1. Spirit Fanfics >
  2. A Vilã >
  3. Cap 9

História A Vilã - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Cap 9


O dia do casamento chega e Rin ordena que se faça  uma linda cerimônia.

Ela dizia que a cerimônia deveria  estar que nem ela: esplendida.

Ela também ordenou que se fizesse um vestido de noiva branco e caríssimo, com detalhes em diamantes. Comprou  joias e brilhantes, e contratou um dos melhores maquiadores do reino de Atena, tudo para estar magnífica. 

Kohaku percebeu que nos olhos da princesa havia um brilho de alegria. Ela mesma não  havia percebido o quanto estava empolgada com aquele casamento.

Naquele instante , Rin se arrumava em seu quarto para a cerimônia. Depois de pronta, ela iria de carruagem para o reino Taishou, mas especificamente para o Palácio  do rei, onde iria  acontecer a cerimônia religiosa e  em seguida a festa.

Havia maquiadores e cabeleireiros em seu quarto e ela já  estava quase pronta.

Algumas horas se passam e ela fica completamente pronta. Parecia uma escultura de tão  bonita e elegante que estava. A maquiagem em seu rosto era forte e os cabelos longos e sedosos estavam presos em um coque perfeito. Havia muita harmonia em todo seu look.

Rin então  entra na carruagem com kohaku  e ambos partem para o reino de Taishou

_ Vossa alteza está muito bonita, se me permite lhe fazer um elogio. E ainda devo acrescentar que o sorriso aformoseia ainda mais o rosto  da senhorita.

Ele diz isso porque Rin sorria espontaneamente.  Ambos estavam sentados um de frente.para o outro dentro da carruagem.

_ obrigado Kohaku, eu agradeço  pelo elogio, mas eu estou feliz porque vou realizar a minha vingança, só  por causa disso, não  fique pensando bobagens.

_ vossa alteza, que bobagens eu poderia estar pensando?

Ela fica quieta, porque imaginou que seu  criado pudesse estar que ela estava apaixonada pelo rei. Depois do silêncio, ela muda de assunto.

_ nós estamos atrasados, você  não  acha?

_ sim vossa alteza, se chegarmos daqui uma hora no reino taishou, vamos estar atrasados em quatro horas. Mas não  se preocupe, é  normal uma noiva atrasar.

_ E o rei Sesshoumaru, será  que ele já  me espera no altar?

_ eu acredito  que sim vossa alteza...

_ com um semblante  aborrecido, ele deve estar me aguardando...

Ela sorri com deboche, mas havia brilho alegre em seu olhar. Seu semblante  não  era de maldade.

_ vossa alteza, perdoe-me entrar nesse assunto, mas devo aconselha-la à em sua noite de núpcias se deitar de verdade com o rei. É  necessário que a senhorita engravide o mais rapido possível  dele.

_ está  bem, eu vou fazer isso...

_ a senhorita não pode voltar atrás  dessa vez, caso contrario, se o rei descobrir que a senhorita não  está  grávida  de verdade e que não  se deitou com ele no dia de sua cerimônia  de coroação, ele pode condena-la a morte por traição. A vossa alteza entende a que ponto chegamos?

Rin engole sua saliva a seca ao passo que a expressão em seu rosto agora já  era de medo. Sesshoumaru jamais poderia sequer sonhar que ele estava  sendo enganado.

_ eu sei, dessa vez vou me deitar com o rei, eu prometo....

Uma hora se passa e Rin e kohaku chegam ao reino Taishou.

A carruagem era tão  sofisticada que quando passava pelas cidades indo em direção  ao Palácio real todos sabiam que  se tratava da futura rainha e começavam a correr atrás da carruagem.

Porém assim que chegam no Palácio, onde iria acontecer tanto a cerimônia religiosa quanto a festa, Rin recebe a notícia para permanecer na carruagem  até  o rei Sesshoumaru chegar.

_ eu não  estou entendendo cocheiro, meu noivo já  deveria estar no altar.

Ela diz para o homem que conduzia a carruagem. Eles falavam da janela do veículo.

_ vossa alteza, perdoe-me, mas foi me informado que sua majestade não  está  no altar. Ele saiu de tarde e até agora não  retornou.

_  o que?

Ela diz e olha assustada para kohaku.

_ está  bem cocheiro, eu e vossa alteza permaneceremos aqui dentro até sua majestade chegar. Obrigada pela informação, agora fique lá  dentro e descubra noticias...

kohaku dá a ordem e depois fecha a janela.

