História A vida não poderia ser diferente - Furry - Capítulo 14


Escrita por: e snowflaked

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Drama, Furry, Romance
Visualizações 92
Palavras 2.666
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, LGBT, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


VOLTEIII!!!
Eu sei, fiquei meses sem postar, me desculpem ;-;, a falta de criatividade e preguiça não ajudam, mas pelo lado bom aqui esta um capitulo, estou enferrujado, não sei quando outro capitulo virá, talvez não demore muito ^^, até breve <3.

Capítulo 14 - Eu Te Amo Tanto - Parte 1


Eu estava em uma sala branca, o silencio tomava conta daquele lugar, eu conseguia ouvir apenas o som da minha própria respiração, não fazia ideia de o porquê estava ali, mas não iria ficar para descobrir, tento me mexer, mas algo estava me impedindo, não havia nada fisicamente me prendendo, era como uma força, tento mais uma vez em vão, olho para aquele teto branco na tentativa de achar uma saída, até que escuto um barulho, abaixo minha cabeça e olho a minha frente, havia um furry parado a poucos metros de mim, tento olhar para o rosto daquele estranho na tentativa de identifica-lo, porém não consegui, seu rosto parecia embaçado e desfocado, ele então começou a se aproximar e parou um pouco mais perto, mesmo não podendo ver seu rosto claramente, percebi que o mesmo me encarava.

???: Ora ora, parece que finalmente nos encontramos Mike, você não sabe o quanto eu esperei por esse momento – ele se aproximava cada vez mais.

Mike: E-eu não te conheço, Q-quem é você? C-como sabe meu nome? – minha voz saia com dificuldade, eu estava muito assustado, essa sala, aquele estranho, eu não sabia o que estava acontecendo, só queria sair dali logo.

???: Nos conhecemos a um bom tempo, mas isso vem ao caso agora, tenho um assunto pendente que preciso terminar e ele vai acabar aqui – pude ver um sorriso de canto em seu rosto, um como nunca outro, aquilo fez meu coração disparar.

Mike: O-oque, E-E-Eu não fiz nada, O-oque você vai fazer comigo? P-Por favor, E-Eu não fiz n... – antes que eu pudesse terminar de dizer, aquele estranho começou a gargalhar incontrolavelmente, eu estava ainda mais assustado e confuso.

??? HAHAHA MIKE VOCE É REALMENTE UMA PIADA – após terminar de dizer aquilo ele voltou a sua expressão séria e rígida – Não se preocupe, eu não vou fazer nada com você – no mesmo momento um sorriso cheio de ódio tomou sua expressão – mas com ele – o mesmo disse apontando para um canto da sala.

Ao olha para a direção em que ele apontava meu coração que antes estava acelerada de medo, parou de dor e sofrimento, não pode ser, aquilo não poderia estar acontecendo, lagrimas começaram a escorrer incansavelmente de meus olhos ao ver Nick amarrado a uma cadeira coberto por marcas roxas e cortes por todo o corpo, sangue escorrias pelos cortes até o pé da cadeira formando uma poça que manchava o piso branco, não, ele não, por que?

Mike: Não... Nick, por favor não – isso não pode estar acontecendo, ele não, abaixei a cabeça pois não aguentava vê-lo naquele estado, agora minhas lagrimas se chocavam diretamente contra o chão, volto a levantar a cabeça e lanço um olhar ao estranho, era uma mistura de dor, sofrimento e ódio – POR QUE VOCE FEZ ISSO, ELE NÃO TE FEZ NADA.

???: Você esta muita enganado Mike, ele merece tudo isso, a propósito, eu ainda não te dei motivos pra chorar – com um ultimo olhar, ele vai até a cadeira onde Nick estava e fica ao lado dela, ao olhar para Nick percebo que ele levanta sua cabeça lentamente, era um milagre ele estar vivo, com todo aquele sangue escorrendo, então ele me olhava com os olhos quase fechados.

Nick: Mike... é... é você? – ele disse com a voz tão baixa que quase não pude escuta-lo, seus olhos ainda estavam quase fechados.

Mike: S-SIM NICK, SOU EU, EU ESTOU AQUI – eu ainda chorava muito, eu não poderia acreditar, ele que sempre me protegeu, estava lá, todo machucado e ensanguentado, sinto um forte aperto tomar conta do meu coração.

