História A vida sabe o que faz ( BakuDeku - KatsuDeku ) - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Inko Midoriya, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Kyoka Jiro, Mina Ashido, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Toga Himiko, Tomura Shigaraki, Toshinori Yagi (All Might)
Tags Bakudeku, Bkdk, Bnha, Deku, Kacchan, Kamikiri, Katsudeku, Kirikami
Visualizações 160
Palavras 3.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Opaaa sz
Vocês sabiam que são bem pervertidos crianças? >>
Estou esperando algumas pessoas cínicas comentarem algo fofo aqui depois de me ameaçar lá em nada é por acaso, Deus está vendo >>>
Eu até tentei colocar o ruivo com outra, mas NÃO DÁ, NÃO DÁ MEU POVO
Depositem aqui todo o seu ódio no grisalho tão amado de vocês >>
Espero que gostem do cap nhaaa ( aguardem o próximo >>>> )
Desculpem erros meus amores nhaaa
Tenham uma boa leitura sz beijinhos sz

Capítulo 9 - Apenas repita o ato



- b-boa noite - engoliu em seco tentando limpar sua garganta ao ver o loiro, Deus, ele é lindo demais, atraente demais, tudo demais e isso deveria ser crime, pois lhe desconcertava inteiro, desconcertava até demais.

- você está vermelho Deku - e como um passe de mágica seu rosto rubozirou ainda mais, ele fazia aquilo de propósito? - entra aí - assentiu meio hesitante e adentrou na casa vendo a mesma cheia de pessoas aleatórias e desconhecidas para si - pensei que não iria vir, desde que aquela rosada dos infernos chegou com o espeto e você não estava com ela - sorriu largamente começando o seguir pela casa.

- a Mina já chegou? Ela disse que estava querendo conversar com o Kirishima, achei melhor deixar eles virem sozinhos - correu os olhos por cada pessoa que passava e realmente não conhecia nenhuma delas.

- eu perdi eles de vista assim que esse monte de desgraça apareceu do nada - agarrou o pulso do mesmo as pressas assim que algumas pessoas lhe fecharam, pois se o perdesse entraria em desespero pelo fato da casa ser grande demais - OU, DÁ LICENÇA PORRA - soltou um riso acanhado com aquilo, sinceramente, o vocabulário dele era um caso sério.

- não sabia que você era tão educado assim - automaticamente o loiro revirou os olhos com certa irritação lhe fazendo sorrir ainda mais.

- vou fingir que isso foi um elogio sincero de sua parte abusto ambulante - suspirou aliviado assim que chegou a um lugar que não tinha tanta gente quanto onde estavam momentos antes - quer tomar alguma coisa? Beber? Você bebe? - negou prontamente corando um pouco ao lembrar da noite em que bebeu, noite essa que fora a pior de sua vida.

- Bakugou! - ambos olhares foram em direção a voz se deparando com um loiro que vinha com uma morena com um vestido longo branco, oh, ela era bastante bonita.

- ah, Denki - analisou o loiro menor por alguns segundos atentamente, ele era diferente do loiro maior, porém era tão... eletrizante!

- essa aqui é a Jiro, a qual eu te falei o tempo todo - a mão do loiro maior se estendeu e apertou a da morena com certa força, ele parecia não ter gostado da mesma, porque? Tinha alguma razão específica?

- esse aqui é o De... Izuku - sorriu largamente e apertou a mão do loiro menor, não tinha a pele tão quente quanto a do maior, porém também era quente, talvez isso fosse de família.

- IZU! - olhou rapidamente na direção que uma rosada vinha correndo rapidamente até pular encima de si quase por lhe derrubar com a afobação - me esconde do Erijou - piscou estático, como assim? O que ele tivera feito?

- porque? - perguntou curioso com um misto de confusão, será que ele tivera feito algo que ela não gostou? Deus do céu, ela já tivera tido tantos problemas em sua vida, não precisava mais de um agora.

- eu peguei algo dele - e só bastou aquele sorriso debochado para entender do que se tratava, como sempre, Mina sendo Mina.

- MINA! - a mesma começou a gargalhar sem controle algum lhe  fazendo corar significativamente - devolve! - observou ele começar a tatear o corpo dela apressadamente - onde você escondeu? - olhou para o loiro menor que fitava o ruivo com um brilho a mais no olhar, ele ainda sentia algo por ele? Era recíproco?

- espera! Espera! - a rosada apenas respirou fundo como se estivesse se controlando - ah, olá? - o olhar do ruivo fora até a frente e por um momento teve medo de como ele iria reagir, afinal pelo o que tivera ouvido aquele loiro deveria ser importante para ele.

