História Academy of Legends - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias League Of Legends
Personagens Ahri, Caitlyn, Garen, Katarina, Lux, Riven, Syndra, Talon, Vi, Vladimir, Yasuo, Zed
Tags Colegial, Comedia, Comedia Romantica, Escolar, Romance
Visualizações 391
Palavras 1.626
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, FemmeSlash, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hoooi, pessoal!!
Bom, para quem não sabe, esse capítulo foi editado! Não houve grandes mudanças, mas aí está!

Boa leitura! ^^

Capítulo 1 - Confusão chegando


 

Lá estavam elas, Ahri, Syndra e Katarina, três amigas de infância entrando no tão famoso instituto acadêmico de Samuel's Drift.

— Como vocês acham que vai ser? — perguntou Ahri com empolgação, se pendurando no pescoço das duas amigas num gesto carinhoso.

— Uma merda — disse a maga, mal-humorada. Talvez até mesmo sua aparência ajudasse na primeira má impressão que causara, julgando seu casaco preto em tons roxos por cima do uniforme da escola. — Não sei como me arrastou até aqui...

— Faço das palavras dela as minhas, isso vai ser um tédio! — concordou Katarina, enquanto ajeitava o casaco de couro que usava. Suspirou, levando as mãos ao comprido cabelo ruivo, os arrumando rapidamente. — Ahri, você tem mais problemas que a Syndra, e olha que ela é a problemática!

— Como é!? — berraram as duas magas, em uníssono.

Depois de trocarem olhares indignados e outras expressões irritadas, as garotas terminara toda aquela discussão em risos, percebendo que a afirmação de Katarina sobre ambas era verdadeira.

Entraram nos portões da escola e passaram pelos corredores. Syndra e Katarina agarravam-se cada uma no braço de Ahri, com uma mistura de receio e aversão. Aquela situação era difícil para as duas, considerando suas personalidades difíceis e suas memórias de infância.

Todavia, Ahri era como uma criança em um local novo, fascinada com tudo que via e percebia. Mas nem mesmo sua empolgação conseguiu contagiar as assustadas Syndra e Katarina.

Dentre todas os outros diferenciais de Samuel’s Drift de outros colégios, era importante destacar os próprios alunos. Alguns eram demacianos, noxianos e tinham até zaunitas e piltovenses ocupando o mesmo espaço. Ou seja, todos de regiões diferentes e, muitas vezes, opostas, como a famosa rixa entre Demacia e Noxus. Aquele era chamado de “o lugar que todos podiam se misturar sem o preconceito de suas nações”.

O sinal tocava, ecoando por todo o colégio, fazendo com que as três parassem o passeio pelo colégio e rumarem até sua classe. A diretora as guiava até a sala de aula que frequentariam pelo resto do terceiro ano.

Foram até a frente da sala ao lado da diretora Fiora, que mantinha o semblante sério, porém suave e calmo. Ela gesticulava um breve sinal, indicando que as garotas deveriam se apresentar.

A primeira a tomar iniciativa foi Ahri, animada com toda aquela nova experiência:

— Meu nome é Ahri e sou uma vastaya de Ionia. Vim junto das minhas amigas, espero que possamos ter um ótimo ano pessoal! — apresentou-se rapidamente. Com um sorriso ousado, ela fazia alguns rapazes da sala corarem. 

A próxima a tomar a palavra, com um empurrão de Ahri, foi a ruiva, que cruzou os braços e os olhou com arrogância, escondendo a vergonha que sentia.

— Katarina Du Couteau — disse, simplória. Em seguida, percebeu alguns olhares assustados, mas o que mais chamou-lhe a atenção foi aquele que emanava ódio, de um demaciano. — É, esse ano vai ser divertido — murmurou para si mesma, de modo que nem mesmo suas amigas conseguissem ouvir.

Ahri percebeu o silêncio constrangedor, dando um cutucão no ombro de Syndra, indicando que seria a vez dela de falar.

— Hã... Sou Syndra, também de Ionia, e... Para de me cutucar, demônio!! — berrou com Ahri, que insistia em cutucar como uma brincadeira.

A garota adorava as reações de Syndra. 

— Se elas já terminaram, senhor Ryze, pode prosseguir com sua aula arcana — Fiora deixava a sala enquanto ajeitava os óculos, despedindo-se do professor Ryze com rigidez.

As três amigas se sentavam uma ao lado da outra no fundo da classe, as únicas carteiras disponíveis.

Na frente de Ahri, que se sentou no meio das duas amigas a fim de evitar confusões, estava um rapaz bem alto e musculoso, que logo chamou a atenção da garota. Era um noxiano com um topete, bem atrativo aos seus olhos.

Syndra ficou atrás de uma morena que usava uma cartola, supondo ser a representante de classe ao perceber a braçadeira em seu uniforme, que indicava seu cargo no conselho estudantil: “Representante da sala 3-B”.

Para o azar de Katarina, a única carteira que sobrou foi atrás de uma típica loira demaciana. Certinha, bonitinha, fofinha. Como toda demaciana deveria ser. Bem contrário da fama das mulheres noxianas: agressivas, fortes, irritantes.

Já da diferença de personalidade era possível explicar a tão árdua rivalidade entre as duas nações.

Katarina revirou os olhos ao notar sua situação. E ainda pôde ver olhares incomodados por parte da colega da frente e, logicamente, não iria deixar barato:

— O que foi, loirinha, incomodada com a minha presença? — zombou, rindo histericamente. Não fazia questão de ser discreta, afinal, “provocação noxiana é em público e luta é em público”.

— Tinha que ser noxiana... — murmurou Lux para si mesma, suspirando com a atitude de Katarina.

