História About Us - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys (BTS), Gay, Jikook, Kookmin, Real-fic
Visualizações 14
Palavras 7.555
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu tinha prometido atualizar na semana passada, eu sei, mas esqueci completamente que faria o ENEM e isso me atrapalhou HORRORES. Enfim, aqui está a att e se tudo der certo, volto final de semana que vem. Vou tentar att toda semana ou, no máximo, semana sim e semana não.
Se quiserem me achar no twitter, aqui está @love4jeonjk.

Capítulo 7 - Deal


Jungkook falou que iria dormir, mas terminou apenas em frente ao computador em um jogo online, frustrado demais para pegar no sono. Queria conversar com Jimin, mas este tinha saído com Jin e Yoongi para o mercado, como se fosse ajudar em alguma coisa. Jungkook queria poder dizer que estava descontando aquela frustração no jogo, mas na verdade estava perdendo porque não conseguia focar realmente nele, sua mente era só Jimin, Jimin, Jimin, Jimin, e muitos Jimins.

Jungkook suspirou sozinho e tirou os headphones, desistindo do jogo após morrer mais uma vez. Ele cruzou os braços em frente ao peito, emburrado como uma criança contrariada. Por que Jimin inventou de sair se sabia que Jungkook queria falar com ele?

Foi nesse exato instante então, que a porta de seu quarto foi aberta sem cerimônias. Tinham intimidade o suficiente um com o outro para dispensar aquele tipo de formalidade. Não costumavam ter nada para esconder um do outro também, e Jungkook evitou aquela vozinha em sua mente que respondeu aquele seu pensamento perguntando: "então porque não para de pensar no Jimin?".

E falando em Jimin, foi exatamente ele quem entrou, levando o mais novo a abrir a boca confuso, especialmente quando o outro apenas fechou a porta atrás de si e, sem dizer nada ou sequer olhar para Jungkook, subiu as escadinhas da cama do maknae para se deitar sobre ela.

— Nossa, essa cama é horrível. Agora eu entendo porque vai pra minha. — Jimin ergueu as mãos para tocar o teto. Nem precisava de muito. — Não se sente claustrofóbico? É tão perto do teto, é quase como dormir embaixo de uma cama e não em cima dela.

— Veio testar minha cama? — Jungkook perguntou, realmente confuso, e Jimin riu, parando de empurrar o teto para se encolher mais perto da parede e dar dois tapinhas no espaço ao seu lado.

— Não, óbvio. — respondeu. — Deita aqui. — bateu de novo uma de suas mãos, e dessa vez o primeiro reflexo de Jungkook foi olhar para a porta, que eles não podiam trancar se não quisessem que alguém desconfiasse do que faziam ali. — Jungkook, sempre que estamos em cada você dorme da minha cama, abraçado comigo. — lembrou, e o mais novo foi obrigado a concordar, sem nem pensar muito. Apenas se perguntou quando tudo aquilo ficou tão fácil para Jimin. Quer dizer, ele também havia surtado quando Hoseok os pegou dormindo juntos e foi dele o primeiro passo para terminarem. — Por que você está pensando tanto? — Jimin interrompeu seus devaneios, deitando-se de lado para encarar Jungkook, ainda sentado na cadeira, mas agora de costas para a mesa.

— Você está me deixando ainda mais confuso. — falou sem pensar, exatamente o que estava em sua mente, mas para sua surpresa Jimin apenas concordou com a cabeça.

— Eu tenho tendência a confundir as pessoas. — respondeu, mas seu tom era descontraído, como se aquilo não fosse nenhuma novidade. Jimin tinha um sorriso nos lábios e aquilo não estava ajudando Jungkook a entender muita coisa. — Sobe aqui, vamos conversar. — voltou a bater, e o mais novo dessa vez levantou-se da cadeira, finalmente rumando para sua cama ao lado do mais velho. — Isso daqui aguenta nós  dois, né? — Jimin perguntou receoso quando ouviu o móvel estalar, e Jungkook apenas deu de ombros enquanto deitava a cabeça ao lado de Jimin, fazendo com que dividissem o travesseiro.

— Não sei, nunca dormi com mais ninguém aqui.

— Me sinto privilegiado, mas não seguro.

— Do chão não passa. — Jungkook respondeu, pouco preocupado. — E já vamos cair em cima do colchão. — brincou também.

— Não tenho tanta certeza de que funcione dessa forma. — Jimin devolveu, mas deixou claro que não tinha planos de levantar quando se moveu apenas o suficiente para segurar a mão de Jungkook, que foi pausada no colchão entre eles. Aquilo foi o suficiente para interromper qualquer outra fala e o maknae acompanhou com o olhar o toque de Jimin em seus dedos, enquanto brincava delicadamente com eles. Foi obrigado a morder o lábio inferior, sentindo coisas demais com um toque tão simples.

— Eu posso... — Jungkook começou, ainda sem encarar Jimin que apenas esperou. O mais novo nunca foi muito bom em falar, e o outro certamente sabia disso, assim como sabia também que Jungkook tinha algo a dizer. — Posso começar dessa vez? — perguntou, finalmente levantando o olhar para Jimin, há poucos centímetros de distância dele. Quando o viu concordar, tomou ar e iniciou sua fala. — É óbvio que a gente não sabe o que está fazendo, mas eu não acho que... Aquela decisão, em Tokyo, foi a melhor que podíamos ter tomado. — desabafou, mas o olhar atento de Jimin não fazia com que falar fosse exatamente mais fácil. Desviou o olhar outra vez para suas mãos juntas, apertando ele mesmo a de Jimin entre seus dedos. — Quer dizer... Seria se estivéssemos fazendo as coisas da forma como combinamos, mas eu não sei se consigo também. Parecia uma boa idéia porque não queria mentir nem esconder nada, também não queria lidar com esse medo de ser pego o tempo todo, mas não mudou nada de verdade, não é? Eu ainda fico paranóico sempre que trocamos um olhar e ficar longe também não interfere na forma como eu me sinto. Eu sei que na sua também não. — presumiu a última parte, porque era evidente que se Jimin estivesse lidando bem com tudo, não teria permitido aquela loucura de se agarrarem atrás de um biombo em uma sala cheia de estranhos.

