História A vida no internato - BoruSara - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Chouchou Akimichi, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Inojin Yamanaka, Kawaki, Mitsuki, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara
Tags Boruto, Naruto, Romance, Sarada
Visualizações 66
Palavras 1.493
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Pessoal, espero que gostem ^^

Capítulo 1 - Mais um dia no internato


Sarada estava sentada no seu dormitório do colégio interno. Olhava pela janela as pessoas conversando no pátio. Tinha um quarto só para si, uma vez que podia pagar por isso. Estudava ali desde que se lembrava. O quarto tinha cores neutras, nas paredes fotos dela, dos amigos e da família. Ia pra casa apenas uma vez por ano nas férias. Agora, com 17 anos, sentia falta de ter tido uma vida normal, numa escola normal, mas também não se arrependia do internato. Tinha muitos amigos e uma vida boa. Era inteligente, Bonita e as pessoas tinham grande respeito por ela.

Ouve a porta do banheiro se abrir e vê sair de lá o garoto nu. Sorri para ele que sorri de volta. A abraça por trás, beija seu pescoço a fazendo se arrepiar.

- Segundo round? – ela pergunta com malícia.

- Tenho treino. Você sabe – ele diz no ouvido dela – sem contar que daqui a pouco a inspetora passa por aqui e seu pai me mataria se soubesse que eu desvirginei a imaculada Sarada Uchiha.

- Será que ele acha mesmo que sou virgem? – ela pergunta sorrindo.

- Acho que seus pais não conhecem você, Sarada – ele diz, mas aquilo a machucou um pouco. Era verdade. Namorava o garoto há 1 anos e 7 meses e eles nem sequer sabiam disso. Sua virgindade se fora quase ao mesmo tempo. Ele se formaria naquele ano e ela no ano seguinte. Tinham um relacionamento conturbado, muitas brigas por ciúmes e chateações uma atrás da outra, mas ela se sentia um pouco viciada nele e também adorava o que faziam na cama.

- Kawaki, não jogue verdades assim na minha cara depois do sexo – ela disse divertida querendo esconder que aquilo a tinha magoado.

- Me desculpe, senhorita – levantou-se, colocou as roupas e a beijou na testa – preciso ir. Uma coisa, Sarada... – ele parou um pouco pensando em como dizer – Não quero mais você perto do Boruto.

- De novo isso? Ele é meu melhor amigo. Sempre esteve comigo, sempre estará.

- Não testa minha paciência. Todo mundo sabe que ele gosta de você e você dá mole pra ele. Eu não vou repetir isso.

- Eu não dou mole pra ninguém. Você devia me respeitar, seu idiota. É sempre a mesma coisa. Somos amigos. Sem contar que Boruto já pegou metade da escola. Não quero alguém assim.

- Então já pensou na possibilidade?

- Sai do meu quarto, Kawaki!

- Não! Você é minha namorada e não vai ficar no pescoço de macho por aí – ele grita furioso.

- Sai daqui! Você sempre estraga tudo – ela tentava se manter calma.

Ele sai batendo a porta com raiva. Aquela discussão tinha o mesmo tempo do relacionamento deles. Boruto era o melhor amigo de Sarada e ela até entendia o ciúme de Kawaki. Loiro, olhos azuis e tinha um corpo levemente definido, era muito bonito, afinal. Não a toa que na listinha das meninas ele era o número um e ficar com ele era quase um status, mas eles não tinham disso. Ela a amava como irmão e ele sentia o mesmo por ela. Eles tinham a mesma idade. Os pais dele eram padrinhos de Sarada, assim como os pais dela eram padrinhos dele. Nasceram praticamente no mesmo dia. Ele 20 e ela 22 de dezembro. As festas, quando aconteciam, eram sempre juntas e foram criados como irmãos, assim como Himawari que era a irmã mais nova de Boruto. Aprenderam quase tudo um com o outro e conversavam sobre tudo também. Sarada pega o celular e envia uma mensagem.

Sarada: Noite de sorvete?

Boruto: Morango ou flocos?

Sarada: Os dois.

Boruto: Passo aí às 19h.

Sarada levantou e decidiu tomar um banho e estudar. Não podia se dar o luxo de deixar a primeira colocação no ranque da escola. Entrou no chuveiro devagar e lembrou da tarde que teve com Kawaki. Ele era selvagem e cheio de desejos enquanto. Poucas vezes era carinhoso como foi quando saiu do banheiro, mas era um bom namorado no que se tratava de companhia.

Assim que terminou o banho, vestiu um short curto e uma blusa leve. Sentou-se para estudar e sorriu com a foto na mesa. Ela e Boruto sujos de tinta, “Aquele dia foi muito divertido”, pensou.

...