Nick: Mike... Eu... – antes que Nick pudesse terminar, o estranho lhe acerta um soco no rosto fazendo com que a sua cabeça balançasse.

Mike: NÃO, POR FAVOR – o estranho sem se quer ouvir o que eu estava falando começou a desferir socos na barriga de Nick, eu me debatia para tentar sair dali mas parecia impossível, o que me prendia ali era mais forte que eu – PARA, POR FAVOR, EU IMPLORO, EU FAÇO QUALQUER COISA, MAS POR FAVOR, PARA – meus olhos estavam ardendo de tanto chorar, aquilo que esta acontecendo com Nick, uma dor imensa e profunda tomava conta de mim a cada segundo que o via naquele estado, até que finalmente o estranho parou com os socos e voltou a me olhar, alguns segundos depois, sangue começou a escorrer pela boca de Nick, passando pelo pescoço até chegar ao seu peito.

???: Implorando pela minha misericórdia, você é fraco e desprezível

MIKE: EU NÃO SOU FRACO.

???: Então por que não me impediu de machuca-lo? Por que não fez nada além de assistir? Você não consegue proteger nem quem ama, isso é tudo culpa sua, você falhou com ele.

Aquelas palavras me tocaram profundamente, ele tinha razão, não pude fazer nada além de vê-lo sofrer, é tudo culpa minha, se eu fosse forte o suficiente isso não teria acontecido, depois de ver Nick com uma expressão de dor, abaixo a cabeça.

??? Olhe pra mim – não dou ouvidos a ele e continuo com a cabeça abaixada – OLHE PRA MIM – aquele grito pareceu percorrer a sala e ecoou em minha mente, levanto a cabeça lentamente e o olho.

Mike: O que você quer de mim? – eu estava arrasado, não podia fazer nada, o que está acontecendo é tudo minha culpa.

???: Ninguém pode me dar o que eu quero, mas vou ser piedoso com ele, isso acaba agora – com um rápido movimento ele tira uma arma das costas e a aponta para cabeça de Nick.

Mike: NÃOOOO, POR FAVOR, ELE NÃO MERECE ISSO, A CULPA É MINHA, ME MATE NO LUGAR DELE, ME MATE, ELE NÃO.... ele não – isso não pode estar acontecendo, eu não posso deixar, com as forças que ainda me restavam tento me mexer, eu não conseguia, o que estava me prendendo? era impossível, o estranho via minhas tentativas falhas de sair dali e dava pequenos risos.

???: DESPREZIVEL - *som da arma sendo destravada* - Ultimas palavras Mike?

Então é assim que vai acabar? Eu deveria estar no lugar dele, eu merecia isso, eu... eu...

Mike: Nick.. – ele levantar brevemente a cabeça – Me perdoa – uma última lagrima escorre sobre meu rosto e cai no chão.

Nick: Mike... Eu te... - *som do disparo*.

                                                                      --------------------///////////////////------------------

Mike: NÃOOOOOOOOO – acordo assuntado e ofegando, eu estava suando muito, meu corpo, lençóis e o travesseiro estavam molhados, em um segundo me lembro de tudo, meus olhos se enchem de lagrimas que logo começaram a escorrem sobre meu rosto, escuto a porta se abrindo.

Mãe: FILHO O QUE FOI, EU OUVIR VOCE GRITAR, VOCÊ TA SUANDO, POR QUE VOCE TA CHORANDO? O QUE ACONTECEU? – minha mãe entra pela porta e vem correndo até mim, estava assustada.

Eu rapidamente a abraço fortemente, ela ficou um pouco surpresa com a minha ação.

Mike: Foi um sonho horrível – Minhas lagrimas molhavam seus ombros, ela então retribuiu o abraço.

Mãe: shh, calma, já passou, foi só um pesadelo, eu estou aqui com você – ela disse passando a pata sobre meu cabelo.

Mike: É tudo culpa minha...

Mãe: Por que está dizendo isso querido?

Mike: É minha culpa o Nick ter brigado e por minha causa ele está todo machucado, eu sou fraco, não consegui fazer nada para proteger ele, é tudo culpa minha – eu ainda chorava enquanto falava

Mãe: Você não é fraco e não foi culpa sua.

Mike: Eu nunca dei ouvidos ao que ele falava, eu achava que poderia resolver isso sozinho e do meu jeito, mas olha o que aconteceu, ele nunca vai me perdoar – eu estava me sentido o pior furry do mundo, como pude ser tão egoísta com meus sentimento e decisões.

