1. Spirit Fanfics >
  2. A vida é apenas um jogo - Armin (Amor Doce) >
  3. Habilidade desbloqueada: troca de olhares.

História A vida é apenas um jogo - Armin (Amor Doce) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá :)

Capítulo 2 - Habilidade desbloqueada: troca de olhares.


Fanfic / Fanfiction A vida é apenas um jogo - Armin (Amor Doce) - Capítulo 2 - Habilidade desbloqueada: troca de olhares.

Melody, a garota de cabelos medios de cor marrom, vestia o seu "estilo básico": uma calça meia canela branca, sapatilhas, uma blusa azul de seda e, é claro, um lenço amarrado no pescoço. Minha mente me dizia que a Melody era uma personagem de um jogo, por exemplo, Faith de The Wolf Among Us. 

Eu e Melody não éramos exatamente "amigas", visto que ela acredita haver algum "romance escondido" entre Nathaniel e eu. Muitas vezes, Rosalya e eu saiamos da escola rindo, sabiamos que aquilo era uma mentira.

-- Esses são os alunos novos que você mencinou? -- sua doce e delicada voz ecoou, os garotos se viraram, e pude reparar Alexy a encarando.

-- Melody, o Nathaniel estava sugerindo mostrar a escola pra eles. -- eu me pronunciei. Perto da Melody, eu era um bixinho feio e fofo fora do ninho.

-- Ah, claro. Eu posso ajudar se quiserem -- ela sorriu gentilmente e fechou os olhos. 

-- Sabe gente, três pessoas pra mostrar uma escola apenas? -- disse Alexy encarando a morena. -- Acho que... se essa princesa nos levar, já está ótimo. -- princesa?

Opa, calma ai... ele tá apontando pra mim?! -- meu cérebro processou após minutos.

-- Eu concordo com meu irmão. Afinal, a escola não parece ser tão grande. -- o garoto moreno concordou me olhando.

-- E-eu posso leva-los sim. -- quase que em alerta, ambas feições de surpresa apareceram no rosto da Melody a minha frente, e, o olhar do Nathaniel ao lado.

-- Por que você gague... -- eu interrompi o loiro antes de seu comentário. 

Empurrei os dois altos garotos para fora da sala, passamos pela Melody e, encaramos os corredores e escadaria. Apenas naquele momento parei para reparar em minhas roupas, talvez seja por conta do estilo do azulado, ou por eu estar agora com um garoto de cabelos negros que mexeu de certa maneira comigo. Era normal eu estar usando uma camisa e shorts, e hoje, não foi algo diferente. 

Eu quis levá-los nesse primeiro momento para o segundo andar, eles teriam uma aula de ciências, então mostrei a eles a sala da professora Delanay, uma senhora de aparência conservada, usando um vestido azul que deixava uma alça azul clara aparecendo, ela usava uma meia calça preta e sempre, sempre mesmo, um daqueles jalecos que médicos usam.

-- Então, essa sala é a de ciências?

-- Exato. -- eu respondi o azulado. -- A professora dona dessa sala é a Sr. Delanay. Um aviso, não tente brincar com ela! -- eu disse de forma clara. Aparentemente a sala estava vazia, eu conclui...

Até ouvir um barulho de fechadura.

-- Se quiser, eu posso brincar de te deixar para fora da sala senhorita Sabrina -- como um demônio vindo do inferno, a professora Delanay encostou perto da porta assim que saiu. 

-- Seria uma maravilha. Mas, acho que você não vai querer me ver mais um ano na sua sala. Não é mesmo?! -- eu lhe respondi, observei a feição dos dois garotos que pareciam surpresos com a resposta. 

Eu e a professora Delanay nos conheciamos há 3 anos, ela foi a primeira professora de ciências que tive nessa escola, e desde o começo, digamos que não éramos muito amigas, éramos como "óleo e água". Nunca haviamos chegado a discutir em sala de aula, ela tentava me evitar, e eu, tentava evitar as aulas dela. 

-- Esses vão ser meus novos alunos? -- ela decidiu me ignorar e olhar para Armin e Alexy. 

-- Sim. São o Armin -- aponto para o garoto --, e o Alexy.