Boruto olha o relógio e ainda era quatro da tarde. Tinha acabado de marcar com Sarada uma noite de sorvete. Sabia que mensagens daquele tipo indicavam que as coisas não estavam muito bem. Provavelmente brigara com o namorado o que era bem comum. Ouve batidas na porta e quando abre se depara com a garota de cabelos roxos a sua frente.

- Oi, Bolt – ela diz meio envergonhada.

- Olá, Sumire! Quanto tempo – aquilo a deixa vermelha igual um tomate.

- É...

- Entra – a garota sabia exatamente o que significava aquele entra.

O internato tentava ser rígido, mas não conseguia conter adolescentes com hormônios a flor da pele. Boruto pega a garota no colo com cuidado e a coloca na cama. Começa a beijá-la e a despi-la sem pressa. Beija todo o corpo dela até chegar na sua intimidade. Começa a chupá-la. Ela gemia o nome dele sem parar e aquilo o deixava louco. Já estava rijo. Pegou a camisinha, colocou e a penetrou de uma vez só. Sumire já não era virgem, mas ainda assim era bem apertada o que deixava ele mais excitado. Aumentou a velocidade das estocadas até que a sentiu tremer embaixo de si. Assim que percebeu que ela havia chegado ao orgasmo, tirou de dentro dela e pediu que ela lhe fizesse um boquete. A garota atendeu, tirou a camisinha e o fez com maestria. Ele gozou na boca dela e ela simplesmente engoliu tudo.

Ele deitou na cama e a colocou em seu peito. Sumire não era sua amiga ou namorada. Era mais uma das garotas que gostavam de ficar com ele e que ele não fazia esforço algum para pegar. Elas simplesmente apareciam a sua porta. Sarada dizia que ele não prestava, mas ele nada fazia. Elas simplesmente vinham até ele. Por esse motivo, Sarada nunca ia ao quarto dele. Era sempre ele quem ia ao dela. Ela não queria ser vista como “a foda do Uzumaki”. Mais uma delas.

Boruto pega no sono e quando desperta vê que já passa das 18h30.

- Droga! – a garota ao lado se espanta com ele levantando de forma brusca – precisa ir pro seu quarto – ele diz tentando ser gentil.

- Pensei que poderia dormir aqui – ela diz manhosa.

- Eu vou sair agora, Sumire. Feche a porta quando sair – diz ele entrando no banheiro apressado.

Tomou um banho rápido, vestiu uma calça moletom e uma camiseta regata, apesar de achar que lá fora estava frio. O dormitório feminino ficava do outro lado da escola e passava por um pequeno jardim que parecia ventar demais pro gosto dele. Pegou o sorvete e se dirigiu ao quarto de Sarada. Bateu as 19h em ponto.

- Cumprindo a regra – ela disse sorrindo pra ele.

- Ser sempre pontual! – ele sorriu de volta.

Assim que entrou Sarada quase se atracou ao sorvete de morango, mas Boruto percebeu que ela tinha a cara um pouco emburrada.

- Vai, desembucha.

- Kawaki.

- Novidade. O que foi?

- Disse pra eu ficar longe de você – começaram a gargalhar juntos.

- Imagina se déssemos motivos – ele disse sorrindo ainda.

- Até que não seria mal um pedaço de mal caminho como você – ela responde fazendo piada.

- Só dizer dia e hora, gata – ele fala e eles continuam a sorrir sem parar.

- Obrigada por vir – ela disse abraçando o loiro que devolve o abraço com carinho.

- Somos amigos, ué – ele diz com aquele sorriso que só ele tem. Contagiante.

Eles colocam um filme e ficam abraçados assistindo. Boruto sem camisa já e Sarada continuava com o short curto e a blusa leve que colocara após o banho. Ouvem alguém bater a porta.

- Eu abro – diz Boruto se levantando. Kawaki estava na porta. Viera pedir desculpas por mais cedo, apesar de detestar Boruto – Oi, Kawaki – Boruto diz o cumprimentando.

- O que você faz aqui? É só eu sair que você corre pra ele?

- Calma, cara! Eu e a Sara somos apenas amigos – Boruto tenta amenizar as coisas.

- Aham, você sem camisa e ela com aquele tipo de roupa – diz olhando a garota de cima a baixo. Dá um soco em Boruto e sai em passos largos. Sarada corre e ajuda o amigo que sorri irônico.

- Eu ainda quebro ele, Sarada! Sério mesmo – sorriu pra amiga que tinha uma feição preocupada – relaxa. Vocês vão ficar bem. Sempre ficam.

- Espero que sim... Dorme aqui hoje?

- Pensou que eu ia voltar pro meu quarto nesse frio? – Nem pensar.

Voltaram a deitar e logo adormeceram como faziam desde sempre. Ele a abraçava de forma protetora e ela se aninhava no peito dele. Melhor irmão Sarada não poderia ter.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...