1. Spirit Fanfics >
  2. A vida amorosa de Murdoc e Luciana Niccals >
  3. O acidente

História A vida amorosa de Murdoc e Luciana Niccals - Capítulo 9



Notas do Autor


A Fic a seguir conta a perda de algo de muito valor para Murdoc e sua família.

Espero que gostem.

Essas fics são feitas para vocês e para minha amiga StuartLoves2-D ♡
Obrigado e boa leitura...

Capítulo 9 - O acidente


Fanfic / Fanfiction A vida amorosa de Murdoc e Luciana Niccals - Capítulo 9 - O acidente

Certo dia Murdoc estava passeando com seu filho caçula no Park para fazerem um passeio de pai e filho, ao voltarem pra casa a bolinha de Sebastian saiu rolando até o meio da rua e Sebastian foi correndo para pegar sua bolinha, quando Sebastian pegou sua bolinha um carro veio em sua direção e o atropela bem em frente ao seu pai que entra em desespero. Murdoc saiu correndo para pegar seu filho que estava caído no meio da rua, pegando o menino nos braços Murdoc corre para o hospital.

Chegando no hospital, Sebastian foi para a sala de cirurgia. Mas Sebastian não aguentou e acabou falecendo na mesa de cirurgia. O médico saiu da sala para dar a notícia do falecimento de seu filho.

Doutor: Sr. Niccals?

Murdoc: Sou eu! Onde está meu filho doutor?

Doutor: Sr. Niccals... Temos péssimas notícias para o senhor.

Murdoc: O que aconteceu doutor?

Doutor: Seu... Seu filho... faleceu senhor Niccals

Murdoc entra em desespero e tenta entrar na sala de cirurgia para ver o corpo do seu filho, quando ele entra na sala vê o corpo de seu filho caçula estendido na cama. Murdoc abraça o corpo de seu filho e começa a chorar e a abraçar o corpo de seu filho.

Murdoc volta para casa com a bolinha em suas mãos, ao ver que o marido não estava com o filho Luciana vai até Murdoc assustada.

Luh: Murdoc... Cadê o Sebastian?

Murdoc: * abraça a Luh com lagrimas escorrendo em seu rosto* O nosso filho... está... está... está morto querida

Murdoc se ajoelha abraçando sua esposa que entrava em pânico por receber essa notícia que a abalaria pelo resto de sua vida. Murdoc se senta no sofá ao lado de sua esposa e lhe conta como tudo aconteceu. Chegando a noite para a hora do velório, Murdoc chama seu pai e seu irmão, Stuart, Noodle, Russel e os pais de sua esposa.

E nas sombras se aproximava uma figura misteriosa, era Paula Cracker que foi para a casa de Murdoc sem ser convidada e teve a ousadia de abraçar e beijar Murdoc em frente sua esposa e filhos. Murdoc lhe da um tapa no rosto para que Paula parasse de beija-lo, pois ele não era mas o homem que ela conheceu a vinte anos atrás.

Murdoc: O que você está fazendo aqui? Você nem foi convidada

Paula: Desculpe Murdoc, eu vim para o velório de seu filho...

Murdoc: Como você sabe que é meu filho se o caixão está fechado?

Paula: Ah... É verdade o caixão está fechado

Murdoc: Então como soube que o velório é de meu filho?

Paula: Intuição...

Luciana: * pega Paula pela gola da camisa * Como você sabe que é meu filho que está naquele caixão? E como entrasse em minha casa sem ser convidada?

Paula: Então quer dizer que o assassino não pode ver o quão e emocionante presenciar o sofrimento de uma família?

Murdoc: Do que você tá falando sua puta?

Paula: Murdoc, meu amado Murdoc, agora você está vendo o sofrimento que é perder a pessoa que amamos...

Luciana: Do que se trata essas besteiras que estas falando?

Paula: Luciana Niccals, você tomou de mim a única coisa que eu amava

Luciana: Do que falas ser imprestável?