- ah, fala aí Kaminari e você é? - sorriu internamente, pelos menos por parte dele não iria haver confusão, tomara que continuasse assim pelo resto da noite, ou melhor, pelo resto de ambas vidas. 

- Kyoka Jiro - apertou a mão da mesma para logo voltar sua atenção para a rosada e para sua surpresa ele tinha algo a mais no olhar também, ele ainda sentia algo pelo mesmo? Ok, era compreensível pelo tempo de namoro.

- devolve Mina - a mesma apenas negou para logo correr para longe do ruivo - não acredito que ela fugiu denovo cara - e automaticamente ele fora correndo em direção a ela, mas em sua mente ele tivera corrido para se afastar do loiro.

- fiquei preocupado - sussurrou ao ouvido do loiro que apenas assentiu meio hesitante, oh, então ele também tivera notado? Ele era tão bom com o ruivo apesar de toda raiva que transmitia pelo mesmo.

- ah, eu vim te falar que a tia tá te chamando Bakugou - os carmesins se fixaram em si lhe arrepiando inteiro, Jesus Cristo, eram penetrantes demais.

- eu já volto, está bem? - assentiu prontamente corando um pouco, ah, ele era tão carinhoso consigo, mas tão explosivo as vezes, porém era isso que lhe fazia esquecer do mundo, lhe fazia se esquecer de tudo.

Apertou a calça com toda força que tinha se permitindo sentir o ardor de suas mãos assim que tanto a morena como o loiro menor foram na direção que a rosada e o ruivo fora, aquilo não lhe cheirava nada bem e sabia que tinha que fazer algo, sem que pudesse impedir suas pernas foram atrás de ambos, quando iria parar de ser intrometido? Quando iria aprender a parar de se importar com a vida dos outros? Poxa, nem cuidava direito da sua, engoliu em seco tentando limpar sua garganta assim que a rosada passou por si correndo e uma morena fora atrás do mesmo modo, o que diabos estava acontecendo agora? Sem pensar duas vezes fora atrás das duas, pois se havia algo de errado queria saber e talvez, só talvez, pudesse ajudar em algo, observou as pessoas do outro lado da parede que em certos lugares era transparente até demais, era bem raro e caro essas coisas hoje em dia, mas pelo visto o que a família do loiro tinha era dinheiro, tão diferente de si, não que não tivesse nada para se manter vivo, porém em comparação com o loiro era um mendigo.

- PARE DE AGIR FEITO CRIANÇA MINA! - parou de caminhar ao ouvir aquele grito desconhecido, oh, a rosada tivera se metido em alguma encrenca denovo? Grande novidade!

- NÃO ESTOU AGINDO FEITO CRIANÇA! - olhou de soslaio para ambas se escondendo o máximo possível para que nenhuma lhes visse.

- VOCÊ FINGIU QUE NÃO ME CONHECIA, ISSO NÃO É AGIR FEITO CRIANÇA MINA? - arregalou os olhos ao ver o que não poderia de uma forma tão inesperada quanto, porque? Porque a rosada estava beijando a morena? 

Sem ter tempo pra pensar, sem ter tempo pra reagir ou processar algo saiu dali o mais rápido possível, o que? Como? Porque? Quem era aquela? Porque estava com a rosada? O que iria acontecer com o ruivo? De todas as vezes que a rosada tivera feito uma loucura essa com certeza tinha passado de todos os limites, era totalmente contra a traição, mesmo a apoiando em várias coisas, mesmo ela sendo sua melhor amiga e jurando está sempre ao seu lado, jamais, nunca, em hipótese alguma iria ficar do seu lado por fazer tal coisa com o pobre ruivo, começou a caminhar desfazendo todo o percurso que tivera feito até aquele local, Santo Deus, porque tivera presenciado tal coisa pra começo de conversa? Soltou o ar disfarçadamente acelerando o passo, estava esgotado das coisas que ela fazia, nunca tivera aberto a boca para lhe reclamar por nada, mas dessa vez não iria deixar passar em branco, não iria, não podia o fazer, não mesmo, definitivamente NÃO!

- PARA ERIJOU! - parou de caminhar e olhou em direção a voz se deparando com um ruivo e um loiro, o que era dessa vez?

- o que diabos você quer Kami...

- não se atreva a não me chamar pelo meu nome outra vez Erijou- um suspiro alto e cansado fora ouvido por parte do ruivo, o que estava ocorrendo entre ambos?

- volta pra sua namorada Denki e me deixa em paz pelo amor de Deus - arregalou os olhos assim que o menor agarrou o pulso do ruivo com tanta casualidade que chegava a ser impossível não corar.

