História Abismo de Paixão - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bills, Bra, Bulma, Campari, Daishinkan, Goten, Helles, Kusu, Marcarita, Rumoosh, Trunks, Vados, Vegeta, Whis
Tags Bra, Drabbles, Dragon Ball, Whis)
Visualizações 27
Palavras 1.043
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drabble, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá ^^


Bem, primeiramente me perdoem pela demora, eu sei que disse que postaria na terça feira, mas infelizmente os problemas pessoais me impediram ):


Boa Leitura. (E me desculpem por qualquer errinho, não tive tempo de revisar o texto e por isso deve de ter passado algum erro aqui e ali, mas creio.que não seja nada grave; assim espero rsrs).

Capítulo 14 - Declarações!


           .


   — Bem, o que você veio fazer aqui em casa? Quero dizer, o que você pretendia fazer vindo aqui, a minha procura? — Whis perguntou, serenamente. Os olhos de Kusu percorriam toda a extensão daquela estufa, com intuito de não olhar diretamente nos olhos de Whis. Se sentia envergonhada, e com razão, pois o anjo do sétimo universo apesar de se mostrar sereno e despreocupado quase o tempo inteiro, naquele instante os olhos de Whis se mostravam estremamente acusadores, e em verdade era isso o que mais assustava Kusu, em Whis. O homem talvez de todos os anjos, seja o que mais se pareça em personalidade com Daishinkan; um tipo de gato selvagem que se esconde antes de atacar seu grande alvo. 


  Kusu engoliu em seco, ainda,haviam vários buracos abertos em sua vida no qual ela gostaria muito de preencher, mas o que "poderia ser feito a respeito disso?" — Ela pensava. Talvez devesse se conformar, sem dúvidas aquilo seria muito mais reconfortante para si.


   — Queria te ver, senti suas saudades, você não tem ido ultimamente lá em casa, então, cá estou. — Kusu forçou um sorriso terno, seu olhar foi de encontro ao de Whis, recebendo um olhar bastante frio e indagador de volta. E em um ato de suma coragem, que Kusu jamais pensou que pudesse ter em sua vida, colocar uma de suas mãos por sobre as dele, ela devidamente o fez. 


  Mas tudo o que ela conseguiu receber daquele anjo, fóra única e exclusivamente a rejeição de Whis, que se afastou dela bruscamente, e em imediato.


 — O que você pensa que esta fazendo, menina? — Sua voz havia saído mais fria do que pretendia fazer, e com o susto Whis acabou por derrubar alguns dos seus jarros de flores preferidos. — Por acaso você não pensa nas consequências que poderiam surgir devido aos seus atos impensados?! — Whis ralhou com a menina, fazendo a mesma recuar alguns passos em direção a porta de saída.


  — Minhas desculpas pela minha ousadia, mas você não percebe que estou a sofrer?... — Murmurou tristemente, fazendo com que Whis arregalasse seus olhos diante aquelas palavras tão inesperadas proferidas por Kusu.


  — Não tenho nenhuma responsabilidade em relação a isso, e você sabe melhor do que ninguém. — Foi direto e reto.


  Kusu abaixou seu olhar em direção ao chão, completamente desolada. Não querendo demostrar suas lágrimas que teimavam em cair vagarosamente, e sem sua devida permissão. Já, Whis ocupou-se em respirar profunda, e calmamente na tentativa de manter sua serenidade, mas infelizmente não estava conseguindo.


   — Deixe-me te perguntar uma última vez, você por acaso não possui amor a sua existência? — Aquelas palavras foram como uma facada no coração de kusu, como ele poderia ser tão insensível com ela? 


  — Seu MALDITO!!


  — Olha a boca, cadê sua educação? Deixou em casa, ou apenas demonstra ser educada na frente do Lord Daishinkan? — Whis alfinetou-a, fazendo Kusu cair aos prantos por completo.


  Ela era uma moça bem sensível, e disso Whis tinha profundo conhecimento. Ele queria apenas assustar ela, um pouco, mais temia que tinha acabado exagerando demais.


  — Você é um tremendo de um ogro sabia, se faiz de amável com os outros, mas comigo sempre atua dessa maneira — Acusou, com lágrimas descendo de seus olhos. A essa altura, até sua voz havia ficado um tanto trêmula devido ao seu choro incessante.


  — O que você sabe sobre mim Kusu? Nada, você não sabe de nada, então não me venha com suas incúrias para o meu lado.


   Kusu arregalou seus olhos diante as palavras de seu interlocutor. E Whis engoliu a seco, sabia que estava sendo bastante intensificado em suas palavras com ela, mas aquilo era preciso, diante sua posição, era terrivelmente preciso.


  — Você não se cansa de me machucar assim?.. Eu não pedi pra nascer, e você sabe..


  — Pare de joguinhos, diga o que você pretende? Vamos, fale rápido. Não tenho o dia inteiro. — Whis passou as mãos por sobre seus cabelos axacerbado.


   De certo que Whis tinha real conhecimento sobre as verdadeiras intenções de Kusu para com ele, mas preferiria se fingir de bobo e frio de suas ações, isso era uma maneira de proteger tanto ela como ele próprio, da fúria de Daishinkan.


  — EU SÓ QUERIA SUA ATENÇÃO, seu maldito, QUE DROGA — Vociferou.


  — Não ouse usar esses palavriados chulos comigo.


  — Eu te odeio Whis, como te odeio.


  De repente a menina começou a jogar os vasos de plantas de Whis, contra ele próprio. Por suas habilidades invejáveis, o anjo desviava deles sem nenhuma dificuldade, causando ainda mais a fúria da pequena anja, porque ela não podia usar de sua total força contra ele, porque aquilo era contra as regras.


  — Você tem água em sua cabeça por acaso? Claro que você tem que dar atenção pra mim, seu estúpido. — A garota cuspiu as palavras, em seu estado de fúria.


  Whis trincou seus dentes.


  — Não tenho nada, e pare de estragar meus precisos vasos de plantas com suas insanidades, sem procedências. — O anjo do sétimo universo retrucou irritado.


   Kusu por um momento parou de jogar aqueles objetos em Whis, e fez uma pequena pausa para refletir um pouco sobre aquela estranha conversa exercida entre eles naquela manhã. O que eles estavam fazendo ali brigando daquele jeito? Aquilo não estava certo, eles não poderiam ter passado dos limites daquela maneira. Ela respirou fundo, e proferiu;


  — Caramba, você é meu pai, porque me tratas tão friamente assim? Isso não é certo, você devia me amar e me proteger sempre, e não me agredir com palavras tão dolorosas como você estava a fazer, hoje comigo. — A anja murmurou para Whis tristemente, sem ter de coragem de olhar diretamente em seus olhos.


   Whis sorriu complacente, ela era sua filha apesar dos pesares, e dos enormes pilares que se mostravam sempre vindouros entre eles 


  — Me perdoe Kusu, mas você tem conhecimento de que qualquer relação superior ao de irmãos que possuímos um com outro, é extremamente proibido, são ordens superiores.


  — Pois, eu não aceito, não posso aceitar essa realidade. — Kusu se explicou.




  — Bem, não a nada a se fazer em relação a isso, infelizmente!


  






Notas Finais


Ouuu..


No próximo capitulo, Bra vai aparecer ❤❤


E ai, o que acharam dessas revelações?


Beijos ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...