-- Prazer professora. -- Armin tentou ser simpático, mas, claro que como os sensores de "alunos que vão me dar trabalho" da Senhora Delanay estavam ligados, ela não fez tanta questão. 

-- Quero dizer que hoje vocês teram aula comigo. Os dois últimos horários. Espero que vocês não fiquem tentando escapar das minhas aulas como umas alunas que tenho que lidar. -- ela insinuou mas, deixou bem claro que era um recado para mim.

Ela não pode me culpar se eu preciso chegar atrasada porque sempre passo um tempo no porão -- eu me recordei de muitos outros motivos. Mas esse, era o principal.

Eu normalmente desço até o porão para ver a banda do Castiel, ou melhor, cabular uma aula com o Castiel mas, é algo para mais tarde comentarmos.

Sem me despedir ou apenas um "até logo", chamei os dois garotos para irmos até outras salas. Expliquei onde ficava cada professor de cara matéria e, depois de um tempo, fiz o mesmo com o andar de baixo. Quando passamos pela porta da sala de conselho, eu reparei um silêncio extremo mas, de reflexo, vi Melody e Nathaniel sentados na grande e espaçosa mesa redonda, cada um em uma ponta.

O clima não parece bom ali... eu tenho que terminar de mostrar a escola para ir falar com a Rosalya. --minha mente me dizia para ir o mais rápido, mas, eu não queria deixar os dois garotos. 

-- Então Sabrina -- Alexy passou a falar após sairmos para o lado externo da escola. -- Você namora? -- novamente, meu rosto esquentou e minhas mãos se fecharam bruscamente.

-- Não... -- eu apenas respondi rapidamente e continuei com longos passos. Eu havia gostado do bom humor do Alexy, pareciamos nos conhcer a anos, mas, mesmo assim... não me sinto segura. 

Ouvi Armin repreendendo o irmão por sua "boca grande". Passamos pela quadra, pelo clube de jardinagem e alguns cantos quase esquecidos da escola. O "tour" demorou duas aulas e meia, então, já estavamos no horário do recreio - ah, mas é intervalo, aé? Não perguntei!

...

-- Você me deu um perdido meu Deus onde você estava menina? -- Rosalya veio em minha direção como um furacão, mas se calou ao ver os dois garotos atrás de mim. Eu me tornava baixa ao lado deles, minha altura de 1,62 comparada com os 1,73 ou 1,76 dos garotos.

-- Rosalya, esses são Armin e Alexy. São alunos novos. -- eu apresentei de forma casual. Eu sabia que Rosalya era a "rainha" no quesito de ajudar as pessoas a se enturmar.

-- Eu amei seu cabelo! -- Alexy foi o primeiro a se pronunciar. Eu quase me assustei já que estavamos todos em silêncio. 

Depois disso, acabamos os quatro indo até a pequena fila da lanchonete. O espaço do pátio interno era grande, haviam mesas longas com bancos de cores brancas, em alguns poucos lugares haviam plantas espalhadas e muitos alunos andando com um lanche em mãos e outros se sentando ou se levantando dos bancos. A maior parte dos alunos andavam pela escola nesse horário, já eu, sempre preferi ficar no porão ou em um banco no jardim com, ou sem a Rosa algumas vezes.

-- Eu queria perguntar sobre o que vocês acharam dessa escola -- Rosa sentou-se ao meu lado no banco. Seguravamos um refrigerante e um salgado assim como os irmãos  que se sentavam a nossa frente. --, eu sei que vocês apenas viram por fora as salas já que não pode entrar em horário de aula. E ai?! -- ela parecia animada.

-- Eu achei bem agradavél. Bom, pelo menos conhecemos duas pessoas que não vão nos deixar sozinhos... não é? -- Alexy disse animado e Rosalya concordou instantaneamente. 

Eu passei um tempo calada. Já havia falado bastante com os dois enquanto mostrava a escola. Armin parecia calado, mas se divertia assim como eu com as gracinhas do seu irmão e da minha amiga.

-- Olha quem deu sumiço na aula de história! -- a voz daquele ruivo de farmácia chegou aos nossos ouvidos. Castiel estava vestido como um "bad boy" mas eu o conhecia bem ao ponto de já ter visto ele chorar.