— Ora, pensei que Samuel’s Drift fosse um colégio de aceitação, onde pessoas de todas as nações pudessem viver harmoniosamente nesse espaço de paz e amor — continuou com as provocações irônicas, sabendo que sua colega, por ser demaciana, tinha ideias completamente opostos aos dela.

Porém, Katarina não era a única com provocações na manga na sala de aula, já que Ahri fazia questão de provocar o lindo garoto que se sentava à sua frente, mas com intenções totalmente opostas às da ruiva:

— Não foi você um dos garotos que vi corando há pouco tempo atrás? — sussurrava no ouvido noxiano, com uma voz sexy.

— Deve estar vendo coisas, não sou esse tipo de garoto com quem você costuma ficar — respondeu, frio, enquanto tomava notas da aula. Não fez questão de virar-se para a vastaya e muito menos de ser gentil com ela. Conhecia há tempos “tipos de gente” como Ahri, e sabia que caso se metesse com uma garota como ela, muita encrenca estaria por vir.

Surpresa, Ahri, ao invés de desistir pela resposta do outro, apenas sentiu-se ainda mais animada: um novo amor, um novo desafio. Algo a dizia que essa seria sua paixão mais difícil de ser conquistada, mas a morena estava preparada.

— Não me julgue assim... — Fez biquinho, manhosa. — Posso lhe impressionar bastante, sabia? — Sorriu, maliciosa.

— Então tente, pequena vastaya — Finalmente virou seu corpo em direção à Ahri, tomando coragem para rebatê-la frente-a-frente. — Veremos quem ganha esse jogo — Lançou um sorriso desafiador.

— Adoro esse jeito noxiano... — murmurava, nas nuvens com a atitude repentina do colega.

As coisas também estavam difíceis para o lado de Syndra, que fitava a garota com a cartola com certa estranheza.

— Isso está me incomodando — murmurou a colega da frente, percebendo os olhares curiosos de Syndra sobre si. Continuou concentrada na aula após dar seu recado, não querendo perder uma palavra sequer do professor Ryze.

— Pega leve, docinho — respondeu uma garota de cabelos rosas que sentava ao lado da morena, de uma forma bem relaxada. Totalmente oposta a tal representante de classe.

— Fique quieta, Vi! E eu já lhe disse para parar de me chamar assim! — reclamou, com as bochechas coradas. A de cabelos rosas adorava provocá-la, mas ao ver a reação fofa por parte da outra, deixou o assunto assim mesmo. Seu objetivo havia sido alcançado.

— Como quiser, Caitlyn... — murmurou, sorrindo delicadamente.

“Parece que isso será bem melhor do que eu imaginava...”, pensava Syndra, deixando escapar um riso.

Mais confusões rondavam Katarina do outro lado, que estava cada vez mais animada em provocar a loira, até que foi impedida por um demaciano:

— O que uma noxiana como você está fazendo com a minha irmãzinha? — perguntou irritado, encarando a ruiva com desdém. Pensando que estava no comando da situação, surpreendeu-se que a reação desta foi apenas rir descontroladamente do quão ridículo o demaciano estava sendo.

— Garen, olha o que você fez!! — murmurou a loira, envergonhada por ter sido humilhada pelo próprio irmão na frente de uma noxiana, o que ela achava ser o pior mico que poderia sofrer.

— Eu só estou lhe protegendo, Lux! — defendeu Garen, mas logo voltou sua atenção à Katarina. — Se voltar a incomodá-la vai ver só, sua noxiana... — preparava-se para xingá-la, mas foi cortado:

— Não pensa que é errado julgá-la por ser noxiana? — Um garoto que usava um moletom azul perguntou com a voz baixa, mas o suficiente para calar a boca de todos lá presentes. Seu rosto não podia ser visto muito bem já que usava o capuz, que cobria boa parte de seu rosto.

— Parece que somos dois x dois agora — anunciou Katarina, lançando um sorriso malicioso na direção de Garen.

— Eu não disse que estou do seu lado, ruiva — continuou o misterioso. — Você foi muito idiota com sua irmã, cara — direcionou-se a Garen, que irritou-se ainda mais:

— Quem você pensa que é para me falar isso, Talon?! — gritou, irritado, fazendo o som ecoar por toda a sala, causando um tumulto enorme com todos os alunos.

— Treta? Adoro! — gritou Syndra do outro lado da sala, se intrometendo na conversa entre os quatro de nações opostas.

— Mas o que está acontecendo? — perguntou Caitlyn, séria, lançando seu famoso olhar ameaçador para os responsáveis, mas toda aquela bagunça a fez ser ignorada pela primeira vez em sua vida.

— Até onde ouvi, é uma briga entre demacianos e noxianos. — respondeu Ahri, que prestava atenção em tudo, menos na aula.

— Briga entre nações?! — gritou Vladmir preocupado, sabendo que aquilo traria muita confusão na sala de aula. No fim, foi esse grito que causou toda a algazarra que estava por vir.

— Vai Ionia!! — gritou Ahri, animada, mesmo sem saber o motivo da briga.

— Piltover ou Zaun, eis a questão... — murmurava Vi, triste por não poder se envolver numa briga em que não havia decidido um lado, já que nascera em Zaun, porém mudou-se para Piltover.

Caitlyn a encarava com decepção em meio todo o agito.

— Vai Noxus!! — berrou Katarina, levantando-se da cadeira, cheia de confiança, recebendo olhares ameaçadores por parte de vários demacianos lá presentes, especialmente de Garen.

— Essas novatas só vão trazer problemas... — murmurou o professor, em meio aquela barulheira. 


Notas Finais


Obrigada por lerem! ^^
Os capítulos serão postados todas os sábados!
Por favor, comentem sobre o que acharam! <3

Próximo capítulo - 19/08 - Sábado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...