1. Spirit Fanfics >
  2. Abruptamente. >
  3. Bom dia, borboleta

História Abruptamente. - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Saudades de escrever.

Capítulo 2 - Bom dia, borboleta


- Você me parece terrivelmente saborosa. - Me viro e encontro o dono daqueles olhos azuis. Ele se aproxima de mim e eu me afasto confusa, até sentir a parede atrás de mim. - Uma gatinha assustada. Ele coloca sua mão no meu rosto e acaricia. 

- Que porra é essa? 

- Eu não sei, só tô sedento para te beijar... - se aproxima lentamente em direção aos meus lábios e...

PIN. PIN. PIN.PIN 

Abro os olhos com o barulho desagradável do despertador. Eram 7 horas da manhã, eu tinha 30 minutos para me arrumar. Desliguei o despertador é cobri o rosto com as mãos. Que sonho ferradamente bom. 

Quem é aquele garoto? Balanço a cabeça, vou me atrasar. Sento na cama, mas foi tão rápido que me dá uma tontura leve. Droga, odeio quando acontece. Espero amenizar e calço as pantufas. 

O banheiro é no meu quarto então vou lá ver a beleza matinal, cara inchada e remela nos olhos. Cabelo desgrenhado e certo bafo. Bom, tudo normal por enquanto. Faço minha higiene pessoal e passo para o guarda roupa. Coloco meu uniforme e um laço básico no cabelo. Pego minha bolsa azul com tons roxos e desço para comer algo. 

É a vantagem de morar sozinha, ou devo dizer desvantagem? Não tenho tempo para fazer café, pego um pão com manteiga e vou rumo a escola. Não tenho moto, então considere minha caminhada desagradávelmente longa. Preciso falar com a Pattie. Eu não abri meu celular hoje. Estou estranha. 

Peguei ele na bolsa e liguei os dados móveis. Subiu 300 mensagens de 17 conversas. Achei bastante coisa. Abri o aplicativo do Whatsapp e todo mundo perguntando se eu estava bem, se sabia o que tinha ocorrido. Que pegadinha é essa? Pensei comigo mesma. Abri o grupo da escola e MEU DEUS. A Pattie... Não, não. A Pattie morreu ontem a noite por asfixia. Meu celular cai no chão por fraqueza das minhas mãos e eu sinto minha consciência apagar. 

- Moça, acorda! Amor, liga para a ambulância. - Ouço uma voz feminina. 

- Parece que ela está acordando. - A voz masculina replica. Meus olhos tentam se acostumar com a situação. Várias pessoas estavam me olhando enquanto o casal tentava me erguer.

- O que aconteceu? - pergunto confusa. 

- Te encontramos caída no chão. Você tá bem? - A mulher com aparência gentil estava com um olhar preocupado. 

- Eu... - lembro das mensagens. - não tô. Minha melhor amiga morreu, eu não tô nada bem. - lágrimas escorrem sem parar pela minha face enquanto a mulher me enlaça em um abraço terno.


Notas Finais


Oi, quanto tempo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...