_ eu não  acredito kohaku, como o rei Sesshoumaru não  está no altar? Ele deveria estar me esperando há  quatro horas atrás.

_ se acalme vossa alteza, ele é  um homem muito ocupado, de certo ainda há  de chegar...

Isso foi o que kohaku disse, porem não  foi isso que aconteceu. Rin e ele ficaram horas esperando dentro da carruagem em frente ao Palácio, mas  Sesshoumaru não  apareceu para dar início  à  cerimônia  religiosa.

Depois de até  o padre ter se cansado de esperar e ido embora, Rin e kohaku se cansam também e retornam para a cidade do reino de Taishou para se hospedam em um hotel. Já  era noite.

_ fique calma vossa alteza, deve haver alguma explicação...

_ eu não  entendo, como ele pode fazer isso comigo? Eu não  vou aceitar kohaku, eu não  vou aceitar isso.

Ela dizia nervosa e andando de um lado para o outro dentro do quarto do hotel.

_ amanhã  certamente teremos uma resposta...

_ Não, meu amigo,  eu quero essa resposta hoje. Você  bem que poderia ver para mim, não poderia?

_ Ver como?

_ ver com suas magias kohaku , ou você  acha que eu não  sei que você  é  um bruxo?

_ o problema é  que se nos pegam utilizando magia, vamos ser condenados à  morte.

_ Não  interessa, eu exijo  que você  utilize suas magias e veja onde o rei está  agora...

Ela diz com voz alterada dando ordem e o criado obedece.

Os dois então se sentam no chão  e kohaku consegue ver a imagem de Sessshoumaru pela fumaça  que fumegava do pequeno fogo aceso com magia.

Ele vê  Sessshoumaru e Sara abraçados sobre uma cama. Eles estavam dormindo juntos.

_ anda kohaku, me diga o que você  está  vendo?

Ele fica mudo.

_ fale-me logo, por favor, eu estou entrando  em desespero....

_ o rei está com Sara, vossa alteza...

_ o que?

_ e pelo jeito eles se “ amaram" intensamente...

Diz kohaku vendo através da fumaça  o que tinha acontecido antes do rei e de Sara pegarem no sono.

Rin , por um instante, fica em silencio e sente uma dor apertar o seu peito.

_ como ele teve a coragem de fazer isso comigo?

Ela diz com um semblante  aéreo.

_ Eles estão  apaixonados vossa alteza, tente entender, e além  disso a senhorita não  está   se casando com ele por amor, está?

_ kohaku, eu estou perdida....perdida....completamente perdida. Eu estou apaixonada pelo rei Sesshoumaru, apaixonada...

Ela diz com seus olhos banhados por lágrimas.

_ Não  estou surpreso em saber disso, já  desconfiava. Venha, vamos nos levantar.

Kohaku a ajuda se levantar, porém  ela não  consegue parar me pé  e acaba sentando em uma cadeira.

_ o que eu vou fazer agora, o que eu vou fazer? 

_ vossa alteza deve esquecer  esse amor que nasceu em seu coração  pelo rei e ficar firme em seu propósito.

_ mas como ser forte o suficiente para isso? Me diz?

_ volte a nutrir ódio vossa alteza, volte a ter sede de vingança, volte a ser fria e a só  pensar em Si mesma. Não  dê  espaço  ao seu coração  para o amor. Torne ele um coração  de pedra igual a senhorita fez antes. Agora enxugue essas lagrimas, a senhorita já  derramou muitas lágrimas  nessa vida...

Rin passa a mão  no rosto e enxuga as lagrimas, depois se levanta.

_ Você  está  certo. O amor só  nos torna pessoas fracas e prisioneiras de nossos proprios sentimentos. Eu quero que você  faça  um feitiço  kohaku, um feitiço  para eu esquecer o Sesshoumaru.

_ vossa alteza tem certeza disso?

_ sim...

_ se for amor verdadeiro pode não  falhar com o tempo...

_ Não importa, eu vou nutrir  o meu coração  com maldades, nele não  terá  mais espaço  para o amor...

_ vossa alteza, eu...

_ faça  logo kohaku, faça  logo....

Rin grita, seus olhos novamente se enchem de lágrimas.

_ faça  logo e tire essa dor que eu estou sentindo no meu peito, essa dor que esta me sufocando, que esta me matando de ciúmes...