— Lembra quando nos beijamos a primeira vez? — Jimin perguntou, e Jungkook concordou com a cabeça. Ele ainda não encarava o mais velho, mas podia sentir o olhar de Jimin sobre si. — Você me perguntou desde quando eu me sentia daquela forma por você e eu respondi que desde sempre. Eu não estava mentindo, Kookie. Eu nem me lembro como começou, mas eu aprendi a lidar com isso em algum momento, esconder. Esconder até que fosse fácil lidar e com o tempo deu certo. Eu não ficava mais me perguntando se estava sendo muito invasivo porque você não parecia se incomodar se eu te abraçava ou te tocava demais e acabei aceitando que estava tudo bem. Quando passamos a ficar juntos, aquele medo de antes voltou, mas não por você, pelos outros, o que eles achariam estranho, e pensei que se nos afastássemos ali, seria como antes, eu aprenderia a lidar com o tempo, mas não é mais tão simples quando não se trata mais somente de mim, quando eu sei que cada vez que me olha de longe, está sentindo o mesmo que eu. Não é como antes que... Que eu nunca poderia ter você, agora eu posso e não dá pra esquecer isso. — falou, e Jungkook negou com a cabeça, mesmo que sentisse seu corpo todo esquentar de forma agradável em ouvi-lo falar de si daquela forma. Não que duvidasse que Jimin sentia o mesmo que ele, mas era bom ouvir de qualquer maneira.

— Quando minha cabeça começa a gritar "Jimin, Jimin, Jimin" eu quero que ela se cale com você e não esquecendo tudo. — Jungkook confessou sem pensar no que dizia, na maior naturalidade do mundo, como se aquela fala fosse super madura, e acabou corando envergonhado quando Jimin riu. — Aish. — resmungou, soltando suas mãos para se deitar de barriga para baixo, escondendo o rosto no travesseiro enquanto condenava a si mesmo por ter feito um comentário como aquele.

— Não se mexe assim, eu tenho certeza que essa cama está balançando. — Jimin retrucou, achando adorável a vergonha do mais novo. Jungkook apenas apertou o travesseiro com mais força entre o rosto, ciente de que Jimin ainda ria dele, mas aquilo acabou dissipando o clima ligeiramente tenso do assunto que discutiam até então. — Jungkook-ah, olha pra mim. — pediu, passando uma das pernas sobre a de Jungkook enquanto jogava seu tronco sobre o dele. Tentou puxar as mãos de Jungkook que envolviam o travesseiro, mas quanto mais ele ria, mas vergonha Jungkook sentia e por isso se manteve escondido.

Para Jungkook a única coisa pior do que quando ele gaguejava, era quando ele falava coisas sem pensar, como quando pediu para que Jimin o prendesse no meio de uma entrevista e teve que fazer cara de sonso como se não tivesse nada demais em falar aquela besteira. Ele resmungou de novo só de pensar naquilo, e Jimin acabou rindo mais, deixando em seguida um beijo em sua nuca.

Jungkook se encolheu todo com o gesto, arrepiando-se por completo, e Jimin só piorou a situação quando sorriu contra sua pele.

— Jimin-ssi... — resmungou manhoso, e o mais velho mordeu a região em resposta, transformando aquele resmungar do maknae em um suspiro contra o travesseiro quando também arranhou os dentes ali.

— Sou seu hyung, para de me chamar assim. — Jimin o repreendeu, fingindo ignorar a reação do mais novo quando na verdade amava vê-lo tão entregue assim.

Jungkook negou com a cabeça em resposta a sua fala, e virou-se novamente de barriga para cima. Jimin não saiu de onde estava apesar do movimento e terminou apenas por ficar onde estava, praticamente deitado sobre Jungkook com uma de suas pernas entre as dele. Jimin tocou a face do mais novo, desligando aquela mão até sua nuca para imiscuir seus dedos nos fios de cabelo do outro. Jungkook dessa vez não desviou seu olhar do de Jimin por um só minuto e permitiu que seu corpo sentisse tudo que tinha para sentir na presença dele. Ter Jimin tão perto fazia com que ele se sentisse tão bem...

— O que você quer fazer, Jungkook-ah? — Jimin perguntou em um sussurro, não tinha necessidade de falar mais alto do que aquilo quando estava tão perto. — Sobre nós, o que quer fazer?

— Não quero mais ficar longe, Minnie. — respondeu, no mesmo tom que o outro usava. — A saudade só nos deixou mais impulsivos e... E mesmo assim, eu só não quero. — falou, mais decidido. — Eu sei que não tem sido exatamente fácil lidar comigo e que eu fujo sempre que... — ele se interrompeu ao corar, desviando o olhar de Jimin para olhar brevemente para cima. Sentiu um afago em seus cabelos, feito por Jimin em forma de incentivo e voltou a encarar o mais velho, vendo-o com um pequeno sorriso nos lábios. Jungkook suspirou mais tranquilo por isso. — Bom, você sabe... — prosseguiu, e Jimin concordou com a cabeça sem dizer nada, ciente de que ele não tinha terminado ainda. — Mas eu não quero me afastar. Eu não posso evitar sentir tudo que eu sinto quando estamos juntos e não quero evitar também.

Jimin também não queria evitar, e concordou com a cabeça para o que o mais novo havia dito, mas notando o desconforto de Jungkook sobre a outra parte de sua fala, não foi aquilo que ele optou em responder.

— Você sabe que não tem nada de errado em você, não sabe? Em não se sentir pronto? — perguntou, vendo-o desviar o olhar ao tocar naquele assunto. — Nós crescemos em uma sociedade que nos cria desde o início para ser de uma forma e gostar de determinada coisa, uma sociedade cheia de regras. Perceber de uma hora para outra que não se encaixa em nada disso pode ser confuso.

— Eu acho que já aceitei o que eu sinto. Não teria coragem de admitir que quero tentar se já não tivesse aceitado, mas... — Jungkook mordeu o lábio inferior brevemente antes de continuar. — Não sei muito bem o que fazer, eu nunca fui bom nem com garotas. —confessou.

