História About Us - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin
Visualizações 18
Palavras 1.873
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Postando adiantado pois sábado não vou ter tempo, enton... boa leitura! S2

Capítulo 3 - Kim Seokjin


Fanfic / Fanfiction About Us - Capítulo 3 - Kim Seokjin

- Me diga, fomos bons para Jimin? - Ele repetia aquela mesma fala me deixando sem ação.

- Hoseok... - Eu respirei fundo e sacudia a cabeça. - É claro que fomos, nós fizemos tudo por ele em quanto ele estava aqui. Não há motivos para você ficar assim.

- Mas será que foi o necessário? Nós podíamos ter sido mais para ele, Hyung. - Os olhos de Hoseok se encheram de água, as lágrimas já escorriam por seu rosto mostrando seu remorso. - Podíamos ter abraçado ele mais, nós... Nós fomos bons? Afinal de tudo nós agradecemos ele por ter sido tanto para nós?

- É claro que sim Hoseok! Não fale besteiras, nós fomos mais que o necessário para o Jimin, nós amamos ele por todo o tempo que ele passou morando aqui na sua casa ou quando começou a namorar, sempre fomos presentes! Ele não ia gostar de te ouvir falando essas coisas! - Seco as finas lágrimas de seu rosto e o deito na cama. - Agora fique ai, vou fazer o Namjoon comer e depois vou leva-lo para minha casa, assim você e Chaeyoung podem passar seu tempo juntos. Não fique se torturando pelo passado Hoseok, o que foi não volta mais.

Sai do quarto e fechei a porta para que ele pudesse dormir um pouco, pobre Hobi estava abatido.

"Será que fomos bons Hyungs?" Aish! Me sinto um vendedor que vende uma carne sabendo que ela está estragada falando para o Hoseok o que falei, eu não tenho certeza de nada do que disse. Afinal eu fui um bom homem para Jimin?

Eu realmente não sei dizer se fui o que o meu Dongsaeng precisava, e agora? E agora o que eu faço? Se não estava lá quando ele mais precisou, agora não posso mais fazer nada. Sou só mais um inútil, só mais um que sente na pele a falta de um ombro amigo.

Eu lembro do dia em que eu e Mina, minha ex namorada, brigamos e o Jimin me deixou ficar na casa dele. Lembro-me da fez que ele brigou na faculdade e passou duas na minha casa, também, o garoto podia ser baixinho mas não podia ver uma briga que já queria se meter no meio dela, chegava a ser impressionante. Uma vez por semana ele discutia com alguém.

Jimim chegou a ser expulso do seu curso na faculdade por tantas brigas, ele fazia faculdade de engenharia de alimentos, mas não durou. Então descobriu, junto a Jungkook, um amor por estrelas e começou a estudar astronomia, com isso veio o amor pela física e ele começou uma nova faculade. Uma vez ele brigou a ponto de ficar de cama. O moreno e sua amiga estavam em uma fila quando um rapaz parou atrás deles e passou a mão na bunda dessa amiga, de tanta raiva Jimin quebrou dois dentes do rapaz, contraponto disso ele fraturou uma costela.

"Hyung! Eu to com fome!" Eu lembro dele me chamando por querer comer, como mais velho fui designado a cuidar do brigão. Por uma semana eu fiz absolutamente tudo o que ele queria. Escutei tantas histórias loucas, escutei tanto sobre estrelas...

Sou sempre o encarregado dos enfermos, sempre. Me formei em designer então posso trabalhar do conforto de mimha casa, como mais velho eles sempre vão parar na minha casa.

"Aí caralho! Vai com mais calma Jin Hyung!" Ele reclamava quando eu ia trocar os lençóis. "Não precisa trocar os lençóis todo dia! Eu não fiz xixi na cama." Reclamava de tudo e de tudo reclamava, até irritava as vezes. "Quando os meninos vem me ver?" Ele perguntava.

"No final de semana, eles não podem ficar em casa como certas outras pessoas" Eu respondia. "Mas Jungkook não trabalha, poderia vir a tarde..." Como ele falava do mais novo, era impressionante tamanha a preocupação do brigão por Jeon. 

