História A vida imita a arte - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Tags Bottom!jungkook, Hard Lemon, Kookv, Taekook, Top!taehyung, Vkook, Yaoi
Visualizações 1.490
Palavras 2.171
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi anjos!!!
antes de tudo, queria deixar claro algumas coisas antes de vocês começarem a ler:
• a narração vai ser feita pelo taehyung a principio mas possa ser que eu faça outros pontos de vista
• o taehyung e o jungkook têm uma diferença maior em relação a idade.
• o taehyung se considera hétero, porém ele começa a ter bastante duvida em relação a sua sexualidade quando ele conhece o jeon e ao decorrer dos capítulos ele vai começar a se descobrir, então tenham paciência com o nosso bebê.
• a historia terá bastante conteúdo sexual então se vc não gosta, não favorite rsss.
bom gente, acho que isso é tudo! peço que tenham paciência comigo pois é a primeira fanfic taekook que eu to postando e to bastante insegura com a historia, mas to enfrentando isso.
boa leitura, espero que gostem!

Capítulo 1 - That damn smile


Fanfic / Fanfiction A vida imita a arte - Capítulo 1 - That damn smile

 

 

                             Taehyung

Eu tentava memorizar mais algumas falas do roteiro, enquanto bebia um copo de café, antes de começar a gravar. 

Era a gravação do último capítulo do drama o qual eu estava participando. Me sentia orgulhoso por estar finalizando mais um trabalho, mesmo que não tivesse sido tão bem sucedido como os demais que eu já havia feito, mas ainda sim, me trazia uma sensação boa de dever cumprido. 

Assim que eu, todo o elenco e equipe terminamos a gravação de todas as cenas, que por sinal havia durado praticamente o dia inteiro, era noite e resolvemos comemorar juntos no set, já que não teríamos uma festa de encerramento. 

Acabamos por abrir uma garrafa de champanhe que um dos produtores havia trago e brindamos. Todos estavam claramente satisfeitos com o resultado, haviam sido meses de convivência e de muita dedicação. Eu mal podia esperar para assistir o episódio final. 

Ao desfecho da noite, todos se despediam uns dos outros, agradecendo por toda a colaboração e trabalho em equipe, terminando de organizar a pequena bagunça que havíamos feito. 

Eu juntava os meus pertences na minha bolsa, acenando e cumprimentando os que passavam por mim, agradecendo aos meus parceiros de cena pelo incrível trabalho e ajuda durante todo o tempo em que contracenamos juntos. 

Porém, antes que eu terminasse meu expediente e fosse embora, uma das pessoas que trabalhavam ali me parou, avisando que Namjoon, o diretor e roteirista do drama, havia me chamado até a sua sala. 

Apenas obedeci e fui até o escritório cuja porta tinha uma placa dourada com o seu nome. Dei duas batidas fracas e em seguida ouvi um “entre” proferido por ele, fazendo com que eu abrisse a porta rapidamente.

Sunbaenim. — sorri e me inclinei em sua direção, sentando-me na cadeira em frente a sua mesa após ele indicar para que eu fizesse. 

Ele permanecia encostado na sua poltrona com sua postura reta e as pernas cruzadas. Kim Namjoon era extremamente elegante. — Algum problema? 

Franzi a testa, estranhando seu chamado de repente, considerando que ele já havia falado comigo há alguns minutos antes. 

— Não, nenhum. — negou com a cabeça, entrelaçando seus dedos. — Quero te parabenizar mais uma vez pelo excelente profissionalismo e sempre atuar divinamente. É sempre bom contar com você nos meus projetos. Você é um ator incrível, Taehyung e eu nunca vou me cansar de dizer isso. 

— Muito obrigado. De verdade. — sorri com o elogio. — Para mim que foi um prazer participar de mais um drama criado por você. Espero que venham mais desses. 

Disse, sincero e ele levantou o olhar, me encarando. 

— Então, sobre isso... Eu já tenho uma história em mente e eu ficaria muito feliz que você atuasse nela. — falou num tom de voz mais baixo e eu arqueei minhas sobrancelhas, surpreso. Mal fiquei desempregado e já tenho um emprego novamente, pensei. Não que eu estivesse reclamando, não gostava de ficar muito tempo parado. — Eu realmente não vejo mais ninguém nesse personagem do que você.

Sorri, grato, já curioso para saber do que se tratava. Era bom ouvir aquelas palavras, principalmente dele. Mostrava o quão eu era competente no que eu fazia. Não querendo soar presunçoso, mas eu me sentia confiante em relação a minha profissão e tinha ciência do meu talento. Havia estudado muito para estar onde cheguei. Tinha orgulho do que eu tinha me tornado. 

— Eu aceito. Você sabe que eu adoraria participar de qualquer drama dirigido e escrito por você. — Namjoon sorriu mas logo depois, seu sorriso se desmanchou e ele mordeu o lábio. Estranhei sua expressão, um tanto bipolar, mas esperei ele falar. 