- se você falar que não sente mais nada por me eu volto, fala! - piscou estático, aquilo era sério? O ruivo sentia algo por ele afinal? Ele parecia tão apaixonado pela rosada.

- eu não sinto mais nada por você Kaminari - oh, ok, a rosada tinha o curado, mas... iria o deixar logo após? O traindo justo com a namorada do outro? Ok, seu cérebro tivera dado pane desde presenciar o ocorrido.

- está mentindo! - as esmeraldas arregalaram lentamente a medida que o loiro menor beijava o ruivo e aquilo era tão errado, mas pelo que viu antes parecia tão certo, eles combinavam tão bem e tinha que parar de os ver agora mesmo.

- para Denki...

- eu ainda te amo e você também, não é? Vamos lá Erijou, nós fomos feitos um para o outro e você sabe disso, não seja ruim comigo por favor - um beijo fora depositado no pescoço do maior lhe fazendo se sentir perdido com toda aquela informação.

- eu não quero um amor de duas semanas Denki, então pare com isso, eu não preciso passar por tudo denovo, sabia? - assim que o ruivo tentou sair o loiro o abraçou fortemente o impedindo de o fazer.

- nós passamos anos juntos, eu te chamei pra ir comigo, mas você não podia, não coloque toda a culpa em mim - engoliu em seco, tinha que sair dali, tinha que sair o mais rápido possível - eu ainda te amo Erijou - o chão sumiu de seus pés assim que o ruivo tomou os lábios do outro e não era um simples beijo, era um beijo de novela.

Não entendia, realmente não entendia, o que tinha de errado com as pessoas ao seu redor? Girou nos calcanhares para voltar ao local que o loiro lhe deixou esperando, por um lado a rosada estava beijando alguém que era totalmente desconhecida para si e ainda mais grave que isso traiu um ser totalmente fofo e gentil, por outro lado estava um ruivo que tivera sofrido demais por causa do primo do loiro e que tivera caído em sua lábia mais uma vez, só estava com pena dele, só quisera que ele não sofresse mais, pois pelo que ouviu por parte do loiro ele já passou por maus bocados em sua vida, mesmo sendo tão novo, soltou o ar pesadamente e suas pernas ficaram bambas ao chegar novamente no local, seu coração estava tão acelerado que parecia que iria sair do peito a qualquer momento, suas mãos soavam frio, sua visão ficou um tanto quanto turva e uma ânsia de vomito lhe invadiu com tudo, o que ele estava fazendo aqui? Porque estava aqui? Era perseguição? 

- Deku? - duas mãos grandes pegaram seu rosto com carinho lhe fazendo sair do transe nada agradável em que estava - aconteceu alguma coisa? Você está pálido! - fixou seus olhos nos carmesins a sua frente que lhe fitavam de um modo tão preocupado que chegava a ser impossível não chorar agora mesmo.

- p-posso ir para o seu quarto por alguns minutos? - agarrou os pulsos do loiro carinhosamente acarriciando os mesmos com os seus polegares - por favor - completou de forma suplicante deixando o loiro ainda mais preocupado e isso só lhe deixava ainda mais irritado, pois odiava ver o loiro de tal modo por sua causa.

- claro, vem, eu te acompanho - engoliu com certa dificuldade graças ao fato de garganta está incrivelmente seca, estava com tanto medo que chegava a ser patético.

- espera Kacchan! - colou sua testa no peitoral do maior, ah, tão quente! - e-eu meio que não consigo andar agora, minhas pernas estão tremendo demais... - sussurrou para que só o loiro ouvisse e automaticamente fora pego no colo, ah, tão carinhoso!

- sem problemas! - mordeu o lábio inferior e rodeou os braços em volta ao pescoço do maior, não queria que ele sumisse, não queria que ele descobrisse tudo e desistisse de si.

- d-desculpa por isso Kacchan - deitou a cabeça no ombro do loiro tentando a todo custo afastar a vontade de chorar que estava, mas essa tarefa não era tão fácil de se cumprir.

- relaxa! - sentiu as mãos grandes do mesmo lhe apertarem e começar a subir as escadas - o Denki fez alguma merda? O espeto? Alguém te fez algum mal? - negou prontamente, ah, se ele soubesse o que era não iria ficar consigo e isso era tão ruim - o que caralhos houve afinal Deku? - observou a porta do quarto se abrir e logo após fechar assim que entraram no mesmo.

- n-nada... - fora posto na cama com calma e delicadeza, era tão bom ser tratado assim - e-ei Kacchan... - pegou a bainha da camisa alheia delicadamente - d-de onde sua família conhece... aquele moço de cabelos platinados que está lá embaixo? - perguntou curioso com um misto de confusão.

