1. Spirit Fanfics >
  2. A Vingança De Um Amor (Jikook) Mpreg >
  3. Capítulo 13

História A Vingança De Um Amor (Jikook) Mpreg - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction A Vingança De Um Amor (Jikook) Mpreg - Capítulo 14 - Capítulo 13

Jimin


Ele se sentiu ser tocado de novo,sua filha o puxou para fora do seu corpo, se sentir sair do corpo era algo completamente assustador e surreal.

— oi, vamos indo.— disse ela.

— claro.

Jimin sentiu seus pés tocar a grama eles estavam no jardim bonito e florido tinha um banco ali, eles se sentaram.

— hoje você vai ter que volta.— falou serenamente.

— hoje.

— sim, e o seu último dia comigo. Vou responder suas perguntas.

— tudo bem.

— qual seu nome?ou melhor o que eu vou te dá?

— Jiyoon, meu nome é esse.

— Jiyoon é um nome muito bonito.— disse ele.

— você teve outra chance aqui, lá embaixo você ainda vai ter que lutar, entende.

— entendo.

— tudo que você fizer lá embaixo será sua escolha, não podemos interferir.— você terá que ser forte, e não lembrar o que aconteceu aqui.

— nada?

— sim, são regras.

— tá quase na hora de você acordar.— disse ela.

— Jiyoon?

— sim.

— eu amo você.— disse jimin.

— eu também papai.— responderá.

Jimin a pegou no colo a abraçando, e ela retribuiu.

— seja forte papai.

— eu serei pode ter certeza.— disse.

Jimin deixou ser guiado pela luz, lentamente abriu seus olhos.

— enfermeira, enfermeira ele está abrindo os olhos.— gritou Jungkook.

Jungkook tinha sido retirado da sala, jimin estaria acordando depois de meses, estava feliz mais também preocupado com o que poderia acontecer. Então Jungkook ligou para casa dos pais de jimin.

— jihye?

— aconteceu alguma coisa?

— ele abriu os olhos.

— estou indo pra aí.

Ele se sentou na cadeira esperando o médico aparecer para contar o que aconteceu. Minutos depois o médico apareceu para conversar.


Na sala o médico começou a examiná-lo, jimin tinha acordado, realmente ele era um milagre.

— consegue me ouvir, aperta a minha mão.— perguntou o médico.

Jimin levemente apertou a mão dele correspondendo a sua pergunta.

— sou o médico Choi Minho, estou feliz que você acordou.— disse ele.

— Ju...n...gk..ook.— falou jimin com a garganta seca.

— ele está lá fora, espero eu der notícias.

— mi...nh..a ma..e.

— vou chamá-lo.

Minho saiu do quarto, para chamá-los para entrar.

— ele está te chamando senhor Jeon.

Ele olhou para jihye pedindo autorização para entrar.

— filho.— falou jihye se acabando nem lágrimas.

— o..mm.aaa.

Jimin viu Jungkook no pé da cama o olhando, ele era o motivo do acidente que sofrerá.

— o.. deu uma pausa tentando falar....o que vo...cê tá fa...ze..ndo. a..qui.— perguntou.

Jungkook apenas não falou nada com medo da reação dele, pensou ele deve está com raiva por conta do acidente. Ele apenas saiu da sala não querendo trazer mais estresse para ele.


{.....}


Dias se passaram.


Depois que jimin acordou, ele não sentiu suas pernas e isso causou um certo desespero nele, perder o movimento das pernas, ele não estava esperando esse baque. Teria que ter autocontrole para não gritar com todo mundo. Ele se animou um pouco quando o médico disse que ele tinha chances de voltar a andar. 


Hoje seria sua alta iria voltar para casa, seus pais tinham deixado tudo preparado ou melhor dizer modificado tudo para sua nova realidade. Seu pai estava empurrando sua cadeira de rodas para fora do hospital, sabia que lá fora tinha paparazzis querendo bater alguma foto sua. Eles foram bem descretos para que ninguém o vissem.


