1. Spirit Fanfics >
  2. About Love (Sookai) >
  3. The One After The Kiss

História About Love (Sookai) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, gentee! Voltei :)
Finalmente estou mais "tranquilo", consegui entregar os trabalhos que eu precisava entregar e agora tô mais de boa. A faculdade é um porre, caras... Enfim asuhauhsau
Voltei com um capítulo bem soft (era essa a intenção) e com bastante diálogo. Espero que gostem, boa leitura :)

Capítulo 6 - The One After The Kiss


Fanfic / Fanfiction About Love (Sookai) - Capítulo 6 - The One After The Kiss

 

Após finalizarem o ato, os garotos continuaram com suas testas coladas e se olhando intensamente. Eram muitos pensamentos em suas mentes e ao mesmo tempo nada. Tudo fazia sentindo, como também tudo estava bagunçado, mas de uma coisa eles sabiam: aquilo era bom.

 

- Então... - disse Hueningkai sorrindo. – nos beijamos. – separaram suas testas.

- Sou só eu ou isso não foi tãaao estranho? - disse o mais velho rindo.

- não, eu também achei... É estranho porque né... Somos melhores amigos, mas sei lá.

- E você... É... gostou? – Questionou Soobin tímido, coçando a própria nuca.

- Você gostou? – Hyuka indagou de volta, evitando responder.

- Sim... – disse Choi abaixando a cabeça e fitando o chão, talvez preocupado achando que não era recíproco.

 

Kai sorriu, levando suas mãos para o rosto do garoto a sua frente. Segurou suas bochechas e depositou um longo selinho em seus lábios.

 

- acho que isso responde sua pergunta – riu, fazendo o mais velho corar em seguida.

 

Logo depois, Hyuka se virou para o grande quintal da casa de Yeonjun, posicionando suas mãos no cercado que ali havia, assim como estava antes de Choi chegar. Soobin aproveitou da oportunidade para novamente abraçar o garoto, dessa vez um abraço mais apertado, fazendo o mais novo rir. Permaneceram assim por um tempo e sem trocarem palavra alguma – talvez precisassem pensar no que acabara de acontecer. Hueningkai podia sentir o coração do mais alto acelerado e achava aquilo fofo. O abraço de Soobin era como um abrigo para Kai, estava seguro, esquecia de todos os problemas e era sempre assim que se sentia nos braços do amigo, mas agora era diferente, tinha algo a mais no meio, uma certa tensão, que causava frio na barriga em ambos. Eles estavam gostando daquilo.

 

- Os meninos vão surtar se souberem disso... – disse Huening rindo e quebrando o silêncio.

- Se? – questionou Soobin. – Você não quer que eles saibam? – perguntou com certo desânimo em sua voz, fazendo com que o mais novo virasse para ele.

- Não, não é isso... – disse Kai fitando o amigo e colocando suas mãos no peitoral do outro. – Eu não tenho problema algum em dizer que eu te beijei, não pense isso, até porque foi muito bom... – recebeu um riso nasalado de Choi. – Eu só acho melhor esperarmos um pouco pra contar. O Yeonjun e o Beomgyu acabaram de assumir o namoro deles pra nós, não quero roubar a cena deles, entende? Ainda mais na casa do Junnie.

- Entendo... tem razão. – respondeu Soobin. – Vai ser engraçado quando contarmos – riu.

- Taehyun vai encher meu saco até não dar mais... Vai ficar falando “como sempre eu tenho razão” – disse Hueningkai gesticulando aspas com os dedos.

- Posso começar agora então? – disse uma voz vinda da porta, fazendo Soobin ter um leve espasmo de susto e virar para a entrada da casa. Era Taehyun.

- Taehyun???? – vozeou Soobin assustado.

- Desde quando você tá aí?? – questionou Kai com seus olhos arregalados.

- Cheguei tarde demais para pegar o beijo dos dois, porém, a tempo de ouvir a conversa. – respondeu o amigo enquanto se aproximava.

Hyuka e Binnie não disseram nada, estavam com vergonha e não sabiam como reagir.

- Mas então – continuou Tae, se debruçando no cercado da varanda. – Concordo com o que o Hueningkai disse. É melhor não falar nada por enquanto... Não é como se eles não fossem gostar, mas eles precisam do nosso apoio agora.

- Como assim? – Questionou Choi.