— Então, Taehyung... Essa história em que eu estou planejando, é diferente das demais as quais você já fez. 

Assenti, tranquilo com sua objeção. Eu era ator desde criança, praticamente. Já havia feito mais de 20 filmes e dramas, incluindo minhas atuações no teatro. Todo trabalho era um desafio novo para mim e eu sentia que não havia nada em que eu não pudesse fazer.

— É sempre bom fugir do clichê. — exprimi, atraindo um suspiro do diretor. 

— Não é só a questão do clichê. É algo realmente completamente fora da sua realidade. — apesar das palavras firmes e quase assustadoras, aquilo não havia me abalado, até ouvir a sua frase seguinte. — A historia é sobre um romance... Entre dois rapazes

Tomei um susto, me movimentando na cadeira com rodinhas e fiquei boquiaberto, me apoiando para trás. 

— Um drama gay? — falei um pouco mais alto do que eu deveria, com os olhos arregalados. Tudo bem... Eu fiquei um pouco abalado. Nunca passaria pela minha cabeça que fosse aquele tipo de história em que ele se referia. Me senti nervoso de repente e abaixei o olhar, mexendo nos meus dedos das mãos. 

— Sim, Taehyung. Eu sei que isso pode ser bastante novo pra você. Pra mim também é. — apenas fiquei calado, encarando-o desta vez. Eu definitivamente não sabia o que falar. Estava completamente surpreso e sem palavras. — Eu tive essa inspiração recentemente ao assistir um filme em que abordava essa questão. Vendo esse romance, eu pude ver claramente a pureza e inocência no relacionamento dos dois. Eu consegui sentir as emoções junto com eles. Logo veio essa ideia e eu comecei a escrever. Acho que a Coreia esta precisando dessa mudança. 

— Mas... Você não acha precipitado demais? As pessoas estão prontas para isso? — minha voz saiu num murmúrio, hesitante e Namjoon apenas negou com a cabeça, certo do que ele falava.

— Não, acho que devemos começar a mudar as coisas. A sociedade coreana precisa aprender a lidar com a comunidade LGBT, seja na vida real ou na ficção. Aprender principalmente a respeitar as diferenças, sejam elas quais forem. E de qualquer forma, não é a primeira vez que temos um drama gay, não há muito com o que se preocupar. — ele estava certo e eu concordava com o mesmo, mas ainda sim, era um baque para mim. — O gênero yaoi está crescendo cada vez mais. Muitas pessoas estão começando a apreciar seja no cinema ou na literatura. É uma inovação. E eu só posso começar a gravar esse drama, se você aceitar fazê-lo. Não há nenhum outro ator em que eu imagine nesse papel, a não ser você.

Tremi com suas palavras. Eu não queria desapontar Namjoon, mas era difícil para mim trabalhar em um projeto como aquele. Não pelo fato de eu não conseguir fazer ou ter algum tipo de preconceito. Eu me sentia perfeitamente capaz de executa-lo, mas temia a reação da sociedade e também a dos meus fãs quanto a isso. 

Eu era um ator bastante conhecido, modéstia a parte. Minha carreira havia sido construída durante anos com inúmeros sucessos e críticas positivas. Eu sentia que eu poderia de alguma maneira destrui-la participando de um romance como aquele, por mais que eu odiasse a forma como muitas pessoas na Coreia ainda eram extremamente ignorantes quanto a homossexualidade. 

— Diretor — murmurei, soltando minha respiração de maneira profunda, tentando não soar rude. — Eu não sei se posso fazer isso. Sinto muito... De verdade. 

Namjoon apenas assentiu com um sorriso de lado, se inclinando na sua mesa de vidro. Parecia já ter conhecimento da minha resposta antes mesmo de eu falar ela em voz alta. 

— Sei exatamente como você se sente, Taehyung. Você pode estar com medo de desapontar pessoas que sempre o acompanharam e te apoiaram em diversos momentos. Não há ninguém que entenda mais isso do que eu. — disse, parecendo adivinhar meus pensamentos.— Mas pense em você por um momento. Em toda a sua vida atuando, desde um vilão até um mocinho. Você nunca renunciou, seja qual fosse o trabalho. O Taehyung que eu conheço sempre deu duro e se empenhou para se tornar o ator que sempre quis ser. Aquele que poderia aceitar qualquer papel, independente do sucesso, do dinheiro ou até mesmo da opinião alheia. Um ator realizado na sua profissão. 

Suas palavras me acertaram em cheio e eu engoli em seco, sem conseguir olhar em seus olhos. Ele tinha toda razão. E aquilo me irritava. Eu me sentia um covarde de estar evitando um projeto que nem mesmo cheguei a ler, por simples medo da reação das outras pessoas. Era simplesmente patético.

— Apenas pense sobre isso, tudo bem? Aqui está o roteiro. Acho que é importante conhecer a história antes de tudo. — abriu sua gaveta e retirou uma apostila, entregando na minha mão — Daqui há uma semana, estarei aqui para resolver alguns detalhes e estarei esperando sua resposta. Não se apresse, não quero te pressionar. Leia com calma, atentamente e depois me fale a sua decisão. É necessário refletir sobre isso. 

