1. Spirit Fanfics >
  2. Acampamento de férias >
  3. Capítulo 7

História Acampamento de férias - Capítulo 9


Escrita por: Best_FrienD

Notas do Autor


Baseado em fatos reais

Capítulo 9 - Capítulo 7


Ana on

Já se passaram uma semana e três dias, desde que chegamos aqui no acampamento.

Vou contar alguns ocorridos.

Primeiro, minha equipe está atrás, perdemos nas últimas duas provas e isso me deixou com os nervos a flor da pele. Sei a capacidade de cada um da minha equipe, estudei eles durante esses dias, isso nos daria vantagem se não estivéssemos nos desentendendo um pouco.

Se tem intriga, não tem trabalho em equipe, e se não tem trabalho em equipe, não tem vitória.

Segundo, o Noah está tentando se aproximar de mim e nem tenta disfarçar isso. Porém eu não estou muito conente com essa situação, conhecendo bem o tipo de garoto que ele está mostrando ser, eu já sei que envolve segundas intenções, que inclusive não é o que ele vai conseguir.

Terceiro, anteontem Sabina finalmente falou com Day e eu por quase vinte minutos. Ficamos bem felizes pois a mesma sempre nos ignorava completamente ou nos dava curtas respostas.

Ainda sobre ela, faz uns dias em que ela recebeu um envelope escrito algo que não sabemos o que é, ela está atrás de quem colocou em sua cama desde então. 

Agora, falando de mim, não estou tão bem como eu deveria, mas não vem ao caso.

Rio.

A diretora nos deu um dia de diversão sem provas, então decidi vir para o rio. Estou sentada em uma pedra com os pés dentro dele. 

O dia seria melhor se tudo fosse esclarecido.

Sendo bem sincera, ser cristã não é uma tarefa fácil, lógico que não trocamos Jesus por nada, mas o caminho que nos leva até ele muitas vezes está cheio de pequenas pedras que fazem os pés doerem. Não é culpa dele e sim de quem quer me tirar do caminho, as malditas pedras.

- Ana!

Balanço a cabeça voltando a realidade.

- Oi! 

Olho para a pessoa que me tirou do mundo da lua.

- Nossa, o que você tem?

Diz Josh sentando ao meu lado.

- Sabe que aqui não é lugar para conversarmos sobre essas coisas né?

- Hum, depois me fala então?

- Tenho escolha?

Digo levantando uma das sobrancelhas.

- Tem! Você não é obrigada a dizer nada se não quiser.

- É.

- É.

Repete o que eu digo me dando uma leve cotovelada.

Sorrio fechado.

- Eu te admiro sabia Aninha?

Olho para ele que fita o céu azul cheio de nuvens.

- Você é um grande exemplo de jovem de Deus.

Também começo a admirar o céu, enquanto ouço suas palavras.

- Você já passou por tantas coisas, mas o seu amor por Cristo sempre foi maior que tudo. Continue assim, sei que há algo te encomodando e quero que lembre do seu amor.

- Pode deixar.

Olho para ele com um sorriso fraco.

- Vamos aproveitar o rio? Ficar sentado aqui é chato.

Agora eu me animei.

- Bora.

Ele se levanta e me estende a mão. 

Seguro na mesma e levanto.

- Agora vai!

- JOSH.

Ele me empurra na água na maior cara elde pau.

- Muito bonito senhor engraçadinho.

- JOSH.

Ele repete com voz fina enquanto ainda ri.

Ah vai ser assim? Então receba!

Começo a jogar água nele.

- Ou!

Ele só desvia algumas vezes e então pula no rio.

- Aqui se faz aqui se paga meu filho.

Ele vem para mais perto.

- Só não te afogo porque seria muita maldade.

- Tá me achando com cara de seus pariceiros é?

Rimos.

- Falou igualzinho a mãe do Tiago.

- Então né.

Mergulho.

- Falando nele, porque não veio.

- Ele?

- Lógico né Josh, se estamos falando dele.

- Ah.

Ele passa a mão entre seus fios de cabelo encharcados d'água.

- Sim, porque ele não veio?

- Porque ele preferiu viajar com o vô dele, eles vão evangelizar lá.

- Ah que top.

- Pois é.

Ficamos em silêncio por alguns segundos.

- Eu acho que estamos muito moles Ana.

- Hum?

- Sobre ganhar almas, lembra que lá em casa nós combinamos com a Day também que esse acampamento seria ótimo para ganharmos almas?

- É mesmo.

- Até agora, só você fez aquele descurado no primeiro dia e eu falei com a tal da Sabina do seu quarto que saiu dele lembra que eu te contei?

- Sim, sim.

- Aquele menino que debateu com você eu falei com ele depois, mas ele foi super antipático e disse que não queria saber de Deus não.

- Nossa, sério?

- Sério.

- É, já estamos aqui a mais de uma semana, o tempo vai passar.

- Precisamos fazer algo.

- As cartas e bilhetes!

Seguro em seu ombro.

- Lembra de quando colocamos bilhetes com versículos bíblicos e frases sobre Cristo além que envelopes com a mesma coisa dentro e saímos espalhando pelo bairro?

- Lembro! Ah aquele dia foi ótimo.

- Nós até falamos com pessoas cara a cara e chegamos na igreja com mais de 50 pessoas só do bairro através dessa evangelização.

- Quando voltarmos vamos marcar de fazer de novo.

- Isso aí Joshzinho.

- Só que aqui já vão associar à você, por conta do seu discurso.