- É complicado... O Beomgyu veio conversar comigo pouco tempo depois de assumirem o namoro e eles têm muito medo de, por alguma razão, não darem certo, terminarem e o grupo acabar dividido.

- Pensei que poderiam ver o fato do nosso beijo ter sido algo para roubar a cena deles... – sugeriu Kai.

- Talvez, mas isso não faz muito sentido – o de cabelos vermelho respondeu – até porque eles ficariam super felizes, nós sempre comentamos que vocês eram meio que almas gêmeas e que uma hora ia dar em algo. Por hora, é melhor manter o que aconteceu em off para não ter muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, entende?

- Sim... – os dois responderam.

- E mesmo eu estando pronto para dar um surto de alegria aqui, guardarei isso comigo até vocês decidirem contar. Dou minha palavra. – Taehyun sorriu.

- Obrigado, Tae... – Hueningkai sorria.

- Vou deixar vocês dois sozinhos agora, aproveitem a noite. – riu ao dar as costas e sair em direção a porta. – Ah, fiquem espertos porque, provavelmente, o Yeonjun vai se levantar algumas vezes no meio da noite para ir ao banheiro.

- E como você sabe? – questionou Hyuka.

- Você não reparou na quantidade de refrigerante que ele tomou na festa? – respondeu Taehyun, fazendo o mais novo franzir as sobrancelhas. – Meu Deus, você realmente não repara em nada... – saiu.

- Ele é tão observador que até assusta – Disse Kai.

- Sim... Enfim, você quer ir dormir? – Questionou Soobin.

- Não, tô sem sono. Vamos sentar aqui e ficar observando a paisagem mesmo – respondeu o mais novo.

 

Os dois se sentaram lado a lado no chão da varanda. Hueningkai brincava com a barra de sua calça evitando muito contato visual com o mais velho, não porque não queria, mas estava envergonhado. Soobin o fitava com um leve sorriso, sabia como o garoto estava se sentido – o conhecia como ninguém - e achava aquilo fofo. Involuntariamente tinha a necessidade de agarrá-lo, abraçar, beijar, mas iria se conter para não ultrapassar nenhum limite, então decidiu por apenas tocar a mão do mais novo, acariciando-a levemente. O ato fez com que Hyuka o encarasse e soltasse um riso nasalado com a feição de bobo apaixonado que Choi aparentava.

 

- Que foi? – questionou o mais velho.

- Nada... Só é louco pensar que eu te beijei. Isso nunca passou pela minha cabeça – respondeu Kai.

- Isso é ruim? – Soobin estava muito inseguro.

- Já te disse que foi bom – o mais novo sorria. – E eu não me arrependo. Só é engraçado pensar que tive meu primeiro beijo com o meu melhor amigo.

- Realmente... Compartilho da mesma sensação.

- Espera – disse Hyuka. – Você nunca tinha beijado?

- Não... – respondeu.

- Eu jurava que você já tinha... – Hyuka disse incrédulo.

- Bom, você sabe que se acontecesse de eu beijar alguém eu te contaria, então não sei o porque de tanto espanto.

- Eram tantas pessoas que tinham uma queda por você na escola, uma hora ou outra eu achei que iria rolar – respondeu o mais novo, se defendendo.

- Olha, tiveram oportunidades, não vou mentir. Cheguei a sair com umas pessoas, mas na hora que íamos nos beijar, eu simplesmente travava. Não sentia conexão nenhuma, o que me deixava totalmente desconfortável – disse Soobin. – Eu percebia que não me sentia atraído e pode parecer clichê, mas não queria que meu primeiro beijo fosse com qualquer um.

- E comigo você sentiu a conexão necessária? – questionou Hueningkai, recebendo um aceno positivo. – Uau... me sinto especial desse jeito – riu.

- Mas você é.

 

Após dizer essas palavras, Soobin levou sua mão ao rosto do mais novo, passando seu polegar nos lábios do garoto, o fazendo corar. Em seguida puxou o amigo para mais perto e depositou um longo selinho em sua boca – pôde perceber que aquilo se tornaria um novo vício. Ao separar, não tomou muita distância de Huening, ainda podiam sentir a respiração quente e acelerada um do outro. Quando abriu seus olhos, fez questão de encarar o rapaz da maneira mais intensa e verdadeira possível, tentando passar o máximo de confiança, e disse: você é muito especial, meu Ningning.