Mãe: Todos tomamos decisões erradas as vezes querido, aprendemos com os erros, colocar toda a culpa em você não vai ajudar e muito menos resolver isso – minha mãe separa o abraço e passa a pata sobre meu rosto.

Minha expressão de tristeza era clara, só de lembrar de tudo que aconteceu naquele sonho, eu não sabia o que pensar, eu queria tanto que Nick estivesse aqui agora.

Mãe: Não fique triste querido, aquilo foi um sonho ruim, vai ficar tudo bem, vocês vão se resolver.

Mike: Eu tenho muito medo mãe, eu amo tanto o Nick, se algo acontecer com ele, não sei o que eu faria – me lembrei da imagem de Nick todo machucado, mais lagrimas escorriam – Vou ir falar com ele depois da escola.

Mãe: Tenho certeza que ele também te ama querido, vai dar tudo certo, acredite – ela dá outro sorriso.

Mike: Obrigado mãe – A tristeza permanecia em meu rosto, mas retribuo o sorriso.

Mãe: Tente esquecer desse sonho, só tudo coisa da sua mente – ela se levanta da cama – Eu vou preparar um chá, por que você não toma um banho enquanto isso? Vai se sentir melhor – ela se abaixa e beija minha testa, depois sai do quarto.

Fico sentado na cama refletindo sobre o sonho, aquele furry, aquela sala, parecia tão real, só de lembrar no estado em que Nick estava eu sentia meu coração doer, preciso falar com ele, resolver tudo isso, eu o amo tanto, preciso dele. Após ficar perdido em pensamentos por alguns minutos me levando, saio do quarto e vou em direção ao banheiro, chegando no corredor, vejo meu pai vindo em minha direção.

Pai: Por que está acordado filho? Ainda são cinco e meia da manhã – ele disse bocejando e passando a pata sobre um dos olhos.

Mike: Estou sem sono –  eu não queria contar o verdadeiro motivo, além disso, ele não sabia sobre Nick e eu, complicar ainda mais a situação é a ultima coisa que eu queria naquele momento.

Pai: Tem certeza que é só isso? Você parece triste – ele havia percebido minha expressão e meu tom de voz.

Mike: Tenho pai – viro meu rosto tentando desviar o olhar – É só isso.

Pai: Hum – eu sabia que ele não havia acreditado, apesar de meu pai não ter passado muito tempo comigo por conta do trabalho, ele me conhecia muito bem – Se precisar de mim estarei na cozinha.

Ele se vira e some por uma porta, continuo indo em direção ao banheiro, chegando, tiro minha roupa, entro no box, ligo o chuveiro, fecho os olhos e deixo que a agua quente percorra meu corpo, seu barulho era a única coisa que eu ouvia, o mundo pareceu parar por um momento, lembranças e sensações invadiram minha mente.

Mike: Por que eu sou tão fraco – sussurrei ainda com os olhos fechados – A única coisa que eu sei fazer é chorar – eu estava com raiva de mim mesmo, sem pensar duas vezes dou um forte soco na parede do banheiro, pressionei meus olhos com força por causa da dor, mas não me importava com isso agora, abro meus olhos lentamente e olho para minha pata que ainda estava na parede, desvio o olhar para o azulejo, ele era branco, assim como a sala do sonho, abro minha pata e a passo sobre ele, fecho os olhos novamente e abaixo a cabeça, começo a chorar novamente, minhas lagrimas se misturavam com a agua do chuveiro.

[QUEBRA DE TEMPO]

Estava no carro com meu pai em direção a escola, eu apoiava minha cabeça sobre meu braço na janela do carro, eu olhava tudo que passava, carros, furries caminhando, construções, qualquer coisa era melhor que lembrar daquele sonho, mesmo sabendo que era coisa da minha cabeça, parecia tão real.

Pai: Filho – meu pai disse quebrando o silencio.

Mike: Oi pai – eu disse ainda olhando para fora do carro.

Pai: Não quer mesmo me contar o que está acontecendo? Sua mãe fez seu café da manhã favorito, você nem tocou no prato, está quieto o caminho todo, estou começando a ficar preocupado.

Levando minha cabeça e olho para ele.

Mike: Está tudo bem pai, o dia só está um pouco difícil hoje, sério, não precisa se preocupar –  forço um sorriso, mas eu tinha certeza que ele não havia acreditado.