Paula: Você tomou o Murdoc de mim e eu tirei o seu bem mas precioso o seu filho.

Luciana: Eu não tomei ninguém de ninguém, Murdoc que se apaixonou por mim e não eu por ele e se não fosse o Murdoc eu estaria morando na França com meus pais, mas depois que o conhci tudo mudou tive seis lindos filhos dos quais um você tirou a vida e foi meu ultimo filho que descanse em paz.

Paula: Ninguém se apaixonou por você, Murdoc me ama e não você.

Luciana: Tens alguma prova da qual Murdoc disse que te amas?

Tirando um papel do bolso mostra uma foto de quando Paula tria Stuart com Murdoc em 1999 para inicio de 2000 que foi o ano em que Murdoc conheceu Luciana e em 2001 se casaram. Vendo aquela foto que não diria nada e não tinha nada haver com relacionamento amoroso Luciana rasga a foto em frente Paula Cracker que avança em cima de Luciana com uma faca em sua mão.

Paula: Murdoc não te ama...

Luciana: Ele não ama você, se ele a amasse como ele me ama ele teria casado com você e não comigo... Murdoc estava apenas se divertindo com você como todo homem faz com prostitutas como você... e como um homem de alta classe iria se juntar com uma mulher que se oferecia para o amigo do namorado?

Ao tentar matar Luciana, Murdoc Junior pegou a arma na gaveta de seu pai, com 14 anos de idade seu pai tinha o ensinado a manusear armas. Então Junior pega a arma e aponta em direção de Paula e da um disparo que atinge a garganta de Paula que cai se retorcendo no chão, Junior da mas um tiro apontando para o peito de Paula que começa a perder as forças. Junior olha para a Paula com seus olhos de um lado castanho e o outro vermelho.

Junior: Ninguém mexe com a minha mãe nem com o meu irmão e nem com a minha família... Morra vadia.

Junior cospe no rosto de Paula e da o terceiro tiro na cabeça de Paula que morre na hora. Murdoc fica parado sem dizer nada ao presenciar a coragem do filho para proteger sua mãe de uma mulher que não superava o casamento de Murdoc com Luciana. Murdoc abraça sua mulher e seus fihos.

Murdoc: Vocês seis são a única coisa que eu tenho agora, espero que fiquem comigo para sempre... mesmo sem o nosso pequeno Sebastian que morreu tão pequeno, eu vos digo que foi um prazer telo como meu filho... eu esperava o ver com filhos um dia, ser um homem de muito sucesso, e não o ver morrer tão pequeno, vou colocar o seu brinquedinho favorito dentro de seu caixão para que onde estiver ele se lembre de mim e de tudo o que fizemos juntos como pai e filho.

Junior: Sempre achei que iria ver meu irmãozinho crescer e que eu iria poder ensina-lo a jogar bola e a tocar baixo como o papai fez comigo e com meus outros irmão, e eu gostaria de dizer que mesmo ele estando aqui debaixo da terra, no céu ou em qualquer outro lugar eu sempre vou o amar como sempre o amei e Sebastian você nunca será esquecido...

Padre: E você pequeninos? Gostariam de pronunciar algo?

Crianças: Gostariamos de dizer que o Sebastian desde que nasceu, ele trouxe alegria para nossa casa pois foi o único filho que nasceu sorrindo, ele sempre fazia nossos pais rirem, ele sempre inventava brincadeiras novas quando estávamos em tempo de tédio e foi o único filho que fez o nosso pai enxergar as coisas boas da vida que é a família.

Stuart: O Sebastian, era como um filho pra mim... Acho que não consigo, estou muito triste para continuar...

Noodle: Continua amor.