Aquelas palavras de Soobin fizeram com que todos os pelos do corpo de Hyuka se arrepiassem e o garoto não se conteve, pulou no colo de Choi em um abraço apertado e o beijou. O encontro de suas línguas era algo sensacional, inexplicável, talvez a coisa mais incrível que Hyuka experimentou em sua vida até então. Interromperam o ato quando ouviram o barulho de uma porta se fechando, presumiram ser Yeonjun em uma de suas idas ao banheiro.

 

- Acho melhor irmos nos deitar – disse Soobin com o amigo em seu colo. – já está tarde mesmo e amanhã o dia vai ser longo.

 

Kai concordou e os dois seguiram em silêncio para o colchão que dividiam, tomando o maior cuidado possível para não acordar os meninos. Se deitaram de frente um para o outro com o mais novo recebendo um cafuné de Soobin, que vislumbrava de um doce sorriso de Ningning, e assim, sem muito demorar muito, adormeceram.

Na manhã seguinte, foram acordados por um Yeonjun animado, pulando no colchão e rapidamente se posicionando entre os dois garotos, tal como uma criança em seu dia de aniversário ou em uma manhã de natal, ansiosa para abrir os presentes. E o êxtase do mais velho do grupo não era por menos já que a última vez que os amigos se reuniram daquela forma, em uma festa do pijama, foi no final de semana anterior da viagem de Soobin, ou seja, cerca de um ano e meio antes. Em qualquer momento de sua vida rotineira, Huening ficaria bem irritado pela maneira como fora acordado, mas era impossível se enfurecer com aquele Junnie sorridente. Mesmo cansados por terem ido dormir tarde demais, os garotos riram e abraçaram o loiro.

 

- Vamos acordar, meninos! – exclamava o amigo mais velho. –  Hoje  é dia de filme e eu quero tomar café.

 

Todos realizaram suas higienes “matinais” – era cerca de meio-dia e quarenta. – e se dirigiram à cozinha, encontrando um Yeonjun empunhando uma colher de pau.

 

- Seguinte, crianças... – começou o loiro, sendo interrompido por Beomgyu.

- Nossa, porque você é muito mais velho né...

- De todos aqui, eu sou o mais velho, não? – respondeu Junnie. – Então me respeita, bobão. – disse, fazendo o namorado rir e revirar os olhos. – Continuando... Hoje é um dia muito especial porque fazia tempo que não nos reuníamos assim, então, nada melhor que um bom café da manhã! – disse entusiasmado. – Logo, pensei... que tal comermos panquecas para começar o dia bem?? Feitas pelo meu excelentíssimo namorado, afinal, vocês sabem que eu sou péssimo na cozinha.

- Por que eu?? – questionou Beomgyu

- Porque você me ama e quebraria esse galho pra gente, talvez... – respondeu Yeonjun, fazendo um biquinho fofo.

- Se quiser eu faço – disse Hueningkai para Beomgyu.

- Tá doido? – vozeou o loiro indignado. – Você é só um nenê! Tá achando que eu vou deixar um pitico desses mexer com fogo? Nem pensar.

- Junnie, eu já tenho 18 anos... – respondeu Hyuka.

- E daí? Vai continuar sendo o nenê do grupo.

- Pode deixar que eu faço, Kai – disse Beomgyu rindo.

 

E assim foi feito, os cinco comeram deliciosas panquecas com geleia de frutas vermelhas. Organizaram toda a bagunça que haviam feito na cozinha e voltaram para a sala, onde se deitaram novamente em seus respectivos colchões. Começaram a sessão de filmes em torno das duas horas da tarde, acompanhada de muita pipoca, salgadinhos de todos os tipos e muito doce. Durante todo o momento que os garotos ficaram com seus olhos fixos na grande televisão de Yeonjun faziam brincadeiras em relação ao que assistiam.