Jimin riu, e Jungkook não precisava ser um gênio para saber que ele estava se lembrando de alguns dos vários gay panics que Jungkook já havia tido. Homem ou mulher, o mais novo sempre foi péssimo em interagir com outras pessoas e fugia, especialmente quando se sentia atraído por elas. Jungkook raramente era quem tinha a iniciativa.

— Então nós continuamos juntos, em segredo, e eu te ajudo com isso. — Jimin propôs, mas apesar de se sentir muito mais satisfeito com aquela opção, ainda não encerrava totalmente o assunto.

Jungkook ainda não se sentia bem em mentir para os outros. Tinha respeito e admiração demais por seus hyungs para simplesmente esconder algo tão grande assim deles.

— Minnie... — chamou, mordendo o lábio inferior antes de iniciar o assunto. Jimin parecia certo demais sobre não contar nada para o grupo da ultima vez que conversaram. Certo o suficiente para que Jungkook se questionasse se havia algo que ele escondia. — Eu queria... contar. Para os meninos somente, eles são parte importante demais para escondermos deles.

Como o esperado, o maknae notou Jimin imediatamente mais tenso. O carinho que ele fazia dos cabelos do mais novo cessou, mas Jungkook, apesar de raramente ser do tipo carinhoso, segurou a mão de Jimin com a sua e beijou seus dedos.

— Jimin... Eles não são assim. — falou, mesmo que dentro de si, na verdade, Jungkook também escondesse certo receio. Seu maior medo era perder qualquer um deles, decepcionar qualquer um deles, mas os amava justamente porque eram pessoas incríveis. Incríveis o suficiente para não fazer aquilo só porque Jungkook em algum momento descobriu que gostava de garotos. E ele sabia que Jimin confiava no Bangtan tanto quanto ele, talvez até mais porque Jimin era aquele tipo de pessoa, pura o suficiente para não ver maldade nas pessoas mesmo quando estavam sendo maldosas, por isso Jungkook temia ter mais ali naquela negação. — Eu tenho medo de que as coisas mudem — confessou por fim, tentando de alguma forma por todos aqueles pensamentos em palavras. —, mas ao mesmo tempo eu não... Você acredita mesmo que eles virariam as costas pra gente?

— Eu não sei, Jungkook. — Jimin falou, suspirando em seguida e nem precisava dizer nada para que Jungkook soubesse que ele estava desconfortável. — Acho que não combina com o que conhecemos deles ir contra quem somos, mas algumas pessoas elas... Só é mais fácil sabe, apoiar quando é alguém de fora. Eu te disse isso antes.

— Algum deles já te fez pensar que poderia não gostar disso? — perguntou receoso.

— O quê? Não! — Jimin se apressou em negar. — Eles não, mas eu já perdi um amigo assim. Em um dia estava tudo bem e no outro, quando ele soube, se eu chegava perto demais dele ele já ficava ofendido. 

— Isso é horrível. — Jungkook lamentou por ele. Aquilo explicava grande parte de seu receio, mas não condizia com os seus hyungs. — Eu não acredito que eles sejam assim, Jimin. 

— Talvez eu só esteja paranóico. — o loiro admitiu, mas Jungkook sabia que de qualquer forma, não estava voltando atrás com aquela fala.

— Vamos fazer assim, então. Nós tiramos um tempo, só para nós. E quando eu me sentir pronto, posso contar sobre... Mim. — Jungkook propôs, mais certo do que nunca de que deveria fazer isso. Ainda tinha seus medos e receios, não podia se livrar de todos de uma hora para outra, mas queria contar, quando aprendesse a lidar com tudo que estava sentindo. E só Jimin o ajudaria com aquilo, estar com Jimin. — O resto nós podemos ver depois.

Jungkook notou que Jimin queria dizer algo, convencê-lo a não falar daquilo com o grupo, mas tinha consciência de que não podia fazer isso e por esse motivo não falou nada. Era quem Jungkook era e se ele queria contar, ninguém poderia impedir. Jungkook sabia que o mais velho tinha medo de tudo dar errado e afetar o grupo, ele também tinha, mas acreditava nos outros, eles o haviam criado, eram as pessoas que ele mais amava na vida além de seus pais e seu irmão. Ele se inspirava nos discursos de Namjoon, admirava a positividade e pureza de Hoseok. Jin por mais que fosse seu companheiro de esquisitices, Jungkook o tinha quase como um pai e não era possível que virassem as costas para ele. 

— Estou orgulhoso de você. — Jimin falou, mudando de assunto, e Jungkook sorriu quando viu o sorriso do outro direcionado a si. — Antes de Tokyo você parecia mais relutante com tudo, e assustado. Bom, assustado ainda parece, mas menos relutante.

— Eu achava que gostava de garotas e de repente eu gosto do meu melhor amigo, um garoto. Eu estava apavorado. — Jungkook riu, de verdade, e sentiu-se até mesmo mais aliviado ao se dar conta de que aquele sentimento havia melhorado. Ainda existia diversos outros medos ali, mas não aquele, pelo menos. — Esse tempo longe só serviu para que eu tivesse certeza do que eu estou sentindo. — Jimin lhe roubou um beijo na bochecha, e Jungkook sorriu por isso, mostrando os dentinhos. — Eu ainda vou ficar envergonhado por qualquer coisa e paranóico provavelmente, que sejamos pegos, mas eu estou mais tranquilo sobre... a gente.

Jimin não se controlou, e apertou as bochechas de Jungkook após aquela fala. O mais novo resmungou enquanto virava o rosto para se afastar dele e enquanto ria, o loiro o abraçou. Jungkook também riu ao retribuir. 

— Podemos fazer isso. — falou. Se mais para si mesmo ou para Jungkook, jamais saberia. — Dissemos exatamente o contrário há alguns dias, mas... Se ficar longe não deu certo, o contrário tem que dar né? — perguntou, levando Jungkook a rir. — Qualquer coisa, culpamos o fanservice.

— Gosto dessa idéia, mas não acho que dê para aplicar dentro do quarto. 

