1. Spirit Fanfics >
  2. Academia de Vampiros - A saga >
  3. A Cerva Albina

História Academia de Vampiros - A saga - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um capítulo para vocês.
Tenham uma ótima leitura.

Capítulo 6 - A Cerva Albina


Fanfic / Fanfiction Academia de Vampiros - A saga - Capítulo 6 - A Cerva Albina


Capítulo 06

A cerva albina


Ariel


No outro dia levantamos, Mariana me convidou para um treinamento mais forte, ela disse que eu preciso, mas eu estava de mal humor, quando acordei... quer dizer, fui acordada.


Flashback


Meus olhos estão fechados, meu sono está tão bom agora, eu poderia dormir a vida toda.

- Acoooorda meninas! - É a voz da tal de Lise.

“Não foi um pesadelo?”

- Bom dia Lise. - Ouço Kenzi dizer, eu ainda estou de olhos fechados, me sentindo cansada.

- Ei, Ariel acorda. - Lise me balança.

“Aaah”

"Estou ficando com raiva"

- Calados. - Murmuro cobrindo a cabeça com o cobertor.

-Lise, ela não gosta que acorda ela assim, ela fica de mal humor, tem quer ser delicada. - Ouço Kenzi dizer.

"Arg, vou explodir"

-Ari...- Ouço Kenzi chegar perto de mim.

- JÁ ACORDEI MERDA! MAIS QUE PORRA! -Grito enquanto me levanto brava.

- Olha o linguajar. – Kenzi.

- FODA-SE! - Vou para o banheiro

- Eu avisei. – Ouço Kenzi dizer.


Flashback off


Eu sei, me extrapolei, eu exagerei pra cacete, mas não dormi nada nessa noite, sonhava com um homem na qual eu não conheço o rosto e no sonho ele dizia que ia me pegar e me matar.

- Provavelmente estou tendo surtos em relação a Edigar, meu pai. – Murmuro.

Estou num campo aberto com Mariana apenas, Lise e Demétrio foram ensinar Kenzi ataque e defesa.

- Porque não estamos na área de treinamento de magia? - Perguntei, afinal é lá que treinamos. Ela sorri como um mágico em seus segredos.

- Como sabe, você foi abençoada com poderes e um desses, é o dom da amizade que você tem com a natureza, e quando digo natureza, envolve plantas e animais. - Diz Ela. - Então, vamos começar com uma coisa simples. - Ela tira um vaso com terra de sua bolsa pequena e coloca na minha frente ao gramado, me ajoelho diante o vaso.

- Dentro desse vaso, contem uma semente de ameixa, quero que a faça crescer.

- Como vou fazer isso? - Perguntei cética

- Concentre sua energia nela, querida e deseje que ela cresça, não é difícil, é como quando você move os objetos.

-....Ok.

- Mas lembre se, precisa acreditar que vai acontecer.

- Certo. - Respondo.

Começo a me concentrar sobrepondo as mãos em cima do vaso. Fecho meus olhos.

- Relaxa. - Escuto ela dizer. – Escuta a natureza lhe chamando.

Sinto um pequena energia passar por mim, depois de alguns segundo abro os olhos e apenas vejo um pequeno galho.

- Tente de novo. - Diz ela.

Fecho os olhos novamente e repito todo o procedimento.

Abro os olhos e suspiro desanimado, o galho não cresceu mais nada.

- Que merda. – Resmungo. Olho pra Mariana que está séria.

- É só isso que sabe fazer? – Diz ela.

- Eu não consigo fazer mais que isso ok. – Respondo impaciente.

- Faça mais! Por que se é só isso que sabe fazer, você vai matar a si mesma com tão pouco e levar todos com você, não seja inútil.

"Inútil?".

- Escuta, vai a merda beleza? Mas que droga, você quer ver o que eu posso fazer? - Me levanto estendendo a mão para o vaso na grama. - Eu não sou a merda de uma INÚTIL.

Um energia forte se espalhou pelo meu corpo rapidamente, então o pequeno galho cresceu muito rápido seguindo minha mão, dando frutos de ameixa.

Me assusto.

- Cacete. - Murmuro impressionada. A árvore não para de crescer.

- Hamm, Mariana ela não para de crescer, me ajuda aqui. - Digo assustada.

- A energia vem de você, pare de mandar energia pra ela. - Diz ela.

- O que eu faço? Falo pra ela parar? – Pergunto desesperada.

- Veja de onde você está enviando sua energia e cessa. – Diz Mariana.

Então eu abaixo minha mão, a semente de ameixa virou um pé de ameixa enorme, fora do comum.

"Quase ouve um caos"

- Desculpe. - Me virando para Mariana, a mesma está olhando para o pé de ameixa, com um sorriso impressionado.

- Não peça desculpas por algo incrível que fez. Eu percebi que seu poder não é ativado por apenas concentração e relaxamento, e sim pela concentração e raiva, a raiva estimula o poder, a energia que tem dentro de você. - Diz ela.

- Por isso me deixou com raiva. - Pergunto mais afirmando.

- Sim, eu fiz um teste e seu poder não evoluiu na forma relaxada, mas com raiva sim.

Me impressiono comigo mesma.

- Caraca...


Kenzi


Um escorregão e uma queda, sinto minha cara amassar no chão.