Por volta das oito horas da noite decidiram parar e pedir uma pizza para o jantar. Comeram enquanto os dois mais velhos do grupo relembravam alguns perrengues que tiveram com o tão odiado professor Leon – aparentemente ele tinha implicância com pelo menos um aluno de cada turma e dentre os cinco ali presentes, o único que passou ileso foi Taehyun. Quando estavam satisfeitos Junnie sugeriu de irem ao seu quintal, sentar no gramado e ouvir alguma música que gostavam – estavam enjoados de ficar na sala. A casa do loiro era bem grande, possuía até uma espécie de floresta privada com direito a um riacho e não era para menos: O pai de Yeonjun era o diretor executivo de uma das maiores empresas de tecnologia dos Estados Unidos, recebia um grande salário e sua família era uma das mais ricas e influentes da cidade. Algumas vezes Hyuka se sentiu deslocado quando visitava o amigo, mas logo percebeu que o rapaz não se comportava como a maioria dos ricos que conhecia, era muito humilde, não se importava com os bens que possuía, apenas queria curtir a vida com seus amigos e ser feliz. E foi próximo a entrada da pequena zona de mata fechada onde os cinco decidiram ficar. Levaram alguns salgadinhos para beliscar caso sentissem fome e uns jogos, junto de uma caixinha de som. Hueningkai tentou trapacear algumas vezes, mas sem êxito – em todas foi pego por Taehyun. - e Soobin sempre achava uma maneira de abraçar Ningning, umas delas até foi capturada pela câmera do celular de Beomgyu (foto do capítulo), sendo isso o máximo de carinho que trocaram, não se beijaram naquele dia. Por volta das onze horas, voltaram para a casa e se prepararam para dormir.

Na manhã seguinte foram acordados pelos pais de Yeonjun, que estavam de volta à cidade. Foi um domingo bem entediante e não puderam aproveitar muito porque Tae e Hyuka teriam a primeira prova final de muitas que se sucederiam pelas próximas duas semanas. Todos foram embora após o almoço.

 

~Chat On.

Hueningkai [10:00 P.M]: Tô nervoso pra amanhã... Certeza que eu vou pegar recuperação em matemática

Soobin [10:03 P.M]: Relaxa... Você estava conseguindo fazer todos os exercícios que o Leon passou.

Soobin [10:03 P.M]: Fora que estudou a tarde toda hoje!

Hueningkai [10:05 P.M]: Nem me lembre... Inclusive estou bravo, você poderia ter ficado aqui comigo

Soobin [10:05 P.M]: Você sabe como eu sou em relação aos estudos, Ningning... Eu levo muito a sério. Você precisava se concentrar.

Hueningkai [10:06 P.M]: Você me ajudaria se tivesse vindo

Soobin [10:06 P.M]: A gente sabe que não seria bem para ajudar que você queria que eu fosse aí hahahaha.

Hueningkai [10:09 P.M]: Ok, ok... eu queria te beijar de novo. É que agora minhas provas vão começar, você tá trabalhando... vai ficar difícil da gente se ver

Soobin [10:10 P.M]: Nós vamos nos ver, Ningning... Te prometo. Por mais que eu também queira te beijar, agora você precisa se dedicar 100% para tirar boas notas

Soobin [10:10 P.M]: Agora eu vou dormir e acho melhor você ir também, hein? Boa noite, Ningning sz

Hueningkai [10:15 P.M]: Boa noite, Binnie

~Chat Off.

 

Hyuka foi tomar um banho para ver se conseguia relaxar um pouco. Se deitou em sua cama e ficou navegando na internet por um tempo. Por fim, colocou seu fone de ouvido, deu play em uma de suas playlists com músicas que o acalmava e fechou seus olhos para tentar pegar no sono. Quando estava quase adormecido, seu celular vibrou, fazendo o garoto despertar.

 

~Chat On.

Soobin [11:40 P.M]: Hey... ainda está acordado?

Hueningkai [11:40 P.M]: Estava quase dormindo, por quê?

Soobin [11:41 P.M]: Me desculpa se te acordei :(. É que eu estou aqui na sua porta...

Hueningkai [11:41 P.M]: ????

~Chat Off.

 

O mais novo se levantou de sua cama totalmente confuso e seguiu em direção à entrada de seu apartamento,

 

- Binnie? – perguntou com as sobrancelhas franzidas, estranhando aquilo. – Aconteceu alguma coisa?

- Talvez, não sei... Eu não consegui pegar no sono – respondeu cabisbaixo. – Eu preciso te beijar de novo. – encontrou seu olhar com o de Huening e sorriu.


Notas Finais


Qualquer dica ou sugestão é bem-vinda!
Gente, passando pra avisar que eu vou começar a trabalhar essa semana, então não prometo atualizações exatamente nas madrugadas de sexta para sábado como eu vinha fazendo, mas vou continuar com a fic sim e tentar trazer capítulos novos toda semana. É isso, obrigado sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...