Jimin estava se sentindo um emprestavel na cadeira de rodas ele não queria ninguém com pena do estado dele. Em casa minyoung  o recepcionava com um sorriso no rosto, jimin olhou para ao seu redor a casa ficou mais aberta para ele andar com cadeira melhor.


No quarto jimin olhava para o teto cansado e com raiva contida por não poder andar, teria que começar fazer fisioterapia para poder recuperar seus movimentos.


Logo depois sua mãe apareceu no quarto carregando consigo uma bandeija com sopa, para alimenta-lo lá, ele se sentia um bebê.

— trouxe uma sopa.— disse ela.

— não estou com fome.

— você precisa comer, e ficar forte.

Jimin olhou para sopa que tava com uma aparência ótima, revirou os olhos para sua mãe.

— não revire olhos pra mim. — é bom você comer se não eu enfio na sua goela,Não me tente.


Ele sabia que não era melhor mexer com a fera da sua mãe, quando ela fala promete alguma coisa ela faz mesmo. Então ele deu a primeira colherada, começando comer.

— taehyung ligou.— falou ela.

— o que ele queria?

— sabe como você chegou. Ele disse que vem amanhã aqui.

— ah estou com  saudades dele.

— e ele de você, ele ia te ver no hospital, junto com jin.

— sério.

— você se lembra de alguma coisa?

— só me lembro que o carro capotou muito e eu apaguei.

— Jungkook me contou o que ouve naquele dia.

— não quero falar sobre isso.

— tudo bem não vou insistir.

Jihye saiu do quarto deixando jimin só por enquanto ela iria ficar com ele esses dias, jimin colocou a bandeja na cabeceira da cama. Não tinha nada pra ele fazer ali, queria sair da cama arteiro jimin colocou uma perna para fora cama com ajuda da mão e depois a outra como a cadeira estava do lado da cama ele a puxou na tentativa de sentar na cadeira jimin caiu no chão fazendo um barulho.

— droga.

Jihye ouviu o barulho e correu para o quarto de jimin para ver o que tinha acontecido.

— querido.— disse ela se aproximando de jimin.

— eu tentei me levantar.— disse ele 

— vem.— falou ela colocando seus braços o braço ao redor dele para levanta-lo. 

Jimin se sentou na cadeira, rindo do que acabou de acontecer.

— porque tá rindo?

— porque eu levei um tombo.— falou ele.

Então eles foram para sala, jihye foi para cozinha preparar um chá para os dois, nada melhor do que um chá preparado pela sua mãe.


{......}


Jungkook.


A dias ele não chegava perto de jimin, será que ele estava com raiva dele, se tivesse no lugar dele sim. Eu estava planejando falar com ele, de alguma forma precisava ver jimin.


Na empresa Jungkook não conseguia se concentrar no seu trabalho. Para piorar teria uma reunião depois, tudo que Jungkook não queria agora era bater cabeça com acionistas. Horas ali  finalmente Jungkook foi embora para casa.


Em casa Jungkook subiu para quarto para tomar banho, ele iria enfrentar a fera chamado " jimin". Saiu do banheiro indo para o closet pegou uma skinny preta e o casaco moletom.


Depois ele pegou o celular e as chaves indo pegar seu carro, antes disso ele tinha pegado o endereço onde jimin estava morando atualmente. Com o endereço certo ele chegou ao seu destino. De fato o apartamento onde morava era muito bonito.


O porteiro ligava para o apartamento de jimin, esperando que ele liberasse sua entrada.

— senhor, pode subir.— disse ele.

No elevador ele apertou o andar onde ele morava e o elevador subiu. Jungkook apertou a campainha e jihye abriu a porta e ele entrou.

— boa noite.— disse ele.

— jungkook.— falou jimin.

— oi jimin, tudo bem?

— na medida do possível sim.

— podemos conversar?

— sim.

