1. Spirit Fanfics >
  2. A vida é como uma montanha russa >
  3. Estrelas

História A vida é como uma montanha russa - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


O cap de hoje tá bem tranquilo, espero que gostem💖😊

Capítulo 11 - Estrelas


Fanfic / Fanfiction A vida é como uma montanha russa - Capítulo 11 - Estrelas

*ANA ON*

Depois que os meninos me deixaram em casa, tomei um banho e coloquei roupas folgadas e quentinhas. Já me apressei e fiz um brigadeiro divino pra comer enquanto maratono minha série vaforita, foi só eu sentar, ligar a  TV e apertar o play que ouvi alguém bater na porta. AAAAH quem era o desgraçado, filho da puta que teve a audácia de vir me tirar do meu conforto? Olhei pelo olho mágico e vi o Dom, taporra, tomei um susto quando o vi. Ele não parecia nada bem, estava suado, desajeitado, com os olhos vermelhos, o rosto vermelho, ele chorava, no susto abri a porta rapidamente e no mesmo instante Dom me abraçou. Dom chorava com a cabeça escondida no meu pescoço, me apertava como se ah qualquer minuto eu fosse desaparecer.

— Dom? O que aconteceu? — perguntei e ele não respondeu apenas chorou mais, sem saber o que fazer o abraçei de volta

Acho que ficamos em pé ali abraçados por uns dez minutos sem falar nada até que eu me atrevi a falar novamente.

— ei, ta tudo bem to aqui com você. O que houve Dom? Você quer conversar? — estava preocupada.

Não estava entendendo nada mas eu tinha uma breve certeza que era por causa da Chloe, até me senti meio receosa de perguntar

— é.... A Chl.. Chlo..... E-e-ela— Dom tentava falar em meio ao choro 

— ah tudo bem! Não precisa falar agora — eu já tinha entendido tudo, ele não precisava dizer mais nada— vem, senta aqui.

Deitei ele no sofá, sentei junto de Dom e começei a fazer carinho no cabelo do mesmo enquanto ele chorava, meu coração doía só de vê-lo daquele jeito, Dom começou a reclamar de dor e eu levantei pra pegar uns remédios com água pra ele.

— valeu— Dom se sentava pra tomar o remédio

— de nada docinho — sorri tentando ser gentil

— deita comigo? Por favor? — Dom me pediu todo manhoso

— claro— sorri sem mostrar os dentes

Me deitei com ele e o mesmo me abraçou e se escondeu no meu pescoço permacendo calado, perguntei se ele queria conversar porque se ele quisesse estava tudo bem, eu iria ouvi-lo e, então Dom me explicou o que aconteceu depois que eles foram pra casa. Eu sabia que algo ruim tinha acontecido mas Chloe tinha ultrapassado os limites dessa vez, senti tanta raiva dela, como ela pôde fazer isso? Como pôde tratar ele desse jeito? Como pôde ter sido tão escrota e ainda ter a cara de pau de dizer que o ama, senti meu coraçãozinho se despedaçar com cada palavra que Dom dizia, ele tava arrasado, cara ele é um doce como ela tinha coragem de fazer aquela carinha fofa chorar?

— vem! Levanta daí — falei levantando do sofá

— por que? 

— porque vamos dar um passeio— falei alegre

— aaaah não — Dom pareceu desanimado e molenga 

— vamos! Por favor? Você vai gostar, eu prometo

ta bom então— Dom sorriu revirando os olhos

*ANA OFF*





*DOMINIC HARRISON ON*

Eu não faço a menor idéia pra onde Ana está me levando, estou curioso ela está fazendo "O" suspense, pegamos um táxi e quando vi já estavamos distantes da cidade, vi um pequeno caminho de terra ao lado da pista e foi quando Ana pagou o motorista e o pediu para parar, nós descemos do carro e ela me olhou sorridente.

— por que está me olhando assim? Quer me matar?— falei rindo dela

— talvez, você já sofreu demais hoje merece descansar um pouquinho — ela sorriu pegou na minha mão e me puxou para que andassemos em direção ao pequeno caminho de terra.

— oi?— confesso que fiquei meio confuso nessa parte não sabia se ela estava falando de me matar ou de apenas me fazer relaxar.

Continuamos andando de mãos dadas pelo pequeno caminho de terra, até chegarmos em uma praia iluminada pela luz da lua cheia com muitas estrelas no céu, porra... Era tão lindo.

— owo— falei impressionado 

— eu disse que iria gostar, vem— Ana começou a andar em direção a um morrinho

— pra onde vamos?

— você vai ver

Subimos em cima de uma pedra muito alta e de lá dava pra ver a praia inteira o que nos proporcionava uma vista ainda mais linda, eu parei e fiquei lá igual um bobo olhando o mar (como se eu nunca tivesse visto antes) esqueci apenas por um minuto  de toda a dor que eu estava sentindo aquela noite.