— Dentro do quarto a gente finge que dormiu vendo filme e pronto. — Jimin tentou. Não era como se aquilo nunca tivesse acontecido, ele só precisava se lembrar disso.

— Falar é mais fácil. — Jungkook respondeu apesar de estar rindo. Sim, já tinham feito aquilo mil vezes, mas era diferente quando sabiam que não eram mais só amigos vendo filmes e sim amigos trocando beijos como namorados.

— Com certeza. — o outro devolveu, mas aproximou seus lábios dos dele independente disso. Jungkook fechou os olhos imediatamente, sentindo os lábios de Jimin roçarem nos seus sem tocá-los totalmente. — Eu vou fazer de tudo pra não surtar de novo. — Jimin sussurrou, sem se afastar. Sua testa tocou na de Jungkook, e o mais novo permitiu que uma de suas mãos se dirigisse até os fios loiros de Jimin, arrastando as unhas por sua nuca. Ouviu Jimin suspirar enquanto se encolhia um pouco mais em seus braços. — Mas você tem que me ajudar também, e isso inclui não arregalar os olhos apavorado sempre que alguém falar de nós dois na mesma frase.

Jungkook acabou rindo fraco com aquela fala, e terminou com um sorriso no rosto, mostrando os dentes enquanto franzia os olhos que acabou abrindo em algum momento no percurso. Jimin beijou a ponta de seu nariz, fazendo com que o sorriso de Jungkook aumentasse com o carinho.

— Argh, você é tão adorável! — Jimin exclamou, e Jungkook teve que se encolher quando ele colocou as duas mãos para frente, como se fosse apertá-lo. Ao invés disso, no entanto, Jimin colou seus lábios e Jungkook imediatamente entreabriu os seus para ele, segurando com mais firmeza em seus cabelos para iniciarem o beijo. A mão livre de Jungkook, até então pousada delicadamente em seu quadril, o abraçou pela cintura e Jimin tomou a liberdade de tocar sua língua com a dele, suspirando baixinho ao sentir o sabor do mais novo enquanto ele o segurava contra si, tomando aquela iniciativa que tão poucas vezes havia tomado.

Jungkook sentia-se eufôrico, um tanto quanto curioso em relação a tantas coisas novas que sentia com Jimin. Ficava surpreso com a intensidade de tudo quando estava daquela forma com ele, um tão perto do outro, sentindo um ao outro, seus bocas movendo-se juntas enquanto se beijavam. 

Jimin se moveu nos braços de Jungkook, trocando de posição a fim de se colocar sentado sobre seu colo como haviam feito no hotel. Jungkook sentiu seu corpo inteiro vibrar com as lembranças dos toques e beijos trocados ali e só pôde pensar que queria sentir tudo aquilo novamente, queria mais. Queria descobrir a si mesmo, queria descobrir Jimin, um pouco a cada dia.

— M... Minnie? — Jungkook gaguejou, interrompendo o beijo para falar. Jimin não se afastou, apenas desceu os beijos para distribuir selares em sua bochecha, depois até seu maxilar e pescoço, levando o mais novo a suspirar enquanto perdia completamente o rumo do que ia dizer. — Minnie... — ele voltou a chamar, ouvindo apenas um "uhm" em resposta, mas Jimin não parou, sugando sua pele e levando Jungkook a segurá-lo com mais força por isso, soltando o ar pela boca enquanto jogava a cabeça para trás sem notar, dando a Jimin mais espaço para beijá-lo ali.

— Quer que eu pare? — Jimin perguntou, mas Jungkook podia sentir o sorriso que ele tinha no rosto, tocando sua pele. Sabia que era apenas provocação do mais velho, ele estava completamente entregue e Jimin via isso, sabia que ele não queria parar, mas perguntou mesmo assim.

— Não. — respondeu mesmo que não precisasse, suspirando quando a língua do loiro tocou sua pele. Quando lembrou-se do que ia dizer no início, no entanto, segurou a cintura de Jimin com mais força. — Quer dizer... S... sim.

— Sim? — Jimin questionou, confuso, e Jungkook corou, respirando fundo quando o outro lhe encarou. Sem jeito, ele mordeu o lábio inferior, e Jimin estranhou a atitude. Ele percebeu que Jungkook queria falar algo, e não parar o que faziam, então continuou enquanto o outro decidia se falava ou não.

Aquilo não ajudava o mais novo, óbvio, mas Jimin não ligou muito.

— Kookie-ah... — Jimin insistiu, manhoso, mas seu tom infantil não foi condizente com a mão que ele desceu pelo abdômen de Jungkook, tocando-o até que sua mão pausasse sobre o cós de sua calça, sem qualquer pretensão de avançar mais que isso. O mais novo engoliu em seco, mordendo o lábio inferior mais uma vez, mas não disse nada. Não tinha o que dizer. O gesto não tinha lhe incomodado dessa vez porque confiava o suficiente no outro pra saber que não avançaria aquele passo sem perguntar, mas isso não mudava a forma como Jungkook se sentia com aquela mão ali, ou a forma contraditória como Jimin conseguia manter no rosto um sorriso tão delicado e inocente enquanto brincava com Jungkook daquela forma. Se Jungkook se focasse apenas naquele sorriso adorável de Jimin, se sentiria a pessoa mais suja do mundo por estar tão nervoso devido aos pensamentos nada puros em sua mente. Se sentiria sujo por estar, até então, pensando em uma forma de lhe pedir para tirar a roupa. Mas então tinha aquela mão de Jimin, brincando no cós de sua calça, mesmo Jungkook sabendo que ele não soltaria o cordão. Só a expectativa, de qualquer forma, já era o suficiente para enlouquecê-lo e Jimin sabia disso, por isso estava fazendo.

— Jimin, só... Me beija. — optou em dizer no final. Não tinha qualquer chance dele conseguir pedir o que queria em voz alta de qualquer forma.

— Mas eu já estava te beijando, Kookie. — Jimin devolveu, diminuindo o tom das palavras conforme voltava a aproximar seus lábios. — Foi você quem parou, lembra? — sussurrou, levando Jungkook a fechar os olhos mais uma vez quando pôde sentir o hálito de Jimin contra seus lábios.