- Tem nada não. Já se passou uma semana e eu não falei mais nada e não tem só eu de Cristã por aqui.

- Tá, então podemos fazer.

- Mais tarde conversamos com a Dayane.

- Vamos aproveitar e compartilhar sobre as pessoas de nossas equipes, o bom de cada um ter caído em uma diferente é que já observamos como são mais jovens do que se estivéssemos juntos. 

- Exato, podemos trabalhar em cima daquilo que sabemos que as pessoas de nossas equipes precisam.

Ficamos lá mergulhndo e falando sobre outros assuntos e até brincando.

Dayane On.

Eu decidi passar meu tempo lendo aqui no jardim o último livro da trilogia que estou amando.

(Uma razão para viver//Joyce Anne)

Estou amando esse livro, a personagem principal tem a história muuuito semelhante a da Ana.

A Conheci na igreja, éramos de grupos diferentes e tínhamos até uma rixa por causa da competição. Aí veio Deus e vendo isso nos colocou no mesmo grupo e então começamos a nos aproximar até sermos como somos hoje.

O maior objetivo que temos na igreja é ganhar almas, no início Ana queria muito ter uma vida com Deus e ganhar almas, porém ela se frustrava sempre por não conseguir levar as pessoas para a igreja e na mente dela era uma bagunça total.

Uma vez, disseram "Deus não é com quem é fraco." É verdade! Mas ela entendeu errado. 

Na cabeça dela, ela tinha que ser forte sozinha para Deus gostar dela e a usar já que estava fraca. Como ela foi tola! Não é assim, quando aquilo foi dito, quiz dizer que nós não podemos escolher ser fracos, não fazer algo que podemos fazer, dar desculpa para tudo ao invés de dar um jeito, só lamentar e não fazer alguma coisa, não conseguir trazer nem uma pessoa para a casa de Deus, continuar no erro etc. 

Quando, fazemos o contrário do que foi citado, estamos indo bem, pois estamos descobrindo a força que há guardada dentro de nós. 

Ela estava tão confusa e tão frustrada com seus erros e fracassos e tão preocupada em chamar a atenção de Deus sendo forte sozinha para ele gostar dela, que esqueceu que sozinha ela nunca conseguiria, é por isso que ela se frustrava, ela tinha que fazer de Deus a própria força e base dela ao invés de tentar sozinha. Além das almas que ela também não entendia direito a importância de ganhar.

Enfim, tudo se resolveu e hoje ela é uma grande jovem de Deus e cheia do Espírito Santo, que inclusive rende mais história para contar.

Esse livro retrata muito o que Ana passou.

- Dayane?

Olho para trás?

- Ah Oi, Sabina?

- Sim, posso falar com você?

- Pode sim.

Nossa, que surpresa novamente.

Ela se senta no banco.

- Bom...

Noah on.

- Krys da para parar? 

- Deixa de ser chato Noah!

- Eu não aguento mais ouvir você falar dessa garota.

- Aish.

- Sério mesmo, tá chato.

- Você não entende.

- O amor não é cego não, nem olho ele tem porque olha para você.

- Tá, já parei.

Gente, espero não me apaixonar e ficar assim. Deus me livre disso.

- Krystian Wang, essa garota acabou com você.

- Pior é você.

- Pior por quê?

- Porque ela acabou comigo e você vai acabar com a Ana.

Ficamos em silêncio.

Eu...

- Pois é Noah, eu sou totalmente contra.

- Cala a boca!

- Você não deveria fazer isso.

Me viro e saiu dali.

- É sério que você vai sair assim?

Ouço ele falar mas não o respondo.

- Fugir não vai apagar suas atitudes!

Ouço ele gritar de longe e um fogo me sobe.

Se quer saber, eu vou mesmo, vou faze-la de boneca de pano só de raiva.

Começo a procurá-la.

Quero fazer logo, para me livrar logo.

Se ela não fosse tão difícil.

Vou até o rio.

Onde ela está em?

- Achei!

Olho para quem a acompanha.

- De novo esse tal de Josh?

Preciso saber logo o que ele é dela.

Suspiro impaciente.

Como eu vou chegar nela agora?

- Esse moleque está atrapalhando tudo.

Decido ir para aquele lugar secreto onde dormi em baixo da árvore.

(...)

- Finalmente.

Me jogo no chão em baixo da árvore.

- Depois de tudo isso eu só vou querer paz.

Fecho os olhos lembrando de uma pessoa que marcou a minha vida.

Flashback on

Risos e mais risos são escutados.

A mão dela segura a minha, prontos para pular na piscina.

- No três! Um, dois, Três!

Pulamos.

É um jogando água no outro.

- Aí meu olho!

Paro de jogar água nela e vou até a mesma preocupada.

- Desculpa, deixa eu ver.

Ela dá um pulo.

- Brincadeiraaaa.

Mais olha só para isso.

- Não gostei da sua brincadeira.

Faço um bico do tamanho do mundo.

- Ok, perdão paro Donald.

Eu quero ficar sério mais não consigo.

Começamos a gargalhar alto.

Flashback off.

Uma pequena lágrima cai de meus olhos.

De novo isso? Até quando eu vou chorar? Chega né Noah.

Imediatamente seco ela e me sento.

Só vou ficar aqui mais um pouco, mau cheguei.

É, as vezes precisamos ficar sozinhos para pensar, um lugar como esse é ótimo.

(Deixe-me contar a vocês, alguém está o observando).












Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...