Me apoio na mesa e sorrio, tantas dúvidas passei naquela semana com a preocupação do pequeno com o moreno, hoje eu as entendo muito bem!

"Por que sorri tanto olhando para esse celular?" Eu perguntava arrumando seu travesseiro. "Jin Hyung, você acha errado apoiar nossa alegria em alguém?" Ele me respondia. "Como assim Jimin? Em quem apoia a tua alegria?" Eu disse. "Em uma pessoa, uma pessoa quem me lembra um céu estrelado por ser tão brilhante, uma pessoa forte, um alguém que quando segura a minha mão me faz sentir único e especial e principalmente esse ser me faz bem, me faz feliz. Mas eu não sinto que essa pessoa sinta a mesma coisa por mim..." Ele respondeu ficando cabisbaixo. Jimin não tinha vergonha alguma de sua sexualidade, mas não queria admitir que era apaixonado por Jungkook porque tinha certeza que o moreno não sentia o mesmo. Demorou até ele se confessar para Jungkook, mas quando aconteceu foi tão lindo, foram dois belos discursos falando sobre estrelas, constelações, de como eles brilham juntos e blá blá blá.

"Jimin, se essa pessoa te faz bem desse jeito mais... Romântico, você deveria falar isso a ela." Eu respondia o garoto na cama. "Mas e se depois disso a clima ficar estranho e ele não querer mais falar comigo?" E foi nessa frase que eu, finalmente, me liguei que Jimin era gay. "Ele?" Eu repeti fazendo o mais novo corar. " 'O' ser humano Jin Hyung!" Ele falava corado, sempre foi tão fofo o pequeno Jimin. "Minnie... Você não pode ter vergonha de ser quem você é, isso é inaceitável! Se você gosta de um garoto qual é o problema disso?!" Eu tentava incentivar ele a usar todas as letras para "sair do armário"

"Mas Jin!" Ele aumentou o tom de voz "Eu não sei o que eu sou! Eu não ligo de ser diferente, mas o que os meus pais vão pensar? E a minha família? Eles vão me aceitar? Eu não sei! E... Será que... Vocês, meus amigos, vão mudar comigo?" Seus olhos se encheram de lágrimas e seu sorriso sumiu, eu nunca havia pensado que o Jimin; o garoto dos sorrisos; o rapaz das brincadeiras tinha um conflito interno tão grande! Eu lembrei de todas as piadinhas que já tinham sido feitas sobre gays na nossa roda de amigos, lembrei das brincadeiras ofensivas e me senti culpado. "Jimin, o nosso amor por você nunca vai mudar, porque não importa a fruta que você coma, a tua doçura, os teus sorrisos, a tua companhia ainda sera a mesma. Mas, eu sinto que se você continuar com esse segredo vai estar vivendo em uma mentira." O garoto então balançou a cabeça e disse "Jin Hyung... Eu gosto de Jungkook" O pequeno olhou para o nada por alguns instantes e depois voltou a olhar para mim. Eu sorri para ele e disse que tudo ia ficar bem.

De todos esses anos que passei com o Jimin essa foi a única vez que eu fiz algo bom para ele; que eu fui útil, porque sempre foi ele que ajudou e ficou perto de todos nós falando que tudo ia dar certo no final. Ah Deus, como eu queria que desse, como eu queria ter ele aqui, comigo, de novo.

Ainda pensando no baixinho volto a cortar o tomate que parei de cortar para "socorrer" o Hoseok. Com todo esse turbilhão de emoções eu tranco as lágrimas que estavam em minha garganta, me nego a chorar por Jimin, só choramos por coisas ruins e Jimin foi uma das melhores coisas que já aconteceram comigo, então não posso chorar, não eu não vou chorar!

Nunca se chora por lembrar de alegrias, não podemos deixar a tristeza tocar nessas lembranças tão boas e deixa-las tristes!