— Minnie... — voltou a chamar quando o outro não deu início a um novo beijo e finalmente, com um sorriso fraco nós lábios, Jimin o fez, levando Jungkook a gemer baixo contra sua língua quando a mão de Jimin, antes em sua calça, foi para sua cintura, o segurando com firmeza.

Deixando a inibição de lado, Jungkook segurou as barras da camiseta que Jimin usava e decidiu, ele mesmo, puxá-la para cima. Talvez, se o tivesse só feito de uma vez, Jimin sequer tivesse estranhado, mas Jungkook foi lento demais, congelando quando a peça estava no meio das costas do mais velho. Jimin acabou rindo contra seus lábios.

— Está tentando tirar minha roupa, Jungkook?

— N... Não! — Jungkook se desesperou um pouco, soltando a peça imediatamente. — E... Eu...

Jimin voltou a rir, e Jungkook olhou para cima como se xingasse a si mesmo por ter gaguejado tanto, e demorado tanto.

— Se queria me ver sem roupa era só pedir, Jungkook.

— E... Eu... Não... Não é isso.

— Jungkook, tudo bem. — Jimin o tranquilizou, lhe roubando um selinho ao segurar sua cabeça delicadamente entre suas mãos. — Você confia em mim?

— Sim.

— Então confie que não vamos fazer nada que você não queira. Não precisamos chegar até o final, mas podemos nos beijar um pouco. — Jimin deixou um beijo em seu pescoço. — E talvez um pouco mais. — ele chupou o pescoço de Jungkook então, tomando cuidado de não o fazer forte o suficiente para deixar marcas. Jungkook suspirou. — Quer que eu tire a camisa, Jungkook? — ele voltou a perguntar, enquanto chupava seu pescoço mais uma vez, e Jungkook concordou com a cabeça enquanto gemia baixinho.
Jimin sorriu, e se afastou o suficiente para segurar a barra de sua própria camisa, mas foi ai então que cometeu o erro.

A cama de Jungkook não era longe o suficiente do teto para que fosse possível se sentar e o mais velho não considerou esse detalhe quando se sentou rápido demais. O barulho da cabeça de Jimin batendo contra o teto foi alto e Jungkook arregalou os olhos assustado, dividido entre a preocupação e o riso enquanto Jimin segurava a própria cabeça. Resmungando de dor, o loiro escondeu o rosto no peito de Jungkook.

— Machucou? — Jungkook perguntou, mas apesar do riso, segurou a cabeça de Jimin também, por cima das mãos pequenininhas do mais velho enquanto este concordava.

— Isso foi Jimin tentando ser sexy. Só quem pontuou foi o teto. — resmungou abafado contra o peito do outro que acabou rindo com aquela fala, recebendo uma mordida na clavícula por isso, rindo ainda mais. — Não ri de mim!

— Então para de me fazer rir. — Jungkook devolveu, mas Jimin só teve tempo de olhar feio para ele antes da porta se abrir e Hoseok colocar a cabeça para dentro.

— Jungkook-ah... — ele se interrompeu, encarando os dois com aquela expressão tão típica de confusão que praticamente era possível enxergar a interrogação sobre sua cabeça.

Jungkook imediatamente ficou tenso, e sentiu Jimin ficar da mesma forma enquanto rolava para o lado. Aquela situação trouxe péssimas recordações a Jungkook, e odiando muito mais a ideia de perder Jimin de novo do que a de ser descoberto, se obrigou encarar Hoseok com a mesma confusão, como se não tivesse absolutamente nada demais no que estavam fazendo.

E não tinha mesmo, se obrigou a lembrar. Dormiam abraçados na mesma cama praticamente todos os dias. 

— Uhm? — verbalizou apenas, e Hoseok apontou para os dois.

— Trocaram? Achava que era você quem fugia para a cama do Jimin. — ele falou, e Jungkook deu de ombros como se aquilo não importasse. Mentalmente, ele brigava consigo mesmo "viu, nada demais, Hoseok não viu nada de errado no abraço, provavelmente teria se jogado sobre os dois se a cama não fosse no alto". — Jungkook? — Hoseok voltou a dizer, e dessa vez ele nem precisou fingir a confusão quando o encarou. — Vamos. 

— Ahn? — perguntou, e então notou que Jimin, em algum momento, já tinha pulado da cama. Isso porque ele se perdeu em pensamentos por menos de um minuto. Jungkook encarou Jimin, e piscou duas vezes, levando os outros dois ali a rirem. 

— Jantar, Kookie. — Jimin falou, e o mais novo abriu a boca em um "ah" antes de descer também da cama, seguindo até Jimin que o esperou na porta enquanto Hoseok já havia saído. — Tudo bem? — Jimin sussurrou, segurando sua mão, e Jungkook acenou positivamente com a cabeça duas vezes, sorrindo em seguida. Estava um pouco nervoso sim, pelo quase flagra, mas até que não foi tão difícil disfarçar. 

— Tudo bem? — perguntou também, e Jimin suspirou ao concordar, sorrindo em seguida. 

— Sim. É só não surtar. — respondeu, e Jungkook acabou rindo. Jimin falando para alguém não surtar quando era o mestre do surto chegava a ser cômico, e ele sequer precisou dizer qualquer coisa para que Jimin entendesse que ele ria disso. — Ya! Não ri de mim! — surtou, aos berros, mas Jungkook conseguiu se esquivar do beliscão que quase tomou, correndo para fora do quarto com Jimin logo atrás.

No final, acabaram nem chegando em um acordo sobre como fazer aquilo de tentar, mas não importava. Só de saber que tentariam já deixava o maknae satisfeito e ele faria sim o possível para que tudo continuasse bem.

 

✘✘✘

 

— Comida! — Taehyung vibrou, erguendo ambos os braços para cima enquanto comemorava, vendo Jin e Hoseok entrarem na sala com quatro caixas de pizza cada um. Sim, eram oito caixas para sete pessoas e com certeza ainda tirariam "dois ou um" para saber quem ficaria com o último pedaço (que eles provavelmente dividiriam de qualquer forma no final). Certas coisas nunca mudariam.