Stuart: Tudo bem, O Sebastian visitava a Kong todos os dias, quando Murdoc estava trabalhando Sebastian ficava ao meu lado e cantava as músicas que sua mãe catava para ele antes d dormir. Ele cantava para mim “ Hey Judy” dos Beatles , “Imagine” de John Lennon e “Star Man” de David Bowei. Sebastian tinha uma voz linda e sempre pedia que eu o acompanhasse com as músicas pois ele não sabia as cantar direito então eu o ajudava e era lindo porque eu tinha a companhia de alguém que me achava especial e que me amava como tio, ele até fez para mim um desenho dele ao meu lado e pendurou na parede de meu quarto e disse para que eu nunca tirasse aquele quadro de lá, então tirei uma copia e estou trazendo para que fique ao seu lado e que nunca se esqueça de mim pequeno Sebastian.

Russel: Esse moleque ele era tudo pra mim, ele sempre adorava os meus animais empalhados ele me pedio para que eu empalhasse o cachorrinho tobi que ele tinha que havia morrido atropelado na rua por um caminhão de cerveja, então eu o emalhei o moleque adorou aquele cachorro empalhado e me abraçou e me disse “eu não sei o que eu faria sem o senhor, o tio Stuart a tia Noodle e a minha família” depois dele ter me dito eu comecei a chorar e ele me abraçou e disse para que eu não chorasse porque as lagrimas só são gastas com o amor e aquilo que ele estava me dando não era amor e sim paixão por mim. Vai em paz pequeno.

Noodle: Sukoshi (pequeno) Sebastian você era esperto, ágio e um ótimo aluno de karaté, não tenho muito a falar sobre você pois eu não tinha muito tempo para brincar com você eu sempre fui uma tia ausente eu não lhe dava muita atenção e quando dava eu lhe ensinava golpes de karaté e você amava porque depois das aulas você testava no seu pai que era muito engraçado então a única coisa que posso lhe dizer é Chisana kami to issho ni ikimasu ( vá com Deus pequenino).

Luciana: 06 de Junho de 2015 o dia em que Jacob Sebastian Niccals Neto nasceu e era aniversário de Murdoc, era seis horas da manhã e eu estava em trabalho de parto e seu pai estava segurando a minha mão. O parto estava complicado eu não tinha forças para fazer o parto normal então o médico decidiu fazer cesariana e você nasceu, mas quando você nasceu eu desmaiei pois estava sem forças e a primeira pessoa que lhe carregou no coo foi seu pai, quando você enxergou seu pai pela primeira vez você começou a sorrir para ele, seu pai começou a chorar ao ver a sua alegria ao estar em seus braços e poder enxergar aquele pequeno picles em meu ventre, quando acordo eu estava no quarto de casa e você deitado no berço e seu pai na cadeira de balanço bem ao nosso lado, eu o peguei e o dei de mamar quando você abriu seus olhinhos e vi que eram iguais de seu pai eu dei um sorriso e você sorriu de volta e dando varias gargalhadas, seu pai se espantou pensando que haveria acontecido algo mas era só você feliz em ver a mulher que lhe carregou no ventre por 9 meses, então você foi crescendo e fazendo nossas vidas serem felizes e divertidas por você existir Jacob, mas não foi Deus quem tirou você de mim, você foi tomado a força... Mas se não era mas sua hora aqui comigo e com seu pai eu entendo você tinha apenas quatro aninhos e foi embora, mamãe te ama e sempre vai te amar Jacob, vá com Deus meu amor...

Ao terminarem o enterro todos foram para suas casas e Murdoc voltou para sua casa refletindo.

Murdoc: “pensamento” Nem tudo que amamos dura para sempre, um dia a Luh vai embora, Stuart, o Russel, a Noodle e meus filhos iram partir e eu vou ficar aqui sem ninguém, mas quem manda eu fazer um pacto pra ser imortal, se eu não fosse eu poderia viver e morrer junto a minha mulher filhos e amigos. Por isso que meu pai falava para mim e meu irmão quem um dia todos iremos morrer e aqueles que nos amavam iriam sentir a dor da perca daquele que os amava mais ainda. Agora eu sei o que é perder o nosso bem más precioso.

                    Continua... 


Notas Finais


Espero que tenham gostado da fic de hoje.
Bom dia, boa tarde e boa noite a todos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...