1. Spirit Fanfics >
  2. About a girl - Kim Hongjoong >
  3. 10

História About a girl - Kim Hongjoong - Capítulo 10


Escrita por: satuvous

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 10 - 10


Fanfic / Fanfiction About a girl - Kim Hongjoong - Capítulo 10 - 10


Os outros dias pareceram estranhos.
Pois HongJoong de repente se tornou mais próximo e  aquilo me deixava ainda mais confusa.

 

Como por exemplo, vezes em que ele literalmente implorou em me ajudar com o repertório utilizando a desculpa de que estava "mobilizada" e que não queria que fizesse tanto esforço, sendo que já tinha me habituado com a órtese e iria retirá-la em poucos dias.

Mesmo que negasse tanto por aquele ser o meu trabalho e único passatempo, no final acabei cedendo. (O que rendeu até uma dancinha vitoriosa vinda dele, super estranha)

 

Além disso, momentos constrangedores vindos dele como, puxar assuntos aleatórios e tentar parecer indireto, elogios totalmente sem pé nem cabeça. Em geral, coisas que o HongJoong normal nunca faria.

 

Também, acabamos por passar algumas madrugadas em claro, pois além desse trabalho inteiro, ainda tínhamos as tarefas escolares para adiantar; surpreendentemente ele deu importância para a escola e ainda quis bancar o meu professor particular.

Vi que realmente estava empenhado.

 

 

 

Na sexta feira daquela semana, o garoto não conseguiu me acompanhar e acabou adormecendo no meio da noite; enquanto à mim, consegui me concentrar e terminar dias antes do prazo.

 

No final, até que a ajuda dele não tinha sido tão ruim.

 

No dia seguinte, estava adormecida na escrivaninha, totalmente 'quebrada de sono.

Esqueci de ir para a cama, apenas senti o alívio e o peso de minhas costas sumirem depois de terminar, e fiquei por ali mesmo.

Quando abri os olhos, dei de cara com HongJoong, perigosamente a alguns centímetros de meu rosto; me afastei por impulso, porém o movimento rápido fez com que me desequilibrasse da cadeira rotatória, mas por sorte não caí, apenas rolei para o outro lado do quarto.

 

Mais uma vez ele me observava dormir.

 

— Ah, oi. — Pigarreou. — É que você estava dormindo aí e...eu disse para me esperar! Não era para terminar tudo sozinha. — Colocou as mãos no bolso do moletom e arqueou uma das sobrancelhas.

 

— Quanto mais rápido, melhor e ainda terão mais tempo para ensaiar! — Sorridente, rolei até a escrivaninha novamente e ele arrastou sua cadeira para se sentar ao meu lado.

 

Lhe entreguei o fone, desbloqueei o computador e dei play nas prévias da playlist que tinha criado.

Ele não tinha nenhuma reação e já estava parado há alguns minutos, apesar de ter ajudado com algumas músicas, também tinha adicionado algumas sem que soubesse, então, seria uma surpresa.

Quando esta finalmente terminou ele retirou o fone, me encarou, deixou um enorme sorriso escapar e assentiu com a cabeça.

 

— Está...perfeito, obrigado, obrigado mesmo...

 

Suspirei aliviada pois aquela tensão estava me matando; depois de algum tempo convivendo com HongJoong, ainda tinha um pouco de medo dele e de seus comportamentos, que andavam mudando tão repentinamente.

 

— Eu só tenho um pedido.

 

— Diga.

 

— Eu poderia fechar o show com About a girl? Tipo...cantando.

 

— Você canta!? Apoio! — Abri um sorriso largo, na intenção de incentivá-lo.

 

I'll take advantage while,
You hang me out to dry,
But I can't see you every night,
Free, I do.

 

— Ela me lembra alguém...

 

— Ah, sim. — Tentei esboçar outro sorriso enquanto o via se aproximar. O fato de imaginá-lo cantando isso para alguém, martelava em minha cabeça, no bom e no mau sentido.

Que coisa boba, até parece que pensei na possibilidade dele gostar de mim.

Espere, gostar de mim!?

Estava realmente enlouquecendo.

 

— É...Hong. — O interrompi. — Você precisa começar à ensaiar, não é? Ainda temos muito trabalho à fazer, Mingi e Arem só poderão vir para dois ensaios. — Recuei para me levantar e salvar o projeto no pen-drive.

 

— Ah, é. — Coçou a nuca e lançou os fios para trás, parecia uma tentativa para organizar os próprios pensamentos.

Estava na mesma.

 

 

 

 

 

 

— ESPERA ELE TENTOU TE BEIJAR!? — Yeosang exclamou de dentro da sorveteria.

 

— Beijar!? O que!? Não! Longe disso! — Atacava o potinho de sorvete do garoto com a minha colher de plástico, enquanto olhava para o nada, pensativa. — Ou será que...

 

— Você é idiota ou o que? É lógico que ele tentou te beijar e que a música é sobre você, já leu a tradução? Já percebeu o momento em que vocês dois estavam?

Fiquei em silêncio enquanto ele sacava o celular e procurava a tradução da música.

"Vou aproveitar enquanto
Você me joga para escanteio
Mas eu não consigo te ver todas as noites
Livre, não consigo"

 

— E o que que tem?...

 

— "Jogar de escanteio" são provavelmente os momentos em que vocês discutem, você o rebate, debocha, não lhe dá importância. Ele deve gostar de mulher difícil!