— Eu quero a caixa extra de calabresa! — Jungkook ergueu um dos braços, levantando-se em um pulo do sofá. Jimin, quem ele esqueceu que tinha a cabeça deitada sobre seu ombro, caiu de lado e o maknae olhou para ele, rindo daquilo. Jimin tentou fazer um bico emburrado, mas acabou rindo junto ao ver todos os dentinhos de Jungkook aparecendo naquela risada, enquanto franzia o nariz de forma adorável. Fingindo estar bravo com o mais novo por fazê-lo rir, o acertou com uma almofada, mas o outro não teve tempo de discutir pois Yoongi ignorou completamente aquela pequena cena para gritar com o mais novo:

— Você quer é sentar ai e esperar sua vez! — apontou para o sofá, e Jungkook apenas riu mais. Tinha pedido a caixa apenas porque sabia que iriam negar.

— Nada aqui é seu pra fazer exigências! — Jin ralhou também, tão escandaloso quanto era normalmente e enquanto o mais novo ria, Taehyung acenava freneticamente com a cabeça em concordância. 

— Isso! — apoiou o mais velho.

— Se eu quiser sumo com todas as caixas porque eu que comprei. — Jin continuou, o ignorando.

— Iss... — Taehyung começou, interrompendo-se ao compreender a fala do outro. — Espera, o quê?

— Fome, alimento... — Jimin os interrompeu ao choramingar, erguendo as duas mãos na direção das caixas que Jin ainda não havia colocado sobre a mesa. Hoseok, que carregava quatro delas, passou por Jin para soltar as suas, levando uma consigo até o sofá onde Jimin estava. O loiro sorriu largo, sentando-se apenas para que Hoseok o fizesse também, ao seu lado, para abrirem juntos a caixa.

— Por que ele pode?! — Jungkook, que acompanhava a cena com o olhar, apontou implicante para os dois, mas quando se voltou para Jin, mais duas caixas já estavam abertas e tanto o mais velho quanto Taehyung já mordiam o pedaço de pizza que havia pego em algum momento. Jungkook deixou o queixo cair, vendo Yoongi pegar seu próprio pedaço com Hoseok em seguida.

— Você fala demais. — Taehyung disse de boca cheia. Todos já tinham se servido e Jungkook ainda estava de pé tentando entender como todos foram tão rápidos.

Por fim, o maknae apenas deu de ombros, sem realmente se importar para aquilo, e pegou um pedaço também, sem nem olhar qual era. Nenhum deles tinha qualquer frescura para comer e mesmo que tivessem, estavam esfomeados demais para se importar com isso agora. Haviam passado o dia fora graças aos eventos do festa e finalmente estavam tendo o descanso que mereciam, mesmo que este fosse durar apenas algumas horas.

Jungkook suspirou, e sentou-se no chão mesmo, com as costas contra o sofá onde Jimin estava. Poderia ter se aproveitado da falta de espaço para ele nos sofás para se sentar em frente a mesa, próximo de todas as caixas de pizza, mas estava cansado demais para isso, preferiu apoiar-se no encosto a ficar ali.

— Uhm? Já vai parar? — Hoseok perguntou, e Jungkook olhou para trás vendo Jimin deitado com a cabeça em seu colo. Jimin resmungou qualquer coisa, abraçando o mais velho pela cintura. 

— Estou cansado... — choramingou arrastado. — Hobi hyung, me alimenta. — Jimin abriu a boca, e Hoseok abaixou seu pedaço de pizza até a boca de Jimin quando este a abriu. O loiro não esperava de verdade que Hoseok o fizesse porque sabia que estava abusando da boa vontade alheia, mas ele fez mesmo assim, porque aquele era Hoseok e atender todas as vontades dos mais novos era exatamente o que ele fazia. 

Jimin sorriu para ele antes de mastigar, aconchegando-se um pouco mais no colo do mais velho e Jungkook sorriu brevemente para a cena antes de se virar para frente de novo, esticando-se para pegar mais um pedaço.

— Hyung? — Taehyung chamou Yoongi, esparramado no sofá, e o mais velho o encarou. — Me alimenta também? — perguntou, sabendo muito bem a resposta. Yoongi apenas revirou os olhos e enquanto Taehyung suspirava, fingindo decepção, Jungkook ria dos dois.

Podia estar exausto, mas estar com os seis do final do dia, fazendo nada além de estarem na presença um do outro, já era reconfortante. Serem sete era reconfortante, assim como terem um ao outro.

— Jungkook-ah. — Hoseok chamou, e o garoto o encarou, tirando-o de seus devaneios. — Pega outra caixa. — pediu. A que estava com Hoseok anteriormente já havia rodado a sala inteira e agora estava com Taehyung do outro lado. Jungkook o obedeceu, mas sorriu ao ver Jimin abrindo a boca outra vez, agora para ele. Jungkook colocou um pedaço em sua boca para que Jimin mordesse, e descansou a cabeça sobre a barriga de Jimin em seguida, mordendo ele mesmo mais um pedaço.

— Jimin está quente. — Hoseok falou, após alguns instantes, e Jungkook o viu com uma das mãos na testa do loiro.

— Eu sou quente. — Jimin brincou, logo em seguida abrindo novamente a boca para que Jungkook o alimentasse mais uma vez.

— Está doente? — Taehyung perguntou, parando de mastigar o pedaço em sua boca imediatamente ao encarar o amigo com preocupação.

— Minha garganta dói, mas só um pouquinho. — Jimin fez sinal com a mão, indicando "um pouquinho" com os dedos. — Amanhã estou bem.

— Se tem febre, não vai estar bem amanhã. — Namjoon falou, levantando-se no mesmo instante para procurar remédios para o mais novo.

— Não seja pessimista. — Jimin resmungou, abrindo a boca outra vez quando Jungkook ofereceu mais um pedaço, sem que ele precisasse pedir. Também estava preocupado agora, tinham um novo show amanhã, dali algumas horas, e uma das piores sensações era fazer show daquela forma, com a garganta dolorida. Cantar por horas já exigia muito da garganta, cantar daquela forma era praticamente uma tortura. E Jimin já se cobrava demais mesmo quando tudo estava bem. Quando estava doente então, ninguém conseguia tirar de sua cabeça toda a cobrança que ele fazia sobre si mesmo, ou os comentários ruins. 