Não falei mais nada depois da sua proposta. Apenas me despedi dele, levando o roteiro comigo e saindo da sua sala, fazendo o percurso até o meu carro no estacionamento. 

Enquanto caminhava pelos corredores à procura da saída, as palavras de Namjoon ecoavam na minha mente, fazendo meu corpo ficar tenso de repente. Ele sabia exatamente como usar palavras de incentivo, não era a toa que além de produzir, era um grande escritor. Praticamente todo drama que Kim dirigia, era um sucesso em todo país e eu podia afirmar que ele sabia como agradar o público. Talvez, sua ideia não fosse tão ruim quanto eu pensei. 

Meus pensamentos estavam tão distantes e profundos na conversa que eu acabara de ter na sala, que eu acabei não vendo alguém vir de encontro a mim, causando um chocar de corpos entre nós. Os movimentos foram tão rápidos que eu apenas fechei os olhos, sentindo o impacto  entre a pessoa a minha frente e eu. 

Segurei na parede como apoio para que eu não caísse e abri os olhos até então fechados podendo ver claramente a figura do homem a minha frente, completamente encharcado de um líquido amarelo e o copo da bebida no chão, fazendo-me arregalar os olhos. 

— Meu Deus, m-me desculpe — gaguejei, fazendo careta e o cara tentava amenizar a sua situação, espremendo o líquido da sua camisa branca que ficava cada vez mais transparente. 

— Tudo bem, eu que não deveria ter comprado um suco sem a tampa. Sabia que isso iria acontecer. — soltou um suspiro e eu mordi o lábio, sentindo-me culpado por ele estar todo molhado. Eu era um desastrado, como eu não vi aquele homem vir em minha direção?

As palavras sumiram da minha mente e eu apenas fiquei parado sem saber o que fazer. Antes que eu pudesse lhe sugerir uma ajuda, me auto interrompi ao perceber ele tirar a sua camisa coberta de suco e ficar com o peito completamente exposto, fazendo-me engasgar de repente, com a minha própria saliva e tossir. 

— Você sabe onde fica o banheiro? — perguntou, me encarando dessa vez e eu congelei, sem conseguir desviar meu foco da sua sua barriga. Por que eu estava tão nervoso e parecendo um completo idiota? Era só um cara qualquer que eu havia esbarrado, não havia motivos para ficar daquele jeito. E além de tudo, eu não era do tipo tímido ou algo semelhante para estar tão nervoso de uma hora para outra. 

Pensei, tentando me convencer que talvez fosse apenas pelo fato dele estar em uma uma boa forma e eu acabei ficando intimidado com o seu olhar e peitoral nu bem perto de mim.

— No final do corredor a esquerda. — respondi mas continuei logo depois, antes que ele pudesse ir embora. — Desculpa, sério. Eu não costumo ser tão avoado. 

— Já disse, está tudo bem. Acontece. — me tranquilizou e eu fiquei surpreso com o quão ele era calmo, e ainda mais diante daquela situação. Se fosse algum dos meus amigos, como Min Yoongi, sem sombra de dúvidas, teria feito um escândalo e  discutido comigo.

— Olha... Pode ficar com o meu moletom. — Tirei do meu corpo com uma certa dificuldade e entreguei em suas mãos. Ele tentou recusar mas eu afastei para perto dele novamente, praticamente obrigando-o a ficar com a vestimenta. — Fique, por favor, é o mínimo que eu posso fazer. 

insisti mais uma vez e ele acabou assentindo e aceitando o meu gesto. 

— Tudo bem — concordou por fim e eu dei um meio sorriso. 

— Se quiser dinheiro também, eu posso te dar e...

— Não, não precisa. — me interrompeu negando várias vezes com a cabeça — O moletom já esta de bom tamanho. Obrigado...

Semicerrou os olhos, apontando em minha direção e eu pude perceber que ele tentava saber o meu nome para que desse continuidade ao seu agradecimento.

— Taehyung. Kim Taehyung. 

Fez uma expressão serena e estendeu a mão, para que nos cumprimentássemos e assim o fiz, sentindo sua mão gélida sobre a minha, me arrepiando ao sentir o toque. 

— Obrigado, Taehyung. 

— E você é o...? — perguntei, sem pensar, sentindo que não tinha porquê perguntar, eu provavelmente nunca mais o veria na vida. Mas de qualquer forma, já tinha feito. 

—  Jeon Jungkook. — se apresentou, e o meu corpo estremeceu no momento em que eu avistei o seu rosto esticar e seu sorriso diante dos meus olhos.

E foi a partir dali que tudo começou. Aquele sorriso que virou a minha vida de cabeça para baixo. Aquele maldito sorriso. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                         


Notas Finais


gente esse finalzinho só me lembrou aquela cena de 13rw, juro que não foi intencional JSJSJA fui perceber isso depois.
COMENTEM!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...