— senta aqui Dom— Ana se sentou na ponta da pedra

— aqui é tão lindo...— sentei ao lado dela

— eu sei, gosto de ver as estrelas quando estou triste porque de algum modo elas me deixam bem, é como se elas pudessem me dizer que vai ficar tudo bem em algum momento. Então achei que elas pudessem te ajudar também..— Ana sorriu e encostou a cabeça no meu ombro

— oownn isso é tão fofo. Obrigado — dei um sorriso largo e abraçei Ana

— imagino como essa noite deve estar sendo difícil pra você, mas estou muito orgulhosa por você ter terminado com ela. Acho que fez o certo— Ana sorriu

— obrigado— sorri de volta— você é fofa, também me sinto orgulhoso....E bom, eu ainda tenho você então não está sendo tão difícil

— woon que fofis, sabe? Você merece alguém que te ame muito — Ana me abraçou

— vai ser complicado, sabe? É difícil de explicar o que eu sinto.... Porque quando ela me disse todas aquelas coisas e saber que ela me traiu, foi como... Um corte profundo na minha alma e isso vai ser foda de curar— meus olhos marejaram

— eu entendo.... Sei como é, você só precisa parar um pouco, deixar tudo desmoronar pra poder reconstruir denovo seu amor próprio e curar sua alma, você só precisa de um tempo pra si mesmo. Aceite seus sentimentos, chore e quando se sentir pronto deixe-os ir

— vou fazer isso, vai doer agora mas vai ficar tudo bem

— claro que vai docinho — Ana se deitou e olhou pro céu

— obrigado por estar comigo e por me trazer aqui, já me sinto um pouco melhor— deitei junto da Ana

— ah que isso, não precisa agradecer — Ana me olhou— só tenho uma dúvida, porque me procurou em vez dos meninos? Eles são seus amigos há tanto tempo e eu mal te conheço— Ana me olhou confusa

— não é bem assim já conversamos tanto que parece que somos amigos há anos rsrs

— eu sei mas você me entendeu rs

— aah eu não sei exatamente como te responder..... Você tem sido uma das minhas melhores amigas, minha confidente e, embora os meninos sejam ótimos amigos eles não são muito bons em dar conselhos como você— olhei pro céu estrelado

— hahaha entendo perfeitamente, meus amigos também são assim — pude perceber que Ana se virou pra mim e me olhou

— o que foi?— a olhei e a mesma começou a me cheirar 

— você ainda tá com cheiro de cerveja hahaha

— é rsrs.... Ana?— a olhei sério

— o que?— Ana sorria

— não sente falta do Brasil? Dos seus amigos? Da sua família? De algum boy?— a olhei interessado

— ah sinto... Mas tento não pensar muito nisso além do mais eu me esforçei pra estar onde estou hoje... E não tenho nenhum boy, estou curtindo enquanto posso, entende? Hehe

— sim! Isso é bom, continue assim você está indo bem — dei um beijinho na testa dela

— obrigado — Ana estava sorridente

— não por isso — olhei pro céu e apontei— olha! Aquela nuvem parece um elefante

— como o da sua bunda? — Ana riu

— SIM HAHAHA

— haha aquela parece um gatinho— Ana apontou pro céu

— aquela parece uma árvore— falei

— sim, sim! Nossa..... Que noite incrível, as estrelas são tão maravilhosas

— verdade né.

Nós ficamos ali falando sobre o que as nuvens se pareciam, apreciando aquele céu estrelado, falando merda, sentindo aquela brisa boa e ouvindo o som das ondas quebrando por um bom tempo. Embora tudo o que me aconteceu eu me sentia tão bem ali, era tão relaxante, Ana sabia como me fazer ficar bem, ela tinha um dom pra isso.

— Ana... Vamos pra casa? Ou melhor pra sua casa? Rs

— rsrs vamos sim, mi casa es su casa!

— aqui está ótimo, mas já tá tarde e eu preciso de um banho. Estou cansado— levantei me espreguiçando e ajudei Ana levantar.

— tudo bem! Vamos— Ana entrelaçou nossos braços (como noivos no altar).

Pedimos um Uber, fomos pra casa da Ana e tomei um banho lá. Agora estou sentado na cama dela só de toalha esperando ela escolher uma roupa pra mim, estou parecendo uma criança quando saí do banho e fica esperando a mãe o vestir.

— essa não..... Não.... Não — Ana empurrava os cabides— olha só! Esse vestido é incrível, quer provar?— Ana levantou as sombrancelhas e sorriu

— uuuuh é incrível mesmo, usaria! — arregalei os olhos surpreso e sorri

— vamos ver...... Uhm..... Não...... AAh achei! Toma— Ana esticou o braço e me deu um moletom que deveria ficar gigante nela

— fica igual um vestido em você né?— sorri imaginando Ana usando o moletom

— sim, mas geralmente só uso pra dormir. Essa é a calça de moletom mais larga que tenho, ela estica na cintura— Ana falou me entregando a calça

— ok mas eu ainda poderia vestir minhas roupas

— não vou deixar você dormir de roupa suja, vou deixar você se trocar — Ana falou indo pra porta

— nah não precisa ir, pode ficar estou de cueca— falei sorrindo, coloquei o casaco e começei a tirar a toalha enquanto Ana me olhava

— okay— Ana sorria vermelha franzindo o cenho

— uuuuh olha só como estou gato! Ficou ótimo — dei voltinhas. 

— que bom que está confortável rsrs.

Ana preparou o sofá-cama pra eu dormir e depois já fui logo me deitar, ficamos conversando um pouco até Ana ir dormir.

— Dom acho que já vou deitar

— tudo bem então

— boa noite, beijinhos — Ana se levantou

— Ana?

— sim?

— obrigado por hoje, te amo— sorri e fiz um coraçãozinho pra ela

— de nada Dom, também te amo— Ana sorriu sem mostrar os dentes.

Depois que Ana saiu ainda demorei um pouco pra dormir fiquei pensando em tudo o que tinha acontecido, o problema começou quando eu começei a pensar na Chloe. Algumas lágrimas rolaram mas decidi que não iria pensar mais naquilo pelo menos não naquela noite, então começei a lembrar do tempo que tive com Ana, fiquei feliz só de lembrar porque me sinto muito bem ao lado dela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...