História A vingança (Jungkook). - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), G-Dragon
Personagens G-Dragon, Jungkook
Tags Bts, Jeon, Jungkook, Kook, Tortura, Vingança
Visualizações 35
Palavras 1.353
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei.
Agora sim a vingança vai começar.
Desculpem se ficou pesado demais.
Boa leitura.

Capítulo 3 - Extinto dos ratos.


Fanfic / Fanfiction A vingança (Jungkook). - Capítulo 3 - Extinto dos ratos.

Estou parado em frente a porta do quarto do Park Eunwoo

Irei começar por ele, pois ele foi um dos que ficou vigiando a porta naquela noite, ele não atirou em ninguém, pelo menos enquanto eu estava acordado.

Parece meio estúpido tentar torturar um homem dentro de um hotel cheio de câmeras, mas quanto a isso, não há com o que e preocupar. Já invadi o sistema de segurança, todas as câmeras pararam, e todos estão tentando descobrir o que aconteceu. 

Enquanto isso, eu levarei o Park e sua amante pra bem longe. 

Bati na porta com calma. 

-Quem é? - ouvi a voz que com certeza, é o homem que irei matar. 

-Serviço de quarto. - digo. 

Logo a porta é aberta, e vejo a expressão de surpresa e pânico de Park. 

-Você... - é só o que ele consegue dizer, logo dou um soco em seu rosto e ouço gritos femininos. Entro no quarto e tranco a porta. Pego minha seringa com substância de perca de memória recente, e aplico em seu pescoço. 

A amante de Park começa a gritar me fazendo ficar furioso e ir até a mesma. Aplico a injeção na garota e a mesma fica inconsciente. 

Pronto! Os dois estão desmaiados, agora só falta tirá-los daqui. 


❌ Park Eunwoo POV ❌


 Abri os olhos lentamente. 

Onde estou? O que houve? 

Não consigo lembrar de absolutamente nada. Minhas tentativas de lembrar de algo são interrompidas quando eu sinto uma dor insuportável vindo de minhas coxas. Olho para o local e, meu Deus... Grito de dor e desespero ao ver que existe um buraco em cada uma de minhas coxas, sim, um buraco, parte da carne da minha coxa foi arrancada ao ponto de conseguir ver parte do osso. Meu Deus. Percebo que estou em pé e acorrentado. A sala é absolutamente escura. 

Não consigo raciocinar mais nada, apenas grito de desespero, até que começo a ouvir passos e a luz do local ser acesa.  

Reparo que é um salão com características de abandono, mas paro de reparar no local assim que vejo minha namorada amarrada e desmaiada no canto. Perto dela está um homem, não sei quem é, do seu rosto, só mostra os olhos, e me lembra alguém... Mas quem? 

-Deixe-nos em paz! - gritei em desespero. 

-Se eu estivesse no seu lugar, falaria direitinho comigo. 

-Quem é você? Vejo o homem tirar o que cobrira seu rosto. Me espanto, não pode ser! 

-Olá, quanto tempo. - diz e sorri debochado. 

-Você... C-como me trouxe pra cá? O que quer? 

-Bom, deixe-me começar bem do início. Você me viu hoje mais cedo, não lembra? Bom, claro que não. Eu fui no seu quarto e apliquei em você e na sua querida putinha, um líquido que faz esquecer tudo que aconteceu nas últimas 48 horas e, claro, vocês desmaiaram, foi tão lindo. - ele sorri - Depois disso, peguei o carrinho de limpeza que estava do lado de fora do seu quarto e coloquei vocês dois lá dentro; vesti a roupa de um dos faxineiros e sai com a desculpa de que iria por o lixo lá fora, e não menti, não é mesmo? E antes que você pergunte, as câmeras não estavam funcionando. Depois coloquei os dois dentro do meu carro e agora estão aqui. 

-Deixe-a ir, ela não tem nada a ver com isso. - digo olhando pra minha namorada. 

-Ela é o que sua? 

-Namorada. 

-Mentira, é sua amante. Sua esposa está cuidando dos seus filhos, não está? 

-Pare, por favor. Não a procure.  

Vejo minha namorada se mexer, ela grita assim que vê o meu estado. Ela está desesperada. 

-Calma, vai ficar tudo bem. - digo tentando tranquilizá-la. 

-Pode se desesperar, não vai ficar não. 

Jungkook vem em minha direção, ele tira minhas correntes, tento correr, mas com a dor que estou sentindo, o máximo que consigo é cair de joelhos; ele me puxa e me coloca em cima de uma espécie de maca e me prende na mesma. 