Ao lado, Lysandre com suas roupas monocromáticas -que eu considerava muito serem de gala-, com os cabelos platinados, do lado esquerdo e mais ao fundo, pude ver o Kentin, um pouco quieto, mas estava ali.

-- Oi bad boy -- Rosalya disse caçoando do maior.

-- Não venha com seus apelidos não Rosália -- como rotineiro, Castiel fez Rosalya ferver ao ouvir seu nome sair errado da boca do ruivo. -- Quem são esses dois? -- ele pareceu perguntar para qualquer um que quisesse responder. Claro que fui eu.

-- Esses são Armin, e Alexy. São irmãos e, alunos novos -- eu respondi terminando de mastigar o último pedaço do emu lanche de queijo.

-- Claro que são novos anta, se não eu já teria os visto! -- ele respondeu batendo levemente em minha cabeça. E eu -para deixá-lo irritado, imitei com uma voz irritante a mesma frase.

Por termos essa semelhança na cor de cabelo, nós acabamos virando quase que "irmãos gêmeos" de um dia para o outro. O Castiel era um amigo muito legal de se ter por perto, não é uma deusa como a Rosalya, mas ele virou um confidente e um grande amigo, sempre me apoiou e eu fiz igualmente a ele. Por termos uma ligação, é claro que os rumores -vindos principalmente do jornal da Peggy- de termos um "relacionamento" não era esquecido, mas o que o jornal não sabe, é que ele já tinha uma dona, e não era eu.

-- Tudo bom? Acho que eu vi algo sobre você na internet... -- Armin se pronunciou.

-- Ah, acho que você viu o anúncio de um show da minha banda. -- falou Castiel meramente entusiasmado. Ele se sentou entre Rosalya e eu.

-- Calma, essa escola tem uma banda?! -- Alexy pareceu animado ao falar.

-- É, isso mesmo. Mas, o grande porém, é que não temos um vocalista auxiliar. -- a banda, formada por: Nathaniel, Lysandre e -claro- Castiel tinha sim um vocalista, mas, aparentemente, era necessário mais um.

-- O Armin sabe can... -- sua frase ficou inacabada mas depois, logo foi ouvido um -- AIIII desgraçado! Precisava disso?!

-- Ele sabe cantar? -- o ruivo apontou o dedo para Armin que tentava desesperadamente tampar o rosto com uma das mãos tentando fugir da situação em que foi metido, já Castiel, parecia ter encontrado a luz para seus problemas.

-- Seria muito legal se você ajudasse a banda. Aliás, se enturmaria mais rápido. -- eu falei francamente para o garoto em minha frente. Seus olhos azuis pareceram finalmente encontrar os meus olhos verdes.

Naquele instante, eu queria desejar que aquele sentimento fosse deletado, não entendia porquê minhas mãos estavam tremendo, porquê eu comecei a tremer e sentir algo no estômago. Era uma sensação diferente... não exatamente nova mas... amedrontador ao analisado, quando olhei além dos olhos azuis, comecei a desejar internamente que ele também sentisse aquilo, ou que demonstrasse de alguma maneira sentir o mesmo.

[...🎶...]

I know a good thing when I see one, yeah

And you know I didn't see this coming

So baby let's go insane, insane

Yeah you make me lose my brain, my brain

From the minute that you asked me what's my name

I know it's a dangerous game

But live me insane

Yeah-eah yeah-eah yeah-eah 

Lo-lo-ve me insane

Tradução

Eu reconheço uma coisa                        boa quando a vejo, sim
E, sabe, eu não vi isso chegando

Então, querido, vamos                enlouquecer, enlouquecer
Sim, você me faz perder a cabeça,                      a cabeça
Desde o minuto em que você me        perguntou qual é o meu nome
Eu sei que é um jogo perigoso
Mas me ame loucamente

Sim, sim, sim sim, sim sim
Me a-a-ame loucamente
Sim, sim, sim sim, sim sim
Me a-a-ame loucamente





Notas Finais


É esse o capítulo. O nome da música é "Love me insane" da Avril Lavigne (diva coff coff) pra quem quiser ouvir ^^

Espero que vocês tenham gostado, e, eu disse que iria postar um dia sim e outro não... mas é que acabei me distraindo 😅

Bom, desculpa se tiver erros, e, até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...