— Está doendo pra comer? — Jungkook perguntou, e o loiro negou, aceitando mais um pedaço que ele ofereceu. 

— Vou estar melhor amanhã. — insistiu, mas Namjoon mesmo assim já estava voltando com um comprimido e um copo d'água.

— Para garantir. — estendeu ao garoto, que se sentou para tomar o remédio. — Temos que sair cedo amanhã, e vai ser mais um dia cansativo. 

— E ainda temos que arrumar as malas. — Jin lembrou, e todos resmungaram insatisfeitos por isso, Jimin deixando o copo de lado para se encolher no colo de Hoseok novamente.

— Ele está doente. — Yoongi afirmou, só de olhar para o loiro de longe, e Jimin olhou feio para ele por isso.

— Não estou.

— Você parece um gato manhoso quando está doente. E está agindo como um gato manhoso agora.

— Eu não sou um gato, você é um gato. Eu sou uma fada.

— Uma fada anjo. — Taehyung debochou, usando as palavras de Jimin em algum momento, e o loiro lhe mostrou a língua, sem se importar de verdade com o comentário.

— Você está com inveja porque eu sou uma fada. — retrucou, mas deixou a boca aberta quando viu Jungkook abrir a sua para morder mais um pedaço de pizza. Antes do garoto comer, acabou dando um pedaço a Park que sorriu satisfeito.

— Está mais para bicho preguiça. — Jungkook reclamou, mesmo que gostasse de mimar o outro.

Jimin lhe empurrou com o pé, de leve, para puní-lo pelo comentário.

— Me respeite. Sou seu hyung e estou doente.

— Você não disse que não está doente? — Namjoon perguntou.

— Estou doente para quem for me alimentar. — sorriu, fazendo Jungkook rir antes de levar pizza até sua boca outra vez.

Jimin estava adoecendo, Jungkook reconhecia os sinais, assim como todos os outros, mas não disse mais nada, não tinha o que fazer além de torcer pela melhora do outro no dia seguinte, porque as oito da manhã já tinham que estar dentro de um avião de volta para o Japão, as onze passando o som para as dezenove, fazer mais um show. A rotina era cruel as vezes, e não permitia espaço para ficarem doentes.

 

✘✘✘

 

— Minnie, Kookie... — Jungkook ouviu um cantarolar ao longe, e no instante seguinte, sentiu o peso de algo sobre si. Algo ou alguém. — Minnie, o vôo é em uma hora e você ainda não fez as malas. 

— Uhmm... — foi Jungkook quem resmungou, em um pedido praticamente não verbal para que calassem a boca. Ele sequer estava consciente o suficiente para reconhecer a voz de que falava, mas não importava porque ele só queria silêncio para continuar dormindo. A cama era confortável, quentinha e ele estava agarrado em Jimin igual a um bebê coala, mas não estava plenamente ciente disso ainda. Sabia apenas que estava confortável o suficiente para não querer levantar. 

— Levanta, Jungkook. Só um pode ficar doente por vez. Não temos espaço para duas crianças manhosas ao mesmo tempo.

— Não sou uma criança. — resmungou, mas apenas se encolheu mais onde estava, escondendo o rosto contra o pescoço de Jimin, agora já mais desperto. Bastou mencionar a doença do outro para que a preocupação lhe obrigasse a acordar. Aproveitou-se da posição para tentar sentir a temperatura do loiro, mas ele era péssimo nisso, normalmente ele era cuidado e não quem cuidava. Quer dizer, não daquela forma, Jungkook costumava ser mais sutil nos cuidados, quase como Yoongi. Ele se preocupava, só não sabia muito bem o que fazer as vezes.

— Mas parece um bebê manhoso. — Hoseok abraçou os dois mais novos pelo pescoço, ainda jogado sobre os dois. — Vamos, levantem. — insistiu, os sacudindo de leve.

— Não dá pra levantar com você por cima, hyung. — foi Jimin quem resmungou, a voz sempre tão doce e suave ligeiramente rouca pela falta de uso, mas o que preocupou Jungkook foi o fungar que veio depois, seguido por um resmungo.

Hoseok rapidamente se sentou na cama, saindo de cima dos dois, e Jungkook repetiu o gesto para encarar o loiro, que ao invés de levantar também, apenas se encolheu mais embaixo das cobertas, escondendo-se até a cabeça.

— Minnie... — Hoseok o chamou, afastando a coberta delicadamente. — Não está melhor, está? — perguntou, mas os dois sentados sabiam bem a resposta para a pergunta, estava evidente e quando Jimin negou com a cabeça, não foi exatamente surpresa. — O que está sentindo?

— Minha garganta. — resmungou, encolhendo-se agora no colo do mais novo já que Hoseok o havia obrigado a acordar e por a cara para fora. Não que aquele fosse o problema exatamente. O problema era que não era apenas a garganta que doía. Ele sentia o corpo inteiro mole e dolorido, seus olhos ardiam só de estarem abertos, seu nariz estava escorrendo e ele sabia que tinha gripado de vez, mas preferia não preocupar os outros demais, especialmente porque tentariam convencê-lo a não fazer o show e isso não ia acontecer.

A verdade era que ninguém os obrigava a subirem no palco doentes, partia deles não querer deixar não só o público na mão, como também um ao outro. Não era fácil ter que mudar as coisas de última hora para suprir a falta de um deles. Seria um trabalho gigantesco para pessoas demais, fora a decepção que os fãs teriam com um show incompleto. Fãs que esperaram tanto tempo, ansiosos pelo evento.

— Vou trazer remédio, e algo para comerem. — Hoseok falou, já de pé, caminhando até a porta. — Mas vocês precisam levantar, e fazer as malas. Saímos em uma hora e vocês sabem que o aeroporto vai estar tudo cheio de repórteres.