- Como que Ariel consegue treinar com você? -Pergunto me levantando e olhando para Demétrio que está dobrando a manga de sua blusa. Ele ri ironicamente.

- Você é uma vampira, deveria ser mais rápida e deveria passar mais tempo treinando, do que só se alimentando. - Diz ele.

Dou um sorriso de derrotada pelo seu comentário.

- Vamos de novo. - Diz Demétrio se colocando na pose de lutador, eu ia pra cima dele mas Lise aparece com uma leg e um cropped preto e um ténis esportivo rosa e preto. Meu coração pula.

- Demétrio, Tathiana está te chamando na sala dela. -Diz ela

- Diretora Tathiana. - Corrige ele, Lise revira os olhos-Senhorita Mackenzie, Lise irá assumir meu lugar agora. - Demétrio se retira.

- Chato- Diz Lise e nós rimos.

- Não sabia que namoravam. – Falo, ela sorri.

Rapidamente ela vem pra cima de mim sem avisar, me pegando de surpresa, caio no chão, ela fica por cima de mim.

- Não somos namorados, ele é meu primo, vamos dizer, que eu não gosto dessa fruta. - Ela olha nos meus olhos sorrindo.

"Caraca ela é linda"

Ela chega mais perto...


Ariel


- O que vamos fazer com ela? - Pergunto para Mariana, enquanto estamos admirando esse pé de ameixa enorme.

- Deixa ela ai, registro. - Diz ela.

- Ok.

De repente minha Kenzi visão ativa, sinto Mariana segurar meu braço.

Vejo Lise por cima, perto do meu rosto (de Kenzi) meu coração está batendo forte, esse sentimento de borboletas voando pelo meu estomago...Lise esta chegando mais perto...

Ouço a voz de Nikolai, o garoto esquisitão.

- Olha minha gatinha ai. - Diz ele para Kenzi, as duas se levantam.

Sinto o sentimento de Kenzi, é raiva e tristeza por ele ter chegado, ele a abraça e não sinto que ela goste disso.

De repente, eu volto ao normal.

- O que viu? - Pergunta Mariana.

- Nada Mari, só a Kenzi conversando com Lise, nada demais. – Respondo. - E então, o que vamos fazer?

Ela sorri e assobia olhando para o céu, do meio das poucas nuvens cinzas surgiu uma águia que sobrevoou por nós por alguns segundos, Marina estendeu o braço e a águia posou com cuidado, fiquei admirada em como ela é grande, suas penas são branquinhas com algumas penas verde-água.

- Essa aqui é Defit, ela é uma águia amiga e uma guia, quero que controle um animal ou ave.

- Vai me levar pra escolher um animal? - Pergunto.

- Não, eu não, você vai escolher sozinha. – Diz ela. Olho para os lados, apenas vendo os pinheiros ao redor do extenso campo.

- Não parece ter muitos animais por aqui.

Ela suspira, acariciando sua águia.

- Ariel, primeiro vou te explicar, uma bruxa tem o direito de ter apenas dois animais com ela, ela faz a escolha um animal vai servir para guiar, te acompanha e te trazer benefícios, ser seu amigo, o outro vai servir para te proteger, de qualquer coisa que você se sinta devidamente ameaçada, você vai arrumar dois jeito diferentes para os chama-los, lembre se, independente dessa criatura ser um ser conhecido pela raça humana, ele é sobrenatural e é poderoso. Primeiro vai ser seu guia....Quero que se concentre, pensa em um animal que seja útil pra você, que você acha que vai ser uma amigo pra você.

- Eu devo criar um animal?!

- Não, eles já existem, só precisa chama-los. – Ela sorri, misteriosamente.

Fecho os olhos, me concentrando, lentamente se formando no abismo da minha mente escura, surgiu um cervo, talvez pelo que eu encontrei no meu primeiro dia aqui, mas não é igual ele é resplandecente, a forma de um cervo branco, mas tão luminoso.

- Depois que imaginar, quero que assobie.

Continuo o observando, sei que é ela, fêmea, então assobio, ainda na minha mente o cervo vem correndo em minha direção em seguida se explodindo em luz, abro os olhos porém não vejo nada

- Acho que não funcionou.

- Funcionou sim, olha lá. - Diz Mariana, me viro, e vejo um cervo branco, resplandecente, correndo em minha direção, o mesmo para de vagar diante de mim, e abaixa a cabeça como se fizesse sinal de reverencia, a comprimento com a cabeça ainda perplexa, me aproximo dela, que se ergue em sua posição normal.

- Ela é linda, deve dar um nome pra ela. -Diz Mariana.

Faço carinho em sua cabeça.

- Diana. – Falo. – Seu nome é Diana.

O cervo vem até mim, me cheirando e me lambendo.

- Parece que ela gostou. - Diz Mariana rindo.

- Ela é linda. – Murmuro ainda fazendo carinho nela. – Não acredito que fiz isso.

De repente Diana dá dois passos para trás, faz o sinal de reverência e corre em direção a floresta e some no meio das árvores.

- Onde ela foi? - Pergunto confusa.

- Ela agora está ao seu dispor, vai vim quando precisar.

- Uau...Eu tenho uma cerva albina , isso é demais



Notas Finais


Até o próximo capítulo para vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...