o coração e eu me desmanchei escutando as batidas rapidas daquele coraçãozinho que era parte de mim, já amava mesmo tão  pequeno, amava mesmo pensando que talvez não  fosse capaz, minha mente encheu de dúvidas, estava com medo, cuidar dos meus outros filhos era diferente, eles eram grandinhos, mais aquele que nasceria necessitaria exclusivamente de mim, me senti despreparada.

Fiquei seria depois de sairmos do consultório  e fomos tomar sorvete, mais antes de chegarmos ao nosso destino Jiraya parou o carro em uma praça.

-Vamos da uma volta meu amor! _ Falou já saindo do carro e abrindo a porta para mim.

-O que exatamente estamos fazendo aqui amor! _ Perguntei meio confusa.

Andamos até chegar em um lago, sentamos a beira dele, e então  ele me olhou com aqueles olhos que mostravam cansaço pelos dias cansativos de trabalho acumulado.

- Sei que não  está sendo fácil Tsunade. Sei que essa fase muitas mudanças iram acontecer e quero que saiba que eu te amo do jeito que você  é  e te amo bem mais agora que você  está carregando nossa filha. _ falava tocando na minha barriga.

- Como sabe que é  menina? _ Perguntei sorrindo, aquelas palavras dele me fizeram relaxar minimamente, mais era um começo. 

- Eu apenas anseio por mais uma garota. Temos a Sumire, e sei que ela quer muito ter uma irmãzinha. _ Falava rindo despreocupado.

- Eu estou com Medo Jiraya, se eu não  for uma boa mãe. 

-Impossível. 

-E se acontecer alguma coisa?

- Eu estarei aqui com você  para te proteger!

-E se meu corpo ficar feio? Nascer estrias e meus seios caírem? 

-Esta preocupada com isso Tsunade? _ Falou rindo.

-Do que esta rindo?  _ Falei meio irritada, minhas variações de humor estavam cada vez piores.

- Eu te amo do jeitinho que você  é!  O exterior não  importa meu amor, você é a mulher que me apaixonei a primeira vista e quero você  pra sempre, do jeito que você  é  ou ficar e você vai ficar linda de barrigão, vamos tirar muitas fotos para gravar este momento em  nossas memórias. 

........

Ele estava calmo como sempre, mostrando seu excesso de confiança, mais isso me confortava muito, me sentia protegida.

Saímos do parque e fomos tomar nosso sorvete merecido, estava um dia quente, e eu fui logo pegando uma bola de leite ninho, morango, prestígio, passas ao run, napolitano, creme...  tutti frutti....coloquei chocolate e coberturas e fui devorando tudo.

-Isso ta muito bom._ Falei entre uma colherada e outra. Foi quando vi o homem do churros passando em e bateu aquela vontade de comer sorvete e churros. Jiraya vendo meu olhar já sabia o que eu queria.

-Acho melhor você  não  misturar Tsunade. _ Falou olhando para o tanto de sorvetes que eu havia comido.

-Aaain amor não  sou eu que quer  e o bebê.  _ Falei fazendo manhã. - Você  quer que nosso pacotinho nasça  com cara de churros?  _ Falei seria e ao mesmo tempo fazendo biquinho.

-Tudo bem. Me convenceu. _ Ele falou levantando e foi ate o homem do churros, e comprou quatro, dois de chocolate e dois de doce de leite, e eu comi como se não  houvesse amanhã  e assim que terminei veio a ânsia de vomitar, meu estômago  embrulho e até o cheiro estava me fazendo mal... corri para o banheiro do estabelecimento e vomitei tudo, minha garganta doia, me sentia fraca e senti naquele momento jiraya segurando os meus cabelos, ali do meu lado me dando toda a sua proteção, ele me ajudou a levantar, limpou minha boca e me deu uma água que ele havia acabado de comprar, fomos para o carro, me sentia com sono, precisava de um banho e de um bom cochilo ai me sentiria mais disposta.

Chegamos em casa e pude finalmente tomar banho, colocar uma  camisola transparente e ir pra cama.  Jiraya me olhou de maneira faminta, mais naquele momento eubso queria dormi um pouco. Talvez mais tarde ficássemos um pouco, eu também estava com saudade do corpo dele sobre o meu, do gosto dos seus beijos, do gosto do seu suor.... e tudo que somente ele poderia me oferecer. Mais foi só deitar na cama que adormeci profundamente sonhando com minha família é com uma linda menina de cabelos tão  platinados como o de Jiraya com mexas louras. Era linda demais. E estava correndo com os bracinhos abertos e sorriso encantador, mostrando a janelinha no meio dos dentinhos.

Acordei emocionada e com fome. Vi Jiraya dormindo tranquilamente, mais tive que acorda-lo.

- Amor quero comer batatas fritas e bolo de chocolate, pode trazer yakisoba e algumas panquecas, rolinho primavera seria ótimo. _ Eu realmente queria comer tudo aquilo.

- Amor são  3 da madrugada. _ Falou preguiçoso. 

- Mais o neném quer! _ Ameaçei chorar e vi ele levantar em um pulo.

-Okay vou no mercado 24 horas do posto Ipiranga (kkk) e eu mesmo farei sua comida. _ Falou já colocando a jaqueta, beijando minha testa e sumindo se minha visão. 





Notas Finais


Capítulo ainda não betado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...