_ tudo bem se acalme, eu vou fazer.....

Mais uma vez kohaku obedece Rin e faz o feitiço. Ela se deita na cama e ele diz algumas palavras em latim e estrala os dedos. Rin abre os olhos se sentindo bem melhor.

_ como vossa alteza está?

_ estou bem, melhor impossível, estava mesmo precisando desse avivamento...

_ e quanto aos seus sentimentos pelo rei?

_ eu estou pouco me importando com aquele Inútil , eu quero mesmo é  que ele se dane. Mas o que ele fez comigo não  vai ficar “ barato" não, ah kohaku não  vai mesmo...ah, ele não  perde por esperar o que eu vou fazer.

Rin diz e sorri já  com o brilho dos olhos totalmente mudado. Seus olhos castanhos estavam vivos, porém  sedentos por vingança.

Enquanto isso, Sesshoumaru desperta. Ele estava deitado na cama de um hotel.....por ironia do destino o mesmo que Rin estava hospedada, kohaku viu isso na magia, mas optou por não  revelar.

Sara dormia ao seu lado e eles haviam tido um momento inesquecível  juntos. Sesshoumaru havia bebido aquela manhã  por conta de seu casamento com Rin, porém  ele não  aguentou a ideia de perder Sara e, digamos que embreagado pela bebida, em um ato irresponsável foi atrás  dela. Eles tiveram  um encontro onde se entenderam  e quando Sesshoumaru foi levar Sara para o hotel para depois ir ao casamento, eles não  se aguentaram e dormiram juntos.

Ele acordou naquele momento e estava sentindo dor de cabeça por causa do vinho que bebera. Olhou para o relógio de parede e percebeu que o horario da cerimônia  já  havia passado. Era tarde.

Ele rapidamente se levanta da cama e começa a se vestir. Estava preocupado com rin e com o filho  que ela esperava. Como ele foi capaz de perder o horario daquele jeito? Embora estivesse com a mulher que  amava, já  havia decidido se casar com Rin  por causa  de seu filho que ela esperava.

De certo fora o vinho, sesshoumaru pensa e  jura que a partir daquele momento nunca mais ia se embriagar com vinho. 

Depois de já  arrumado, ele dá  um beijo nos lábios  de Sara, que ainda estava  dormindo, e sai do quarto.

Porém  leva um susto quando caminhava pelo corredor daquela hospedagem e se encontra com Rin. Ela já  havia trocado de vestido e retornava para seu quarto, pois havia saído do hotel. 

_ Vossa majestade, que surpresa encontrar o senhor por aqui?

_ senhorita Rin, eu posso explicar tudo...

Ele diz querendo se referir ao casamento que não  havia ido.

_ Não precisa, o senhor ainda não  me deve satisfações...

Ela, que estava com um leque na mão, se aproxima dele mais ainda e começa  a se abanar.

_ mas devo avisar  que o senhor está  cheirando a perfume feminino..

_ Eu sei e vou lhe contar toda a verdade...

Ela rapidamente toca os lábios  dele com o leque.

_ fique tranquilo vossa majestade, eu sou compreensiva, volte para o seu Palácio, durma tranquilo essa noite e amanhã  voltamos a nos encontrar na cerimônia...

_ a senhorita já  resolveu tudo? A cerimônia que deveria ter ocorrido hoje foi adiada para amanhã?

Foi exatamente isso que ela foi ver quando saiu do hotel.

_ sim, meu querido rei, eu já  resolvi tudo. Fique tranquilo. Agora vá e que isso nunca mais se repita, ouviu bem?

_ estou sentindo um tom de ameaça, senhorita Rin....ou devo dizer minha futura esposa?

Ele fala irônico.

_ ameaça?

Rin sorri

_ Ah, o senhor não  sabe o que é  ameaça. Eu sempre fui elogiada por saber me vingar muito bem dos meus inimigos, dos que cruzam o meu caminho e me aborrecem. Falam que eu sou muito criativa.

Sesshoumaru respira fundo, ele não  ia responder a altura, depois do que havia feito com Rin, era normal  ela estar com  raiva, qualquer uma ficaria. Sesshoumaru opta pelo silêncio, ele apenas se desvia de Rin e vai embora.

Rin se vira e o observa se distanciar no corredor, ela abre o leque e começa  a se abanar, depois sorri. Havia um brilho maléfico  em seu olhar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...