-O que vai fazer? Não seria mais fácil me matar? - digo desesperado. 

-Mais fácil, menos divertido. Você não lembra? 14 horas de tortura. 

-Não...- foi isso que o chefe disse pra o pai dele. 

-Mas antes de começar, preciso saber, porque vocês mataram minha família? 

-Você morrerá sem respostas. 

-Seu idiota! - ele empurra um bastão no ferimento de um das minhas coxas. 

Ele vai até minha namorada e a coloca de frente para a maca, ele a senta em uma cadeira e a prende na mesma. 

Depois ele sai sem dizer nada. Será que ele vai embora? O que ele fará? 

Depois de alguns minutos ele volta com uma caixa retangular de vidro cheia de ratos, a caixa é grande, e pelo que posso observar, é de fundo removível. 

-O que vai fazer? - indago. 

Ele não responde. 

Ele coloca a caixa sobre meu abdômen e a prende bem firme, logo após, ele remove o fundo da caixa; sinto os ratos andando sobre meu abdômen. Pelo fato da caixa estar bem presa, os ratos não conseguem sair. 

-Jungkook, pelo amor de Deus, o que vai fazer com isso? 

Mais uma vez, não tenho resposta. 

Jungkook mais uma vez sai, segundos depois volta com um refletor enorme e o direciona para a caixa, ele o coloca muito próximo. 

-Sabe o que esses ratos vão sentir se esse refletor continuar ligado? - pergunta. 

-Calor? - digo a primeira coisa que vem em minha mente. 

-Exato. Eles sentirão calor. Pergunta de número dois: Conhece o extinto dos ratos? 

-Não... 

-O extinto natural dos ratos, fará com que eles tentem fugir do calor, mas como eles farão isso se eles não podem quebrar o vidro? 

-Não sei... 

-Pense melhor. Olhe, vamos pensar juntos. Em cima tem vidro, dos lados tem vidro, pra que lado eles irão? 

-Pra baixo? - indago começando a entender seu plano de tortura. 

Ele gargalha. - Isso mesmo. Como você é inteligente! É só uma questão de tempo, daqui a pouco eles começarão a cavar. E você - diz virando pra minha namorada. - Está vendo esse homem pelo qual está chorando? Ele é casado e tem filhos, você é a amante. - ela me olha incrédula. 

-É verdade - digo de uma vez. Ela apenas chora. -E você - continua Jungkook - Seu castigo será presenciar a tortura dele. Ficará aí até que ele morra. Quer que eu traga pipoca? 


❌ Jungkook POV ❌

2 horas depois... 


 Os ratos já começaram a cavar. 

O Park não consegue fazer nada além de gritar e se debater. 

A amante dele está encarando a cena em estado de choque, não grita, não chora, não pisca, só olha. 

E eu? Eu estou filmando tudo, já tenho o lugar certo pra enviar a gravação. 

Sabe o que é melhor? É que peguei ratos que não são muito grandes, então estão demorando a cavar, fazendo ser mais lento, do jeito que eu quero. 

Grito. 

Choro. 

Dor. 

Tortura. 

-Para, por favor, para! - ele diz entre os gritos. 

-Para de ser mole, as vísceras nem estão saindo ainda e você já está assim! 


 7 horas depois... 


Bingo! Preciso dar um prêmio para o rato que conseguiu entrar. Bom, já tem um rato dentro de seu corpo, e os outros estão seguindo o mesmo caminho. 

Isso é lindo. 

Lindo. 


 10 horas depois... 


 Os ratos estão abrindo o estômago de Park, ele já não tem forças nem para gritar. Os ratos ainda estão fugindo do calor. 

A amante continua assistindo em silêncio. 

Eu estou tomando um refrigerante. 


 14 horas depois... 


Park está todo aberto, os ratos conseguiram atravessar seu estômago até caírem na maca e se libertarem. 

Park está quase indo... 

Mais um pouco... 

Só um pouco... 

Morreu! 

Olho para a amante, vou até ela e a desamarro esperando que ela corra ou algo do tipo, e é o que ela faz, mas não corre até a saída, ela corre até o balcão onde tinha uma faca e enfia em seu próprio estômago. 

Que pena.. Eu não iria matá-lá, mas ela quis fazer isso, quem sou eu pra impedir? 


Primeira tortura concluída com sucesso.


Notas Finais


Então, o que acharam?
Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...