— vou deixar vocês a sóis.— falou jihye.

— senta.

— como você está?

— bem, numa cadeira de rodas.— o respondeu.

— sinto muito pelo acidente.

— não foi culpa sua.

— você consegue se lembra de alguma coisa ou escutou quando tava em coma.

— não me lembro, a única coisa que eu lembro foi da nossa conversa.

— o cara que bateu no seu carro está preso.

— preso.

— sim, ele estava dirigindo bêbado.

— seu pai não te contou.

— não.

— pode me levar para varanda podemos conversar lá.

— posso.

Jungkook empurrou a cadeira dele para o varando, ele tinha uma bela vista ali.

— tem uma bela vista.

— é, eu gosto de ficar aqui olhando pra as estrelas. Ou melhor as quelas que eu consigo vê.

— heejin sabe que você veio aqui.

— sabe.

— não estamos mas namorado.— disse ele.

— que pena.— disse jimin arqueando a sobrancelha.

— irei começar as fisioterapia amanhã.

— posso te acompanhar? 

— pode.

— só me dá seu número pra mim falar com você.

— depois você pega.

— porque veio aqui, você disse que queria distância e agora você está aqui.

— queria vê como você estava pensando se estava bem.— falou ele.

— você até pode vim amanhã, mas depois não venha eu vou cumprir a nossa distância.

Jungkook pensou, irredutível, sabia que jimin não tinha esquecido o que ele tinha falado para ele.

— aquilo foi antes jimin.

— pode até ser, mais eu realmente quero distância.

— não, não vou me distância de você.— disse Jungkook.

— não me tente jungkook.— disse jimin sério.

— ou vai fazer o que?

— posso entrar com uma medida protetiva contra você.

— jura que vai fazer isso?

— espere pra vêr.

— você mudou muito jimin, o jimin de antes não iria fazer isso.

— o jimin que você conheceu morreu Jungkook, eu só libertei o meu outro lado.

— quer dizer seu lado mau.

— isso, todos nós temos esse lado basta liberta-lo.

— porque você mudou tanto.

— a dor faz todos mudar.

— realmente.— disse Jungkook.

— agora preciso encontrar forças pra mim sair dessa.

— eu não quero ficar nessa cadeira pra sempre.

— então há possibilidade de você voltar andar?

— sim, e estou feliz que posso voltar andar.

— que bom.

Jungkook ficou ali, por mais alguns minutos quando foi embora.


{....}


Jimin ficou ali sozinho deixando suas lágrimas escorrem pelo seus olhos, porque amar dói tanto? Realmente o amor é uma vadia, adora brincar com os sentimentos e depois vai embora.


Ele queria entender porque dessa aproximação dele, ele não o queria longe dele, de fato ele iria cumprir sua palavra.

— vamos entrar.— disse sua mãe.

Ele apenas acenou com a cabeça, sua mãe o colocou pra dentro.

— Jungkook saiu com uma cara.

— deixa ele.— disse jimin.

— a fisioterapia vem amanhã.

— mal vejo a hora de volta andar.

— eu também.


{.....}


Jungkook


Conversa com jimin não era fácil, os dois somos difíceis, ele não queria que jimin o mantesse longe dele, mais ele ficou irredutível de novo e não podia negar a sua parcela de culpa.


Pelo menos ele iria vê-lo amanhã, estaria perto dele na primeira sessão de fisioterapia. Ele dirigia para um bar, iria afogar suas mágoas. 


Chegando no bar Jungkook pediu um whisky, olhou para aquela moça que ele reconhecia muito bem quem era, a mulher que destruíu sua vida “ Chaewoon”, ela trabalhava ali.


Jungkook começou a ficar irritado quando ela se aproximar dele, ela não estava com uma cara boa, ela estava demonstrando medo.

— posso conversar com você.— disse ela.

— não, me deixe em paz.— falou Jungkook estridente.

— por favor senhor jeon.— disse a suplicando.

