História Acampamento Cresthaven - Interativa - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Acampamento, Amizade, Comedia, Interativa, Romance
Visualizações 61
Palavras 965
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Pansexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá, gente pomposa, tudo cor-de-rosa? Eu sou o autor da fic rs
Enfim, o tão esperado dia chegou...
Nas anotações finais há um link com todos os personagens aprovados.
Quer conhecê-los um pouco melhor? Então se junte a nós nesta aventura que se inicia agora mesmo!

Capítulo 2 - O lugar onde eu quero estar


Fanfic / Fanfiction Acampamento Cresthaven - Interativa - Capítulo 2 - O lugar onde eu quero estar

 The Best Damn Thing, canção da cantora Avril Lavigne, toca nos fones de ouvido de Erica Smirnov no momento em que o ônibus no qual ela se encontra atravessa os portões que levam para sua destinação final: o Acampamento Cresthaven.

 "Sejam bem-vindos!", lê-se em uma placa pintada a apenas alguns metros de distância. Ao seu lado, um garoto franzino de cabelos castanhos claros repousa tranquilamente em sua poltrona e até mesmo ronca um pouco. Erica aumenta o volume para não ter de ouví-lo.

 A culpa não é dele. Gary Hastwoods havia passado a noite em claro maratonando todos os maiores clássicos filmes do gênero slasher: PânicoA Hora do PesadeloSexta-Feira 13, entre outros. Sinceramente, existe maneira melhor de se preparar para um acampamento de verão?

 O pobrezinho, provavelmente, não vai acordar pelas próximas 19 horas. Mas valeu a pena.

 No interior do transporte, onze adolescentes dividem 5 bancos com dois lugares cada. O objetivo é fazer com que já venham se conhecendo pelo caminho, mas não parece estar dando muito certo. A maioria está perdida demais em seus próprios pensamentos e expectativas do que este verão significará para cada uma deles. De uma maneira ou outra, esta é a última vez em que poderão desfrutar de tal experiência, por isto, a ansiedade e nervosismo são grandes.

 Niel King, que já é um veterano do acampamento, está sentado na frente, juntamente do motorista. Ele conta histórias e relembra cada situação que já viveu por ali, rindo sozinho, já que o condutor está mais focado em não causar um acidente e, de maneira geral, apenas assente com a cabeça para não se passar como mal-educado.

 Outra dupla que vem trocando gargalhadas desde o início da viagem é composta por Olivia e Aiden McClay, mas eles não contam, já que se conhecem, literalmente, desde o berço.

 Primos, criados como irmãos, os dois tiveram tempo o suficiente para criar inúmeras piadas internas e compartilham a incrível capacidade de se entender apenas com um olhar. É bem impressionante, na verdade.

 Após mais poucos minutos de estrada de terra, chalés e cabanas se tornam visíveis e, acompanhado destes, quatro figuras uniformizadas, duas delas acenando e sorrindo tanto que é até um pouco amedrontador. Quer dizer, quem diria que uma boca podia ser assim tão elástica?

 Erica afasta o olhar da janela e pigarreia, fazendo as pálpebras do jovem ao lado se abrirem, subitamente.

 — N-Nós já chegamos? — Gary pisca algumas vezes e se endireita em seu assento, limpando a garganta para espantar o sono da voz.

 — Já. — A loira responde tirando os fones. — Já chegamos, sim.

 

 O automóvel é estacionado e não demora muito até que todos tenham descido e estejam coletando suas bagagens no porta-malas do mesmo.

 A mochila de Lilith Hunter ficou presa entre duas outras maiores e retirá-la de lá iria requerir o uso de força bruta. Ela bufa, se preparando para fazê-la, quando Jonathan Blackthorn interfere, estendendo o braço.

 — Deixa que eu pego para você. — Ele pisca, flexionando os bíceps e fazendo a ruiva rir.

 — Se você insiste. — Ela dá de ombros.

 — Uau, vocês não perdem tempo mesmo. Nós acabamos de chegar e o casal já precisa de um quarto. — Madison Gutiérrez emerge detrás e provoca, desfilando para longe antes de dar-lhes a oportunidade de sequer processar sua fala.

— Jack, amigão! — Niel cumprimenta Jake Gomez com um abraço e dois tapinhas nas costas. — Nem tivemos tempo de nos falar direito no ônibus.

 — Pois é! Senti sua falta, parceiro. Pronto para ganhar novamente esse ano?

 — Só se você estiver. Juntos somos imparáveis! — Eles se abraçam novamente e começam a pular, emitindo sons que relembram aqueles emitidos por gorilas briguentos gigantes. Luna dá risada e Melina revira os olhos, mas está sorrindo um pouco também.

 — Garotos... — A mais alta ironiza.

 — Esperem por mim! — E a outra se junta aos dois, gargalhando e imitando seus mais novos colegas e, quem sabe, amigos.

 Um apito ressoa e todos se viram para olhar na direção do som. Barbra, com as mãos na cintura, saúda os visitantes.

 — Olá, pessoal. Bem-vindos ao Acampamento Cresthaven. Meu nome é Barbra Brown e eu faço parte da equipe de monitores do setor Norte. Como já devem estar sabendo, este estabelecimento possui, em média, 2 milhões de metros quadrados, por isso, dividimo-os, tradicionalmente, em setores, com a finalidade de manter tudo mais organizado e controlado. Fiquem tranquilos, vocês ainda são livres para explorar e aproveitar-se de tudo que foram prometidos, mas é para cá que retornarão todas as noites para dormir. Além disso, todo ano organizamos uma gincana. Dois times em cada setor, cada um liderado por um dos monitores residentes, se enfrentam em uma série de atividades pré-programadas e os vencedores são declarados ao final da experiência. Se preparem para festas, surpresas, desafios e emoções porque vocês estão prestes a vivenciar o melhor verão das suas vidas! — Palmas e gritos de aprovação vindos dos adolescentes e de seus parceiros fazem a monitora sorrir, orgulhosa.

 Curiosamente, Olivia inspeciona o ambiente ao seu redor. Não há nada que chame muita atenção até seus olhos pousarem sobre Miles Davenport.  Então, eles se arregalam.

 No entanto, ele não parece notar sua presença. Não que ele tenha tempo para isso, já que a primeira reação da garota é esconder-se atrás de seu primo e cobrir o rosto com suas madeixas. 

 — Qual o problema? — Aiden questiona, confuso.

 — Ele está aqui. — A loira responde, simplesmente.

 — Quem é "ele"? — Antes que o garoto obtenha uma resposta, Barbra torna a discursar.

 — Hoje a noite realizaremos a tradicional cerimônia de boas-vindas ao redor da fogueira, para nos conhecermos melhor enquanto um grupo. Tomem esse tempo livre para relaxar e se acomodar em seus dormitórios. Esse ano pode ser o último, mas estou com um bom pressentimento sobre ele. Vejo vocês mais tarde. Nós vamos nos divertir muito.


Notas Finais


https://www.spiritfanfiction.com/jornais/aceitos--acampamento-cresthaven-13902808
É isto.
Opiniões? Críticas? Sugestões? Todas estas serão muito bem-vindas e apreciadas.
Espero que tenham gostado e continuem me acompanhando ao longo dessa emocionante aventura de verão.
Vejo vocês nos comentários e nos próximos capítulos? Tomara que a resposta seja positiva :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...