Os dois garotos concordaram enquanto o mais velho deixava o quarto, só então notando que aquele tempo todo com Hoseok, Jimin não só tinha a cabeça no colo de Jungkook, como também o mais novo remexia em seus cabelos e nenhum dos três se importaram. O mais velho sequer notou qualquer coisa errada, e olha que Jungkook, apesar de não recusar carinho ou de alguns abraços e apertões aqui e ali, não era muito do tipo que fazia carinho e cafuné apenas para ser dócil. Normalmente ele se jogava por cima de alguém e apertava até que gritassem com ele.

Jimin sorriu brevemente para o mais novo, sentindo-se satisfeito por não terem surtado daquela vez. Se pudessem se manter sempre assim, poderiam ter tudo. Poderia namorar Jungkook e manter aquela família, porque para ele, seus amigos eram como sua segunda família. Ele fechou os olhos, voltando a relaxar sob o carinho do mais novo que se aproveitou daquilo para analisar todos os detalhes do mais velho. As bochechas gordinhas ainda marcadas do travesseiro, os olhinhos inchados, o cabelo loiro com raiz por fazer, os lábios rosados e cheinhos que Jungkook gostava tanto. Ele era simplesmente perfeito.

— Temos que levantar, Jiminie. — Jungkook falou, descendo o carinho para o rosto do menor. — Precisamos nos vestir, e fazer a sua mala.

— Não quero fazer a mala. — resmungou, o abraçando pela cintura. — Quero ficar deitado, dormindo. — fez bico, e o mais novo imitou o gesto, recebendo um beliscão na barriga por isso. Jungkook apenas riu, e o outro o beliscou outra vez. — Paraaa, eu estou doente e debilitado.

— Você está falando demais pra quem tem dor de garganta.

— Você está duvidando da minha doença? — Jimin levou uma das mãos ao peito, fingindo estar totalmente ofendido, e Jungkook apenas riu outra vez.

— Vamos, levanta logo. — Jungkook o puxou pelos braços para que sentasse, mas Jimin se jogou em cima dele assim que se sentou, sentindo o corpo reclamar dolorido pelo movimento. Jungkook tentou lhe roubar um beijo enquanto o abraçava, segurando Jimin pra que não caíssem deitados sobre a cama, mas o loiro desviou o rosto, fazendo com que Jungkook beijasse apenas sua bochecha quente. Estava ligeiramente febril sim, o maknae pôde notar, preocupando-se novamente.

— Para, eu estou doente. — Jimin resmungou, escondendo o rosto em seu pescoço, e se Jungkook tinha dúvidas ainda de que ele tinha febre, não teve mais depois daquilo. Ele acariciou os cabelos do mais velho, o mimando enquanto esperava que Hoseok voltasse com o remédio.

— Mas eu quero um beijinho, hyung. — Jungkook fez bico, entrando naquele jogo manhoso, e Jimin simplesmente o encarou de queixo caído, se perguntando como diabos deveria lidar com aquilo. Jungkook falando mole, no diminutivo, pedindo beijo e ainda com um "hyung" no final da frase. Ele queria era agarrar aquele garoto e apertá-lo, soltando só quando os olhos pulassem para fora. Como podia ser tão adorável?

O mais novo riu, e aproveitou-se da distração do outro para roubar o selinho que queria. Jimin, só então, notou que ele tinha falado daquela forma de propósito para chamar sua atenção.

— Você é ridículo.

— E você é um bebê grande e preguiçoso. — retrucou, finalmente levantando-se da cama e obrigando Jimin a fazê-lo também ao levá-lo junto. — Vamos, se você tomar um banho e se vestir, eu faço suas malas pra você.

— Sério? — o rosto de Jimin se iluminou, e Jungkook riu. — Quer dizer... Só deixo se você me chamar de hyung de novo.

— Então faça suas próprias malas.

— Jungkook-aaaaah... — resmungou arrastado, deixando o corpo pesar mais sobre Jungkook ao se jogar sobre ele. O outro sorriu.

— Por que esse apego emocional com o "hyung"?

— Porque eu sou seu hyung e estou doente, você tem que me agradar.

Sem deixar o sorriso morrer em seu rosto, Jungkook apenas negou mais uma vez com a cabeça e Jimin soltou uma exclamação alta, soltando-se do mais novo e seguindo para a porta do quarto para poder ir ao banheiro, finalmente dando-se por vencido.

— Arrume minha mala, você prometeu. — falou, fingindo estar bravo ao pisar duro para fora do quarto.

Parecia um ursinho, Jungkook não deixou de notar. Pequeno, pijamas largos, o cabelo bagunçado e a bunda grande e fofinha atrás.

Quando percebeu que estava olhando a bunda do mais velho, arregalou os olhos, desviando o olhar imediatamente, corado, mas ainda assim não perdeu a chance de provocar o garoto mais uma vez antes que ele saísse.

— Hyung? — o chamou, e Jimin se virou para ele um tanto quando sorridente pelo uso do honorífico. — Você consegue alcançar o registro sozinho ou precisa de ajuda pra ligar o chuveiro? — provocou, fazendo piadinha com altura só porque sabia que o outro odiava e Jimin deixou o queixo cair completamente ultrajado, como se Jungkook tivesse ofendido sua honra.

— EU SOU SÓ QUATRO CENTÍMETROS MAIS BAIXO QUE VOCÊ, JUNGKOOK! QUATRO! — gritou, e Jungkook apenas riu. Riu não, gargalhou, jogando a cabeça para trás e tudo, e Jimin urrou por ter sorrido com aquela gargalhada. Aquele menino o mataria qualquer dia com tanta fofura.

— Jimin, Jimin, Jimin, tem outra, tem outra! — falou em meio ao sorriso.

— Eu não quero ouvir! — Jimin cobriu os ouvidos, e se colocou para fora do quarto, mas Jungkook o seguiu para fora.

— Jimin, Jimin, quando a água chega em você, já está fria?

— Ah seu...! — Jimin tentou chutá-lo, mas Jungkook já corria de volta para o quarto pra fazer o que havia prometido e arrumar a mala do mais novo. Havia percebido que ele estava fingindo estar melhor do que estava de verdade e quanto mais pudesse ajudá-lo, melhor. Teriam um longo dia pela frente, e seria pior para Jimin. O quanto pudesse poupá-lo, pouparia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...