- Merda! - É claro que com a minha cabeça longe nada daria certo, acabei cortando o dedo, parabéns Seokjin!

Vou abrir a gaveta para pegar um pano e acabo derrubando a massa de espaguete no chão, ainda crua é claro. Parabéns para Seokjin parte dois.

Com o pano em mãos me vejo em desespero, não sei nem cozinhar direito, quem dirá ser um bom amigo, as lágrimas antes presas agora são livres para molhar meu rosto, de fato não sou muito bom para lidar com perdas.

"Se não fosse assim não seria você, Hyung chorão mesmo." Sigo a voz, era a sua voz. Sim, Park Jimin, estava ali! Não, não em pele e osso, mas em miragem, só uma imagem criada por meu cérebro. "Não é chorando que as coisas vão se resolver" Essa tal miragem se senta ao meu lado, estica as pernas e sorri, eu podia realmente ver o seu sorriso, minha cabeça só queria me enganar eu sei.

"Você tem se culpado muito, não tem nada de errado em você, foi isso que você me disse... Lembra?" Imitando a sua posição sentado no chão respiro fundo e concordo. "Você lembra das quatro palavrinhas? Aquelas palavrinhas que eu sempre dizia? 'Tudo vai ficar bem' lembre mais delas Hyung, ou pense 'Tudo vai dar certo', porque é verdade, tudo são fases. Repete."

Em um sussurro tão baixo quanto um sobro eu repeti para mim mesmo.

-Tudo vai ficar bem... - Olhando novamente para o lado não vi mais a bendita miragem, eu sei que minha cabeça só queria me consolar, talvez eu tenho perdido de vez toda a minha sanidade, mas não ha no mundo verdade mais real que essa, ele estava certo tudo vai ficar bem.

Sentando no chão eu sorri em meio as lágrimas.

Obrigada, muito obrigada Jimin.

- Hey! - Yoongi fala se aproximando lentamente me mim. - O que aconteceu? 

(...)

- Jin Hyung essa não é a sua melhor sopa, sabia?  -  Namjoon reclamava ao comer, sinceramente eles não sabem apreciar os meus dotes culinários.

- Aish! Apenas coma, passei por mil e um conflitos pra fazer essa maravilha.  -  Respondi pegando meu celular.

- Sério? O tomate e a cebola brigaram e você teve que separa-los?  -  falou divertido.

- Ah Kim Namjoon vai lavar a casa da cachorra, vai! - Ele começou a rir e me fitou.  -  Termina de comer que nós vamos pra minha casa.  -  Ele assentio e continuou a comer.

Suspiro fundo, fundo de mais e solto o ar de forma alta. Não é como se a saudade fosse um peso mas é como um encomodo, uma sensação de incerteza que grita "Será que faltou algo?" E essa dúvida é horrível, pois não ha como acabar com ela, não temos pra quem perguntar se conseguimos ser bons o suficiente. Isso é um saco.

A única forma de não termos essas dúvidas é fazer todo o possível para os nossos amigos enquanto eles ainda estão conosco. Sem afastar eles, desaponta-los e fazendo eles se sentirem bem.

Kim Taehyung...

- Vamos fazer um reencontro?  -  chamei a atenção de Namjoon.

- Uh!  -  Respondeu enquanto engolia.  - Reencontro de que?

- Dos nossos amigos, todos nós juntos no mesmo lugar, comendo, bebendo e rindo. Como antes.  -  Disse sorrindo, esperei uma resposta positiva do enfermo.

- Parece ser legal.  -  Sorriu ladino.  - Sinto falta desses momentos na nossa segunda família.  -  Abriu o sorriso totalmente.  

Sorri voltando minha atenção para o celular em minhas mãos, quero muito rever todos que me ajudaram a crescer.

Sei que talvez o clima entre Taehyung e Jungkook fique tenso, mas depois que conversarem um pouco vão perceber que, lá no fundo, ainda são aqueles mesmo garotos de três anos atrás.

Que tudo dê certo, e vai dai!


Notas Finais


Espero que tenham gostado S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...