— tudo bem, você tem cinco minutos pra se explicar.

— primeiramente me perdoe por ter acabado com seu casamento, naquela época eu estava fora de mim, eu queria luxo, riqueza e ser alguém importante. Então eu armei o plano de separar vocês dois eu poderia ocupar o espeço de jimin na sua vida. Queria também pedir que me perdoase por ter dopado você e ter mandado aquelas fotos. Depois que tudo aconteceu eu perdi tudo que eu tinha construído, meu emprego e minha casa. Hoje eu me me arrependo de ter feito tudo que eu fiz.

— por sua culpa eu perdi o homem que eu amava, hoje ele me odeia graças a você,sabe o que e ver o homem que ama com outro cara e esfregar ele bem na sua frente?

— me desculpe.— disse ela triste.

Hoje existe alguém pelo que eu quero mudar, meu filho, eu não quero que ele tenha vergonha de mim ou quero ser a melhor mãe do mundo pra ele 

— filho?

— sim ele tem 1 ano agora, meu namorado está cuidando dele agora enquanto eu trabalho agora eu trabalho aqui.

— sabe o que mais incrível, que você formou a família em cima da minha que foi destruida, olha eu perdou você, agora me deixe em paz.— disse ele.

Chaewoon apenas saiu dali voltando servir outros clientes, sua aparência não estava nada legal ela estava cansada.


 Jungkook saiu dali indo pra casa que coisa o destino o pregando peça, não sabia como se sentir encontrar Chaewoon de novo o deixou irritado, não imaginava encontrar ela ali.

 

Família ela tinha construído uma família isso que ela fez custou a dele Jungkook não jogou sua raiva toda pra cima dela porque ele era educado.


Em casa ele se trancou no escritório pegando um copo de whisky virando de uma vez só, o líquido desceu cortando sua garganta. Então ele foi para a área da academia,faz tempo que ele não iria ali.


Ele começou socar o saco de pancadas aliviando sua raiva, bateu bateu até se desistressar sua raiva. Saindo dali ele foi para o box tomar banho pra ir dormir teria que acordar cedo.

— ouviu seu telefone tocar, olhou para o visor para ver quem era.

— Alou.

— Jungkook? Sou eu o jimin, como você vem amanhã a fisioterapeuta vem 8:00 da manhã, liguei pra avisar.

— tudo bem estarei ali.

— até mais.— disse Jimin.


Jungkook tratou logo de salvar o número dele na sua agenda. Com a tolha em volta da sua cintura, ele se trocou, pegou seu pijama se vestiu e se deitou na cama, virando de um lado pro outro não conseguia dormir então desceu para cozinha para fazer chá.


Com a xícara na mão Jungkook entrou no seu quarto antigo, olhou para aquele lugar imaginava jimin ali dormindo com ele. A foto do casamento deles ainda permanecia ali em cima da cabeceira da cama.


Jungkook pegou a caixa alí olhando de novo as fotos, no fundo das caixas ele pegou as cartas, Jungkook quando chorava ele escrevia para alivia sua dor.


Dessa vez foi diferente fazia tempo que ele não escrevia nada, pegou o caderno e a caneta começando escrever desde que ocorreu o acidente de jimin, terminando ele a guardou.


Jungkook ainda não estava preparado para da aquelas cartas para ele, no momento certo ele iria entrega-lo para ele.


Guardou tudo ali, e pegou uma camisa antiga de jimin trancou a porta do quarto voltando para seu quarto. Se deitou na cama cheirando aquela camisa, o cheiro dele estava ali, o mesmo perfume que ele usava ainda estava presente, minutos depois o sono o roubou.




                            Continua...............




Notas Finais


• oi meus Debbie's tudo bem com vocês espero que gostem do capítulo de hoje.
• comentem e votem
• sigam meu perfil para chegar notificação dos capítulos.
• irei postar uma nova fanfic, fiquem atentos para quem quiser lê.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...