- quem? Um dos namorados da Toga? Aquele com um sorriso psicótico que está junto ao Dabi? - olhou para o loiro buscando alguma resposta em sua face incontrolávelmente, não era possível - a Toga é minha prima, ela se encaixa perfeitamente em poligamia - deu de ombros sorrindo de canto, Deus, se a rosada a visse iria sentir o mesmo que sentiu ao ver o albino.

- a sua prima é a Toga, Kacchan? - perguntou incrédulo e em choque, aquilo não era possível, como podera ser tão diferentes? - ela namora o Tomura? Como é possível? Se bem que eles se merecem mesmo - o loiro apenas piscou algumas vezes confuso, pois essa reação não era normal de sua parte, realmente não era - eu odeio o Tomura - soltou a peça alheia e respirou fundo para se controlar - desculpa - abaixou o olhar tentando se controlar o quanto antes.

- aconteceu alguma coisa entre vocês antes? Algo do tipo? - curvou os lábios minimamente ao notar que ele era bom demais para si para ser enganado de tal modo, ele não merecia ficar ao lado de alguém tão cheio de problemas.

- a-algo um pouco estranho... - sua mente trabalhou em mil coisas para tentar achar um bom modo para falar a verdade, mas fora totalmente inútil, pois não tinha como ter um bom modo para falar tal coisa - a-algo que não deveria ter acontecido nunca - entrelacou seus dedos buscando alguma migalha de coragem para continuar.

- se não quiser falar tudo bem - agarrou o pulso do mesmo assim que ele ameaçou levantar, tinha que ser sincero, afinal ele era bastante sincero consigo não importava o que fosse.

- e-eu e ele... - engoliu em seco tentando limpar sua garganta, com que cara ele iria lhe olhar depois que falasse isso? - ...n-nós transamos - falou baixinho para que só o outro ouvisse mesmo sabendo que não tinha mais ninguém no vão, porém a sua vergonha era grande demais.

- ah, então era só isso!?...

- só isso? Ele me levou para um quarto e fez tudo que queria comigo sem que eu pudesse impedir nada Kacchan - automaticamente um beijo fora depositado em seu pescoço lhe arrepiando inteiro, ah, ele era tão diferente do albino.

- desculpa, eu não sabia disso - e outro beijo fora dado no mesmo local, só bastava aqueles beijos para o seu corpo entrar em combustão.

- tudo bem... - mordeu o lábio inferior - não tem problema, você não sabia - agarrou as laterais da camisa alheia as puxando com certa força, tinha que manter-se são, mesmo sendo impossível o fazer quando estava com o loiro.

- shhh, não vamos falar desse assunto ruim, está bem? - assentiu prontamente corando um pouco, ele estava tão perto mais uma vez, tão perto... - esqueça isso - aquele sussurro em seu ouvido não fazia bem a sua sanidade, realmente não fazia.

- n-não tem como esquecer... me perdoe Kacchan - ganhou um selinho demorado lhe fazendo ir ao céu novamente.

- o que ele fez de tão grave assim? - se arrepiou ainda mais ao ganhar uma leve mordida no nódulo da sua orelha direita, santo Deus aquilo era tortura.

- m-me levou para o quarto, não conseguia ver e nem tocar em nada - se viu confuso por alguns segundos assim que ele levantou-se as pressas, ele iria lhe abandonar? Era o que estava esperando mesmo.

- é mesmo? - começou a caminhar rumo ao guarda-roupa e abriu a porta do mesmo, apertou a calça com toda força que tinha se permitindo sentir o ardor de suas mãos, ele iria lhe deixar, era claro, afinal não podia cobrar nada dele.

- a-aconteceu algo de errado Kacchan? - perguntou curioso com um misto de preocupação, porque fazia perguntas idiotas? Estava na cara que tinha acontecido.

- sim... - mordeu o lábio inferior para voltar a razão pelo tempo do contato com o maior e pelo fato de sua mente está em óbito - ...mas vou resolver tudo isso agora mesmo - piscou estático e confuso, como assim? - que tal acabamos com esse trauma? - fitou as costas largas a sua frente atentamente, o que ele queria? 

- como? - perguntou curioso com um misto de confusão, ele iria lhe forçar a falar com o albino? Deus, não iria conseguir, tivera pego pavor do mesmo.

- refazendo o ato! - arregalou os olhos assim que o outro girou nos calcanhares e tinha duas gravatas em sua mão, uma preta e uma vermelha, o que ele iria fazer consigo dessa vez? 


Notas Finais


Obrigada por lerem sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...