 

— Mulher difícil? — Soltei uma gargalhada. — O que você bebeu? E se bem que faz tempo que não farpamos assim.

 

— "Mas eu não consigo te ver todas as noites, livre", TA OBVIO! O seu irmão que te privava! Heejin, ele tá tão na sua!

 

— Conta outra! Essa música deve ter um significado totalmente diferente e você tá inventando moda. — Bloqueei o seu celular e o coloquei de canto.

 

— Teu cérebro pulou pra fora com o socão foi? Só não vê quem não quer.

 

— Ridículo, você é ridículo e fantasioso.

 

— Lembre-se de que eu previ o episódio de SeongHwa, então nunca diga nunca!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A semana passou voando e em instantes, me vi na garagem dos meninos acompanhando o último ensaio antes do show.
Eles tinham melhorado demais e estar fazendo parte de tudo aquilo agora, estava sendo incrível.

Eu finalmente descobri o outro lado da história dos rumores que tanto os cercavam.

Eles não eram o que todos pensavam, eram apenas garotos que gostavam de viver a vida da forma mais intensa possível, que estavam sempre na deles e não faziam nada, mas mesmo assim seus nomes não saiam da boca da escola inteira.

Felizmente procurei entendê-los e dei uma chance para me mostrarem qual a sua verdadeira face, sem dúvidas foi uma das melhores escolhas que fiz.

San não era um cafajeste.
Era brincalhão e divertido, fazia qualquer um ao seu redor, rir.

 

Yunho, de longe não tinha um traço de agressividade.
Era a pessoa mais companheira e amável que eu tinha conhecido.

 

E HongJoong, mesmo com a má primeira impressão que tive, me ajudou em diversos momentos e sem dúvida era alguém especial, se importava com os seus amigos, era leal e mesmo que não quisesse, uma comédia.

 

Parecia que agora tudo realmente estava mudado, mas de uma boa forma.

 

 

 

Na madrugada daquele mesmo dia, não conseguia dormir de jeito nenhum, por mais que nem fosse tocar no dia seguinte conseguia me sentir tão ansiosa como os integrantes, afinal fiz parte do processo e assim como eles, não queria que nada desse errado.

Então, estava na tentativa de ocupar a mente e me acalmar; verificava o celular, o repertório, as maquiagens, arrumava a cama, a escrivaninha.

Porém nada adiantava, ainda estava aflita e nem podia fazer tanta força assim, até porque tinha tirado a órtese há três dias atrás, e agora só precisaria utilizar a munheca em casos de incômodo.

 

Além de toda essa ansiedade, inúmeros pensamentos rodeavam a minha cabeça:
Seonghwa, que ainda estava desaparecido.
A situação de amanhã.
HongJoong.

 

Depois de tanto relutar, finalmente decidi deixar o quarto e tomar um ar, caminhei até a cozinha em passos delicados.

Baguncei os fios de cabelo enquanto enchia e bebia um copo de água, que quase foi cuspida quando percebi uma silhueta perto do balcão, precisei cerrar os olhos para identificar quem era mas estava impossível, felizmente a voz o entregou. 

— Também não consegue dormir? — Sussurrou, e escutei passos lentos em minha direção.

 

— HongJoong você precisa ir descansar, amanhã tem uma apresentação importante e...

 

— Eu sei, estou nervoso, só isso. E se eu não conseguir fazer o que quero amanhã? Quero garantir...

 

— Garantir o que? 

 

Tudo ficou quieto, por muito tempo. 

Mesmo que não o visse direito por conta da iluminação, conseguia o sentir cada vez mais perto, sua respiração, seu corpo, nossos rostos.

Ainda sem dizer nada, ele colou nossos corpos com uma de suas mãos em minha cintura e involuntariamente apoiei minhas mãos em seu peitoral. 

 

Estava o sentindo daquele jeito, novamente.

 

A tensão se instalou, as borboletas no estômago apareceram. E por mais que o cômodo estivesse um breu, parecia que conseguia enxergá-lo aos poucos.

Não conseguia mais pensar em nada com nossas respirações, agora tornando-se uma só e finalmente, o contato dos lábios.

Um ósculo calmo e carinhoso, onde nenhum de nós parecia com pressa ou com medo de ser flagrado no meio da escuridão.

Me senti uma criminosa, pois lembro muito bem de ter repetido inúmeras vezes na minha cabeça que sem sombra de dúvidas poderia me apaixonar por ele.
Ou não...

Mas ainda sim, me deixei levar pelos toques do garoto e tornei aquele momento o mais proveitoso possível. 

Esta rota que nunca parecia acabar e que não queríamos, infelizmente teve um fim quando a falta de ar tomou conta do pequeno espaço entre nós.

 

Estar nos braços dele pela primeira vez, era algo insano, tão novo e diferente para mim.

Era uma sensação nova.

Ainda nos encarávamos, por mais que indecifráveis, incertos, calados. 

Depois de tudo isso, ele me abraçou e penso que nós dois precisávamos daquilo.

Daquele contato.

Daquele beijo.

Daquele abraço.

De tudo.

 

Afinal, não era bom suprir sentimentos por alguém por muito tempo, não?


Notas Finais


É REAL FAMÍLIA, ACONTECEU, TRAZ O ESPUMANTE, FÉ#

Obrigada por ler até aqui! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...