Pai: Você não ficar assim por qualquer coisa, é algo sério, eu sei – sinto a profundidade em seu olhar – não vou te forçar a falar, mas filho, por favor, pense com calma e cuidado, tenho certeza que você vai conseguir resolver isso, seja o que for.

Mike: Obrigado – meu pai sorriu com a minha resposta e voltou a atenção a direção, eu virei minha cabeça novamente para fora do carro, vi um lobo e uma raposa sentados em um banco rindo, logo depois compartilharam um beijo, não pude evitar de pensar sobre meu futuro e o de Nick, queria tanto estar abraçado com ele agora, sentir o calor de seu corpo, queria tanto vê-lo e resolver isso logo, mesmo tendo um pouco de medo do que possa ser o resultado.

Depois de alguns minutos finalmente chegamos a escola, meu pai estacionou o carro em frente ao portão, muitos alunos estavam esperando o sinal para entrarem, olhei para a direita e pude ver Sarah e Lucky perto do muro, me virei para pegar meus livros que estavam no banco de traz, os pegos e saio do carro, fecho a porta e vejo que meu pai me olhava.

Pai: Você vai ficar bem?

Mike: Vou sim, não precisa se preocupar.

Pai: Se precisar de alguma coisa, não pense duas vezes em me ligar – ele sorri brevemente – Eu te amo filho.

Mike: Também te amo pai – retribuo com um pequeno sorriso – Até mais tarde.

Após eu dizer isso ele deu um ultimo sorriso e começar a dirigir para longe, fiquei observando o carro se distanciar por alguns segundos, depois fui até onde Sarah e Lucky estavam, ao me aproximar eles perceberam a minha presença, Sarah saiu dos braços de Lucky e veio em minha direção.

Sarah: Aí você finalmente chegou, pensei que você não viria hoje - logo após dizer aquilo Sarah me abraçou, retribuo o abraço.

Mike: Oi pra você também Sarah.

Ela então separou o abraço e começou a me encarar, sua expressão parecia confusa.

Sarah: Que cara é essa? Oque você tem?

Eu não sabia o que dizer a ela, minha mente estava confusa, aconteceu tudo tão rápido, Sarah é minha melhor amiga, confio nela, mas eu lembrar de tudo o que aconteceu naquele sonho, me deixava arrasado.

Mike: Eu te conto depois – minha expressão era um pouco triste, viro meu rosto disfarçando o olhar.

Sarah: Tudo bem, mas vê se por enquanto melhora essa cara – Sarah me deu um pequeno soco no braço, Sarah sempre conseguia me deixar melhor, ela sempre me faz esquecer dos problemas que tenho.

Mike: Tudo bem – é incrível como aquele soco conseguiu me deixar um pouco melhor.

Sarah: Vem – ela então me puxou até onde Lucky estava, ele nos olhava enquanto nos aproximávamos.

Lucky: Oi Mike.

Mike: Oi Lucky.

Lucky: Então, como esta o Nick? Teve alguma notícia dele? – ele disse se afastando do muro

Sarah: Aish, eu tinha me esquecido do que aconteceu ontem – Sarah vira sua atenção para mim – É por causa dele que você está assim, não é?!

Mike: Não tive nenhuma notícia dele Lucky – olho para Sarah – Sim...

Sarah: Não fica assim migo, vai dar tudo certo com vocês – ela se aproxima de mim e me abraça novamente.

Mike: Eu tive um sonho horrível, ele estava lá – ela separa o abraço e me olha.

Sarah: Um pesadelo? Como assim? Como foi?

*som do sinal*

Mike: Eu te falo depois, acho melhor entramos agora – eu ainda não entendia aquele sonho, por que?

Nos três então entramos, chegando no corredor, havia vários furries nos armários, à medida que eu passava todos me encaravam, eu não sabia o verdadeiro motivo, mas deduzi que foi por conta do que aconteceu ontem, eu me sentia incomodado com todos aqueles olhares, chego ao meu armário junto com Sarah e Lucky, ele ainda estava quebrado e um pouco sujo, o abro e coloco meus livros dentro, pego os que iria hoje durantes as aulas.

Sarah: Vamos

Fecho o armário e me viro para ir em direção a sala.

???: Olá Mike. 


Notas Finais


''Tudo o que você sempre quis está do outro lado do seu medo.'' - George Addair


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...